Brasiliana (1957)

Brasil (RS) – Bundesrepublik Deutschland [Alemanha Federal]
Longa-metragem | Ficção e Não ficção
35 mm, pb, 80 min

Direção: Helmut Wiesler.
Companhia produtora: Cinematográfica Cosmos Ltda.

Primeira exibição: Rio de Janeiro (DF), Metro (Cinelândia), 1º ago 1957, qui, 12h30 + circuito
Primeira exibição RS: Porto Alegre (RS), Guarany, 18 ago 1957, dom, 10h (para Clube de Cinema de Porto Alegre, imprensa e convidados)

 

Realizado pelos jornalistas austríacos Wiesler e Steinhauser para a Cinematográfica Cosmos, fundada por ambos em Porto Alegre. O primeiro já estivera no Brasil em 1952, filmando para uma companhia austríaca, e o segundo foi membro do corpo diplomático alemão em Porto Alegre. O semidocumentário explora aspectos pitorescos e exóticos do Brasil.

Sinopse


Uma jornalista alemã, a convite de um jornal brasileiro, motiva a narração para conhecer o Brasil de norte a sul, nos seus pontos típicos e pitorescos, em forma de documentário posado. O itinerário é o seguinte: a cidade do Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Sul (trigo, arroz, vida gauchesca), Mato Grosso (uma tribo de índios), a cidade de São Paulo, Cataratas do Iguaçu, Recife, carnaval carioca, tradições típicas de Santa Catarina.

Ficha técnica


ELENCO
Monika Klinger, Roberto Linhares, Walter Hardt, Bruno Eidt, Amadeu Steinhauser.
Elenco do show Banzo-Aiê!: Grande Otelo, Marina Marcel, Blecaute, Irma Alvarez, Tony Pardina, Virginia Vale, Miecio Askanasy. Direção: Carlos Machado.

DIREÇÃO
Direção: Helmut Wiesler.

ROTEIRO
Roteiro: Helmut Wiesler.

PRODUÇÃO
Produção: Amadeu Steinhauser.

FOTOGRAFIA
Operação de câmera: Helmut Wiesler.

ARTE
Cenografia: José Mauro.

SOM
Sonografia: Manoel Tomazoni.

MÚSICA
Trilha musical: Erich Markaritzer.
Regência: Karl Faust.
Músicas: Ary Barroso.

FINALIZAÇÃO
Montagem: Helmut Wiesler.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Cinematográfica Cosmos Ltda. (Porto Alegre).
Coprodução: com capital europeu.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 80 min
Metragem: 2.200 metros
Número de rolos:
Som:
Imagem: pb
Proporção de tela:
Formato de captação: 35 mm
Formatos de exibição: 35 mm

FILMAGENS
Brasil /
PE, em Recife;
BA,
RJ, no Rio de Janeiro;
SP, em São Paulo;
MG,
PR, no município de Foz do Iguaçu, nas Cataratas do Iguaçu (Parque Nacional das Cataratas);
SC,
RS, em Porto Alegre.
Período: a partir de janeiro de 1956 e durante todo o ano.

DIVULGAÇÃO
Lobby card: Exemplares pb na Cinemateca Brasileira.

DISTRIBUIÇÃO
Certificados:
Censurado em 14.03.1957 com 20 cópias.
Censurado em 12.07.1957, 10 cópias, trailer.
Classificação indicativa: Livre.
Distribuição: Art Films.
Contato: Cinemateca Brasileira.

OBSERVAÇÕES
Filme não visionado.
Ficha técnica a partir das informações em Filmografia Brasileira (Cinemateca Brasileira).
Algumas fontes grafam a companhia produtora como Kosmos.
VIANY, 1959, p.190, na ficha técnica grafa a produtora como Cosmos e atribui como sendo de 1957.
MIRANDA, 1990, p.358, atribui como sendo de 1955, provável ano do início da produção.
Show Banzo-Aiê! estreia em 15 nov 1955, terça-feira, na boate Night and Day, no Hotel Serrador, no Rio de Janeiro, aborda o tema da música em todo o mundo, numa sequência de quadros suntuosos, ligados por um roteiro humorístico que focaliza uma conferência internacional de ritmos populares no Rio de Janeiro, com os quatro grandes do Batuque Africano, da Conga Cubana, do Jazz Americano e do Samba Nacional, a disputarem a primazia de suas músicas, em demonstrações dançantes de grande montagem. Elenco: Grande Otelo, Blecaute, George Green, Billy Davis, Helio Colona, Lilian Fernandes, Marina Marcel, Josy Uenoir, Tony Pardina, Luciano Luciani, Gene de Marco, Edith Morel, Carla Nell, Norma Bengell, Gloria Ladany, Luzia Vitoria, Ana Maria Bonacorzi, Alicia Montserrat, Norma Tamar. Coreografia: Blanche Mur. Fica em cartaz até o final do ano e segue jan até c. abr 1956, com trocas de elencos. O programa: A brasiliana (1º show às 23h) / Banzo-Aiê! (2º show à 1h)
FCB/FF informa que a música de fundo foi realizada pela Orquestra Sinfônica de Viena, regida por Erick Markaritzer e Karl Faust e o acompanhamento típico por Carlos Faust [este Carlos Faust não seria o mesmo Karl Faust?]
Grafias alternativas: Black Out

BIBLIOGRAFIA
Noticiário:
Folha da Tarde, Porto Alegre, 17 ago 1957, p.27.
Correio Paulistano, São Paulo, 27 ago 1957, 2º Caderno, p.5, n.31.106.
Anúncio. Correio Paulistano, São Paulo, 29 ago 1957, 2º Caderno, p.4 [BN, p.12], n.31.108.
Estreia hoje nos Metro. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1º ago 1957, p.8, ano LXVII, n.176. [com foto]
Anúncio. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1º ago 1957, p.8, ano LXVII, n.176.

Crítica:
O. T.. Nossa opinião: Brasiliana. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 22 ago 1957, p.4.

Exibições


• Rio de Janeiro (DF), Metro (Cinelândia), 1º-7 ago 1957, qui-qua, 12h30, 14h20, 16h20, 18h15, 20h10, 22h10

• Rio de Janeiro (DF), Metro (Copacabana), 1º-7 ago 1957, qui-qua, 14h20, 16h20, 18h15, 20h10, 22h10

• Rio de Janeiro (DF), Metro (Tijuca), 1º-7 ago 1957, qui-qua, 14h20, 16h20, 18h15, 20h10, 22h10

• Recife (PE), Trianon,
18 ago 1957, dom, 10h (avant-première)
19-25 ago 1957, seg-dom, 13h20, 15h20, 17h20, 19h20, 21h20

• Porto Alegre (RS), Guarany, 18 ago 1957, dom, 10h (para Clube de Cinema de Porto Alegre, imprensa e convidados)

• São Paulo (SP), Metro, 29 ago-4 set 1957, qui-qua, 12h30, 14h20, 16h20, 18h15, 20h10, 22h10

• São Paulo (SP), Marachá, 29 ago-4 set 1957, qui-qua, 14h20, 16h20, 18h15, 20h10, 22h10

• São Paulo (SP), Hawai, 29 ago-4 set 1957, qui-qua, 14h20, 16h20, 18h15, 20h10, 22h10

• São Paulo (SP), Star, 29 ago-4 set 1957, qui-qua, 14h20, 16h20, 18h15, 20h10, 22h10

• São Paulo (SP), Roxy, 29 ago-4 set 1957, qui-qua, 13h30, 17h10, 20h30

[Para SP, os dias cf. anúncios do Correio Paulistano, pois no Roteiro aparecem outros filmes para os primeiros dias no Metro, Hawai e Star; nestas salas Brasiliana ainda aparece até 8 set, dom; no roteiro, o Marachá aparece apenas um dia. Os anúncios grafam Haway.]

Arquivos especiais


Noticiário e crítica:

Estreia hoje nos Metro. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1º ago 1957, p.8, ano LXVII, n.176.
Os três cines Metro terão em cartaz, a partir de hoje, um novo filme brasileiro. Trata-se, como tem sido amplamente noticiado, de Brasiliana, produção da Cinematográfica Cosmos Ltda., apresentada pela Art Films, com Menina (sic) Klinger e Roberto Linhares nos principais papéis. O filme é, em linhas gerais, um documentário com um fio de enredo ligando-lhe as sequências que retratam muitos dos mais sugestivos contrastes da terra brasileira. Rio, S. Paulo, Iguaçu, as selvas de Mato Grosso, os pampas, tudo isso desfila no filme, que proporciona uma hora e tanto de divertimento invulgar. O show Banzo Aié, de Carlos Machado, colabora no brilho de algumas sequências de Brasiliana.

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Brasiliana. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/107/brasiliana. Acesso em: 23 de junho de 2024.