Dog never raised – Cachorro inédito (2022)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
pb-cor, 71 min

Direção: Bruno de Oliveira.
Companhia produtora: não creditada

Primeira exibição: Gramado (RS), 50º Festival de Cinema de Gramado [12-20 ago]-Mostra Competitiva Longa-metragem Gaúcho, Palácio dos Festivais, 16 ago 2022, ter, 14h

 

Assim como os dois longas anteriores de Bruno de Oliveira, Dog never raised – Cachorro inédito também é selecionado para a Mostra Gaúcha do Festival de Cinema de Gramado. Na ocasião, no palco do Palácio dos Festivais, o diretor frisou que esta poderia ser a primeira e única exibição pública – o que acaba não acontecendo. Filmado em Porto Alegre e São Leopoldo em 2020 durante a pandemia de covid-19 com uma equipe mínima por questões de segurança. A edição levou cerca de um ano e meio para ser concluída. Na trama, que o autor define como terror experimental com toques cômicos, um ladrão de rua fica obcecado com a ideia de realizar um filme após invadir um apartamento cheio de DVDs e roubar os objetos. Permeado por fetiches e obsessões, o longa mostra a relação do personagem sem nome e sem rosto com diversos artefatos que ganham protagonismo no enredo. Com sequências em preto e branco e coloridas e em formatos diferentes, além de narração em inglês.

Bruno de Oliveira cita como principais influências os diretores David Cronenberg e Robert Eggers. "Esta relação com o cinema que nos meus filmes anteriores era um pouco mais saudável ou otimista, em Cachorro inédito é mais sombria – ela toca a obsessão, a doença. É um filme muito influenciado pela minha relação com DVDs, com o cinema mesmo, com o fazer do cinema. Considero meu filme mais maduro até então". Durante debate pós-exibição na mostra A Vingança dos Filmes B, o diretor comentou que sempre foi um consumidor de filmes em mídia física, mas se assustou ao ingressar em comunidades que reúnem colecionadores na internet. Segundo Bruno, muitos frequentadores se tornam obsessivos a ponto de ficarem mais preocupados com detalhes (o estado da caixinha do DVD) do que em valorizarem o conteúdo. Algumas dessas pessoas colocariam as próprias famílias em segundo plano, gastando demais nas compras e gerando separações.

Na mesma ocasião, Bruno de Oliveira disse que quis representar uma ideia de indivíduos que se contaminam através de imagens – pensando nelas como doses que vão moldando gente como os psicopatas de internet. Desse modo, o filme enfatiza que determinadas imagens podem contaminar para o mal. Ao mesmo tempo, as cenas incluem enquadramentos esquisitos e posicionamentos de câmera que cortam cabeças – a fim de gerar estranhamento. Com isso, cria-se uma estética de pesadelo, num registro onírico, nada realista.  Há também um diálogo com o imaginário, na medida em que certas lacunas são deixadas de forma proposital em alguns planos, a fim de que cada espectador dê um sentido para aquilo que vê. A trilha sonora é assinada por Gustavo Peixoto – do projeto musical ALE – com colaboração do diretor, e inclui sons de hip hop, grunge, música eletrônica e funk, numa combinação que flerta com a videoarte.

A estrutura é bastante diferenciada, uma vez que os créditos de encerramento são inseridos mais de uma vez, antes do epílogo verdadeiro, gerando certa confusão na cabeça do público. Durante a sessão de estreia, em Gramado, as luzes foram acessas antes do momento exato de conclusão. Com isso, o filme adota uma postura anti-industrial ou contrária ao mainstream, nas palavras do realizador – já que não pretende ser um audiovisual que prenda a atenção da audiência, fazendo-a esquecer de seus problemas. O foco é gerar desconforto, fazer com que não se queira estar assistindo – até porque o próprio protagonista não gostaria de estar vivendo certas situações, gostaria que o filme terminasse, mas o filme não acaba nunca.

Sinopse


Um larápio de rua fica obcecado com a ideia de realizar um filme após invadir um apartamento cheio de DVDs.

Sinopse desenvolvida:
Um larápio de rua fica obcecado com a ideia de realizar um filme após invadir um apartamento cheio de DVDs. Esse indivíduo desenvolve um encantamento com o cinema de forma negativa, atingindo um viés doentio e obsessivo – já que só pensa em consumir filmes compulsivamente, comprar DVDs compulsivamente, realizar filmes compulsivamente. Ele possui uma relação muito complexa com a mãe, que o estimulou a assistir esses conteúdos desde cedo, incluindo títulos mais pesados, como O Massacre da serra elétrica (The Texas chain saw massacre, Tobe Hopper, 1974). Esse fator cria perigosas relações em sua cabeça, fazendo com que a adoção de práticas violentas seja algo naturalizado. A imagem se torna o principal objeto de fetichização do indivíduo.

Ficha técnica


ELENCO
Bernardo Bordini, Helga Barcellos,
Georgia Barcellos, Marcos Brique.

DIREÇÃO
Direção: Bruno de Oliveira.

ROTEIRO
Roteiro: Bruno de Oliveira.

PRODUÇÃO
Produção: Bruno de Oliveira.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Bruno de Oliveira.
Operação de câmera adicional: Arthur Pilla, Bruno Fonini, Daniela Barcellos, Georgia Barcellos.

MÚSICA
Trilha sonora original: Bruno de Oliveira, Gustavo Peixoto.

ARQUIVO
Filme não creditado: Videodrome (David Cronenberg, 1983, CA).

FINALIZAÇÃO
Montagem: Bruno de Oliveira.
Desenho de som: Bruno de Oliveira.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Câmera: AF X8 Auto Focus / Full auto White balance.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: não creditada.

AGRADECIMENTOS
Agradecimento especial: Guilherme Staush, Cristian Verardi, Marcus Mello, Francisco Franco, Antonio Barcellos.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre; São Leopoldo.
Período: 2020.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:11:01
Som:
Imagem: pb-cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:
Idioma: English, com legendas em português.

DIVULGAÇÃO
Assessoria de imprensa: Isidoro B. Guggiana.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa
Contato:

OBSERVAÇÕES
Créditos finais: // Porto Alegre, São Leopoldo //

Grafias alternativas:

BIBLIOGRAFIA

Exibições


• Gramado (RS), 50º Festival de Cinema de Gramado [12-20 ago]-Mostra Competitiva Longa-metragem Gaúcho, Palácio dos Festivais, 16 ago 2022, ter, 14h

• Porto Alegre (RS), Mostra A Vingança dos Filmes B [9-12, 14-17, 22-26 fev]-Sessão O meio é a mensagem, Cinemateca Capitólio, 14 fev 2023, ter, 19h30 (comentada com diretor) (+ Johan & os imãs de geladeira, Giordano Gio, 2022, 24 min)

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Dog never raised – Cachorro inédito. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1571/dog-never-raised-cachorro-inedito. Acesso em: 18 de maio de 2024.