Glauco do Brasil (2015)

Brasil (RS-SP)
Longa-metragem | Não ficção
cor, 90 min

Direção: Zeca Brito.
Companhia produtora: Anti Filmes; Boulevard Filmes; daMAya

Primeira exibição: São Paulo (SP), 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo [22 out-4 nov], Cine Caixa Belas Artes Sala Spcine, 22 out 2015, qui, 21h40
Primeira exibição RS: Porto Alegre (RS), 10ª Bienal do Mercosul, Cine Santander Cultural, 18 nov 2015, qui, 19h (pré-estreia, debate com o diretor e o curador Antonio Cava)

 

Em 1998, aos 12 anos de idade, Zeca Brito entrevistou com uma câmera amadora o pintor Glauco Rodrigues em sua terra natal, Bagé, no Rio Grande do Sul. Ele ainda não sabia, mas ali começava o documentário Glauco do Brasil. Depois de sua morte (em 2004), sua obra permaneceu obscura até que, em 2013, durante a exposição O Anjo da história, realizada na École de Beaux-Arts de Paris, com curadoria do francês Nicolas Bourriaud, um novo olhar foi lançado sobre o artista brasileiro. Segundo o teórico, o pintor foi esquecido em seu próprio país por não seguir as regras do mercado da arte e da história oficial, uma história modernista. A partir de então, Zeca Brito deu continuidade às filmagens, desta vez com uma equipe profissional, visando investigar a trajetória de vida de Glauco Rodrigues através de sua obra.
Pela pintura de Glauco, redescobre-se o Brasil, sua história, cultura e época. O pintor apresenta uma espécie de iconografia da ditadura, se apropria da cultura erudita e popular, revelando um país e suas mazelas.

Sinopse


Fotografias do aniversário de 70 anos de Glauco Rodrigues, que ele vai comemorar em Bagé, em 1999. Zeca Brito, com 12 anos, grava em vídeo uma entrevista com ele. Esta entrevista vai aparecer outras vezes. Glênio Bianchetti relembra o Clube de Gravura de Bagé. A segunda esposa, Norma Estelita [a Norma Dois], ouve o áudio de uma entrevista de Glauco, de outubro de 1973. Alguém fala: "Um dia ele compreendeu: Eu sou pintor". De Bagé ele vai para Porto Alegre. Num período difícil, Carlos Scliar comprava os quadros de Glauco Rodrigues. Chateaubriand analisa o retrato que Glauco fez dele. Maria Luiza Leão diz: "Ele tinha uma alegria de fazer bem feito". Muitos retratos, de Dorival Caymmi, Darcy Ribeiro, José Lewgoy, Nélida Piñon, ACM. Nas palavras de Glauco Rodrigues, "um retrato da burguesia, da classe dominante". Período em que trabalha na revista Senhor, fazendo ilustrações e 22 capas. Cartaz do filme Garota de Ipanema (Leon Hirszman, 1967). No Rio de Janeiro, fase abstrata que dura dez anos. Casa com Norma [Um] com quem vive durante 22 anos até à sua morte. Vão morar em Roma. Na Bienal de Venezia de 1964 ele descobre a pop art na figura de Robert Rauschenberg. Reviravolta na sua obra. Volta para o Rio e "descobre" o Brasil, na ditadura. Se auto-classifica como brasilianista e antropofágico. As séries dos caxinauás e do descobrimento do Brasil, a maioria no acervo de Chateaubriand. O apartamento de Chateau é repleto de quadros de Glauco Rodrigues. Atores que aparecem nestas séries: Cecil Thiré, Stepan Nercessian, Camilla Amado. Stepan como São Sebastião é capa da Revista do Domingo, do Jornal do Brasil. O santo, que aparece em mais de cem obras – é padroeiro de Bagé e do Rio de Janeiro. A incorporação de Tarsila do Amaral, Almeida Júnior, Victor Meirelles em sua obra. Alguém lembra a teoria da carnavalização de Bakhtin. O cantor e compositor João Bosco: "Eu vejo os quadros do Glauco e vejo o Brasil". Glauco: um tropicalista sem ter assinado manifesto. A École de Beaux-Arts de Paris faz uma retrospectiva. Camilla Amado lembra que vendeu seu apartamento para comprar outro, mas comprou a exposição toda e hoje paga aluguel. A casa é repleta de seus quadros. A pedido de Zeca, na entrevista de 1999, Glauco Rodrigues, agora um tanto embriagado, deixa uma mensagem aos jovens.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Arquivo (imagem e som): Glauco Rodrigues (em Bagé em 1999 + áudio Rio de Janeiro, out 1973 + outros lugares e anos não identificados), Carlos Scliar (voz), Norma [Um].
Ordem de identificação: Camilla Amado (atriz), Luis Fernando Verissimo (escritor), Gilberto Chateaubriand (colecionador), Glênio Bianchetti (pintor), Aniko Herskovits (artista plástica), João Bosco Abero (escritor), Ailema de Bem Bianchetti (artista plástica), Frederico Morais (teórico e crítico de arte), Ferreira Gullar (poeta), Norma Estelita Pessôa (esposa de Glauco Rodrigues), Maria Luiza Leão (artista plástica), Antonio Cava (curador exposição obra gráfica), Francesca Rizzo (historiadora de arte, em Venezia), Anna Letycia Quadros (artista plástica), Carlos Vergara (artista plástico), Cecil Thiré (ator), Stepan Nercessian (ator), Affonso Romano de Sant'Anna (escritor), João Bosco (cantor e compositor), Ricardo Cravo Albin (pesquisador e historiador), Maeve O'Neill Sanger (estudante da École de Beaux-Arts de Paris), Roberto Cabot (artista plástico), Nicolas Bourriaud (diretor da École de Beaux-Arts de Paris), Luiz Camillo Osório (curador do MAM Rio Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro), Virgile Deshays (estudante da École de Beaux-Arts de Paris).
Não creditado: Zeca Brito (voz, em Bagé em 1999 e na atualidade).

DIREÇÃO
Direção: Zeca Brito.
Assistência de direção: Maria Elisa Dantas.

ROTEIRO
Roteiro: Zeca Brito.
Tradução italiano: Francielle Biglia.
Tradução francês: Nicole Pelegron.
Tradução inglês, espanhol e japonês: Traduzca (Porto Alegre).

PRODUÇÃO
Produção: Zuleika Borges Torrealba, Letícia Friedrich, Lourenço Sant'Anna, Frederico Ruas, Zeca Brito.
Produção executiva: Letícia Friedrich, Zeca Brito.
Assistência de produção: Martina Zanetello, Laura Lemmerhirt, Maria Elisa Dantas.
Produção (IT): Miriam Marini.
Produção (Paris): Bibiana Haygert.
Produção (São Paulo): Pablo Escajedo.

Motoristas: Gui Dias (Porto Alegre), Hemilcio Fróes (Rio de Janeiro), Danilo Nascimento (Bagé), Ernani Flores (Bagé).

Assessoria administrativo financeiro: Maristela Ribeiro.
Operações financeiras: Liane Carvalho.
Assessoria contábil: Newton Santos.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Bruno Polidoro.
Operação de câmera adicional: Vica Nabuco, Vinicius Guerra, Joba Migliorin, Pedro Campos, Zeca Brito.
Imagens aéreas: Eduardo Berthier.

Maquinista: Josias Salvaterra.

SOM
Som direto: Letícia Friedrich.
Som direto (Brasília): Robson Britto.

MÚSICA
Trilha sonora original: Guilherme Gê, Felipe Puperi.
Produção, arranjos e mixagem: Guilherme Gê / Sotax Studio Produções.
Produção musical: Rita Zart.
Pesquisa musical: Zeca Brito, Rita Zart.

Músicas:
• "Pintor inclassificável" (Guilherme Gê) por Guilherme Gê
• "Céu de Porto Alegre" (Guilherme Gê) por Guilherme Gê
• "A Verdadeira história do passado" (Guilherme Gê) por Guilherme Gê
• "Pincel, tinta e lembrança" (Guilherme Gê) por Guilherme Gê
• "Glauco" (Guilherme Gê) por Guilherme Gê
• "Explosão das cores" (Guilherme Gê) por Guilherme Gê, Marcos Suzano (percussão)
• "A Banda toca" (Felipe Puperi) por Felipe Puperi, Humberto Martins (trombone)
• "Deixa ser Roma" (Felipe Puperi) por Felipe Puperi, Humberto Martins (trombone surdina)
• "Nota dos meus dias" (Felipe Puperi) por Felipe Puperi

Músicas licenciadas:
• "Cuesta abajo" (música: Carlos Gardel, letra en español: Alfredo Le Pera; tango-canción) por Felipe Puperi, Carlittos Magallanes (bandoneon)
• "Geleia geral" (Gilberto Gil, Torquato Neto) por Gilberto Gil // Sob licença de Warner Chappell, Gegê Edições, Preta Music e Universal Music
• "Aquarela do Brasil" (música, letra: Ary Barroso; samba estilizado) por Orquestra Tabajara // Sob licença de Irmãos Vitale e CID
• "O Mestre-sala dos mares" (João Bosco, Aldir Blanc) por João Bosco // Gentilmente cedida por João Bosco, Aldir Blanc, Universal Music Publishing Group e Sony Music
• "De frente pro crime" (João Bosco, Aldir Blanc) por João Bosco // Gentilmente cedida por João Bosco, Aldir Blanc, Universal Music Publishing Group e Sony Music
• "Dois mil e índio" (João Bosco, Aldir Blanc) por João Bosco // Gentilmente cedida por João Bosco, Aldir Blanc, Universal Music Publishing Group e Universal Music
• "Kid Cavaquinho" (João Bosco, Aldir Blanc) por João Bosco // Gentilmente cedida por João Bosco, Aldir Blanc, Universal Music Publishing Group e Sony Music
• "Paris" (Alberto Ribeiro, Alcyr Pires Vermelho) por Carmen Miranda // Sob licença de Irmãos Vitale e Universal Music
• "Aquarela do Brasil" (música, letra: Ary Barroso; samba estilizado) por Felipe Puperi // Sob licença de Irmãos Vitale

ARQUIVO
Citações:
Revista: Senhor, Rio de Janeiro, jan 1960, capa, ano 2, n.1. / Senhor, Rio de Janeiro, out 1960, capa, ano 2, n.10.
Revista: A provisória ausência do ministro Golbery. Veja, São Paulo, 18 jun 1975, capa, n.354.
Cartaz: Garota de Ipanema (Leon Hirszman, 1967).
LP: Neguinho da Beija-Flor. Poetas de calçada; capa do LP, autoria: GR.
LP: Jorge Mautner. Bomba de estrelas; capa do LP, autoria: GR.
Abapuru, de Tarsila do Amaral
Revista: Glauco Rodrigues e a lenda do quatipuru – Stepan Nercessian é o São Sebastião na nova fase da pintura de Glauco. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 15 maio 1977, ano LXXXVII, n.37, Revista do Domingo, ano 2, n.58, capa [BN, p.61].

FINALIZAÇÃO
Montagem: Jardel Machado Hermes, Virginia Simone.
Assistência de montagem: Matheus Walter.

Pós-produção de imagem: Lígia Tiemi Sumi.
Videografismo, projeto gráfico: Luiza Ollé.

Desenho de som, edição de som e mixagem: Tiago Bello.
Foley: Sérgio Guidoux, Ivan Lemos.
Edição de efeitos sonoros: Marcos Lopes.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Estúdio de mixagem: Gogó Conteúdo Sonoro (Porto Alegre).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Anti Filmes (Porto Alegre); Boulevard Filmes (Rio de Janeiro); daMAya (Rio de Janeiro).
Financiamento (BR/RS): Edital SEDAC nº 39/2013: Concurso RS Polo Audiovisual – Finalização de longa-metragem. Pró-cultura RS Lei nº 13.490/2010 FAC Fundo de Apoio à Cultura. Realização: SEDAC Secretaria de Estado da Cultura, por intermédio da Diretoria da Economia da Cultura e do IECINE Instituto Estadual de Cinema do RS / Governo do Rio Grande do Sul. Proponente: Brito, Martins e Santos Produções Ltda.. Valor: R$ 100.000,00.
ANCINE Agência Nacional do Cinema
Financiamento: Light.
Apoio: CTAv Centro Técnico Audiovisual (Rio de Janeiro) / SAv Secretaria do Audiovisual / MinC Ministério da Cultura.
Apoio cultural: Beaux-Arts de Paris (FR); MAM Rio Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; Museu Nacional de Belas Artes (Rio de Janeiro); MAC Museu de Arte Contemporânea (Niterói); MARGS Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (Porto Alegre); Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo; Museu da Gravura Brasileira (Bagé); Museu Dom Diogo de Souza (Bagé); Fundação Darcy Ribeiro (Rio de Janeiro); Fundação Cidade das Artes (Rio de Janeiro).

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos especiais: Norma Estelita Pessôa, Edmundo Castilhos Rodrigues, Maria Luisa Teixeira da Luz, Sapiran Brito.
Agradecimentos: Ade Muri, Ana Lucia Silva Chagas, André da Rocha Ferreira, Angela Alegria, Anna Francesca Chagas, Ana Margarida Chagas Bovet, Antonio Cava, Antonio Natali, Barbara Vagelli, Boca Migotto, Carla Cassapo, Carla Henriques, Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand, Carmem Barros, Cátia Louredo, Cíntia Langie, Claudia Ruchiga da Rosa, Claudia Vaz, Claudio Strinati, comandante Carlos Henrique Ferreira Braga / Fazenda Resgate, Consuelo Cuerda Ferreira, Cosme de Souza (montador MAM), Danúbio Gonçalves, Domingos Savio Marimon Deble, Don Emmanuele Catarossi / Basilica S.S. Annunziata, Edison Larronda, Elisa Giusti / Toscana Film Commission, Elvira de Macedo Nascimento, Emilio Kalil, Fernando Karam, Gilberto Chateaubriand, Gladimir Aguzzi, Gladis Deble, Glauber Pereira, Heloisa Beckman Morgado, Humberto Durões, Ito Carvalho, Jean-Claude Bernardet, Joana Nin, João Manoel Saraiva Vieira, Jorge Salomão, José Eufrazino, José Francisco Botelho, José Marcelo Peçanha (montador MAM), Lúcia Verissimo, Laís Coutinho de Brito, Leo Garcia, Lufe Bollini, Luis Carlos Teixeira, Luiz Rosemberg Filho, Luiz Vitoriano Teixeira, Manolo Gondoleiro (Venezia), Maria Isabel Teixeira, Maria Luiza Pêgas, Maria Odete Teixeira, Mariana Mêmis Müller, Mariazinha Abero, Marta Feital Mondolfo, Michele Tombolini, Mônica Silveira, Nadine Quaranta Brun, Nélida Piñon, Paula Ramos, Paulo Gomes, Pepita Cassapo, Pero Vaz de Caminha, ACM Neto (prefeito), professor Antônio Pinelli / Università degli Studi di Firenze, Rafael Andreazza, Rafaela Ribas, Ricardo Cravo Albin, Roberto Parenza, Roberto Ellero, Sergio Coirolo, Tanguy Grard, Teresa Poester, Terezinha dos Santos 'Tetê', Thereza Miranda, Thomaz Azulay / Blue Man, Tommaso Strinati, Vera Stringhini, Vica Nabuco, Zuhair Qumsieh.
Aeroporto Internacional de Salvador / INFRAERO, ASAC Archivio Storico delle Arti Contemporanee, Associazione Dante Alighieri, Bateau Mouche Paris, Capela de Santa Terezinha (Rio de Janeiro), Caranguejo Restaurante, Catedral de São Sebastião (Bagé), Chico's Bar e Restaurante, Damask Restaurante, Estância do Valente, Embaixada do Brasil em Roma, Fiocruz Fundação Oswaldo Cruz, Galleria degli Uffizi (Firenze), Grupo Libra, Hotel Palace Bouchardon Paris, Instituto Antonio Carlos Magalhães de Ação, Cidadania e Memória, Instituto Cultural Cravo Albin, Panda Filmes, Pousada da Maya, Restaurante Calamares, Ti Natércia / Bacalhaus, Venice Film Commission.

FILMAGENS
Brasil / RJ, no Rio de Janeiro;
Brasil / RS, em Bagé; Porto Alegre;
Brasil / DF, em Brasília;
Brasil / SP, em São Paulo;
Brasil / BA, em Salvador;
França [France] / Région Île-de-France, em Paris;
Itália / Regione Lazio, em Roma;
Itália / Regione Toscana, em Firenze [Florença];
Itália / Regione del Veneto, em Venezia [Veneza].

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 90 min
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:
Idioma: Português, italiano, francês e japonês, com legendas em português.

DIVULGAÇÃO
Assessoria de imprensa: Genco Assessoria e Comunicação.
Trailer: www.youtube.com/watch?v=0nrinCQkSII

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: Livre.
Distribuição: Boulevard Filmes (São Paulo).
Contato: Anti Filmes.

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // Todos os direitos reservados a seus titulares © copyright 2015 Anti Filmes / Boulevard Filmes – Porto Alegre / Rio de Janeiro – Brasil //

Grafias alternativas: Camilla Amado e Camila Amado | Mano Josias Salvaterra | Sérgio Kalil | Luis Rozemberg Filho | Sapiran Coutinho de Brito

BIBLIOGRAFIA
PONTUAL, Roberto. Visões/visão da terra – Em nova fase, Glauco Rodrigues revela através da lenda do quatipuru uma face pouco conhecida da mitologia brasileira. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 15 maio 1977, ano LXXXVII, n.37, Revista do Domingo, ano 2, n.58, 22-25 [BN, p.82-85].

LUNARDELLI, Fatimarlei. Glauco do Brasil (2015) – Tropicalistas do pampa. In: FEIX, Daniel; LUNARDELLI, Fatimarlei; PINTO, Ivonete; KANITZ, Mônica; VALLES, Rafael (org). 50 olhares da crítica sobre o cinema gaúcho. Porto Alegre: ACCIRS Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul, Opinião Produtora, Diadorim Editora, JBL Harman, Pró-cultura / Secretaria de Estado da Cultura / Governo do Rio Grande do Sul, 2022. 226p. il., p.154-158.

Noticiário:
KANITZ, Mônica. Um artista brasileiro – Estreia amanhã. O documentário Glauco do Brasil, do diretor Zeca Brito, mostra a trajetória do pintor Glauco Rodrigues, de Bagé. Metro, Porto Alegre, 16 mar 2016, p.15.
LUNARDELLI, Fatimarlei. Um cineasta tropicalista de Bagé. Teorema – Crítica de Cinema, Porto Alegre, dez 2018, p.48-52, n.30.

Exibições


• São Paulo (SP), 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo [22 out-4 nov],
Cine Caixa Belas Artes Sala Spcine, 22 out 2015, qui, 21h40
Matilha Cultural, 31 out 2015, sab, 18h
Espaço Itaú de Cinema Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569, 3º piso, Consolação) Sala 3, 2 nov 2015, seg, 13h30

• Porto Alegre (RS), 10ª Bienal do Mercosul, Cine Santander Cultural, 18 nov 2015, qui, 19h (pré-estreia, com debate com o diretor e o curador Antonio Cava)

• Bagé (RS), 7º Festival Internacional de Cinema da Fronteira [23-28 nov]-Filme de encerramento, Cine 7 (Av. Sete de Setembro, 1.062), 28 nov 2015, sab, 19h

• Porto Alegre (RS), Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 17-20, 22, 23 mar 2016, qui-dom, ter, qua, 15h30, 19h30 (dia 17, 19h30, debate com o diretor, o curador e gestor cultural César Prestes e jornalista e a crítica de arte Paula Ramos)

• Porto Alegre (RS), Guion Center Sala 3, 17-23 mar 2016, qui-qua, 18h40

• Caxias do Sul (RS), Sala de Cinema Ulysses Geremia, no Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho (R. Luiz Antunes, 312, bairro Panazzolo), 9 abr 2016, sab, 15h (comentada com diretor e produtora Letícia) + 9, 10 abr, sab, dom, 18h

• Pelotas (RS), Cine UFPel, 15 abr 2016, sex, 19h (debate com diretor)

• Porto Alegre (RS), Sala Redenção, 24 maio 2016, ter, 19h + 25 maio, qua, 16h

• Santa Maria (RS), Sala 1203 do prédio do CAL-UFSM, 8 jun 2016, qua, 14h (debate com diretor)

• Niterói (RJ), Centro de Artes UFF, 20 out 2016, qui, 19h (debate com diretor)

• Porto Alegre (RS), Mostra Pró-cultura RS [13-19 jul], Cinemateca Capitólio, 19 jul 2017, qua, 20h

• Porto Alegre (RS), Auditório do MARGS Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli, 26 fev 2019, ter, 11h (comentada com diretor)

• Porto Alegre (RS), Mostra Artistas Visuais Gaúchos na Tela [30 jun-1º-3, 5, 6 jul], Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 30 jun 2022, qui, 19h (+ Alienados, de Marta Biavaschi)

• Porto Alegre (RS), Sessão ACCIRS: 50 olhares da crítica sobre o cinema gaúcho, Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 27 fev 2024, ter, 19h30 (comentada com Fatimarlei Lunardelli e Zeca Brito)

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Glauco do Brasil. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1025/glauco-do-brasil. Acesso em: 24 de abril de 2024.