Lanceiros Negros estão vivos – Uma ocupação por moradia e liberdade (2016)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Não ficção
cor, 78 min

Direção: Tiago Rodrigues, Jefferson Pinheiro.
Companhia produtora: Catarse – Coletivo de Comunicação

Primeira exibição: Porto Alegre (RS), CineBancários, 11 ago 2016, qui, 21h

 

Madrugada de 23 para 24 de maio de 2016, no Centro de Porto Alegre. Policiais bloqueiam todas as ruas que dão acesso à Ocupação Lanceiros Negros, para cumprir uma controversa reintegração de posse solicitada pelo Governo do RS do prédio localizado na esquina das ruas General Câmara e Andrade Neves.
Na rua, apoiadores se mobilizam contra a ação de despejo. Dentro do prédio, lanceiros negros estão determinados a resistir, enquanto um coletivo de advogados tenta suspender a reintegração na Justiça.
O documentário reconstitui, através de depoimentos e imagens, o que aconteceu naquela noite que culminou ao amanhecer com uma vitória temporária, porém histórica de famílias que lutam por direito à moradia e liberdade.

Sinopse


Ocupação Lanceiros Negros sitiada. 23 e 24 de maio de 2016.
Momento em que chega a suspensão da reintegração de posse.

Cf. créditos finais: // A suspensão da reintegração de posse foi uma vitória gigantesca mas ainda parcial, pois o Estado continua tentando despejar as famílias. / Nas audiências de conciliação que ocorreram desde então, nenhuma proposta foi apresentada aos moradores, apesar dos procuradores da PGE informarem que o Estado possui seis mil imóveis desocupados, que serão leiloados ou colocados em negociações para a construção de unidades prisionais. / Os ocupantes propõem transformar o prédio numa casa de passagem para famílias em situação de vulnerabilidade social. Um local de acolhimento que não existe hoje na cidade de Porto Alegre. //

Ficha técnica


IDENTIDADES
Ordem de identificação: Jussara Vaz Rodrigues (apoiadora), Gabriela de Souza (moradora), Joceana Nascimento (moradora), Lucimara Mira (moradora), Patricia Mira (moradora), Patricia Freitas (moradora), Nana Sanches (moradora), Carlos Roberto Santana (morador), Priscila Voigt (moradora), Cláucia Faganello (apoiadora), Ronaldo Santana (morador), Queops Carneiro (morador), Íris Guedes (advogada), Onir Araujo (advogado), Raquel Rolnik (ex-relatora para moradia da ONU), Gustavo Petry (procurador do estado do RS), Diogo Santos (advogado), Domingos Sávio da Silveira (procurador regional da República), Elisa Torelly (advogada), Geferson Erthal (morador),
+ Antonio Sanzi, Paulo Roberto Farias, Tainá Kruguer Cavalheiro.

DIREÇÃO
Direção: Tiago Rodrigues, Jefferson Pinheiro.
Entrevistas: Jefferson Pinheiro.

FOTOGRAFIA
Operação de câmera: Tiago Rodrigues, Jefferson Pinheiro.
Operação de câmera adicional: Douglas Freitas, Tharcisio Rocha, Mídia Ninja, moradores da Ocupação Lanceiros Negros.

SOM
Som direto: Marcelo Cougo.

MÚSICA
Direção de trilha original: Marcelo Cougo.
Músicos: Marcelo Cougo, Sandré Sarreta, Billy Valdez, Bodão Artenula, Richard Serraria, Mário Pirata, Domício Grillo, Lucas Kinoshita, Igor Assunção, Filipe Burgdurff.

FINALIZAÇÃO
Edição: Tiago Rodrigues.

Arte gráfica: Ruben Castillo.

Edição de som: Bruno Klein.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Catarse – Coletivo de Comunicação (Porto Alegre).
Este filme foi realizado sem financiamento. Os custos foram cobertos pelo Coletivo Catarse. Todo o trabalho de artistas e comunicadores foi feito de forma voluntária e militante.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Ana Lucia Valdez Poletto, Billy Valdez, Bodão Artenula, CineBancários, Daniela Távora, Domício Grillo, Escola Municipal de Educação Infantil Pica-Pau Amarelo, Filipe Burgdurff, Igor Assunção, Ivoni N. Kologeski Pinheiro, José Tude dos Santos Pinheiro, Lívia Zanatta Ribeiro, Lucas Kinoshita, Maria de L. Soares Rodrigues, Mário Pirata, Patricia K. de Camillis, Richard Serraria, Rosele Guimarães, Ruben Castillo, Sandré Sarreta, SindBancários.

Dedicatória: Para todos os que se levantam contra a opressão e as injustiças do sistema em busca da sua própria libertação.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:17:50 (YouTube)
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:

DIVULGAÇÃO

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
Contato: Coletivo Catarse.

OBSERVAÇÕES
Em trilha sonora consta: "Eu e meus camaradinhas": Marcelo Cougo (Eu acuso!), Sandré Sarreta (Eu acuso!), Billy Valdez (Hempadura), Bodão Artenula (Hempadura), Richard Serraria (Bataclã FC), Mário Pirata (Kalunga), Domício Grillo (Kalunga), Lucas Kinoshita (Trem Imperial), Igor Assunção (Cartel da Cevada): entre parêntesis são os nomes de bandas a que os músicos pertencem.

Grafias alternativas: Carlos Roberto Santana e Carlos Roberto M. Santana | Cláucia Faganello e Cláucia Piccule Faganello | Diogo Santos e Diogo Silveira dos Santos | Gabriela de Souza e Gabriela Clara de Souza | Íris Guedes e Íris Pereira Guedes | Joceana Nascimento e Joceana M. do Nascimento | Lucimara Mira e Lucimara de Lara Mira | Patricia Mira e Patricia Farias Mira | Queops Carneiro e Queops Damaceno Carneiro | Ronaldo Santana e Ronaldo | (identificação e créditos finais)
Grafias alternativas (funções): Edição de áudio

Exibições


• Porto Alegre (RS), CineBancários, 11 ago 2016, qui, 21h (lançamento)

• YouTube, disponível desde 14 ago 2016

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Lanceiros Negros estão vivos – Uma ocupação por moradia e liberdade. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1063/lanceiros-negros-estao-vivos-uma-ocupacao-por-moradia-e-liberdade. Acesso em: 18 de abril de 2024.