Cidades fantasmas (2017)

Brasil (RS-RJ)
Longa-metragem | Não ficção
HD, cor, 71 min

Direção: Tyrell Spencer.
Companhia produtora: Galo de Briga Filmes; Casa de Cinema de Porto Alegre; Globo Filmes; GloboNews

Primeira exibição: Rio de Janeiro (RJ), É Tudo Verdade / It's All True 22º Festival Internacional de Documentários [19-30 abr]-Competição Brasileira: Longa ou Média-metragem, Espaço Itaú de Cinema Botafogo (Praia de Botafogo, 316) Sala 6, 22 abr 2017, sab, 21h
Primeira exibição RS: Porto Alegre (RS), Itinerância É Tudo Verdade / It's All True 22º Festival Internacional de Documentários [3-7 maio], Cinemateca Capitólio, 5 maio 2017, sex, 20h

 

Deserto chileno, Amazônia brasileira, Andes colombianos e Pampa argentino. Quatro geografias da América Latina, em comum ruínas de prosperidade, exploração, sonhos, alegrias e sofrimentos que permanecem na lembrança. Visitar lugares abandonados e reconstruir suas histórias a partir de relatos de antigos moradores foi, desde o princípio, a intenção dos jovens realizadores da Galo de Briga Filmes no documentário Cidades fantasmas, produzido com a Casa de Cinema de Porto Alegre. São intensas as emoções transmitidas pelas pessoas convidadas a rememorar o passado nos locais onde viveram. Em Humberstone, construída em área isolada no deserto chileno de Atacama, Maria Moscoso Dávallos caminha na casa em que habitou no que resta de um pólo de beneficiamento de salitre, cujo apogeu econômico entrou em declínio após a 1ª Guerra Mundial e agora é patrimônio histórico tombado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Fordlândia, localizada no interior do Pará, foi criada pelo magnata da indústria automobilística Henry Ford, no início do século passado, para produção de borracha extraída das plantações de seringueiras. O resultado econômico não foi o esperado e, após a morte do empresário, a empresa foi fechada e as casas de alto luxo usadas pelos dirigentes ficaram abandonadas no meio da floresta. A combinação de interesses econômicos e omissão governamental foi responsável pela destruição de Armero, na Colômbia, nos anos 1980, arrasada pela erupção do vulcão Nelvado del Ruiz. Morreram 20 mil pessoas e o relato de Esperanza Fierro, que perdeu os pais e os dois filhos no mar de lodo que cobriu toda a região, é emocionante e vem seguido de revolta, pois o governo foi alertado sobre a tragédia e não avisou os moradores. Epecuén era uma das cidades turísticas mais famosas da Argentina, mas por motivos econômicos e políticos desapareceu submergida por um desvio irregular de águas.

Da combinação entre a memória viva dos depoimentos, com fotos de arquivo e as imagens captadas pela câmera do fotógrafo Glauco Firpo - que percorre vagarosa os espaços vazios - resulta uma melancólica poesia sobre a ação contínua e implacável do tempo. Com uma equipe predominante de egressos universitários, Cidades fantasmas, dirigido por Tyrell Spencer, venceu o 22° É Tudo Verdade 2007 na competição brasileira de longas e médias-metragens. O projeto foi coproduzido pela Globo Filmes e, além do longa-metragem, foi realizada uma série de oito episódios exibida no Canal Brasil, com acréscimo de quatro cidades brasileiras: Minas do Camaquã (RS), Vila do Ventura (BA), Ararapira (PR) e Cococi (CE).

Sinopse


Quatro diferentes biomas. Deserto chileno, Amazônia brasileira, Andes colombianos e Pampa argentino. Quatro destinos na América Latina em que ruínas e silêncio ambientam nossa jornada. Alguns de seus antigos moradores ainda guardam na memória o que viveram ali e, através de relatos mais intimistas, evocam lembranças de um passado que não querem esquecer. Com um olhar contemplativo sobre o que restou, refletimos sobre o que deixamos e podemos deixar do nosso legado, entendendo que tudo pode ter um fim e que nada está livre da luta contra o esquecimento.

O cineasta gaúcho viajou por quatro países da América Latina para investigar o cotidiano de cidades de grande prosperidade no passado, hoje completamente abandonadas, esquecidas com o passar dos anos. O documentário contrasta grande beleza estética de sua fotografia com a tristeza de locais nunca mais habitados.

Humberstone (Chile) viveu um ciclo de enriquecimento e glória com a exploração de salitre. Fábricas foram construídas para a exploração do nitrato e milhares de trabalhadores emigraram para o Deserto do Atacama em busca de trabalho. A 1ª Guerra Mundial ocorria bem longe das áridas areias chilenas, mas seus efeitos foram sentidos na América do Sul após Alemanha e Inglaterra, ocupadas com os conflitos, bloquearem a importação do produto. Sem clientes, as indústrias faliram e os funcionários foram embora. Esvaziada, a cidade hoje é um ponto turístico tombado como patrimônio histórico pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Fordlândia – batizada em homenagem a Henry Ford, magnata e revolucionário americano da indústria automobilística do início do século passado – viveu trajetória similar ao município chileno. Tendo amplas plantações de seringueiras, a localidade do interior do Pará cresce abastecendo a confecção de pneus da montadora norte-americana. O plantio atraiu agricultores de diversas regiões do país, mas a prosperidade esperada nunca foi alcançada. Após a morte do empresário, a empresa foi fechada e milhares perderam definitivamente seus empregos.

Epecuén (Argentina) e Armero (Colômbia) foram despovoadas por catástrofes naturais. As águas do balneário argentino foram o motivo do cataclismo que inundou a cidade por mais de 20 anos. Um mar também invadiu o município colombiano, mas em vez de água, a lava vitimou mais de 20 mil pessoas (cerca de 66% da população). Todas essas histórias são contadas com poucas imagens dos momentos de bonança, evitando comparações entre passado e presente. Os escassos moradores remanescentes das proximidades narram a glória e a falência do lugar.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Humberstone: Guillermo Contreras, Maria Moscoso Dávallos.
Fordlândia: João Batista Leite, Assis Ribeiro, Expedito Brito. Não creditada: Anália Leite.
Armero: José Antonio Rubio, Claudia Ramirez, Esperanza Fierro.
Epecuén: Alberto Ruggeri, Norma Berg, Pablo Novak.

DIREÇÃO
Direção: Tyrell Spencer.

ROTEIRO
Roteiro: Carolina Silvestrin, Guilherme Soares Zanella, André Luís Garcia.
Entrevistador (Humberstone): André Luis Garcia.
Transcrição das entrevistas: Gabriela Burck.
Tradução inglês: Liziane Klugand.
Tradução espanhol: Maria de La Cruz.

PRODUÇÃO
Produção executiva: Nora Goulart.
Assistência de produção executiva: Nicky Klöpsch.
Direção de produção: Glauco Urbim.
Estagiário de produção: Victor Senador.
Pesquisa de campo: Glauco Urbim, Carolina Silvestrin, Tyrell Spencer.
Pesquisa de arquivos: Lilian Ferrari, Julia Franceschini.

BASE Casa de Cinema de Porto Alegre
Financeiro: Anísio Guedes.
Coordenação de distribuição: Bibiana Osório.
Telefonistas: Bianca Derenji, Simone Guedes.
Serviços gerais: Joelma Machado Leão.
Vigias: Eduardo Kruel, Marcelo Gouveia, Paulo Karwatzki.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Glauco Firpo.
Assistência de câmera: Lígia Tiemi Sumi.
Direção de fotografia (Humberstone): Daniel Donato.
Assistência de câmera (Humberstone): Lexia Mahana.

SOM
Som direto: Gabriela Bervian.

MÚSICA
Trilha sonora original: Leo Henkin.
Músico: Leo Henkin.
Gravação e mixagem de trilha sonora: Bruno Mad.

ARQUIVO
Archivo Nacional de Chile; Museu Regional Dr. Adolfo Alsina; From The Collections of The Henry Ford.
Áudio Cid Moreira / Material de arquivo cedido pelo Acervo Globo.

Cessão de direitos Josefina Licitra: "El Agua mala – Crónica de Epecuén y Las Casas Hundidas".

FINALIZAÇÃO
Montagem: Germano de Oliveira, Tyrell Spencer (não creditado).
Assistência de montagem: Jonatas Rubert, Joana Bernardes.
Estagiário de montagem: Leonardo Michelon.

Coordenação de finalização: Bel Merel.
Colorista: Lígia Tiemi Sumi.

Supervisão de som: Kiko Ferraz, Chrístian Vaisz.
Edição de diálogos: Ricardo Costa.
Edição de ambientes e efeitos sonoros: Gabriel Schulz.
Foley: Renato Galimberti.
Mixagem: Ricardo Costa.
Coordenação de estúdio de som: Lísia Faccin.

EQUIPE Globo Filmes
Marketing e lançamentos: Giselia Martins, Ruth Zagury Levy Epstein, Maria Luiza Massa, João Carlos Dias.
Produção: Simone Leandro de Oliveira, Kamila Ramil, Carolina Rapp, Anna Frangipani.
Planejamento e controle: Antônio Almeida, Ana Seixas, Maria Isabel Zaranza Cerqueira, Thalita Dias, Gabriel Machado.
Assessoria jurídica: Isabella Girão, Clarissa Kede, Iris Sá.
Apoio administrativo: Maria Conceição Correia, Rosa Maria Pereira, Raphael Gomes Fernandes.

EQUIPE GloboNews
Direção: Eugenia Moreyra.
Chefe de redação: Marcia Monteiro.
Supervisão editorial: Renée Castelo Branco.
Produção: Olívia Renault.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Assessoria jurídica: Regis Michaelsen Napoleão Advogados Associados (Porto Alegre).
Estúdio de som – desenho de som, mixagem e finalização: Kiko Ferraz Studios (Porto Alegre).

MECANISMOS DE PRODUÇÃO
Companhia produtora: Galo de Briga Filmes (Porto Alegre); Casa de Cinema de Porto Alegre (Porto Alegre).
Coprodução: Globo Filmes (Rio de Janeiro); GloboNews (Rio de Janeiro).
Esta obra contou com recursos públicos geridos pela ANCINE Agência Nacional do Cinema.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Marcos Lopes, Rita Zart, Tiago Bello, Kempes do Nascimento Spencer.
Agradecimentos (Humberstone): Museo del Salitre, Patricia Echeverria Olivares, Georgina Pastenes, Archivo Nacional Histórico de Chile, DIBAM Dirección de Bibliotecas, Archivos y Museos.
Agradecimentos (Fordlândia): padre Sidney Canto, Centro de Memória de Belterra, Benjamim Leite.
Agradecimentos (Armero): Francisco González, Fundação Armando Armero.
Agradecimentos (Epecuén): Lago Epecuén Carhué, Museu Regional Dr. Adolfo Alsina, Gastón Partarrieu, Josefina Licitra.

"Foram feitos todos os esforços para encontrar os detentores dos direitos autorais das imagens de arquivo aqui apresentadas. Para entrar em contato com a produção ou obter maiores informações, acesse o site www.casacinepoa.com.br"

FILMAGENS
Chile, em Humberstone;
Brasil, em Fordlândia;
Colombia, em Armero;
Argentina, em Epecuén.
Períodos: ??

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:11:24
Som: Dolby 5.1
Imagem: cor
Proporção de tela: 2.35
Formato de captação:
Formato de exibição: HD
Idioma: Português, español.
Legendas (DVD): Português, español, english.

DIVULGAÇÃO
Estúdio de arte gráfica (não creditado): Monociclo (Porto Alegre).
Cartaz: Foto de Epecuén por Glauco Firpo.
Assessoria de imprensa: Bruna Paulin.

PREMIAÇÃO
• É Tudo Verdade / It's All True 22º Festival Internacional de Documentários 2017: melhor documentário brasileiro de longa ou média-metragem.
• Agenda Brasil 2018, Milano: prêmio crítica especializada de documentário.
• 18º Prêmio ABC Associação Brasileira de Cinematografia 2018 [aos melhores de 2017; cerimônia: São Paulo, Cinemateca Brasileira, 12 maio 2018]: indicação: direção de fotografia documentário em longa-metragem.
• 23º Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro [aos melhores de 2017] / Papo de Cinema: indicação: documentário.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: 10 anos.
DVD: Distribuição: Casa de Cinema de Porto Alegre. Autoração: 1º dez 2017. Sem extras nem encarte.
Contato: Galo de Briga Filmes; Casa de Cinema de Porto Alegre.

OBSERVAÇÕES
Série Cidades fantasmas exibida no Canal Brasil.

Títulos alternativos: Ghost towns.
Grafias alternativas: Leo Michelon | Marcos Lopes da Silva |
Grafias alternativas (funções): Artista de foley | Correção de cor

BIBLIOGRAFIA
BONEZ, Matheus. Cidades fantasmas (2017) – Lugares de trauma. In: FEIX, Daniel; LUNARDELLI, Fatimarlei; PINTO, Ivonete; KANITZ, Mônica; VALLES, Rafael (org). 50 olhares da crítica sobre o cinema gaúcho. Porto Alegre: ACCIRS Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul, Opinião Produtora, Diadorim Editora, JBL Harman, Pró-cultura / Secretaria de Estado da Cultura / Governo do Rio Grande do Sul, 2022. 226p. il., p.187-190.

Noticiário:
ANDROVANDI, Adriana. Entrevista com Tyrell Spencer. Correio do Povo, Porto Alegre, 5 maio 2017.
Documentário Cidades fantasmas passeia por lugares que sobrevivem em memórias. GZH, Porto Alegre, 2017.
CAETANO, Maria do Rosário. Prêmio no É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários. Revista de Cinema, 2017.

Crítica:
VIEIRA, Camila. Da relevância e do interesse. ABRACCINE Associação Brasileira de Críticos de Cinema, 14 maio 2017.
FRITZEN, Luiza. Cidades fantasmas: um filme contra o esquecimento. Jornal do Comércio, Porto Alegre, 14 jun 2017.
ALPENDRE, Sérgio. Cidades fantasmas aborda melancolia com rara força de olhar. Folha de S. Paulo, São Paulo, 15 jun 2017.
CANOFRE, Fernanda. As cidades funcionam em torno de interesses diz diretor de filme sobre cidades fantasmas. Sul21, 18 jun 2017.
GIO, Giordano. Fantasmas a olho nu. Teorema – Crítica de Cinema, Porto Alegre, jun 2017, p.18-20, n.28.

Exibições


• Rio de Janeiro (RJ), É Tudo Verdade / It's All True 22º Festival Internacional de Documentários [19-30 abr]-Competição Brasileira: Longa ou Média-metragem, Espaço Itaú de Cinema Botafogo (Praia de Botafogo, 316),
Sala 6, 22 abr 2017, sab, 21h
Sala 3, 23 abr 2017, dom, 18h

• São Paulo (SP), É Tudo Verdade / It's All True 22º Festival Internacional de Documentários [20-30 abr]-Competição Brasileira: Longa ou Média-metragem,
Cinearte, 24 abr 2017, seg, 21h
Reserva Cultural, 25 abr 2017, ter, 22h
Itaú Cultural, 27 abr 2017, qui, 17h

• Porto Alegre (RS), Itinerância É Tudo Verdade / It's All True 22º Festival Internacional de Documentários [3-7 maio], Cinemateca Capitólio, 5, 6 maio 2017, sex, sab, 20h

• Brasília (DF), Itinerância É Tudo Verdade / It's All True 22º Festival Internacional de Documentários [4-7 maio], Espaço Itaú de Cinema Shopping CasaPark (SGCV, s/n – 3A – Guará; 97 lugares), 7 maio 2017, dom, 19h30

• Porto Alegre (RS), CineBancários,
15-18, 20, 21 jun 2017, qui, sex, 15h, sab, dom, ter, qua, 19h (dia 20, comentada com diretor + roteirista Carolina Silvestrin)
22-25, 27, 28 jun 2017, qui-dom, ter, qua, 15h

• Porto Alegre (RS), Espaço Itaú de Cinema Bourbon Shopping Country, 22-28 jun 2017, qui-qua, 14h30, 20h

• Rio de Janeiro (RJ), Espaço Itaú de Cinema Botafogo (Praia de Botafogo, 316), 22-28 jun 2017, qui-qua, 14h, 20h

• São Paulo (SP), Espaço Itaú de Cinema Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569, 3º piso, Consolação), 22-28 jun 2017, qui-qua, 16h, 22h

• Canal Brasil,
27, 29 nov 2017, seg, 22h, qua, 13h30
3 dez 2017, dom, 18h

• São Paulo (SP), 18ª Retrospectiva do Cinema Brasileiro [7 dez-3 jan 2018], CineSesc (R. Augusta, 2.075, Cerqueira César; 273 lugares),
23 dez 2017, sab, 17h
3 jan 2018, qua, 15h

• Guadalajara (MX), XXXIII Festival Internacional de Cine en Guadalajara-Documentário Ibero-americano, 13-15 mar 2018, ter-qui

• Porto Alegre (RS), Cine Santander Cultural, 3-6, 8, 9 maio 2018, qui, 17h, sex 19h (comentada com diretor), sab, 17h, dom, 19h, ter, 15h, qua, 17h

• Ciudad de México (MX), DocsMX-Seleção Competição Internacional, 2018

• Milano (IT), Agenda Brasil 2018 – 7ª Edição, 2018

• Porto Alegre (RS), POADOC Festival de Documentários de Porto Alegre [online; 14-18 out], 16 out 2020, sex, das 20h às 20h do dia seguinte

• Brasília (DF), Expotchê 30 anos [2-11 jun] / Pré-lançamento Mostra Especial Primavera Gaúcha, Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, 5 jun 2023, seg, 19h

• Porto Alegre (RS), Mostra Especial Primavera Gaúcha [21 set-13 out], Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 6 out 2023, sex, 19h (apresentação: G. Póvoas + diretor T. Spencer)

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Cidades fantasmas. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1110/cidades-fantasmas. Acesso em: 22 de fevereiro de 2024.