Mateína (2021)

Uruguay – Brasil (RS) – Argentina
Longa-metragem | Ficção
cor, 73 min

Direção: Joaquín Peñagaricano, Pablo Abdala.
Companhia produtora: Montelona Cine; Coelho Voador; Vulcana Cinema; HC Films

Primeira exibição: São Paulo (SP), 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo [21 out-3 nov]-Competição Novos Diretores, Espaço Itaú de Cinema Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569, 3º piso, Consolação) Sala 2, 25 out 2021, seg, 20h
Primeira exibição RS: Bagé (RS), 12º Festival Internacional de Cinema da Fronteira [17-19 dez]-Mostra Competitiva Internacional de Longas-metragens, Centro Histórico Vila de Santa Thereza-Teatro Santo Antônio (Av. Visconde Ribeiro de Magalhães), 17 dez 2021, sex, 20h30 (presença do diretor Peñagaricano e ator Licio)

 

Entre os oito longas da competição do 12º Festival Internacional de Cinema da Fronteira de 2021, o júri foi unânime em considerar Mateína o melhor filme. Trata-se de um road movie de fronteira, onde os dois protagonistas uruguaios vagam tentando alcançar o Paraguay, com várias citações ao Brasil. No mesmo Festival, Diego Licio ganhou o prêmio de melhor ator como Moncho, o motorista da viagem. Mateína é a estreia na direção de longas da dupla uruguaia Joaquín Peñagaricano e Pablo Abdala, que também divide roteiro e produção. "O filme surge como uma busca pela ficção científica, perguntando-nos como seria o nosso ambiente se mudássemos algo fundamental no cotidiano", explicam os diretores. Eles comparam com uma proibição da cerveja para os alemães ou do samba para os brasileiros.

A aventura de Moncho (Licio) e Fico (Federico Silveira) pelas estradas logo ganha o apoio popular em todo o país. "O herói uruguaio José Artigas (1764-1850) tem um grande paralelismo com nossos protagonistas: ele não queria ser o 'pai da pátria', foi seguido e ajudado pelos habitantes do campo", apontam os cineastas. "Terminou seus dias no Paraguay com um amigo que, segundo os livros de história, fazia mate para ele". Com bom humor, Joaquín e Pablo também refletem sobre o absurdo das proibições e a influência das corporações internacionais nos países latino-americanos.
"Diante de uma perspectiva mais geral, nos propomos a reunir a paixão, a teimosia e a luta de duas pessoas comuns para manter um sonho", descrevem. A jornada pela volta do chimarrão também inclui perseguições policiais e passageiros inesperados.

Joaquín Peñagaricano e Pablo Abdala (nascido no México de pais uruguaios exilados por conta da ditadura) são formados pela Escola de Cinema do Uruguay, em Artes e Comunicação na UdelaR e direção de fotografia no S.I.C.A., respectivamente. Juntos, dirigiram os curtas-metragens La Velocidad de los ceibos (mais Pablo Aguirrezabal, 2006) e Nuestra hospitalidad (2010), com os quais receberam prêmios no Festival de Cinema AXN, Curta Cinema Rio de Janeiro ou Cinemateca Festival. Também dirigiram as séries documentais Nosotros (2013), Un Pueblo al Solís (2011), Fiestas tradicionales (2014) e Nosotros dos (2015).
No Brasil, além do título original, ganhou um subtítulo de duplo sentido: Mateína – A erva perdida.

Por ocasião da estreia em Porto Alegre, na Sala Eduardo Hirtz, os dois diretores – trazidos de Montevideo pela Cinemateca Paulo Amorim – participaram de uma sessão comentada mediada pela programadora Mônica Kanitz. Pablo conta que ele e Joaquín se conheceram em 2006 fazendo o curta La Velocidad de los ceibos. Naquele momento Joaquín falou da sua ideia. O que aconteceria se a erva-mate fosse proibida? "Esse costume, que vem dos índios guarani, está presente em todas as esferas da sociedade uruguaia e é algo que nos caracteriza como povo. A primeira coisa que fazemos ao iniciar o dia é preparar o mate, mate em todas as situações, somos o país – proporcionalmente – que mais consome erva-mate no mundo". Em 2012, com apoio de Ibermedia, conseguem avançar na escrita do roteiro. Sempre fazendo muitas outras coisas ao mesmo tempo. Acrescentam rindo: Somos muito lentos, sem mateína ficamos mais lentos. Todas as cenas de estrada foram filmadas na zona rural de Montevideo e em mais três lugares diferentes do interior, como nas proximidades da cidade de Florida. As vacas que aparecem são muitas e já estavam previstas no roteiro, inclusive, falavam, comentavam, chegaram a testar isso (há cinco vacas para cada pessoa no país), mas no final descartaram a ideia; filmaram todas as vacas num único dia.

A montagem durou dois anos e teve muita experimentação, por exemplo, a inclusão das notícias transmitidas pelo rádio, o entra e sai das vacas falantes; o montador principal é o paulista Pablo Riera, residente em Montevideo. O conhecido e premiado uruguaio César Troncoso – de extensa trajetória em cinema e TV também no Brasil e especialmente no Rio Grande do Sul – participa de apenas uma cena como o comissário de polícia, onde atua com Roberto Suarez, ao contrário, um desconhecido para os brasileiros. Mas no Uruguay, no passado, os dois formaram uma dupla teatral e isso ficou marcado na memória de Pablo. A filmagem da cena foi feita numa manhã. Foram oito anos de produção. O orçamento ficou em 600 mil dólares. Mateína é uma produção uruguaia da Montelona Cine em coprodução com as empresas gaúchas Coelho Voador e Vulcana Cinema e a argentina HC Films. A distribuição brasileira é da Lança Filmes. No Brasil, foi contemplado no edital BRDE/FSA PRODECINE 09/2016 de coprodução Brasil-Uruguai. O desenho de som é de Kiko Ferraz e sua fiel e talentosa equipe da KF Studios de anos em dezenas de filmes: Costa, Marques, Galimberti, Vaisz, Faccin, entre outros.

Sinopse


Uruguay, 2045. A erva-mate foi proibida. Dois vendedores ilegais iniciam uma cruzada rumo ao Paraguay para contrabandear o insumo. Durante a viagem, transformam-se em heróis por acaso — e tentam devolver ao povo sua identidade perdida.

Ficha técnica


ELENCO
Diego Licio (Moncho), Federico Silveira (Fico),
Leandro Silva (Maicol), Chiara Hourcade (Lina),
Roberto Suárez (Gutierrez), Yamandú Cruz (Polo), Eduardo Fusatti (Sicario), Horacio Camandulle (Mario), Martín 'Laucha' Sacco (Maraca).
Participação especial: César Troncoso (Comisario).
Diego Méndez (Peajero), Jenny Goldstein (Peajera), Adrián Biníez (Hugo), Oscar Delgado (Pez Gordo), Abel Tripaldi (Almacenero), Susana Anselmi (Almacenera), Carlos Vallarino (Vecino Villa Angosta), Ana María Castel (Vecina Villa Angosta), Pablo Riera (Camionero), Victoria Pereira (Camila), Rafael Soliwoda (Gael), Camila Vives (Progresista 1), Sergio Luján (Progresista 2), Miguel Mattos (Dustin), Ignacio Alonso (Borracho 1), Fernando Paleo (Borracho 2), Andrea Carvallo (Prima Moncho), Carlos Schulkin (Policía Celda), Elba 'Beba' López (Panadera).
Muchacha bicicleta: Virginia González.
Primer pueblo: Milton Ragiotto (Veterano Transa), Norma Caetano (Veterana Transa), Sonia Pérez (Vecina), Mauro Raggiotto (Hijo Vecina), Rosa Marina Rodríguez (Vecina que barre), Juan Vasconcellos (Transeúnte), Ruben Múniz (Transeúnte).
Policías Maraca: Sergio Pesok, Rodrigo Gils.
Villa Angosta: Héctor Lemes (Cura), Irma Moreira (Señora que se esconde), Nilda Fresia (Señora silla de ruedas), Luis Urbano Alanis (Señor caballo), Santiago García Sena (Niño caballo).
Hombre con cabras: Óscar Fredy Hernández.
Campamento: Patricia Olveira, Bruno Álzaga, Pancho Magnou, Natalia García, Matías Peyrou, Pilar Puig, Janaína Suárez, Martina Peñagaricano, Martina Callaba, Teo Gómez, Juana Serena May, Elina Bartaburú, Nandi Catalogne, Lua Porto, Facundo Bentura, Seferino Rodríguez, Andrea G. Domenech, Darío Prieto, Bernardo Rodríguez, Emilia Benia, Lucas Arismendi, Michelle Olivera, Diego A. Martínez, Helena Fuks, María Eugenia Albornoz, Florencia Lame, Lucas Parodi, Iván Martínez, Mei-Lin Che, Sebastián Rodríguez, María De La Paz Paniagua, Nicolás Ribas, Carlos Ballini, Miguel Cardillo, Aída Vigna, Pablo Oliver, Bruno Sangiovanni, Clara Texeira, Nuna Amorin, Enrique López, Gonzalo Sosa, Guadalupe Calzada, Sofía Cancela, Soledad Mantero, Diego Marcelo Rodríguez, Fernando Muñoz, Paola Bértola, Luis Siage, Federico Perrone, Tamara Bouza.
Caravana: Carlos Ballini, Álvaro Nuñez, Nicolás Sasía, Santiago Fidalgo, Pancho Magnou, Federico Perrone, Tamara Bouza, Claudia Benglian, Diego Fabricio, Agustina Beeguer, Rocío Olivera, Natasha González, Ezequiel Caraballo.
Policias brasileros: Felipe Fernández, Carlos Ballini, Álvaro Nuñez, Nicolás Sasía, Santiago Fidalgo.
Plaza: Manuel Abdala y Lucía Abdala, Natalia García, Virginia Ruíz, Pablo Katzenstein, Yesty Ferrón, Lucía Petrucci (Promotora), Milagros Gurgitano, Eugenia Mercadal (Promotora), Rafael Pereira, Bryan Giordano, Eloisa Pallares, Braian Morales, Baltazar Sobrino, Antonia Alayón, Mateo Ponzo, Ramiro Díaz, Cecilia Fortunato, José Luís Damiano, Jonathan Velarde, Eugenia López, Michael Rodríguez, Giovanna Pietro, Ezequiel González, Gisele Martínez, Florencia García, Braian Fojo, Federico Petre, Claudio González, Diego Pereyra, Guillermo Crucci, Milagros González (Promotora), Mikaela Oroña, Luciany Giordano, Mauricio Perdomo, Iliana Campaña, Rodrigo Pérez, Matías Silva, Rocío Iaitano, Agustina Olveira, Christian Rodríguez, Patricia Robert, Trinidad Marrero, Cristina Rodríguez.
Frontera paraguaya: Gustavo Zárate, Christian Daud.
Doble de manejo: Sebastián Santana, Guillermo Barbat, Emiliano Daud.

DIREÇÃO
Direção: Joaquín Peñagaricano, Pablo Abdala.
Primeira assistência de direção: Diego Ferrando Mazzotti.
Segunda assistência de direção: Rodrigo Gils.
Casting maicol: Carlos Schulkin.
Tutoría en dirección de actores: Daniel Hendler.
Coach de armas: Christian Bianchi.
Meritoria dirección (Montevideo): Martina Peñagaricano.
Meritoria dirección (Florida): Lucía Martínez.

ROTEIRO
Roteiro: Joaquín Peñagaricano.
Colaboração no roteiro: Pablo Abdala.
Tutoría de roteiro: Pablo Stoll.

PRODUÇÃO
Produção: Joaquín Peñagaricano, Pablo Abdala; Pancho Magnou Arnábal / Montelona (San José).
Coprodução: Leo Garcia / Coelho Voador (Porto Alegre); Jessica Luz, Fabiano Florez / Vulcana Cinema (Porto Alegre); Pablo Udenio, Hernán Guerschuny / HC Films (Ciudad Autónoma de Buenos Aires).
Produção associada: Micaela Solé; Montelona.
Produção executiva: Pancho Magnou Arnábal.
Direção de produção: Micaela Solé.
Chefe de produção: Patricia Olveira.
Primeira assistência de produção: Guillermo Barbat.
Segunda assistência de produção: Virginia González.
Locacionista: Felipe Fernández.

Motoristas: Rafael Catau, Pablo Pesok, Sebastián Santana.
Caminhões e motorhome: Rafael Barbé.
Caminhoneta de câmera e gerador: Pedro Barbé.
Caminhoneta de passageiros: Fernando Martínez.
Geradores e máquina de neve: Enrique Álvarez.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Analía Pollio, SCU.
Primeira assistência de câmera: Virginia Zunino.
Segunda assistência de câmera: Joaquín Papich, Victoria Pena.
Operação de drone: Xufo.
Data manager: Pablo Riera, Nicolás Galli, Alfonsina Pereira.

Gaffer: Bruno Álzaga.
Eletricistas: Guillermo Trochón, Mauricio Scala.
Eléctricos de refuerzo: Ernesto Mayol, Manuel Escobar, Matías De León.
Grip: Paul Luzardo.

Fotografia de cena: Lucía Garibaldi.

ARTE
Direção de arte: Marcelino Carballo.
Assistência de arte: Lorena Bottaro, Belén Cirio.
Objetos: Marcos Morón.

Figurino: Mariana Dosil.
Assistência de figurino: Isabel Pintos.

Maquiagem: Luciana Díaz.
Assistência de maquiagem: Selene Pérez.

SOM
Direção de som: Lucía Iglesias.
Som direto: Rafael Álvarez.

MÚSICA
Música original: Santiago Pedroncini.

Músicas:
• "Pericón nacional" (Gerardo Grasso) por Hilario Pérez y su conjunto
• "De mi no esperes" (Néstor Feria) por Elsa Morán y Mario Núñez
• "Tu me diste amor, tu me diste fe" (Eduardo Franco) por Los Iracundos
• "Balkan beast" (Gypsy Hill) por Gypsy Hill

FINALIZAÇÃO
Montagem: Pablo Riera.
Montagem adicional: Guillermo Madeiro, Pablo Abdala.

Coordenação de pós-produção: Pablo Abdala, Micaela Solé.

Desenho de som: Kiko Ferraz.
Edição de diálogos: Ricardo Costa.
Edição de som ambiente e efeitos de som: Gabriel Schulz.
Foley: Felipe Burger Marques.
Decupagem e gravação de foley: Renato Galimberti.
Edição de foley: Karoline Cardoso, Waleska Sartori, Ricardo Costa, Daniel Behar, Lucas Kinoshita.
Mixagem: Ricardo Costa.
Coordenação de estúdio de som: Lísia Faccin, Chrístian Vaisz.

Gravações (UY): La Mayor.
Tradução y subtitulado: Patricia Antuña, Mara López / La Mezcla!.
Correção de cor: Pampillon Estudio.
Assistência de edição e trailer: Fernando Vallarino.
Pós-produção e supervisão de efeitos: Guillermo Madeiro.
Desenho gráfico: Federico Anastasiadis.
Assistência de produção e comunicação: Marta García.

EQUIPE executiva (UY)
Produção associada: Montelona Cine SRL.
Produção Isabel García.
Notarial: Esteban Trabal.
Contabilidade: Valeria Magnou, Isabel Diana.
Administrativo: Isabel Diana.
Legal: Antonia Poey.

EQUIPE executiva (BR)
Assistência de produção executiva: Natasha Ferla.
Controle financeiro: Priscila Severo.

EQUIPE executiva (AR)
Produção executiva: Pablo Udenio.
Produção delegada: Hernán Guerschuny.
Direção de produção: Pamela Livia Delgado.
Edição: Agustín Rolandelli.
Coordenação de pós-produção: Damian Bentron.
Pós-produção de imagem e VFX: Gonzalo Bubis, Claudia Bubis, Maximiliano Perez, Lucía Van Gelderen / HD Argentina.
Administração geral: Horacio Sereno, Sabrina Escobar, Lucas de Benedetti.
Estudio contábil: Caballero y Asoc.
Contabilidade: Fabian E. Mazzei.
Estudio legal: Suaya Memelsdorff & Asociados.
Advogado: Juan Felix Memelsdorff.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Alimentação: Aromas.
Carros de aluguel: Potenza.
Seguros e reservas: Pablo Borges.
Banheiros: AC Químicos.
Hospedagem: Hotel Real Florida; Hotel Español; Cabañas Municipales Florida.

Estúdio de som: KF Studios (Porto Alegre).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Montelona Cine (Montevideo).
Coprodução: Coelho Voador (Porto Alegre); Vulcana Cinema (Porto Alegre); HC Films (Ciudad Autónoma de Buenos Aires).
Financiamento (UY): ICAU Instituto Nacional del Cine y el Audiovisual (UY). Fondo de Fomento Cinematográfico y Audiovisual 2011: Desarrollo Guion Ficción Largometraje. Beneficiario: Joaquín Peñagaricano. Acta: 15/09/2011. Monto: $ 46.000.
Financiamento (UY): ICAU Instituto Nacional del Cine y el Audiovisual (UY). Fondo de Fomento Cinematográfico y Audiovisual 2014: Producción Largometraje Ficción. Postulante: Pablo Abdala. Acta: 24/04/2014. Monto: $ 2.702.500.
Financiamento (BR): Chamada Pública BRDE/FSA PRODECINE 09/2016. Recursos públicos geridos pela ANCINE Agência Nacional do Cinema. Investimentos do FSA Fundo Setorial do Audiovisual administrados pelo BRDE Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. Proponente: Leonardo Garcia e Cia. Ltda.. Valor: R$ 485.955,00.

Participação em fase de pré-produção:
• Cine en Construcción 34, SSIFF San Sebastián International Film Festival, San Sebastián (ES), 24-26 set 2018.

AGRADECIMENTOS

FILMAGENS
Uruguay, na zona rural de Montevideo e proximidades de Florida.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração:
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:
Idioma: Español, com legendas em português.

DIVULGAÇÃO
Trailer. Duração: 01:50 (YouTube).
Assessoria de imprensa (BR): Isidoro B. Guggiana.

PREMIAÇÃO
• 12º Festival Internacional de Cinema da Fronteira 2021: melhor filme + ator (Licio).

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: 14 anos.
Distribuição: Lança Filmes.
Contato: leogarcia@coelhovoador.com.br

OBSERVAÇÕES
Títulos alternativos: Mateína – A erva perdida
Grafias alternativas: Pablo Abdala e Pablo Abdala Richero
Grafias alternativas (funções): Artista de foley | Controller | Catering | Utilería

BIBLIOGRAFIA

Exibições


• São Paulo (SP), 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo [21 out-3 nov]-Competição Novos Diretores,
Espaço Itaú de Cinema Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569, 3º piso, Consolação) Sala 2, 25 out 2021, seg, 20h (presença de Leo Garcia)
Petra Belas Artes Sala 2 Leon Cakoff, 26 out 2021, ter, 18h30
Cinesala, 30 out 2021, sab, 16h

• Trieste (IT), 36º Festival del Cinema Latino Americano di Trieste [6-15 nov]-Sezione Contemporanea Mundo Latino, nov 2021, online

• Montevideo (UY), 39º Festival Cinematográfico Internacional del Uruguay [4-12 dez]-Competencia Nuevos realizadores,
Cinemateca Uruguaya (Bartolomé Mitre, 1.236) Sala 1, 6 dez 2021, seg, 21h30
Sala Zitarrosa (18 de Julio, 1.012), 12 dez 2021, dom, 20h

• Bagé (RS), 12º Festival Internacional de Cinema da Fronteira [17-19 dez]-Mostra Competitiva Internacional de Longas-metragens, Centro Histórico Vila de Santa Thereza-Teatro Santo Antônio (Av. Visconde Ribeiro de Magalhães), 17 dez 2021, sex, 20h30 (presença do diretor Peñagaricano e ator Licio)

Lançamento comercial (BR): 31 mar 2022, qui

• Porto Alegre (RS), Cinemateca Paulo Amorim-
Sala Eduardo Hirtz,
31 mar-1º-3, 5, 6 abr 2022, qui-dom, ter, qua, 19h (dia 1º, sex, comentada com os diretores vindos de Montevideo, mediação: Mônica Kanitz)
7-10, 12, 13 abr 2022, qui-dom, ter, qua, 15h
14-17, 19 abr 2022, qui-dom, ter, 19h
Sala Paulo Amorim,
21-24, 26, 27 abr 2022, qui-dom, ter, qua, 16h30
28-30 abr-1º, 3, 4 maio 2022, qui-dom, ter, qua, 15h

• Porto Alegre (RS), Cine Grand Café
Sala 1, 31 mar-1º-3, 5, 6 abr 2022, qui-dom, ter, qua, 19h50
Sala 2, 7-10, 12, 13 abr 2022, qui-dom, ter, qua, 19h30
Sala 3, 14-17, 19, 20 abr 2022, qui-dom, ter, qua, 18h

• São Paulo (SP), Espaço Itaú de Cinema Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569, 3º piso, Consolação), Sala 8, 31 mar-6 abr 2022, qui-qua, 18h

• São Paulo (SP), Petra Belas Artes Sala 4 Spcine Aleijadinho (144 lugares),
31 mar-6 abr 2022, qui-qua, 21h
7-13 abr 2022, qui-qua, 16h20

• Rio de Janeiro (RJ), Estação Net Rio (R. Voluntários da Pátria, 35, Botafogo; 5 salas) Sala 2 (78 lugares + 1 cadeirante), 31 mar-6 abr 2022, qui-qua, 19h10

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Mateína. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1360/mateina. Acesso em: 19 de julho de 2024.