Teixeirinha a 7 provas (1972)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
35 mm, cor, 117 min

Direção: Milton Barragan.
Companhia produtora: Teixeirinha Produções

Primeira exibição: Bagé (RS), Avenida, 22 nov 1972, qua, 20h, 22h (estreia nacional, presença de Teixeirinha e Mary Terezinha)

 

Uma produção de dimensões hollywoodianas em Porto Alegre. Conforme material de divulgação, foram rodadas mil tomadas em 17.400 metros de negativo colorido, com três câmeras. Foram servidas 3.642 refeições para técnicos, atores e figurantes durante 70 dias de trabalho. Os sete veículos utilizados nas filmagens percorreram 70 mil quilômetros. Os quatro atores principais aparecem com 44 roupas diferentes em 34 cenários. O material de divulgação não comenta, mas chama atenção também o número de penteados e perucas da personagem de Mary Terezinha. A sequência mais difícil foi a submarina, da qual resultou uma costela quebrada para o astro da música regional. Um trecho icônico da cena em que se joga heroicamente da Ponte do Guaíba aparece em O Homem que copiava (J. Furtado, 2003) como uma das charadas que o filme propõe. Todo o esforço de superprodução valeu a pena, pois Teixeirinha a 7 provas, seu quarto filme e o segundo por sua companhia produtora, foi mais um sucesso.

Segundo dos três filmes fotografados por Ivo Czamanski para Teixeirinha, sendo que nos créditos finais há um plano dele olhando pelo visor da câmera. Seu Ivo vem de uma família de cineastas, seu pai Daniel foi sócio de Wilkens Filmes nos anos 50 e nos 60 os dois trabalham na Cinegráfica Leopoldis-Som. Ele também foi câmera em Coração de luto. Não creditados, além de Paulo Sant'Ana, outro dos jurados na cena do desafio, em raro registro audiovisual, é Pedro Leite Villas-Bôas, autor do Dicionário bibliográfico gaúcho.

A história tem todos os elementos que o público do cantor espera: ação, aventura, comédia, música e até lances do fantástico como uma luta de espadas de Teixeira com um fantasma. O casal protagonista leva os nomes reais e exerce a mesma atividade dos atores. Mary é mostrada como uma mulher valente, destemida, sem medo de nada e avançada, que lê a revista Realidade, símbolo, naqueles idos, de uma cultura engajada, de esquerda e crítica. No entanto, isso não é desenvolvido. Embora Teixeirinha se envolva com um grupo de garotas de biquíni e um prolongado beijo numa delas gere uma briga de ciúmes nas outras, o cantor, noutra cena, se derrama para Mary cantando o bolero "Escuta": "Como eu te amo minha querida / Se um dia não me quiseres mais / Eu morrerei de dor / Não sei viver sem ti / Mulher da minha vida / As horas que eu passo longe de ti / Eu me desespero".

Tirando todas as peripécias, o resumo da história poderia ser o seguinte: Teixeirinha aceita o desafio pois com os 38 bilhões ele pode, enfim, comprar o seu avião particular.

Sinopse


Em estúdio, ao lado de Mary Terezinha, Teixeirinha canta trechos da rancheira "Abre a sanfona".
No Aeroporto Internacional Salgado Filho, no balcão da Varig, o empresário Dom Chiquito está comprando passagens para o Rio e encontra Dona Mariana, viúva de Lord Roderick Lancelot Spring. Ela está morrendo e quer deixar sua fortuna para o ídolo Teixeirinha, por quem é apaixonada.
Em casa, Teixeirinha lê jornal e Mary a revista Realidade. Dom Chiquito conta da proposta recebida. Teixeirinha que quer comprar um avião, fica interessado.
Durante jantar na casa de Dona Mariana ela explica que para ser merecedor do tesouro de 30 bilhões de cruzeiros, o candidato tem que submeter-se a 7 provas.
Capas diferentes do Diário de Notícias: "30 bilhões: Teixeirinha aceita desafio" e "Teixeirinha será lord".
O mordomo Thomas, fiel à memória de seu falecido amo e pressionado por ingleses, a fim de proteger o nome, o título e a tradição dos Lancelot Spring, encarrega o motorista da família Borsalindo e três bandidos para sabotar as provas.
Da ponte móvel do Rio Guaíba, Teixeirinha mergulha em busca de uma chave (Prova n.1). Troca de tiros embaixo d'água.
À noite, num navio, depois de esgrimar com um Fantasma, Teixeirinha consegue a espada flamejante do Lord (Prova n.2).
Num rodeio, ele canta a toada-canção "Tordilho negro" e depois doma um potro chucro (Prova n.3).
A Prova n.4 é vencer em desafio o trovador Zé Gaudêncio, o centauro dos pampas, no Auditório Araújo Vianna.
Na pista de Tarumã, a Prova n.5 é ganhar uma corrida de karts.
Um dos planos de Borsalindo para desviar Teixeirinha da próxima prova é envolvê-lo com belas garotas de biquíni. Ele canta para elas o samba "Perdoar é divino", e escapa dali, chegando a tempo para a Prova n.6: cantar e tirar o colar de um leão na jaula do Gran Circo Americano.
A Prova n.7 é encontrar a caveira do Lord no cemitério.
Antes de morrer, Dona Mariana entrega o mapa do tesouro.
Num balão aerostático, Mary canta o samba "Aquele amor". Um grupo de índios [Os Comanches] atira flechas, furando o balão.
À noite em volta de uma fogueira, com Mary deitada no seu colo, Teixeirinha canta o bolero "Escuta".
No dia seguinte encontram a gruta e a mala com o dinheiro. Mary Terezinha e Teixeirinha aparecem entrando num pequeno avião. Sob os créditos finais e trechos de shows e deslocamentos ouve-se "Abre a sanfona".

Ficha técnica


ELENCO
Teixeirinha (Teixeirinha), Mary Terezinha (Mary Terezinha),
Jimmy Pipiolo (Francisco Arthur León 'Dom Chiquito'),
Tereré (Conforto), Themis Ferreira (Dona Mariana Lancelot Spring), Rui Favalli Bastide (Mordomo Thomas), Loreni Munhoz (Macedo), Nelson Campos (Doca),
Joel Queiroz, Branca Regina Muniz, Suzi Wander, Vanda Wichrowski, Anibal Damasceno Ferreira, Geraldo Zaniratti (Mr. Fox), Paulo Paim, Laury Silva, Assunta Mezzomo, Betty Sanders, Apolonia Schimitz, Indra Keller, Elizabeth da Cruz, Nelly Prieto, palhaço Pim-Pim, Maximiano Bogo.
Corredores do kart: Jorge Raimundo Fleck, Roberto Bins Jr., Julio Koops Neto, Luiz Caetano Antinolfi, Paulo Vasconcelos Bastia.
Apresentando: Os Comanches, Gran Circo Metropolitano
e o leão Willy.
Não creditados: Zezinho, Xará, Timbauva, Hélio Jardim (figuração no palco desafio), Paulo Sant'Ana, Pedro Leite Villas-Bôas (jurados no desafio), Ivo Czamanski (com câmera, nos créditos finais).
Participação especial: Garoto de Ouro (Zé Gaudêncio, o centauro dos pampas), Ricardo Hoeper (Borsalindo).
Locução (não creditado): Pedro Carneiro Pereira (narração Grenal).

DIREÇÃO
Direção: Milton Barragan.
Assistência de direção: Anibal Damasceno Ferreira, Milton Lino Bittencourt.
Continuidade: Milton Lino Bittencourt.

ROTEIRO
Ideia original: Teixeirinha.
Roteiro: Milton Barragan.
Diálogos: Milton Barragan, Anibal Damasceno Ferreira.

PRODUÇÃO
Produção: Vitor Mateus Teixeira [Teixeirinha].
Produção executiva: Clovis Mezzomo.
Direção de produção: Rui Favalli Bastide.
Inspeção de produção: Gilberto Lima.
Assistência de produção: Alberto Pereira, Renato Amorim.
Secretaria (não creditadas): Helena Jung Martins, Maria Celoy.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Ivo Czamanski.
Operação de câmera: Ivo Czamanski, Clovis Mezzomo.
Assistência de câmera: Pereira Dias Filho, José Dourado.
Claquete (não creditada): Líria Teixeira.

Eletricistas: Francis Lagarde, Miguel Elias, José Luzardo.
Maquinistas: Helio Martins, Luiz Moran, Claudio Mileski.

Fotografia de cena: Erwin Rheinheimer.
Making of: em 35 mm

ARTE
Contrarregragem [Produção de objetos]: Roberto Azevedo.

Figurino: Fernando.
Guarda-roupa: Enio Staub.

Maquiagem: Luis Abreu.

MÚSICA
Música e regência: Telmo Adolfo Kotlhar.

Músicas (ordem de inserção):
• "Abre a sanfona" (música, letra: Teixeirinha; rancheira) por Teixeirinha (voz, violão), Mary Terezinha (acordeon) [trecho inicial e final] [LP: Entre a cruz e o amor, 1971; faixa A2]
• "Tordilho negro" (música, letra: Teixeirinha; toada-canção) por Teixeirinha (voz, violão), Mary Terezinha (acordeon) [LP: Teixeirinha no cinema, 1966; faixa B6]
• ["Trova"] por Teixeirinha (voz, violão), Garoto de Ouro (voz, violão), Mary Terezinha (acordeon)
• "Perdoar é divino" (música, letra: Adelino Moreira; samba) por Teixeirinha (voz, violão) [LP: Com músicas do filme Ela tornou-se freira, 1972; faixa A2]
• ["Improviso para o leão"] (música, letra: Teixeirinha) por Teixeirinha (voz, violão)
• "Aquele amor" (música, letra: Teixeirinha; samba) por Mary Terezinha (voz, acordeon), Teixeirinha (violão) e Coro [LP: Entre a cruz e o amor, 1971; faixa A3]
• "Escuta" (música, letra: Teixeirinha; bolero) por Teixeirinha (voz) [LP: Entre a cruz e o amor, 1971; faixa A5]
• "Abre a sanfona" (música, letra: Teixeirinha; rancheira) por Teixeirinha (voz, violão), Mary Terezinha (acordeon) e Coro [reprise, integral; créditos finais]

FINALIZAÇÃO
Edição: Milton Barragan.

Técnico de som (não creditado): Antonio Gomes.
Ruídos especiais: Geraldo José.
Sincronização [Mixagem]: Waldemar Noya.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Película: Kodak Eastmancolor.
Laboratório de imagem: Rex Filme (São Paulo).
Estúdio de som – dublagem: Herbert Richers (Rio de Janeiro).
Estúdio de som: Somil Som e Imagem Ltda. (Rio de Janeiro).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Teixeirinha Produções (Porto Alegre).

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Colégio Sévigné, Faculdade Católica de Medicina do RS, Helena Rubinstein, Boate Dragão Verde, Beka Cabelereiros, Artesanato Guarisse, Móveis Gerson, Fábrica Terezina, Bazar Floresta, prof. Dante de Laitano, dr. Salvatori Netto, dr. Artur Correa, dr. José Shimidt da Silva, Brigada Militar do RS, Corpo de Bombeiros, FAB Força Aérea Brasileira, Base Aérea de Canoas 5º ETA, Aeroporto Internacional Salgado Filho, Prefeitura de Porto Alegre, Museu Histórico São Leopoldo, Clube Paraquedismo Parasul, Autódromo de Tarumã, Guaíba Country Club, dr. Eugênio Rajagabaglia, Estaleiro Lucena, S. Paula Clube de Campo.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre; a cena da Ponte Rio Guaíba foi filmada em duas partes; a cena dentro d'água foi na piscina do Guaíba Country Clube, onde ele acabou quebrando a costela.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:57:13 (DVD)
Metragem: 3.130 metros
Número de rolos:
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela: 1.33
Formato de captação: 35 mm
Formatos de exibição: 35 mm
Tiragem (DVD): AA001000.

DIVULGAÇÃO
Cartaz 1: 93 x 63 cm. Exemplar na Cinemateca Brasileira.
Cartaz 2: 40 x 28,4 cm. Arte: Nelson Pinto. Impressão: Livraria do Globo (Porto Alegre); no verso, ficha técnica, ficha artística, arte final, sinopse, dados de produção, músicas do filme e frases promocionais. Três exemplares no IECINE + um exemplar Coleção G. Póvoas.

DISTRIBUIÇÃO
Distribuição: UCB.
VHS: Distribuição: São Paulo: Reserva Especial, [199?].
DVD: Distribuição: Fundação Teixeirinha DRS2683. Autoração: 21 nov 2012. Sem extras nem encarte. Produção: Teixeirinha Produções Artísticas. Recuperação: Fundação Vitor Mateus Teixeira. Patrocínio BR Petrobras. Lei de Incentivo à Cultura / Ministério da Cultura / Governo Federal; Fundação Teixeirinha.
DVD disponível no IECINE.
Contato: Fundação Vitor Mateus Teixeira.

OBSERVAÇÕES
Cópia do YouTube sem o final e com créditos iniciais no final, com 107 min.
Durante a Prova n.4 quando Teixeirinha tem que domar um potro chucro, a montagem sonora é intercalada com a narração pelo rádio de um Grenal, onde são citados três jogadores do Internacional, o goleiro Schneider, o meia Paulo César e o ponteiro Valdomiro. Este expediente tinha sido usado em Motorista sem limites na cena do bar. O Grenal citado em Teixeirinha a 7 provas não foi identificado.
Finalização: meados de 1972.
Custo: mais de Cr$ 800.000,00.
Renda de novembro de 1972 a dezembro de 1973: Cr$ 1.142.635,44 com 628.538 espectadores.
Complementação aos créditos: Ficha técnica no verso do cartaz. / Depoimento de Anibal Damasceno Ferreira a G. Póvoas.
Das músicas creditadas não aparece "Não e não" (música, letra: Teixeirinha), também citada no verso do cartaz, que ainda acrescenta "Escuta" e "Martelinho pra frente", esta última também não localizada no filme.
Duas músicas não creditadas não foram identificadas na discografia de Teixeirinha: a "Trova" com Gaudêncio [Garoto de Ouro] e o "Improviso para o leão".
Nos créditos, depois das músicas: // Discos: Copacabana, Chantecler //.
O Jornal do Comércio (Manaus) durante um período, informa além do filme, os complementos que abrem a sessão como trailers e cinejornais. O trailer de Teixeirinha a 7 provas foi exibido no Ipiranga, Palace, Avenida, Vitória, Guarani entre 23 mar e 12 abr 1973
Pesquisa de G. Póvoas no Museu Dom Diogo de Souza, Bagé, 4 dez 2023: Correio do Sul, Bagé, nov-dez 1972.

Títulos alternativos: Teixeirinha a sete provas
Grafias alternativas: Luiz Abreu | Rui Bastide (ator) e Rui Favalli Bastide (direção de produção) | Ervin | Antoninho Gomes | Branca Regina | Joel de Queiroz | Enio Stabel | Victor Mateus Teixeira | Aeroporto Salgado Filho (cf. créditos) | Alíria Teixeira

DISCOGRAFIA
Ver Discografias: Teixeirinha + Mary Terezinha.

BIBLIOGRAFIA
ROSSINI, Miriam de Souza. Teixeirinha e o cinema gaúcho. Porto Alegre: Fumproarte-Secretaria Municipal da Cultura-Prefeitura de Porto Alegre, 1996. 238p. il.
LOPES, Israel. Teixeirinha – O gaúcho coração do Rio Grande. Porto Alegre: EST Edições-Fundação Vitor Mateus Teixeira, 2007. 215p. il.
FEIX, Daniel. Teixeirinha – Coração do Brasil. Porto Alegre: Diadorim Editora, 2019. 249p. il.

Noticiário:
Teixeirinha quebra costela ao saltar de ponte para sustentar duelo submerso. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 24 maio 1972, p.22 [BN, p.30], ano LXXXII, n.39.
Correio do Povo, Porto Alegre, 23 jul 1972.
CALVERO [P. F. GASTAL]. Teixeirinha a 7 provas em março. Folha da Tarde, Porto Alegre, 29 dez 1972, p.53.
Teixeirinha a sete provas. Folha da Manhã, Porto Alegre, 12 mar 1973, p.49.
NOBRE, Carlos. Olha a folha. Folha da Tarde, Porto Alegre, 3 abr 1973.
Anúncio. Diário da Tarde, Curitiba, 18 jun 1973, p.12, ano 74, n.21.952.
Anúncio. Diário da Tarde, Curitiba, 20 jun 1973, p.2, ano 74, n.21.954.
Anúncio. Diário da Tarde, Curitiba, 21 jun 1973, p.2, ano 74, n.21.955.

Crítica:
MERTEN, Luiz Carlos. Abre a sanfona, Mary Terezinha!. Folha da Manhã, Porto Alegre, 16 mar 1973. Reproduzida em: MERTEN, Luiz Carlos. Um Sonho de cinema. Porto Alegre: Unidade Editorial, Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia-Secretaria Municipal da Cultura-Prefeitura de Porto Alegre; Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004. 362p. il. (Escritos de Cinema, 9) p.113-114.
HOHLFELDT, Antonio. Correio do Povo, Porto Alegre, 24 mar 1973.
HENRICHS, Renato. Cinema. Jornal de Caxias, Caxias do Sul, 7 abr 1971, p.9, ano I, n.6.

Exibições


• Bagé (RS), Avenida,
22 nov 1972, qua, 20h, 22h (estreia nacional, presença de Teixeirinha e Mary Terezinha)
23-28 nov 1972, qui-sab, 16h, 20h, 22h, dom, 16h30, 20h, 22h, seg, ter, 16h, 20h, 22h

• Bagé (RS), Glória,
22 nov 1972, qua, 20h30 (estreia nacional, presença de Teixeirinha e Mary Terezinha)
23-28 nov 1972, qui-sab, 20h30, dom, 17h, 20h30, 22h30, seg, ter, 20h30

• Bagé (RS), Capitólio, 29 nov-5 dez 1972, qua-sex, 20h30 (+ O Grande desafio), sab, 20h30 (+ Quando os valentes morrem), dom, 14h, 20h30, seg, ter, 20h30 (+ O Homem de Canyon City)

• Bagé (RS), Glória,
6-9 dez 1972, qua-sex, 20h30, sab, 20h30 (+ Marco, o mercenário impiedoso)
21-23 dez 1972, qui, sex, 20h30 (+ Quando os espiões atacam), sab, 20h30 (+ O Pistoleiro do Rio Vermelho)
27 dez 1972, qua, 20h30 (+ O Homem mais engraçado do mundo, antologia chapliniana)

[Bagé: 18 dias consecutivos + 4 outros dias: não fica claro se houve exibição 24-26 dez, pois, por causa do período natalino, jornal consultado – Correio do Sul – não saiu]

• Porto Alegre (RS), Victoria,
11 mar 1973, dom, 10h (especial)
12-18 mar 1973, seg-dom, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
19-25 mar 1973, seg-dom, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

• Porto Alegre (RS), Rey,
12-18 mar 1973, seg-dom, 19h30, 21h30
19-25 mar 1973, seg-dom, 19h30, 21h30
26 mar-1º abr 1973, seg-dom, 19h30, 21h30
2-8 abr 1973, seg-dom, 19h30, 21h30

• Porto Alegre (RS), Rio Branco,
12-18 mar 1973, seg-dom, 15h, 19h45, 21h45
19-25 mar 1973, seg-dom, 15h, 19h45, 21h45

• Porto Alegre (RS), Colombo,
12-18 mar 1973, seg-dom, 15h, 19h45, 21h45
19-25 mar 1973, seg-dom, 15h, 19h45, 21h45

• Porto Alegre (RS), Teresópolis,
12-18 mar 1973, seg-dom, 20h
19-25 mar 1973, seg-dom, 20h
26 mar-1º abr 1973, seg-dom, 20h

• Manaus (AM), Avenida, 30 mar-5 abr 1973, sex-sab, 13h, 15h, 17h, 19h, 21h, dom, 9h, 13h, 15h, 17h, 19h, 21h, seg-qui, 13h, 15h, 17h, 19h, 21h

• Manaus (AM), Ipiranga, 30 mar-5 abr 1973, sex, sab, 20h, dom, 12h30 (+ Dois palermas em Oxford), 16h, 20h, seg-qui, 20h

• Manaus (AM), Palace, 30 mar-4 abr 1973, sex, sab, 20h30, dom, 13h (+ Dois palermas em Oxford), 16h, 20h30, seg-qua, 20h

• Manaus (AM), Guarani, 6-12 abr 1973, sex, dom, 12h30 (+ Dois palermas em Oxford), 16h, 20h (+ Ver-te-ei no inferno), sab, seg, 12h30 (+ Dois palermas em Oxford), 16h, 20h (+ O Supermacho), ter, 12h30, 20h (+ Sabata adeus), 16h, qua, qui, 12h30, 20h (+ Só os valentes voltaram), 16h

• Manaus (AM), Vitória, 13-19 abr 1973, sex, sab, 20h30, dom, 12h30 (+ Sabata adeus), 16h, 20h, seg-qua, 20h30, qui, 20h30 (+ A Vida de Cristo)

• Caxias do Sul (RS), Cine Teatro Real,
7, 8 abr 1973, sab, dom, 20h, 22h
14, 15 abr 1973, sab, dom, 19h30, 21h30

• Caxias do Sul (RS), Cine Theatro Central, 7, 8 abr 1973, sab, dom, 19h30, 21h30

• Porto Alegre (RS), Regente, 3 maio 1973, qui

• Porto Alegre (RS), Miramar, 21 de maio 1973?, seg (+ A Grande batalha)

• Curitiba (PR), Lido, 16-21 jun 1973, sab-qui, 13h30, 15h40, 17h50, 20h, 22h10

• Porto Alegre (RS), Castelo, 15 ago 1973, qua (+ O Homem chamado Sabata)

• Caxias do Sul (RS), Guarani, 2 fev 1974, sab, 19h30, 21h30

• Cuiabá (MT), Cine Teatro Cuiabá, 24 ago 1974, sab, 15h, 19h30, 21h15

• Caxias do Sul (RS), Cine Imperial, 21-26 set 1974, sab, dom, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h15

• Caxias do Sul (RS), Cine Imperial, 20-25 set 1975, sab, dom, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h15

• Porto Alegre (RS), Açores, 1º jan 1976, qui (+ E agora me chamam o Magnífico)

• Porto Alegre (RS), Sarandi?, 3, 4 jan 1976, sab, dom (+ E agora me chamam o Magnífico)

• Caxias do Sul (RS), G. E. Castelo Branco (bairro Fátima), Programa Artecultura-76, do Serviço Municipal de Turismo, 7 ago 1976, sab, 20h

Arquivos especiais


Teixeirinha e Mary Terezinha chegaram ontem aqui. Correio do Sul, Bagé, 22 nov 1972, p.6, ano LIX, n.51.
Teixeirinha e Mary Terezinha chegaram ontem à noite [21 nov, ter] à nossa cidade, para a estreia nacional de Teixeirinha a 7 provas, hoje, às 20 e 22 horas no Avenida e às 20h30 no Cine Glória.



Anúncio. Correio do Sul, Bagé, 22 nov 1972, p.7, ano LIX, n.51.

Jornal Correio do Sul, volume encaderno do Arquivo do Museu Dom Diogo de Souza, Bagé. Agradecimentos especiais: Adriana Gonçalves Ferreira, Maria Luiza Pêgas, Dora.

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Teixeirinha a 7 provas. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/163/teixeirinha-a-7-provas. Acesso em: 14 de abril de 2024.