Samba fantástico (1955)

Brasil (RJ)
Longa-metragem | Não ficção
35 mm, pb, 80 min

Direção: Jean Manzon, René Persin.
Companhia produtora: Jean Manzon Films S.A.

Primeira exibição: Rio de Janeiro (DF), Palácio do Catete, 31 mar 1955, qui (especial para o presidente Café Filho)
Primeira exibição RS: Porto Alegre (RS), Ópera, 21 nov 1955, seg, vesperal + Avenida + Colombo

 

Encontra-se na filmografia brasileira uma série de filmes que tenta dar conta do vasto país em títulos ufanistas como O Brasil maravilhoso (Alfredo dos Anjos, 1930), O Brasil desconhecido (Pátria Filme, 1930), Brasil grandioso (João Rickenberg, 1932), O Gigante da América do Sul (Alexandre Wulfes, 1937), Brasil desconhecido (João Beck, 1951), O Grande desconhecido (Mario Civelli, 1956), O Brasil maravilhoso (José Pinto Filho, 1960), O Gigante (Mario Civelli, 1968). Pouco se sabe sobre estes documentários, muitos considerados perdidos ou inacessíveis. Mas ao contrário do que sugerem, a julgar pelas sinopses em Leão, invariavelmente são expedições pelas selvas do centro-oeste, norte e nordeste, explorando o pitoresco "para inglês ver".

Outra leva de documentários é realizada explorando as belezas e as riquezas de norte a sul do Brasil. Estes filmes contentam-se em mostrar geralmente um certo estereótipo: carnaval do Rio, a metrópole paulista, os índios da Amazônia, o gado no Rio Grande do Sul. Não raro, estes filmes estavam de olho no mercado externo e um olhar também externo, caso de Manzon (nem tanto pois radicou-se no Brasil), dos Anjos, Rickenberg, Wieser ou Prades. São títulos como Samba fantástico, Brasiliana (Helmut Wiesler, 1957), Meu Brasil brasileiro (Nilton Nascimento, 1973), Sinfonia brasileira (Jaime Prades, 1974) e Uma Canção brasileira (Jean Manzon, 1980), todos indexados nesta pesquisa.
Em Samba fantástico, Jean Manzon faz uma viagem ampla pelo Brasil, visitando todas as regiões. Ele levou dois anos para produzir a um custo de 3 milhões de cruzeiros (cf. Cinelândia, 1955, n.65).

A inclusão nesta filmografia é por causa do trecho que se passa no Rio Grande do Sul, informado pela sinopse, já que o filme está fora de circulação desde meados dos anos 50 quando participou em grande estilo do VIII Festival International du Film de Cannes representando o Brasil. Foram 33 longas em competição. Lá estavam Manzon e Persin entre um Mizoguchi (Chikamatsu monogatari), Kazan (East of Eden), Preminger, De Sica até Ladislao Vajda (Marcelino pan y vino), mas a Palma de ouro é dada unanimamente pelo júri presidido por Marcel Pagnol a Marty (Delbert Mann). Embora em algumas fontes conste que o documentário foi premiado, não há referência no site do festival nem em reportagens da época pesquisadas na Hemeroteca Digital. Manzon não estava sozinho representando o Brasil naquele ano em Cannes. Entre os 45 curtas selecionados está A Esperança é eterna (Marcos Margulies). A Palma de Ouro da categoria também é unânime, para Blinkity blank (Norman McLaren, CA). O Saci (Rodolfo Nanni) é exibido fora da competição. Havia expectativa já que o Brasil vinha participando da seleção oficial e se destacando ano após ano, com Caiçara (Adolfo Celi, em 1951), Tico-tico no fubá (Adolfo Celi, em 1952), O Cangaceiro (Lima Barreto, em 1953) e Amazônia nua (Zygmunt Sulistrowski) e O Canto do mar (Alberto Cavalcanti, em 1954).

Depois, no III Festival Cinematográfico do Distrito Federal (no Rio, quando era a capital do país), aí sim, Samba fantástico é escolhido o melhor documentário – havia outro participante, Tragado pela Amazônia (Genil Vasconcelos, 1954). As ficções são: Trabalhou bem... Genival! (Luiz de Barros), Sinfonia carioca (Watson Macedo), Carnaval em Marte (Watson Macedo), Paixão nas selvas (Franz Eichhorn), Guerra ao samba (Carlos Manga), O Golpe (Carlos Manga), Chico Viola não morreu (Román Viñoly Barreto), O Rei do movimento (Victor Lima), Angu de caroço (Eurides Ramos), O Diamante (Eurides Ramos).

Quando Samba fantástico é exibido em Porto Alegre, está em cartaz na mesma semana o filme gaúcho Agosto 13 sexta-feira (1955).
Jean Manzon, nascido em Paris em 2 de fevereiro de 1915 vem para o Brasil em 1939 fugindo da II Guerra. Na França tinha desenvolvido expressiva trajetória como fotógrafo de revistas importantes como Vu, Paris Soir e Match (depois Paris Match). No Brasil ele tem uma passagem marcante entre 1943 e 1951 pela revista O Cruzeiro ao formar uma parceria lendária: ele, com as fotos, e David Nasser, com o texto. A partir de 1952 começa a produzir e dirigir curtas documentais.

No longa-metragem, além de produzir ou coproduzir filmes como Os Bandeirantes / Les Pionniers (Marcel Camus, 1960) e Alvorada (Hugo Niebeling, 1961), é diretor de sete obras que se alinham na sua proposta ufanista de captar o Brasil total; o último é o único que mostra problemas como prostituição, fome e poluição. São eles: Samba fantástico (1955), O Brasil em 80 minutos (1961), Portugal do meu amor (1966), Do Brasil para o mundo (1968), Amazônia (1972), Uma Canção brasileira (1980) e Brasil, terra de contrastes (1988). Ele faleceu em Reguengos de Monsaraz, Portugal, em 1º de julho de 1990.
Algumas críticas localizadas na Hemeroteca Digital ou é Austregesilo de Athayde louvando o filme ou Van Jafa resumindo da seguinte maneira: "é uma mixórdia amorfa, sem personalidade e artisticamente não representa nada". Mesmo assim dá vontade de ver se isso fosse possível...
Conforme Wikipéda, seu acervo de 8.300 negativos 6×6, do período de 1946 a 1990, bem como 752 documentários de sua autoria, encontrava-se sob os cuidados da Cepar Cultural. O paradeiro de seu acervo é oculto e o site encontra-se desativado. Trechos de Samba fantástico podem ser vistos no documentário Jean Manzon – Une aventure brésilienne (Stéphane Bergounioux, 2005, 50 min), disponível no YouTube.

Sinopse


Um compositor quer compor um samba que retrate toda a beleza do Brasil. Enquanto busca inspiração, imagens retratam todos os recantos do país.

Ficha técnica


IDENTIDADES
José Toledo (Compositor).
Narração: Luiz Jatobá.

DIREÇÃO
Direção: Jean Manzon, René Persin.

ROTEIRO
Texto: Paulo Mendes Campos.

PRODUÇÃO
Produção: Jean Manzon.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: René Persin, Gilles Reichenheim, Gilles Bonneau, Henri Persin.

SOM
Engenheiro de som: Ernst Hack.
Assistência de som: Hans Erick Olsson.

MÚSICA
Música original, arranjos: José Toledo

Músicas:
• "Adeus Guacyra" (música: Hekel Tavares, poesia: Joracy Camargo; canção)
• "A Jangada voltou só" (música, letra: Dorival Caymmi; canção praieira)
• "Os Pintinhos no terreiro..." (música: Zequinha Abreu, letra: Eurico Barreiros; chorinho sapeca)
• "Saudade de Itapoã" (música, letra: Dorival Caymmi; canção)
• "Você já foi à Bahia?" (música, letra: Dorival Caymmi; samba)
• "Samba fantástico" (José Toledo, Jean Manzon, Leonidas Autuori; samba) por Wal-Berg e sua Grande Orquestra
• "Maxixe do café e samba" (José Toledo, Jean Manzon, Leonidas Autuori) por Wal-Berg e sua Grande Orquestra

• ?(Ary Barroso)

FINALIZAÇÃO
Montagem: Hubert Perrin.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Jean Manzon Films S.A. (Rio de Janeiro).

FILMAGENS
Brasil / RJ, no Rio de Janeiro
Brasil / RS.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração:
Metragem: 2.200 metros
Número de rolos:
Som:
Imagem: pb
Proporção de tela:
Formato de captação: 35 mm
Formato de exibição: 35 mm

PREMIAÇÃO
• III Festival Cinematográfico do Distrito Federal 1955: melhor documentário.

DISTRIBUIÇÃO
Certificado de censura: 23.03.1955, 30 cópias.
Classificação indicativa: Livre.
Distribuição: Fama Filmes S.A..

OBSERVAÇÕES
Filme não visionado.
Informações da Filmografia Brasileira (Cinemateca Brasileira).

DISCOGRAFIA
Do filme Samba fantástico. Odeon CPT 11804, [1955], 78 rpm.
A1  "Samba fantástico" (J. Toledo, J. Manzon, L. Autuori) por Wal-Berg e sua Grande Orquestra
B1  "Maxixe do café e samba" (J. Toledo, J. Manzon, L. Autuori) por Wal-Berg e sua Grande Orquestra

BIBLIOGRAFIA
De e sobre Jean Manzon:
NASSER, David; MANZON, Jean. Mergulho na aventura. Rio de Janeiro: O Cruzeiro, 1945.
MANZON, Jean. Flagrantes do Brasil. 3.ed. Rio de Janeiro: Gráficos Bloch S. A., 1956. c.95?p. il. Apresentação: Manuel Bandeira e Candido Portinari. Legendas: Origenes Lessa.
MANZON, Jean. Féerie brésilienne. Neuchatel: A La Baconnière, 1956. Introduction: Albert Béguin. Commentaire: Jean Manusardi.
KAZ, Leonel; LODDI, Nigge (org). Jean Manzon – Retrato vivo da grande aventura. Rio de Janeiro: Aprazível Edições; SP: Cepar Consultoria, 2007. 239p. il. Textos: Francisco Carlos Teixeira da Silva e Ana Cecília Martins com a colaboração de Paulo da Costa e Silva.
OLIVEIRA, Carlos Eduardo França de; SUZUKI, Renato (curadoria). Os Anos Jk – A era do novo – A partir dos olhares de Sérgio Jorge e Jean Manzon. Rio de Janeiro: Caixa Cultural, 2010. (catálogo da exposição de fotos, 6 mar-11 abr 2010)
Jean Manzon: memórias do Brasil. (catálogo)
MANZON, Jean. O Brasil em 80 fotografias. ??: Sarsa, s.d..

Noticiário:
JAFA, Van. Samba fantástico. A Noite, Rio de Janeiro, 2 abr 1955, p.5 [BN, p.13], ano XLIII, n.14.974.
ATHAYDE, Austregesilo de. Samba fantástico. Diário da Noite, Rio de Janeiro, 4 abr 1955, p.2, ano XXVII, n.5.849
ANDRÉA, Zenaide. O Brasil em Cannes. Cinelândia, Rio de Janeiro, 2ª quinzena abr 1955, p.12-13, 66 [BN, p.11-12, 57], ano IV, n.59.
G. d. A.. Samba fantástico. Jornal do Dia, Porto Alegre, 25 nov 1955, p.5, ano IX, n.2.638.

Exibições


• Rio de Janeiro (DF), Palácio do Catete, 31 mar 1955, qui (especial para o presidente Café Filho)

• Cannes (FR), VIIIe Festival International du Film / 60e anniversaire du cinema [26 abr-10 maio]-Compétition, Palais du Festival, 5 maio 1955, qui

• Rio de Janeiro (DF), Art-Palácio (Av. N. S. de Copacabana), 7 jul 1955, qui, 22h (avant-première de gala da versão francesa, em benefício da Associação de Cultura Franco-brasileira / Alliance Française e sob os auspícios do embaixador da França)

• Rio de Janeiro (DF), Cinema Pathé (Cinelândia), 11 jul 1955, seg

• São Paulo (SP), Alhambra (Centro), 1º-7 ago 1955, seg-dom, desde 14h
• São Paulo (SP), Marrocos (Centro), 1º-7 ago 1955, seg-dom, desde 14h
• São Paulo (SP), Esmeralda, 1º-7 ago 1955, seg-dom, desde 14h
• São Paulo (SP), Arlequim, 1º-7 ago 1955, seg-dom, desde 14h
• São Paulo (SP), Nacional, 1º-7 ago 1955, seg-dom, 19h (+ Ver Nápoles e morrer)
• São Paulo (SP), São Pedro, 1º-7 ago 1955, seg-dom, 19h (+ Ver Nápoles e morrer)
• São Paulo (SP), Piratininga, 1º-7 ago 1955, seg-dom, 14h, 19h (+ Coração)
• São Paulo (SP), Brasil, 1º-7 ago 1955, seg-dom, 19h (+ Coração)
• São Paulo (SP), Liberdade, 1º-7 ago 1955, seg-dom, desde 14h
• São Paulo (SP), Júpiter, 1º-7 ago 1955, seg-dom, 14h, 19h (+ A Volta de Pancho Vila)
• São Paulo (SP), São Caetano, 1º-7 ago 1955, seg-dom, 19h (+ Coração)

• São Paulo (SP), Paulista, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Sabará, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Universo, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Paramount, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Carlos Gomes, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Pedro I, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Paris, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Santo Antonio, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), Vogue, 3-7 ago 1955, qua-dom
• São Paulo (SP), São Sebastião, 3-7 ago 1955, qua-dom

• Curitiba (PR), Avenida, 4-10 ago 1955, qui, sex, 13h30, 15h45, 19h30, 21h45, sab, dom, 13h30, 15h30, 17h30, 19h30, 21h45, seg-qua, 13h30, 15h45, 19h30, 21h45

• São Miguel Paulista (SP), Lapenha, 8, 9 ago 1955, seg, ter, 19h30 (+ Coração)

• São Caetano do Sul (SP), Vitória, 17, 18 ago 1955, qua, qui, 20h (+ A Volta de Pancho Vila)

• Santo André (SP), Carlos Gomes, 1º, 2 set 1955, qui, sex, 20h

• São Paulo (SP), Ipiranga-Palácio, 6 set 1955, ter, 19h (+ outro filme)
+

• Porto Alegre (RS), Ópera, 21-24 nov 1955, seg-qui, vesperal e noite

• Porto Alegre (RS), Avenida, 21-24 nov 1955, seg-qui, 15h, 19h30

• Porto Alegre (RS), Colombo, 21-24 nov 1955, seg-qui, vesperal e noite

• Rio de Janeiro (DF), III Festival Cinematográfico do Distrito fedral [15-19 dez], dez 1955

• Curitiba (PR), Cine Guarani, 26-28 jan 1956, qui-sab, 20h (+ O Príncipe de Bagdá)

• Porto Alegre (RS), Petrópolis, 15 ago 1958, sex, 20h (+ A Dama e o Vagabundo, em cinemascope)

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Samba fantástico. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/112/samba-fantastico. Acesso em: 17 de junho de 2024.