Contrabando (2023)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
cor-pb, 70 min

Direção: João Pedro Gottardo.
Companhia produtora: Emerson Gottardo Produções; Coletivo Cultural Fronteira

Primeira exibição: Sorocaba (SP), 1º Festival de Sorocaba [nov; online], nov 2023
Primeira exibição RS

 

Mistura de aventura, drama e musical, Contrabando aborda as tensas relações que se estabeleceram em um passado não tão distante, nas regiões costeiras de países latino-americanos como Brasil, Argentina e Uruguay. O filme é sobre a ação dos "chibeiros", termo associado a pequenos contrabandistas que transportam ilegalmente mercadorias de um território para o outro. Muitas vezes esquecidos pela História oficial, hoje esses indivíduos estão sendo reabilitados como peças fundamentais que garantiram a formação dos povos originários e fronteiriços do Rio Grande do Sul. Sua principal contribuição foi garantir a subsistência de muitas famílias ameaçadas pela escassez de alimentos, em tempos de pesadas restrições econômicas.

O protagonista da história é Daniel, um contrabandista de farinha de trigo que perambula entre as nações, ávido por fazer negócios e também tentar encontrar o seu lugar no mundo. Durante suas andanças, ele se apaixona por Helena, a filha de um bolicheiro. O protagonista recebe ainda a ajuda do amigo Santiago, que participa de diversas travessias de barco ou de carro ao seu lado, sempre carregando itens escondidos no interior de sacos. Em função do êxito da atividade clandestina, a Gendarmeria (polícia de fronteira da Argentina) escala o General Gutierrez, um militar de perfil rígido, para interromper os negócios ilícitos, colocando em risco a vida dessas pessoas. Inspirado em fatos reais, o roteiro agrega também diversos causos e canções que compõem a mitologia costeira do Rio Uruguai.

A maior parte do elenco foi composta por não atores. Emerson Gottardo, intérprete de Daniel, é um artista missioneiro mais lembrado por sua atuação como cantor, instrumentista e compositor, vencedor de diversos festivais de música nativista. Com mais de 30 anos de carreira e três discos gravados, é um defensor da preservação da cultura missioneira. O antagonista militar foi feito por um ator profissional: o porto-alegrense Guilherme Suman, que adota um forte sotaque portunhol fronteiriço. Outro destaque é a atriz de teatro Cinara Marquete, que interpreta uma benzedeira, figura arquetípica que utiliza saberes ancestrais e o poder das mãos para promover curas milagrosas.

A música, tanto diegética quanto extradiegética, possui um papel crucial na narrativa. Ao longo da projeção, podem ser escutados ritmos variados como tango, chamamé, milongas e zambas. Nomes emblemáticos do cenário nativista estão presentes na trilha sonora, como César Oliveira e Rogério Melo, Zulmar Benitez, Halber Lopes e Tomé München.

O Rio Uruguai acaba sendo um personagem. Nascido entre os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, é visto como um signo ideológico, que expressa valores como a luta pela sobrevivência, a solidariedade entre os indivíduos e a conexão com a natureza. Um trabalho de conclusão de curso, defendido por Lindalva Siqueira na UFFS Cerro Largo (Rio Uruguai como signo ideológico: a vida sobre as águas) abordou o tema.

Outro aspecto interessante é o fato de Contrabando ter sido elaborado a partir de uma construção coletiva, envolvendo as comunidades costeiras da região noroeste e das Missões do Rio Grande do Sul. Isso porque um corte primário de 40 minutos foi exibido em 8 localidades, a fim de obter maior subsídios por parte dos próprios ribeirinhos. Posteriormente, exibições públicas e gratuitas da versão final também foram realizadas, reunindo um público aproximado de 6.000 pessoas. Atividades paralelas posteriores envolveram ainda apresentações musicais e debates. Professores passaram a usar o filme como um instrumento educacional para abordar estudos fronteiriços, diversidade linguística, cultura e folclore gaúcho.

Contrabando é um lançamento do Coletivo Cultural Fronteira, uma empresa que atua desde 2017 na produção cinematográfica fora dos grandes polos de produção. As filmagens aconteceram em localidades como Porto Mauá, Porto Vera Cruz, Pirapó, Cerro Largo e Porto Xavier, próximas da fronteira com a Argentina. Cenários como um bolicho real, em Guarani das Missões, foram aproveitados. O projeto foi realizado através do Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, da Fundação Marcopolo, financiado com recursos da Lei nº 14.017/20 – a Lei Aldir Blanc. Trata-se do primeiro longa de João Pedro Gottardo, jovem natural de Uruguaiana que estudou cinema na UNILA Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Em seu currículo, constam curtas-metragens como Planeta Bar (2016) e Alzira (2019).

Sinopse


Na década de 1970, homens arriscam a vida cruzando as fronteiras de países como Brasil e Argentina, transportando mercadorias ilegais. Chamados de chibeiros, são pequenos contraventores que carregam itens como comida, farinha, graxa, sabão, azeite, rádios e armas. Seu objetivo é garantir o sustento de inúmeras famílias asfixiadas por restrições econômicas. Determinado a terminar com o comércio clandestino, um rígido oficial argentino inicia uma intensa caçada pela região marítima, para capturar os contrabandistas.

Cf. cartelas finais: // Apesar de relutar contra sua profissão durante longa parte da vida, Daniel se aposentou da atividade somente após fraturar a coluna fugindo da Gendarmeria Argentina. / O general no qual Gutierrez é inspirado, foi assassinado em uma vingança organizada por chibeiros. O governo argentino construiu um monumento em sua homenagem. / A atividade do chibo continua alimentando famílias e comunidades fronteiriças de pequenas localidades. //

Cartela final: // "Um rio não tem fronteiras pra quem faz dele seu lar". – Carlos Omar Villela Gomes. //

Ficha técnica


ELENCO
Emerson Gottardo (Daniel),
Tomé München (Santiago),
Guilherme Suman (General Gutierrez),
Adilson Irineu (Tio Telmo), Cinara Marquete (Benzedeira), Dado Silva (Jesuíno Silva), Luis Carlos Rossato (Padre Geraldo),
Pedro Afonso Trapp (Daniel – avô), Nadine Lazzaretti (Helena), Gilmar Fioravanti (Bergoglio), Homero Fioravanti (Gonzalez).
Participação especial: César Oliveira (Adão Lopes), Rogério Melo (Celestino Lopes).
Luis Nunes (Guido), Gugu Gaiteiro (Antônio – neto), Will (Telmo – jovem), Jota Flores (General Gutierrez – pai), Guilherme Segat Grutzmann (Gutierrez – criança), Gustavo Silva (Comprador do galo), Thiago Suman (Radialista), Tiago München (Gaiteiro), Zulmar Benitez (Vilonista), Halber Lopes (Violonista), Matheus Seibert (Motorista), Uhtarõ Marcivaldo Tuyuka (Barqueiro), Cleber Tobias Magalhães (Jogador de dominó), Tobias Vicente (Vendedor de abóboras), Vera Maria de Castro Silveira (Helena – avó), Elmo Seibert (Mestre churrasqueiro), Larize Antunes (Jogadora de truco), José Krewer (Carroceiro), Davi München (Santiago – infância), Frantchesco Gottardo (Daniel – infância).

DIREÇÃO
Direção: João Pedro Gottardo.
Assistência de direção: Gabriel Ramos, Lucas Arenhardt.
Preparação de elenco: Guilherme Suman, João Pedro Gottardo.

ROTEIRO
Argumento: Carlos Omar Villela Gomes.
Roteiro: João Pedro Gottardo, Carlos Omar Villela Gomes, Guilherme Suman, Gabriel Ramos.
Prosa poética: Carlos Omar Villela Gomes.
Storyboard: Lucas Arenhardt.

PRODUÇÃO
Produção (não creditados): Emerson Gottardo, Luis Carlos Rossato.
Produção executiva: Emerson Gottardo.
Direção de produção: Emerson Gottardo, Gilmar Fioravanti, Luis Carlos Rossato.
Pilotos de barco: Edenir Piva, João Jurandir de Almeida 'Nitão', Dario Vorpagel.

Elaboração de projeto: Luis Carlos Rossato, Caroline Schreiner, Pedro Gottardo, Marcel Tizzoti / Coletivo Cultural Fronteira.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Klaus Benevenuto, João Pedro Gottardo.
Operação de câmera: João Pedro Gottardo, Luan Mancini, Elton Snitowski.
Primeira assistência de câmera: Luan Mancini.
Segunda assistência de câmera: Lucas Arenhardt.
Terceira assistência de câmera: Guilherme da Silva, Vinicius Gabriel Gottardo.
Fotografia aérea: Cleber Tobias Magalhães.

Gaffer: Diego Amorim Teixeira.
Elétrica: Diego Amorim Teixeira.

Fotografia de cena: Marcieli Steinhorst, Jordana Fioravanti.

ARTE
Direção de arte: André Marques.

Figurino: Gilmara Fioravanti, André Marques.
Costureiras: Eneida Dresch, Luciane Beck, Lourdes Reschke.
Bordados e aviamentos: Daiana Engers Kutti, Paulo Kutti.

SOM
Som direto: Higor Malescha, Gustavo Silva, Tobias München, Tomé München.

MÚSICA
Trilha sonora: Duca Duarte, Halber Lopes, Tiago Rossato.

Músicas originais:
• "Lembranças" (Duca Duarte)
• "Corpo de rio" (Duca Duarte)
• "Acima do joelho" (Duca Duarte)
• "Pesadelo" (Duca Duarte)
• "Presságio" (Duca Duarte)
• "Puerto Guaraní" (Duca Duarte)
• "Espelho d'água" (Duca Duarte)
• "Nascente" (Duca Duarte)

• "Vamo atracando" (Halber Lopes, Emerson Gottardo) por César Oliveira & Rogério Melo
• "De prosa com o Uruguai" (Juca Moraes, Marcelo Carvalho)
• "Neste meu peito de rio" (Halber Lopes, Carlos Omar Villela Gomes)
• "Cantando a alma do rio" (Jander Fagundes, Carlos Omar Villela Gomes)
• "Corpo tierra" (Dilei Fioravanti, Emerson Gottardo)

Outras músicas:
• "Contrabando de amores" (Celito Gottardo)
• "A galope" (Tiago Rossato)
• "Nanderetá" (Jarbas Nadal)
• "Violeta" (Tiago Rossato)
• "Socando a Tabatinga" (Chico Salles, Jarbas Nadal)
• "Marrom madeira" (Gabriela Batoni)
• "Apocalipse" (Tiago Rossato)

FINALIZAÇÃO
Montagem: João Pedro Gottardo, Luan Mancini.
Assistência de montagem: Lucas Arenhardt.

Finalização e cor: João Pedro Gottardo.

Desenho de som: Duca Duarte.
Mixagem: Art Music Studio / Duca Duarte.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Assessoria jurídica: Advocacia Fioravanti.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Emerson Gottardo Produções (Cândido Godói).
Coprodução: Coletivo Cultural Fronteira (Santa Rosa).
Financiamento (BR/RS): Chamada pública SEDAC nº 12/2020. Edital Criação e Formação – Diversidade das Culturas. Parceria: Fundação Marcopolo – Iniciativas que transformam o futuro; SEDAC Secretaria de Estado da Cultura / Governo do Rio Grande do Sul – Novas façanhas na cultura; Lei Aldir Blanc Lei nº 14.017/2020 – Secretaria Especial da Cultura / Ministério do Turismo / Governo Federal – Brasil – Pátria amada. Responsável (pessoa jurídica): Emerson José Gottardo. Segmento: Audiovisual. Corede: Fronteira Noroeste. Cidade: Cândido Godói. Valor: R$ 50.000,00.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Cotrirosa, Cooperluz, Gilberto Menin, Igor Steinbrenner, Dario Vorpagel, Rosenilda da Rosa, Olimar de Lima, Associação Hospitalar Nossa Senhora dos Navegantes, Jonas Theis, Aline Sommerfeldt, Patrick Hartmann, Mozo Marques, Marcelo Martins, Sérgio Ademir Pereira, Luiz Marenco, Oriana Stiuv, Mariano Leonel Ramirez, Hotel Brasil, Pingo Center, Ana Paula Gottardo, Carlos Lopes, Jota Flores, Fabiola Dias, Claudio Polaczinski e família, Piquete Trago Largo, Gilberto Troian, Saulo Flores, Anderson Farias, Caturra Free Shop, André Alves, Herbert Borré, Wilton Soares Martins e Locall.

FILMAGENS
Brasil / RS, no Rio Uruguai; em localidades como Porto Mauá, Porto Vera Cruz, Pirapó, Cerro Largo, Porto Xavier, próximas da fronteira com a Argentina; em Guarani das Missões, num bolicho.
Período: maio de 2021. Gravações adicionais: 2023.

Finalizado em julho de 2023.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:09:59
Som:
Imagem: cor, trechos em pb
Proporção de tela: 1.96
Formato de captação:
Formato de exibição:
Legendas disponíveis: Português, español, english.

DIVULGAÇÃO
Making of.

PREMIAÇÃO
• 1º Festival de Sorocaba 2023: melhor filme nacional + direção nacional + figurino + maquiagem + desenho de som.
• COLIFFE 3. Coliseum International Film Festival, Roma 2023: melhor trilha sonora em filme internacional.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
Contato:

OBSERVAÇÕES
Títulos alternativos: The River song | Contrabando – Um filme costeiro
Grafias alternativas: Emerson Gottardo Prod. | Coletivo Cultural Fronteira e Coletivo Fronteira | Wilton Martins | Luis Rossato e Luis Carlos Rossato
Grafias alternativas (funções): assistente de fotografia | Fotografia still

DISCOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA
Contrabando – Revista digital. 30p. PDF encaminhado pela direção ao Portal.
SIQUEIRA, Lindalva. Rio Uruguai como signo ideológico: a vida sobre as águas. Cerro Largo: UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul, 202?. [TCC]

Noticiário:
Jornal do Almoço, RBS TV, 19 ago 2021.
[https://www.facebook.com/emersongottardo/videos/contrabando-um-filme-costeiro-gravado-na-fronteira-entre-o-brasil-e-a-argentina-/575032790336770/]
Contrabando tem pré-estreia nesta quarta. Guia Crissiumal, Crissiumal, 31 ago 2021.
[https://guiacrissiumal.com.br/noticias/31-08-2021-Filme-Contrabando-tera-pre_estreia-nesta-quarta.-Veja-trailer-do-filme]
Filme Contrabando oficialmente lançado. Site da Prefeitura de Porto Xavier, 13 set 2021.
[https://www.portoxavier.rs.gov.br/site/noticias/imprensa/63127-filme-%E2%80%9Ccontrabando%E2%80%9D-oficialmente-lancado]

Exibições


Versão com c.40 min:
• Porto Xavier (RS), Auditório da Assistência Social, 1º set 2021, qua (pré-estreia para convidados e imprensa)

• Porto Xavier (RS), Mirante do Porto, 11 set 2021, sab, 20h (estreia)

• Garruchos (RS), Praça Getúlio Vargas, 16 dez 2021, qui, 20h

• Cerro Largo (RS), IX Semana Acadêmica de Letras – Encontros reencontros [15-19 ago], UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Cerro Largo-Auditório Bloco Professores, 18 ago 2022, qui, 13h30, 19h30 (debate com diretor nas duas sessões)

• Santa Rosa (RS), CTG Sepé Tiaraju, 3 dez 2022, sab, 20h

Versão final:
• Sorocaba (SP), 1º Festival de Sorocaba [nov; online], nov 2023

• Lages (SC), 2º Festival de Cinema de Lages [17-26 nov]-Mostra Nacional, Centro Cultural Vidal Ramos Sesc Colégio Rosa, 22 nov 2023, qua, 17h

• Roma (IT), COLIFFE 3. Coliseum International Film Festival [6-13 dez]-Competition International Films,
Coliffe TV International, 6 dez 2023, qua, 12h14-13h24
Caffè Letterario (Via Ostiense, 95), 29 dez 2023, sex

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Contrabando. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1948/contrabando. Acesso em: 23 de junho de 2024.