Sirius (2023)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
cor, 103 min

Direção: João Carlos Cembranel.
Companhia produtora: Rio Uruguai

Primeira exibição: Punta del Este (UY), 16º Festival Internacional Cine del Mar [12-16 jul]-Novedades, Espacio Cultural Gorlero (ex Estación ANCAP, Av. Gorlero y Calle 30, Las Focas) Sala 2, 15 jul 2023, sab, 15h30
Primeira exibição RS:

 

Sirius é o nome da estrela mais brilhante do céu, sendo visível a olho nu, durante todas as noites. Neste filme, Sirius também é o nome do protagonista da história, um alienígena natural de um planeta homônimo, que veio para a Terra há algumas centenas de anos. Apesar da ligação com as estrelas, ele carrega as feições humanas, sendo semelhante a um homem comum, alto, magro e negro. A fim de esconder sua real identidade, o cidadão sobrevive de modo discreto e anônimo, como um simples vendedor de pães na cidade de São Borja, fronteira oeste do Rio Grande do Sul. A narrativa se passa em 1969, na mesma semana em que a humanidade aguarda pelo desembarque da espaçonave Apollo 11 na superfície da Lua.
Quem descobre a existência desse misterioso ser em território gaúcho é Angela, uma jovem estudante normalista, que pensa em seguir a carreira religiosa. Ela pede ajuda a Sirius num momento de extrema dificuldade, após encontrar a mãe desacordada na cozinha de sua casa. Acionado de modo inesperado, em plena rua, o extraterrestre consegue salvar a vida da idosa, prestes a morrer vítima de uma descarga elétrica. Muito agradecida pelo milagre, Angela passa a se interessar cada vez mais pelo vizinho, que aceita compartilhar a sua trajetória de vida para aplacar um pouco da solidão diária que sente. Desse encontro entre seres muito diferentes, surgem reflexões sobre a existência humana e o universo.
O enredo demonstra conexão com a famosa Teoria dos Antigos Astronautas, proposta por Erich Von Däniken na década de 1970. Segundo a linha de raciocínio defendida por Däniken, os nossos antepassados teriam sido visitados por seres do espaço desde sempre. A ponto desses extraterrenos terem sido fundamentais para o avanço da civilização como um todo, ocupando um papel comparável ao dos deuses das variadas religiões. Dentro desse contexto, o primeiro contato entre um habitante do planeta Sirius e um terráqueo é citado como tendo acontecido no Vale do Tilemsi, na África, por volta de 5.000 a.C. O roteiro de Cembranel, no entanto, faz uma leitura negativa dessa interação, sugerindo que a espécie humana possa ter contribuído para a destruição do planeta Sirius, posteriormente.
As conversas entre Sirius e Angela geram esse interessante debate: enquanto o ET destaca o apego da espécie humana por conflitos, guerras ou pela própria autodestruição (a ponto de não cuidar de seu próprio planeta natal), a jovem sustenta que os habitantes da Terra também são dotados de bons valores, como o amor, a amizade, a empatia e a solidariedade. Enquanto eles tentam chegar a um consenso sobre suas visões de mundo, a trama envereda por caminhos mais extraordinários, como imaginar uma suposta busca pelo médico nazista Josef Mengele (1911-1979) em São Borja. Ao mesmo tempo, o pai de Angela se envolve em outra trama pitoresca: receber o advogado do ex-presidente brasileiro João Goulart (1919-1976) na cidade, em tempos de ditadura militar.
O diretor João Carlos Cembranel é formado em Direito pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade Federal de Santa Maria (1992) e fez mestrado em Direito Civil pela Universidad Nacional de Rosario (Argentina). Foi professor universitário da Faculdade de Direito da Universidade de Ijuí (1995-1997). Advogado militante desde 1992, mora em São Borja e tem artigos e livros publicados nas áreas de direito e poesia. Possui ainda experiência em fotografia e produção cinematográfica, sendo Sirius o primeiro longa-metragem da sua empresa, a Rio Uruguai Produções Culturais.
Em entrevista ao radialista Deco Almeida, Cembranel comentou que um dos principais motivos para a realização do filme foi dar uma oportunidade de trabalho para a filha, Bárbara Cembranel. Graduada em Artes Cênicas pela UFSM Universidade Federal de Santa Maria, ela interpreta a curiosa Angela. Por sua vez, o protagonista Sirius é interpretado por um ator não profissional, o imigrante Assion Soustene Amoussou. O projeto mobilizou a comunidade local, engajando muitos artistas e técnicos são-borjenses. Foram utilizados equipamentos de ponta, como a câmera Cannon 7D. Sobre suas expectativas, o diretor comentou: "Espero que sirva de alavanca profissional à minha filha Bárbara; que a mensagem do filme seja transmitida e bem recebida, porque é uma mensagem muito forte; que milhares de pessoas assistam". A estreia aconteceu no Festival Internacional Cine del Mar, em Punta del Este (Uruguay).

Sinopse


Em julho de 1969, enquanto a espaçonave Apollo 11 ruma em direção à Lua, Angela, uma estudante normalista da cidade de São Borja faz amizade com Sirius, um estranho morador local. O indivíduo se revela um extraterreste do planeta Sirius, que salva a vida de sua mãe após ela sofrer um acidente doméstico. O relacionamento entre Angela e Sirius é marcado pela curiosidade e desconfiança, na medida em que ambos são muito diferentes entre si. A moça estuda em uma instituição católica e tem fé em Deus, enquanto o alienígena é um ser vivo com todo um outro conjunto de sabedorias e experiências.

Ficha técnica


ELENCO
Assion Soustene Amoussou (Sirius), Bárbara Cembranel (Angela),
Luiz Fernando Juchem (Antônio), Laura Gusson (Estér), José Benitez Mugarte Gonçalves (Lobisomem).
Ordem de entrada: Deme Sek (Caçador), Abdul Aziz (Alienígena), Zenildo Gasparetto (Jornaleiro), Kadima Kebe (1º ciclista), Kika (2º ciclista), Natalino Cembranel (Cliente), Bernardino Fendt Ferreira (Jovem passante), Maria Eduarda Falcão (Estudante), Ciro Ramos Lopes Nunes (1º mateiro), Vantair Champ (2º mateiro), Daniel Rocha (Leitor do jornal), Alexandra Carpes Soler (1ª aluna), Tainá Krause Rietjens (2ª aluna), Gabriela Pitrovski da Cunha (3ª aluna), Neli Figueredo da Silva (Irmã Matildes), Flávio Campos Sartori (Libório), Laila Viana Gonçalves (Esposa), Sadenir da Silva (Marido), Aislan Colpo (1º tratorista), Clayrton Pedroso da Fontoura 'Catito' (advogado Dr. Danilo), Gilberto Luiz Locatelli Guerra (Sargento Guerra), Antônio Cairon Camargo Soares (Soldado), Leonir Frizon (Piloto), Fernando Falcão (Luizinho), Maria Madalena Pletsch Cembranel (Bilheteira), Jorge Luís Rodrigues Lossalda (1º espectador), Jociele Fernandes Prestes (2º espectador), Berenice Dias (Pipoqueira), Iê-iê (3º espectador), Fernando Souto (Zé do Déca), Roberto Z. Martins (Porteiro), Cairo Camargo (Passageiro), Luis Alberto Kullmann (1º homem de preto), César Augusto Girelli (2º homem de preto), Antônio Aldair Sortica Bock (1ª criança), Andrei de Almeida Aquino (2ª criança), Delvair Inês Rockembach (Cliente do fotógrafo), Jordi Guasso (Fotógrafo), Jordana Guasso (Auxiliar do fotógrafo), Thiago Messa (Vendedor de rua), Rodrigo Carpes de Moraes (Passante), José Celeste Farias (2º tratorista), Ismael Mota Leces (Menino no trator), Jackson Iankowski da Silva (1º cliente do bar), Nei Pires (2º cliente do bar), Joicemar G. Carpes (3º cliente do bar), Vitor Migotto (Enfermeiro), Márcio Bonfá (Doutor), Cléia Wertonge (1ª enfermeira), Jackeline Riquelme Dornelles (2ª enfermeira), Andrei Welter (Padre).
Dublê: Rodrigo Carpes de Moraes.
Voz no colégio: irmã Rosângela Donini.
Vozes no rádio: João Carlos Cembranel, Maria Madalena Pletsch Cembranel.

DIREÇÃO
Direção: João Carlos Cembranel.
Preparação de elenco: Rodrigo Goulart.

ROTEIRO
Roteiro: João Carlos Cembranel.

PRODUÇÃO
Produção de set: Aparício Camargo das Neves.
Assistência de produção de set: Afonso Cardoso de Melo.
Marceneiro: Leandro Seidl.
Transportador e montador: Ronaldo Sommer Juchem.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia e operação de câmera: João Carlos Cembranel.
Primeira assistência de câmera: Natalino Cembranel.
Auxiliares: Cairon Camargo, João Henrique, Maria Eduarda Ferrão, Rafael Guilet de Deus.
Operação de steadicam: João Carlos Cembranel.
Equipe de iluminação: Andrei Welter, Bruna Lencina Soares.
Eletricista: Tiago Oliveira Dornelles.

ARTE
Direção de arte: João Carlos Cembranel.

Figurino: Victória Kubaski Gattiboni.
Primeira costureira: Maria Ione Camargo Soares.
Segunda costureira: Roselaine Fernandes Mendes.

Maquiagem e cabelo: Carla Matoso Corrales.
Maquiagem criativa: Miguel Scalco.

SOM
Som direto: Ítalo Bicca.
Primeira assistência de som: Otávio Tinoco.
Segunda assistência de som: Vitor Migotto.
Auxiliares: Anderson Prestes, Gabriela Paim, Jhandrei Dias Nunes, Kika, Miguel Rodrigues, Pedro Mazzuco Juchem, Renata Hoefling Neves.
Técnico de som: João Carlos Cembranel.

MÚSICA
Músicas:
• "Canon in d major" (J. Pachelbell) por Felipe Goulart e Marcelo Antunes, arranjo: Felipe Goulart, Marcelo Antunes
• "Milho verde" (música folclórica portuguesa) por Bárbara Cembranel e Marcelo Antunes, arranjo: Felipe Goulart
• "Some boat" (Josh Woodward) por Josh Woodward // Free download: http://joshwoodward.com / Cortesia: Creative Commons
• "Casinha pequenina" (música, letra: Bernardino Belém de Souza) por Nara Leão
• "Quando me encontro" (João Carlos Cembranel) por Vinícius Ribeiro, arranjo: Felipe Goulart
• "Like a child" (Tony Anderson) por Tony Anderson // Cortesia: MusicBed
• "To be free" (Projeto Hyper) por Marcos Ludwig, Simone Carvalho, Pedro Verissimo, Charles Di Pinto, André Parizzi, Leandro & Adriano, Luciana Aranda, Nahuel Grevet & Antonio Navarro // Cortesia: Charles Di Pinto

ARQUIVO
Imagens de arquivo da TV: CBS Coverage of Apollo 11 lunar landing & Neil Armstrong – First moon landing, CBS Interactive Inc. (All rights reserved).

FINALIZAÇÃO
Direção de edição: Ítalo Bicca.
Edição final: Filipe Barros.
Decupagem: João Carlos Cembranel.

Edição de VFX: Pedro de Lima Marques.
Colorista: Filipe Barros.
Consultoria de cor: Christian Ludtke, Evandro Rigon.

Desenho de som: Augusto Stern, Fernando Efron.
Foley: Augusto Stern.
Técnicos de gravação de foley: Fábio Baltar Duarte, Guilherme Cássio, Cleverton Borges.
Edição de ambientes: Fábio Baltar Duarte.
Edição de som: Augusto Stern.
Mixagem: Fernando Efron.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Montagem: DTL Filmes.
Estúdio de efeitos visuais: Forno FX (Porto Alegre).
Tratamento de imagem: Onda Finalização.
Estúdio de pós-produção de áudio: Bunker Sound Design (Porto Alegre).
Estúdio de check mix: TECNOPUC TECNA (Viamão).

Making of: DTL Filmes.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Rio Uruguai (São Borja).
Apoio cultural: CIAGRO Comércio, Importação e Exportação de Produtos Agropecuários Ltda.; Imembuy S.A.; Secretaria da Saúde do Município de São Borja.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Adson Sides, Aeroclube de São Borja, Anderson Pereira, Anderson Vargas de Vargas Wolfart, André Falcão, ANVISA, Asilo São Francisco de Borja, Assis Lencini, Astor Bhon, Augusto de Lima, Auto Posto Integração, Bella Bicicletas, Britagem Progresso, Cabanha Boa Vista, Carlos Alberto Carloto, Chris Stimson, Claudir Brasil Garcia, Colégio Sagrado Coração de Jesus, Dagoberto Assis Soares, Darci Wolmeister, Deco Almeida, Dejair Tomazzi, DUALCOM, Edson Schunk, Elisandra Wollmeister, Elói Ritter, Emerson Carvalho, Emiram Pereira da Cunha, Escritório Contábil Gasparetto, Eugênio Dutra, Evandro Finger, FEPAGRO, Foto Eleonora, Gilberto Alvarez da Costa, Guaraci Pletsch, Harlei Reck, Hotel Brasil, Igreja Matriz São Francisco de Borja, Iris Isoldi Bastian, irmã Fernanda Cerutti, irmã Francisca Cuminiki, irmã Maria Piovesan, Janete de Araújo, João Cunha, Joicemar Gabriel Carpes, Jonatan Hoffmann, Jones Possebon, José Arami Machado da Silva, José Luiz Gattiboni, José Luiz Machado, José Piegas, Juliano Streck, Jussara Inez Roso, Kerly Antonello Falcão, L. A. Kullmann, Laboratório Laboran, Letícia Barcellos, Liberato Fernandes, Loni Teresinha Weis, Lúcia Rockenbach, Luis Alderete, Luiz Antônio Carloto, Luiz Nedel, Márcia Streck, Marco Antônio Loguércio, Maria Regina da Rosa, Maria Rosane Carvalho Vaz, Maria Sara Souza dos Santos, Mário Carlos Rocha Almeida, Marion Velasco Rolim, Matheus Tambosi Possebon, MECAL, Mirondi Perônio Côgo, Moacir Carazzo, Net Vídeo Produções, Neuza Terezinha Ortiz Machado, Paróquia Imaculada Conceição, Parque Estadual do Espinilho, Patric Martins, Ponto Impresso, padre Irineu Machado, padre Liandro Santiago Francisco, Prefeitura Municipal de São Borja, Roque Miguel Figueira de Paulo, Rossini Rodrigues, ROTA Smart, Sidnei Mallmann, Sônia Maria Pereira da Silva Vieira, Solange Diatel da Trindade, SULGRAF, Tanira Silva Rillo, Teresinha Aparecida, Terezinha Falcão, Terra Vídeo, Vera Bastian, Vera Lúcia Machado Greff.

FILMAGENS
Brasil / RS, em São Borja.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:42:50
Som: Dolby Stereo
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:

DIVULGAÇÃO

PREMIAÇÃO
• 16º Festival Internacional Cine del Mar 2023: mejor película ibero-americana (premio del público).
• 1º Festival de Sorocaba 2023: menção honrosa longa-metragem brasileiro.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
Contato:

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos e/ou acontecimentos da vida real passados, presentes e/ou futuros terá sido mera coincidência. // 2022 – Rio Uruguai – Todos os direitos reservados / www.riouruguai.com.br //

Grafias alternativas: Assion Soustene Amoussou (i) e Assion S. Amoussou (f) | Luiz F. Juchem (i) e Luiz Fernando Juchem (f) | Maria M. P. Cembranel e Maria Madalena Pletsch Cembranel | Sol de Outubro [pseudônimo de João Carlos Cembranel – em Direção de fotografia e câmera] | J. C. Cembranel | Pedro Marques | Christian Lüdtke | Fábio Baltar
Grafias alternativas (funções): por ordem de aparição | Designer de figurino | Artista de foley

DISCOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA
ALMEIDA, Deco. Um filme com o nosso sotaque. Deco Almeida, 14 abr 2022.
[https://decoalmeida.com.br/um-filme-com-nosso-sotaque/]
ALMEIDA, Deco. Três perguntas. Deco Almeida, 28 abr 2022.
[https://decoalmeida.com.br/tres-perguntas-12/]
ALMEIDA, Deco. Empreendido por Cembranel. Deco Almeida, 8 nov 2023.
[https://decoalmeida.com.br/empreendido-por-cembranel/]

Exibições


• Punta del Este (UY), 16º Festival Internacional Cine del Mar [12-16 jul]-Novedades, Espacio Cultural Gorlero (ex Estación ANCAP, Av. Gorlero y Calle 30, Las Focas) Sala 2, 15 jul 2023, sab, 15h30

• Sorocaba (SP), 1º Festival de Sorocaba [nov; online], nov 2023

Arquivos especiais


João Carlos Cembranel, muito faceiro com a conclusão do seu filme que é genuinamente são-borjense. Foram meses de filmagens usufruindo de nossa paisagem tanto na cidade como no interior. Sirius é um longa-metragem independente assinado pela Rio Uruguai Produções Cinematográficas. É um bem traçado drama com uma hora e quarenta e três minutos de duração e se passa em 1969 no Nhu Porã. Diz Cembranel, que a película este ano participará de festivais de cinema nacional e internacional. [ALMEIDA, Deco. Um filme com nosso sotaque. Deco Almeida, decoalmeida.com.br, 14 abr 2022]

O advogado João Carlos Cembranel, produtor executivo concluiu os set de filmagens do filme Sirius, que é essencialmente são-borjense. A obra vai participar do Festival de Cinema de Gramado e outros do país. É um longa-metragem dos mais movimentados com a maioria dos atores sendo são-borjenses.

Deco – O que levou a produção de um filme?
João Carlos – Minha filha. Estava em casa pensando em como eu poderia, como pai, ajudar minha filha quando ela se formasse em Artes Cênicas, já que seu objetivo era ser atriz. Aí pensei: “Vou fazer um filme para quando ela se formar ela ter um longa para poder mostrar seu potencial e apresentar no seu currículo”. E com a graça de Deus fizemos, eu e todas as pessoas que ajudaram no projeto.

Deco – Qual o conteúdo?
João Carlos – É um drama. Se passa entre o lançamento da Apolo 11 e a chegada a Lua, ou seja, em uma semana. Retrata o relacionamento de uma jovem normalista de férias em Nhu-porã e um misterioso morador da vila.

Deco – O que você espera dessa obra genuinamente local?
João Carlos – Espero que (1) sirva de alavanca profissional à minha filha Bárbara, (2) que a mensagem do filme seja transmitida e bem recebida, porque é uma mensagem muito forte, e (3) que milhares de pessoas assistam.
ALMEIDA, Deco. Três perguntas. Deco Almeida, decoalmeida.com.br, 28 abr 2022.

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Sirius. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1816/sirius. Acesso em: 22 de fevereiro de 2024.