Pobre João (1975)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
35 mm, cor, 112 min

Direção: Pereira Dias.
Companhia produtora: Teixeirinha Produções

Primeira exibição: Porto Alegre (RS), Victoria, 7 abr 1975, seg, 14h + circuito

 

Em Pobre João, seu quinto longa, Teixeirinha interpreta pela segunda vez um personagem popular. Depois de ser o caminhoneiro Jorge em Motorista sem limites (1970), ele é o mecânico João. E Mary Terezinha é Veridiana, jovem rica que estuda Filosofia na Universidade Federal e se interessa por horóscopo (nada é desenvolvido depois). Jimmy Pipiolo que foi Dom Chiquito agora é Chicão. Teixeirinha pretendia ter as cantoras Claudia Barroso e Edith Veiga no elenco, mas consegue contratar apenas a última para o papel de mãe de Veridiana. Os irmãos Fagundes, Darcy e Antonio Augusto, o Nico, também atuam. E dois filhos de Teixeirinha: Alexandre (com Mary) e Victor Mateus (com Maria Ezi Pereira), os dois como o filho Joãozinho em duas fases, menino e jovem. O cantor teve ainda sete filhas mulheres: Sirlei Mariza (com Idalina), Líria Luiza (com Maria Ezi), Nancy Margareth, Gessi Elizabeth, Fátima Lisete e Márcia Bernadeth (com Zoraida) e Liane Ledurina (com Mary). Líria, Elizabeth e Liane vão participar em outros filmes do pai.

Nada como o tempo para transformar certas imagens em documentos de uma época. A estátua do Laçador (do escultor Antonio Caringi) em seu lugar original à Praça do Bombeador, no início da Avenida Farrapos; a Avenida Oswaldo Aranha e ao fundo a loja Baú na esquina com a Rua Santo Antônio; o Parque da Redenção; o Morro da Embratel etc. A direção de fotografia é de Ivo Czamanski em sua terceira e última colaboração consecutiva nesta função em uma obra de Teixeirinha. A direção, o roteiro e a montagem são do veterano Pereira Dias.

A história acompanha cerca de 20 anos dos personagens. João e Veridiana se amam mas não conseguem ser felizes devido à ganância do pai. A fuga de João e sua longa ausência, desconhecendo que tem um filho, o encontro da mala com barras de ouro e o reencontro triunfal. No sentido figurado, Odisseia – origem no poema épico de Homero – é uma viagem cheia de aventuras extraordinárias, uma narração cheia de peripécias ou ocorrências singulares, variadas e inesperadas. Pobre João é a Odisseia de Teixeirinha, com a incorporação dos paradoxos da cultura popular. A relação com os meios de comunicação é sempre presente: é a terceira vez que aparece a capa do jornal Diário de Notícias como estopim de alguma ação.

Sendo um cantor popular e suas músicas narrativas, em seus filmes elas estão mais ou menos integradas. Os títulos das músicas não estão creditados, apenas os seguintes autores: Teixeirinha, Ernesto Lecuona, Alberto Calçada, Bruno Neher-Leonir, dos quais dos dois últimos – integrantes de Os 3 Xirus – não foi identificada a canção. As músicas foram identificadas com a ajuda do LP Trilha sonora do filme Pobre João e outros sucessos de Teixeirinha e Mary Terezinha, que trazem "Triste madrugada", "Pobre rico de amor", "Ceia de lágrimas", "Veridiana" e "Mocinho bonito". Como o próprio título do LP indica, há músicas que não estão no filme, mesmo expediente usado anteriormente no LP de Ela tornou-se freira. É interessante a inclusão de músicas de sua não autoria como a clássica versão brasileira de "Always in my heart" composta pelo cubano Ernesto Lecuona e letrada pelo americano Kim Gannon, que deu ao filme homônimo a indicação ao Oscar de melhor canção de 1942 e gravada por grandes nomes da canção popular brasileira: Orlando Silva, Nelson Gonçalves, Carlos José, Antônio Marcos, Francisco Petrônio, Anísio Silva, Dalva de Andrade, Joana, Waldick Soriano.

Como incluir as músicas na narrativa se o personagem é mecânico? A solução é inserir apenas um diálogo em que ele diz para Veridiana que o seu sonho era ser cantor, e está resolvido o problema. A partir daí, ele pode cantar a vontade, em serenata ou quando está preso ou para alegrar o baile, onde também aparece a dupla Zezinho (acordeon) e Julieta (violão). O casal gravou 13 discos entre 1970 e 2015 e acompanhou Teixeirinha e Mary Terezinha em diversas apresentações (www.recantocaipira.com.br, de Sandra Cristina Peripato). Zezinho e Julieta estão no filme seguinte, A Quadrilha do Perna Dura (1976). Zezinho, pseudônimo de Moisés Aguiar da Silva, falecido em 22 de maio de 2015, tinha feito figuração em Teixeirinha a 7 provas (1972) e aparece em O Gaúcho de Passo Fundo (1978).

Sinopse


Sob os créditos, o valseado "O Pobre João". Uma casa simples em subúrbio, alguém pegando ônibus, passando pela estátua do Laçador, pórtico central do Cais do Porto, batendo cartão-ponto, loja abrindo, feira livre, chalé da Praça XV, Mercado Público, prédios.
Na Av. Oswaldo Aranha, João despede-se de um conhecido e vê uma moça [Veridiana] sendo forçada a entrar num carro Dodge por um homem [Santino]. João enfrenta Santino sem violência, que vai embora. João acompanha Veridiana e conversam. Ela estuda na Faculdade de Filosofia da UFRGS. Ele é pobre, caiu no batente quando era guri, é mecânico de automóvel na Garagem Super Fuka na Rua das Dores, queria ser cantor, mas os rádios e TV querem patrocinadores que ele não tem. Ela adivinha que ele é do signo de Peixes. Pela Rua Santo Antônio chegam até a Av. 24 de Outubro esquina Coronel Bordini, onde ela mora, no mesmo momento que Mariano, o pai da moça. Mariano oferece 500 cruzeiros para João por ele ter ajudado, ao que retruca: "O senhor dá pouco valor a sua filha, hem?".
Durante o almoço, Veridiana, o pai, a mãe Esther, a irmã Verônica e a empregada Eva conversam sobre o ocorrido. Santino, filho de Monteiro, é amigo da família há muito e Mariano quer juntar as fortunas com o casamento dos dois. Ela não gosta de Santino, ele é Touro e não combina com o seu signo.
Dia seguinte, na oficina mecânica onde trabalha com Chicão, João decide ir até a Faculdade de Filosofia [prédio do Direito, na Av. João Pessoa] onde encontra Veridiana. Caminham no Parque da Redenção. Para ela, casamento não é negócio.
Os dias passam, ele na oficina, inquieto, fumando, olhando o relógio de parede, ela na saída da Faculdade, olhando para um lado e outro, ele dedilhando o violão, ela esperando, ele em pequenos flashs lembra do encontro, do prédio elegante, do pai lhe oferecendo dinheiro. Ela resolve ligar para a oficina.
Na Redenção, ele diz que não pode ser seu amigo. Em casa, Veridiana confessa que gosta de João e recebe um tapa na cara do pai. Ela vai até a oficina e pede para João encontrá-la à noite na casa da tia-madrinha pobre onde ela vai morar. À noite, João caminha por uma calçada e ouve-se trecho inicial de "Triste madrugada". Ele pede o violão emprestado de dois jovens. Na casa da tia, elas ouvem o final de "Triste madrugada", cantada por ele em serenata. Ele é convidado a entrar, a tia vai preparar um café, os dois se beijam. Em casa, ela avisa que vai casar.
Na oficina, João e Chicão estão se preparando para ir para o almoço e comentam como é boa a vida de casado. Veridiana no fogão, cantarolando feliz quando chega o pai que não consegue aceitar a nova situação. Mas ela é feliz ali, com a vizinhança solidária. João e Chicão ouvem a conversa. Depois, João canta "Pobre rico de amor" e Veridiana volta para o fogão.
O pai tem um plano para afastar os dois. Verônica vai até a casinha de Veridiana e inventa que a mãe está adoentada. O pai telefona para a oficina e com voz disfarçada diz para João que Veridiana vai se encontrar com outro namorado no Morro da Embratel. A mãe que tudo ouviu, pede para Eva avisar João. João pega uma arma descarregada e vai para o Morro. Depois de não parar para um guarda de trânsito, João chega no Morro. Ele dá um soco em Santino, brigam. Chega a polícia. João vai preso.
Na casinha, Veridiana conta para Eva que está grávida de dois meses. Eva decide morar ali. Na cela da Delegacia de Furtos de Veículos, João canta a valsa rancheira "O Presidiário". Advogado consegue um habeas corpus. Na casinha, Veridiana propõe que ele fuja e ele pensa que podia voltar com muito dinheiro.
João vai para o interior do estado e consegue trabalho num bolicho-rancho depois de consertar o caminhão do dono, Quincas, que vive ali com a mulher Noca e os quatro filhos pequenos. A dupla Zezinho e Julieta canta música natalina em festa. João vestido de Papai Noel entrega presentes para as crianças e canta "Sempre no meu coração". Flash de Veridiana na Redenção.
Se passaram cinco anos. Joãozinho e Chicão ensaiando com violão. O menino pede para a mãe aprender acordeon. Na escola, Veridiana ensina as operações matemáticas: somar, dividir. Chuva. Na casinha, Veridiana toca no acordeon "Ceia de lágrimas". No campo, João dirige um trator arando a terra.
Mais anos se passam. Na casinha Veridiana e Eva ouvem Joãozinho, agora com 19 anos, cantar "Triste madrugada". Mariano perde tudo na bolsa e tem mais um plano para fazer a filha esquecer de João e casar com Santino. Consegue com um amigo jornalista que estampe na capa do Diário de Notícias a manchete "Morte na saída do baile", com a foto de João de Souza. João no campo com o trator bate numa pedra. Ele escava e acha um baú com muitas barras de ouro. Imagina-se elegante, ele e Veridiana descendo escadas de um palácio. Quincas diz que o tesouro é de quem achar.
Mariano convence Veridiana a se casar com Santino. João se despede da família que o acolheu e ouve o conselho de Quincas: "Nunca faz nada sem pensar antes, nunca discute, nunca briga, nunca faz nada contra ninguém sem pensar antes". João vai embora e a cavalo, canta "Veridiana".
Em Porto Alegre, João vai até o Banco do Estado, conversa com Gerente. Depois compra uma casa e um carro Dodge. João volta à sua casinha e vê um homem abraçando Veridiana. João lembra do conselho ("faz nada contra ninguém sem pensar antes"). Veridiana: "Teu filho". Os três se abraçam. Na nova casa, Joãozinho canta. Chegam Mariano e Santino. João diz que podem passar amanhã para pegar o dinheiro para saldar as dívidas. João pega o violão, Veridiana pega a sanfona e com Joãozinho, Chicão e Eva cantam o samba "Mocinho bonito" e dançam felizes.

Ficha técnica


ELENCO
Teixeirinha (João de Souza),
Mary Terezinha (Veridiana),
Jimmy Pipiolo (Chicão),
Darcy Fagundes (Quincas), Roque Araújo Viana (Monteiro), Suely Silva (Eva), Carlos La Porta (Santino), Rejane Schumann (Verônica), Alex Lopes Garcia, Eli Estivatti, Elias Kalil Pocos, Silvia Cardoso, Zezinho e Julieta,
Alexandre Teixeira (Joãozinho menino), Teixeirinha Filho (Joãozinho jovem).
Não creditado: Geraldo Zaniratti (Gerente do Banco do Estado do RS).
Convidado especial: Antonio Augusto Fagundes (Advogado).
Participação especial: Edith Veiga (Esther).

DIREÇÃO
Direção: Pereira Dias.
Assistência de direção: Paulo Albuquerque.
Continuidade: Regina Helena.

ROTEIRO
História original: Vitor Mateus Teixeira [Teixeirinha].
Adaptação, diálogos, roteiro técnico: Pereira Dias.

PRODUÇÃO
Produção: Vitor Mateus Teixeira [Teixeirinha].
Direção de produção: Carlos Castilhos.
Assistência de produção: Pedro Dias Neto.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Ivo Czamanski.
Assistência de câmera: Pereira Dias Filho.
Ajudante de câmera: Paulo Germaniuk.

Eletricistas: Miguel Elias, Antonio Augusto Elias.
Maquinistas: Jorge Elias, Geraldo Miguel.

ARTE
Maquiagem: Marino Henrique (produtos Helena Rubinstein).

MÚSICA
Seleção de músicas incidentais: Pedro Amaro.

Músicas (ordem de inserção):
• "O Pobre João" (música, letra: Teixeirinha; valseado) por Teixeirinha (voz) [créditos iniciais] [LP: Doce amor / Vejo o nosso amor no fim, 1970; faixa B6]
• "Triste madrugada" (música, letra: Teixeirinha; canção) por Teixeirinha (voz, violão) [LP: Teixeirinha no cinema, 1966; faixa A5]
• "Pobre rico de amor" (música, letra: Teixeirinha; xote) por Teixeirinha (voz, violão) [LP: Disco de ouro, 1966; como Pobre e rico de amor; faixa A5]
• "O Presidiário" (música, letra: Teixeirinha; valsa rancheira) por Teixeirinha (voz) [LP: Doce amor / Vejo o nosso amor no fim, 1970; faixa A1]
• "Festa de fim de ano" (Bruno Neher, Leonir) por Zezinho (voz, acordeon) e Julieta (voz, violão)
• "Sempre no meu coração" ["Always in my heart"] (música: Ernesto Lecuona, letra: Kim Gannon, letra brasileira: Mário Mendes; foxtrot, em tempo de valsa) por Teixeirinha (voz, violão) e Coro infantil [LP: Num fora de série, 1971; faixa B4]
• "Papai Noel" (música, letra: Teixeirinha; toada) por Teixeirinha (voz) [trecho] [LP: Última tropeada, 1968; faixa A1]
• "Sempre no meu coração" [reprise, trecho]
• "Ceia de lágrimas" (música: Alberto Calçada; valsa) por Mary Terezinha (acordeon) [LP: Mary Terezinha, 1973; faixa B5]
• "Triste madrugada" (música, letra: Teixeirinha; canção) por Teixeirinha Filho (voz, violão) [trecho inicial]
• "Veridiana" (música, letra: Teixeirinha; rasqueado) por Teixeirinha (voz) [LP: Sempre Teixeirinha, 1973; faixa B1]
• "Mocinho bonito" (música, letra: Teixeirinha; samba) por Teixeirinha Filho (voz, violão) [trecho]
• "Mocinho bonito" (música, letra: Teixeirinha; samba) por Teixeirinha (voz, violão) e Mary Terezinha (voz, acordeon) [LP: Sempre Teixeirinha, 1973; faixa B5]

FINALIZAÇÃO
Montagem (não creditado): Pereira Dias.

Técnico de som: Paulo Perrota.
Mixagem: Orlando Macedo.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Película: Kodak Eastmancolor.
Laboratório de imagem: Rex Filme (São Paulo).
Estúdio de som: Odil Fonobrasil (São Paulo).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Teixeirinha Produções (Porto Alegre).

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Brigada Militar 1º BPM Batalhão de Polícia Militar, dr. Luciano Castillo, sr. José Inario Echel, sr. Tita Barcelos, Garagem Super Fuca, sr. João Bernabel, sr. Eugênio Zanini, sr. Alberto Schmidt.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:51:57
Metragem: 3.110 metros
Número de rolos:
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela: 1.33
Formato de captação: 35 mm
Formatos de exibição: 35 mm
Tiragem (DVD): AA001000.

DIVULGAÇÃO
Cartaz: Desenho: João Mottini.
Release: Lauda com timbre de Teixeirinha Produções, datilografada com equipe artística e técnica (Acervo P. F. Gastal-Biblioteca Central PUCRS).

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: Livre.
Distribuição em Recife: Art Films.
Distribuição em São Paulo: Ouro.
VHS: Distribuição: São Paulo: Reserva Especial, [199?].
DVD: Distribuição: Fundação Teixeirinha DRS2686. Autoração: 16 nov 2012. Sem extras nem encarte. Produção: Teixeirinha Produções Artísticas. Recuperação: Fundação Vitor Mateus Teixeira. Patrocínio BR Petrobras. Lei de Incentivo à Cultura / Ministério da Cultura / Governo Federal; Fundação Teixeirinha. Capa: adaptação do cartaz original com desenho de Mottini.
Contato: Fundação Vitor Mateus Teixeira.
DVD disponível no IECINE.

OBSERVAÇÕES
Cartaz: anúncio em fotomontagem em jornal de 7 abr 1975.
Chamadas em anúncios no Diário de Pernambuco: "Teixeirinha no seu melhor papel / Uma terna estória de amor, entremeada das mais românticas criações de Teixeirinha".
Frase nos anúncios em Diário de Pernambuco: "Novo e espetacular filme!".
Custo: Cr$ 335.000,00 "excluídos a remuneração do trabalho do produtor, da sua atuação, do guarda-roupa e dos automóveis (...) nem o equipamento de filmagem, que Teixeirinha possui" (Nice AMARAL, "Vem aí Pobre João", 1º abr 1975).
Renda de abril a dezembro de 1975: Cr$ 2.210.087,96 com 600.967 espectadores.
Na estreia, segundo anúncio de jornal de 7 abr 1975, "Teixeirinha, Mary Terezinha e os demais artistas do Pobre João, estarão presentes na sessão das 20h no cine Victoria e às 21h30 no cine Rey".
Os títulos das músicas não estão creditados, apenas os autores.
Teixeirinha Produções: Rua dos Andradas, 1.137, conj. 1602.

Títulos alternativos: Meu pobre João
Grafias alternativas: Carlos Castillo | Dr. Antonio Augusto Fagundes | Alex L. Garcia | Elias Pocos | Rejanne Schumann | Alexandre Brum Teixeira | Victor Matheus Teixeira (para pai e filho) (cf. créditos)
Nomes completos: Pedro Pereira Dias Neto
Grafias alternativas (funções): Maquilage

DISCOGRAFIA
LP: Trilha sonora do filme Pobre João e outros sucessos de Teixeirinha e Mary Terezinha. Ver: Discografia RS
Ver Discografias: Teixeirinha + Mary Terezinha.

BIBLIOGRAFIA
Guia de filmes. Rio de Janeiro, jul-dez 1976, p.87, ano X, n.64-66.
ROSSINI, Miriam de Souza. Teixeirinha e o cinema gaúcho. Porto Alegre: FUMPROARTE-Secretaria Municipal da Cultura-Prefeitura de Porto Alegre, 1996. 238p. il.
LOPES, Israel. Teixeirinha – O gaúcho coração do Rio Grande. Porto Alegre: EST Edições-Fundação Vitor Mateus Teixeira, 2007. 215p. il.
FEIX, Daniel. Teixeirinha – Coração do Brasil. Porto Alegre: Diadorim Editora, 2019. 249p. il.

Noticiário:
Teixeirinha prepara um novo filme: Pobre João. Correio do Povo, Porto Alegre, 2 out 1973.
Teixeirinha ataca de pobre. Zero Hora, Porto Alegre, 7 abr 1975.
BECKER, Tuio. Quando ser povo envergonha. Correio do Povo, Porto Alegre, 10 abr 1975.
B., T. [Tuio BECKER. Pobre João de Pereira Dias com Teixeirinha e Mary Terezinha. Correio do Povo, Porto Alegre, 3 jun 1976?
Anúncio. Diário de Pernambuco, Recife, 7 jul 1976, Segundo Caderno, p.8 [BN, p.22], ano 151, n.181.
Anúncio. Diário de Pernambuco, Recife, 8 jul 1976, Segundo Caderno, p.8 [BN, p.22], ano 151, n.182.
Anúncio. Diário de Pernambuco, Recife, 9 jul 1976, Segundo Caderno, p.8 [BN, p.24], ano 151, n.183.

Exibições


• Porto Alegre (RS), Victoria,
7-13 abr 1975, seg-dom, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

• Porto Alegre (RS), Rey,
7-13 abr 1975, seg-dom, 19h30, 21h30

• Porto Alegre (RS), Rio Branco,
7-13 abr 1975, seg-dom, 19h45, 21h45

• Porto Alegre (RS), Colombo,
7-13 abr 1975, seg-dom, 15h, 19h45, 21h45

• Porto Alegre (RS), Teresópolis,
7-13 abr 1975, seg-dom, 20h

• Porto Alegre (RS), Miramar,
7-13 abr 1975, seg-dom, 20h

• Caxias do Sul (RS), Cine Teatro Real,
30 maio-5 jun 1975, sex, 20h15, sab, dom, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h15
6-12 jun 1975, sex, 20h15, sab, 20h, 22h, dom, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h15

• Curitiba (PR), Cine Ópera (R. das Flores), 29 out-1º nov 1975, qua-sab, a partir das 14h
[Diário da Tarde não informa a programação diária neste período]

• Porto Alegre (RS), Talia, 6 jun 1976?

• Recife (PE), Art Palácio (R. da Palma), 7-9 jul 1976, qua, 12h50, 15h, 17h10, 19h, 21h30, qui, sex, 13h30, 15h30, 17h30, 19h30, 21h30
[cf. anúncios; 'Cartaz do Dia' informa 14h10, 16h, 17h50, 19h50, 21h30 e mantém até 11 jul, dom, o que é desmentido por anúncios que informam a partir de 10 jul, uma reprise de Os Dez Mandamentos]

• São Paulo (SP), 30 ago 1976, seg

• Caxias do Sul (RS), Guarani, 18 mar 1978, sab, 20h, 22h

• Porto Alegre (RS), 10 anos sem Teixeirinha [5-10 dez], Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 10 dez 1995, dom, 15h

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Pobre João. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/178/pobre-joao. Acesso em: 22 de fevereiro de 2024.