As Obras da Barra e do Porto do Rio Grande (1911)

Brasil (RS)
Longa-metragem silencioso | Não ficção
35 mm, pb, c.60 min (6 partes)

Direção: desconhecido.
Companhia produtora: Compagnie Française du Port de Rio Grande do Sul

Primeira exibição: Rio de Janeiro (DF), Cinema Odeon, 4 jul 1911, ter (especial para presidente do Brasil Hermes da Fonseca e autoridades; sessão organizada pelo deputado almirante José Carlos de Carvalho)
Primeira exibição RS: Rio Grande (RS), Cinema Parisiense, 8 set 1911, sex (para autoridades, representantes da imprensa e convidados)

 

Filme desaparecido.
Primeiro longa-metragem desta filmografia, mas, a rigor não trata-se de um filme gaúcho stricto sensu. A origem da produção é incerta. Jornal A Federação informa que: "Essas vistas foram tiradas por iniciativa do nosso amigo deputado José Carlos de Carvalho, quando, no começo deste ano visitou e especialmente para aquele fim veio ao Rio Grande do Sul e foram depois ultimadas na capital federal". Carvalho, além de deputado rio-grandense, era capitão-de mar-e-guerra honorário e entre outros feitos, foi o responsável por negociar com os marujos após a deflagração da Revolta dos Marinheiros em 22 de novembro de 1910. Os trabalhos das obras da Barra e do porto da cidade do Rio Grande tem uma complexa história.

Sinopse


"Hoje e amanhã, será passado um lindo e interessantíssimo filme, apanhado do natural e com 1.500 metros de extensão. Esse filme é dividido nas seis seguintes partes:
I – Obras do Porto do Rio Grande, Barra do Estado e Lagoa dos Patos.
II – Obras do Porto do Rio Grande. Dragagem.
III – Trabalho nas pedreiras de Monte Bonito.
IV – Barra de Pelotas. Boca do Arroio.
V – Instalações no Cocuruto.
VI – Funcionamento dos titans [guindastes] na Barra do Estado".
(Diário Popular, Pelotas, 16 set 1911)

(...) Seguiu-se a exibição da fita, que reproduz os seguintes aspectos:
1 – Entrada da Barra, Lagoa dos Patos e Porto atual do Rio Grande. – O paquete Javary e embarcações à vela navegando.
2 – Exibição de um mapa, onde se vê todo o conjunto do projeto para as obras da Barra e do Porto do Rio Grande.
3 – Pedreiras de Monte Bonito, no município de Pelotas. Pedreiras ns. 1 e 3. Perfuradores a ar comprimido. Explosão de uma mina. Pedreiras ns. 2 e 4. Guindaste a vapor. Vista geral da usina elétrica e pneumática, oficinas, armazéns, etc. Partida de um trem com pedra para Boca do Arroio.
4 – Instalação na Boca do Arroio para baldeação da pedra. Descarga de materiais. Chegada de um trem com pedra. Transbordador de 30 toneladas para baldeação das caixas-vagons dos trens para as chatas. O mesmo transbordador carregando uma chata de fundo falso para os trabalhos do porto. Em caminho para o porto de 30 léguas de distância.
5 – Instalações no Cocuruto, a 12 quilômetros da Barra. Chegada dos visitantes. Vista geral e transbordador de 30 toneladas. Chegada de uma chata carregada com 500 toneladas de pedra. Manobras de substituição de vagons vazios por vagons carregados de pedra (200 toneladas de pedra por hora). Volta da chata com vagons vazios para Boca do Arroio, em Pelotas. Trem de pedra seguindo para o molhe do Leste.
6 – Titan, para lançamento ao mar de 200 toneladas de pedra por hora. Manobras do titan.
7 – Obras do novo porto. Descarga para a proteção dos terraplenos. Draga de sucção Marechal Deodoro, de 900 cavalos, trabalhando. Draga universal Marechal Hermes, de 600 cavalos, carregando um batelão de 220m3. Atração do batelão e descarga pelo refouleur de 400 cavalos até 1.200 metros de distância. (...)
(As obras da Barra – Vistas cinematográficas. A Federação, Porto Alegre, 29 set 1911, p.4, ano XXVIII, n.225)

Ficha técnica


FOTOGRAFIA
Cinegrafista: Arnaud.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Compagnie Française du Port de Rio Grande do Sul.

FILMAGENS
Brasil / RS,
município de Rio Grande, em Rio Grande; São José do Norte;
município de Pelotas, em Monte Bonito; Boca do Arroio.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: c.60 min
Metragem: 1.500 metros.
Número de rolos: (6 partes)
Som: silencioso
Imagem: pb
Proporção de tela: 1.33
Formato de captação: 35 mm
Formato de exibição: 35 mm

OBSERVAÇÕES
Não indexado em pesquisas conhecidas.
Cocuruto, praia de São José do Norte.
Filme mandado realizar pela Compagnie Française du Port de Rio Grande do Sul, responsável pela execução da obra.
Oficial de Marinha, agitador, abolicionista, republicano, jornalista, engenheiro, aliado, inimigo, deputado, negociador, entusiasta da aviação, José Carlos de Carvalho, com seus defeitos e virtudes, era, mesmo na opinião dos seus adversários, um homem de ação. Da Guerra do Paraguai até a primeira década do século XX, seu nome está marcado para sempre nas páginas da História Naval Brasileira. (MARTINS, Hélio Leôncio. A Revolta dos Marinheiros. São Paulo: Editora Nacional, 1988.)
Há um operador cinematográfico de nome Arnaud (Joseph), atuando no Rio de Janeiro em 1910. São suas as fitas: Entrada do Minas Geraes; Inauguração do Parque da Boa Vista; Chegada de s. ex. o marechal Hermes da Fonseca.
Cinema Variedades, proprietário: Arthur Sampaio; inaugurado em 20 set 1911, à Praça Senador Florencio [atual Praça da Alfândega].
Pesquisa de G. Póvoas: 
na Biblioteca Rio-Grandense, Rio Grande, jan 2002: Diário Popular, Pelotas, set 1911.
no Museu Hipólito, Porto Alegre, abr 2002: Correio do Povo e A Federação, Porto Alegre set-out 1911.

Título: Adotado a partir da coluna de programação do Correio do Povo e A Federação, 4 e 5 out 1911.
Títulos alternativos: Obras da Barra e do porto [da cidade] do Rio Grande (Correio do Povo e A Federação); [As] Obras da Barra (Diário Popular).

BIBLIOGRAFIA
SANTOS, Klécio. Sonhos de pedra – A história da construção dos molhes, uma das maiores obras da engenharia marítima / Stone dreams – The story of the construction of the piers, one of the greatest works of maritime engineering. 3.ed. Pelotas: Cabrion Editora, 2022. 235p. il. Bilíngue português-inglês. Tradução: Adriano Migliavacca. Capítulo sobre o filme: Nas telas do cinema, p.177-182.

Noticiário:
Um filme interessante. A Opinião Pública, Pelotas, 11 set 1911, p.2, ano XVI, n.207.
Obras da Barra. A Opinião Pública, Pelotas, 16 set 1911, p.2, ano XVI, n.212.
Anúncio. A Opinião Pública, Pelotas, 16 set 1911, p.3, ano XVI, n.212. [imagem desta página]
Diário Popular, Pelotas, 16 set 1911.
Cinema Caixeiral. A Opinião Pública, Pelotas, 23 set 1911, p.2, ano XVI, n.217.
As Obras da Barra – Exibições. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 26 set 1911, p.8, ano XXI, n.269.
Várias. A Federação, Porto Alegre, 26 set 1911, p.1, ano XXVIII, n.222.
Várias. A Federação, Porto Alegre, 27 set 1911, p.2, ano XXVIII, n.223.
As Obras da Barra – Vistas cinematográficas. A Federação, Porto Alegre, 29 set 1911, p.4, ano XXVIII, n.225.
Obras da Barra. A Opinião Pública, Pelotas, 29 set 1911, p.1, ano XVI, n.222.
LINDER, Max. Fitas da semana. Correio do Povo, Porto Alegre, 1º out 1911. [crítica]
Anúncio. A Federação, Porto Alegre, 3 out 1911, p.2, ano XXVIII, n.228.
Theatros e diversões: Cinematógrafos – Programas para hoje: Variedades. A Federação, Porto Alegre, 3 out 1911, p.4, ano XXVIII, n.228.
Anúncio. A Federação, Porto Alegre, 4 out 1911, p.3, ano XXVIII, n.229.
Theatros e diversões: Cinematógrafos – Programas para hoje: Variedades. A Federação, Porto Alegre, 4 out 1911, p.4, ano XXVIII, n.229.
Theatros e diversões: Cinematógrafos – Programas para hoje: Variedades. A Federação, Porto Alegre, 5 out 1911, p.2, ano XXVIII, n.230.
Anúncio. A Federação, Porto Alegre, 5 out 1911, p.2, ano XXVIII, n.230.

Pelotas há 50 anos.... Diário Popular, Pelotas, 29 nov 1961.

Exibições


• Rio de Janeiro (DF), Cinema Odeon, 4 jul 1911, ter (especial para presidente do Brasil Hermes da Fonseca e autoridades; sessão organizada pelo deputado almirante José Carlos de Carvalho)

• Rio Grande (RS), Cinema Parisiense, 8 set 1911, sex (para autoridades, representantes da imprensa e convidados)

• Pelotas (RS), Cinema Caixeiral,
15 set 1911, sex, 19h (para autoridades, representantes da imprensa e convidados)
16, 17 set 1911, sab, dom, 13h, 19h
24 set 1911, dom

• Porto Alegre (RS), Variedades,
28 set 1911, qui, 15h (para o presidente do Estado Borges de Medeiros, Assembleia dos Representantes, autoridades civis e militares)
2-5 out 1911, seg-qui, 13h e à noite (+ A Casaca do papai, cômica)

• Pelotas (RS), Cinema Ideal (Polytheama), 29 nov 1911, qua

• Bagé (RS), Colyseu, 10, 12 dez 1911, dom, ter

Arquivos especiais


Noticiário e crítica:

Um filme interessante. A Opinião Pública, Pelotas, 11 set 1911, p.2, ano XVI, n.207.
Sexta-feira, na cidade vizinha, foi exibido no Cinema Parisiense, dali, perante as autoridades, representantes da imprensa e outras pessoas conceituadas para o fim convidadas, um filme realmente interessante e que reproduz os trabalhos das obras da Barra e novo porto do Rio Grande.
Esta fita foi trazida da capital da República pelo dr. Luiz Tavares Pereira, ilustrado engenheiro das obras da Barra.

Obras da Barra. A Opinião Pública, Pelotas, 16 set 1911, p.2, ano XVI, n.212.
Foi passado, ontem, no Cinema Caixeiral, às 7 horas da noite, diante de autoridades, representantes da imprensa e algumas exmas. famílias, o grandioso filme intitulado Obras da Barra.
Ótima foi a impressão recebida pelas pessoas que assistiram ao desenrolar dessa fita, cuja nitidez é completa, deixando apreciar com clareza os diversos trabalhos das obras da Barra.
Hoje e amanhã será incluído nos programas do Cinema Caixeiral esse interessante filme, que deve ser apreciado pelos amantes da boa cinematografia.

Cinema Caixeiral. A Opinião Pública, Pelotas, 23 set 1911, p.2, ano XVI, n.217.
Este apreciado cinema oferece, amanhã, aos seus numerosos frequentadores, um espetáculo realmente sedutor.
Senão vejam o programa que se segue, composto de fitas sensacionais e algumas das quais ainda novas:
Sonho de Pompassiot, A Alma da feiticeira, A Greve das crianças, O Anel do índio, Obras do porto e da Barra do Rio Grande do Sul, este pela última vez.

As Obras da Barra – Exibições. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 26 set 1911, p.8, ano XXI, n.269.
Porto Alegre, 25 (D.) – O Sr. Dr. Tavares Pereira, engenheiro das obras da barra, deve chegar a esta capital no dia 28 do corrente.
Traz um filme de 1.500 metros, sobre as obras que está dirigindo.
Esse filme será exibido em vários cinemas desta capital.
À primeira exibição assistirão os srs, presidente do Estado, Dr. Borges de Medeiros, membros da Assembleia Legislativa, etc.

Obras da Barra. A Opinião Pública, Pelotas, 29 set 1911, p.1, ano XVI, n.222.
Seguiu anteontem, para a capital do Estado o dr. Luiz Tavares Pereira, ilustrado engenheiro e alto funcionário das obras da Barra.
S. s. levou o belíssimo filme das obras da Barra, que tanto sucesso causou aqui, quando exibido no Cinema Caixeiral.
O referido filme já foi apresentado, em Porto Alegre, no cinema Variedades, sendo a primeira sessão oferecida aos drs. Carlos Barbosa e Borges de Medeiros e à Assembleia dos Representantes.

As Obras da Barra – Vistas cinematográficas. A Federação, Porto Alegre, 29 set 1911, p.4, ano XXVIII, n.225
(...)
A impressão recebida pela assistência foi a mais satisfatória.
A fita das obras da Barra será apresentada ao público em sessões sucessivas do Variedades, de modo que os interessados ficarão cabalmente orientados sobre a importância incontestável dos trabalhos da companhia francesa e maneira de realiza-los.

LINDER, Max. Fitas da semana. Correio do Povo, Porto Alegre, 1º out 1911.
A exibição, no Cinema Variedades, da fita das obras da Barra do Estado, causou forte animação no espírito de todos que acompanham com o máximo interesse a luta titânica ali travada entre a ciência e a Natureza, que nos foi madrasta relativamente ao único porto que possuímos. Aquela fita nos encheu de alento, nos reanimou o espírito tantas vezes combalido pela incerteza do êxito da abertura da barra. Sabemos bem que esse êxito ainda não está assegurado, e que a fita, exibida quinta-feira última [28 set], não nos adianta nada sobre esse ponto da questão, mas em todo caso ela é um atestado do esforço empregado para a solução do problema, ela é a demonstração da luta empenhada entre a ciência e a natureza, luta tanto mais gloriosa para a ciência quanto são fortes e pérfidos os elementos da natureza que nos fecham a barra.

Theatros e diversões: Cinematógrafos – Programas para hoje: Variedades. A Federação, Porto Alegre, 3 out 1911, p.4, ano XXVIII, n.228.
Obras da Barra e do porto da cidade do Rio Grande, executadas pela Compagnie Française du Port de Rio Grande do Sul; A Casaca do papai (cômica).

Theatros e diversões: Cinematógrafos – Programas para hoje: Variedades. A Federação, Porto Alegre, 4 out 1911, p.4, ano XXVIII, n.229.
As Obras da Barra; A Casaca do papai (cômica).

Theatros e diversões: Cinematógrafos – Programas para hoje: Variedades. A Federação, Porto Alegre, 5 out 1911, p.2, ano XXVIII, n.230.
As Obras da Barra; A Casaca do papai (cômica).

A Federação, Porto Alegre, 11 dez 1911, p.2, ano XXVIII, n.284.
Bagé, 11 – No Colyseu, foi ontem, exibida a fita das obras da Barra, agradando muito.
Amanhã será repetida.

Pelotas há 50 anos.... Diário Popular, Pelotas, 29 nov 1961.
29 de novembro de 1911 – O Cinema Ideal (no Politeama) exibia hoje o importante filme, documentário, de 6 partes em 1.800 metros – As Obras do Porto do Rio Grande tirado pelo operador francês Arnaud.

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
As Obras da Barra e do Porto do Rio Grande. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/137/as-obras-da-barra-e-do-porto-do-rio-grande. Acesso em: 23 de maio de 2024.