República Guarani (1982)

Brasil (PR-RJ)
Longa-metragem | Não ficção
35 mm, cor-pb, 97 min

Direção: Sylvio Back.
Companhia produtora: Sylvio Back Produções Cinematográficas; Embrafilme Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Primeira exibição: São Paulo (SP), MIS Museu da Imagem e do Som, 6 abr 1982, ter (pré-lançamento)
Primeira exibição RS: Porto Alegre (RS) Cine Coral, 1º nov 1982, seg

 

Versão longa do média-metragem de mesmo nome lançado por Sylvio Back em 1979. O longa-metragem República Guarani é uma espécie de dramaturgia da entrevista reunindo uma série de vozes por vezes não identificadas (o que importa é o discurso). A trilha sonora é uma seleção do próprio diretor, o paranaense por adoção Sylvio Back (pois nasce em Santa Catarina). Entre as músicas selecionadas está o canto indígena "Axé-Guayaki", captado pelo antropólogo paraguaio Miguel Chase-Sardi. Para construir a obra, o diretor utiliza cenas do média-metragem Xetás na Serra dos Dourados, dirigido pelo antropólogo José Loureiro Fernandes com direção de fotografia do também antropólogo Vladimir Kozák. "A câmera de Kozák foi colhê-los numa espécie de terrível 'cemitério de elefantes' resistindo", disse Back sobre as imagens utilizadas em seu trabalho. A construção narrativa também se dá pelas entrevistas realizadas com pesquisadores da área, que nem sempre estão totalmente de acordo em suas visões. Antes de buscar relatar uma realidade única e unificadora, o documentário busca contrastar imagens, discursos e sons para levantar questionamentos sobre a História Oficial. No pressbook, Back questiona o que representaram as Missões: "Enquadramento harmonioso do índio americano? Uma sociedade 'comunista-cristã', algo assim como um elo perdido do socialismo nos trópicos? Único projeto pedagógico da Igreja bem sucedido entre povos primitivos, e por isso, retomado atualmente com novo formato? Uma sociedade alternativa que precisou transformar o índio em vassalo do rei da Espanha e trabalhador braçal para salvá-lo da maré assassina bandeirante?". República Guarani não é uma resposta, mas um amontoado de possíveis questões e interpretações de acontecimentos históricos até hoje tratados com muitos tabus.
Este filme foi um dos principais documentos levados pelo MEC para a UNESCO durante a tramitação do projeto para transformar as ruínas de São Miguel em patrimônio da humanidade. Dois raros depoimentos em imagem e som de intelectuais gaúchos: o santa-mariense Moysés Vellinho (1902-1980) e o mineiro Guilhermino César (1908-1993), radicado em Porto Alegre desde a década de 1940. Com apoio da Prefeitura de Santo Ângelo, República Guarani tem parte de suas imagens recolhidas naquela região.

Sinopse


Intercalação de imagens dos filmes Xetás na Serra dos Dourados e de Bandeirantes, com material iconográfico e visões das ruínas de São Miguel, Trinidad e San Ignacio Miní; com depoimentos, que se polemizam, explicando o papel dos jesuítas na construção da República Guarani dos séculos XVII e XVIII. A relação servil do índio guarani; a penetração jesuítica no território; o papel intermediário dos jesuítas entre os índios, forças de contenção do expansionismo português, e o reinado espanhol; os jesuítas contrários à escravidão mas dominados pelos colonialistas avessos ao cristianismo; a estrutura barroca na organização do espaço arquitetônico das reduções; a religião cristã assemelhada aos cultos guaranis como regulador cultural; as mudanças nas noções de espaço e de tempo como propulsores da aceitação passiva do novo sistema econômico e social; a aparente "comunicação" a encobrir o escravagismo e as formas de punição; as epidemias, os massacres e as fugas individuais que põem término à República Guarani; os últimos remanescentes guaranis, aculturados em Santa Catarina.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Bartolomeu Meliá, S.J. (jesuíta e antropólogo espanhol), Rafael Eladio Velázquez (historiador paraguaio), Juan Carlos Garavaglia (historiador argentino), Juan Villegas, S.J. (jesuíta uruguaio), Clovis Lugon (abade suíço), Maxime Haubert (historiador e antropólogo francês), Moysés Vellinho (historiador brasileiro), Guilhermino César (historiador brasileiro), Ernesto J. Maeder (historiador argentino), Ramon Gutierrez (arquiteto argentino), Antonio González Dorado, S.J. (padre jesuíta).

DIREÇÃO
Direção: Sylvio Back.
Assistência de direção: Maraidith Flores.

ROTEIRO
Pesquisa e roteiro: Sylvio Back, Deonisio da Silva.
Colaboração: Antonio Carlos Moraes, Antonio Carlos Souza Lima, Claudia Menezes, Carlos Alberto Kolecza.
Tradução: Solange Simon, Mona Sancovsky.

PRODUÇÃO
Direção de produção: Plínio Garcia Sanchez.
Assistência de produção: Ernesto Raupp, Manuel Losada, Oscar Boraglio, Carlos Conrado Sanchez, Ardelino Prestes.
Assessoria contábil: Dionisio Olicshevis, Luis Mewes.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia e operação de câmera: José Medeiros.
Direção de fotografia e operação de câmera adicional: Lúcio Kodato, Zetas Malzoni, Getúlio Alves.
Assistência de câmera: José Assis de Araujo.
Operação de câmera de animação: Rodrigues Gomes, Celso dos Santos.

Fotografia de cena: Paulo Vasconcelos.

SOM
Som direto: Miguel Sagatio, Ismael Cordeiro.

ARTE
Direção de animação: Marcello G. Tassara.

MÚSICA
Seleção musical (não creditado): Sylvio Back.

Músicas:
• "Axé-Guayaki", canto gravado por Miguel Chase-Sardi / API Asociación de Parcialidades Indígenas (Paraguay)
• "O, que bien baila Gil" (anônimo)
• "Suite en la maior" (Domenico Zipoli)
• "Misa criolla" (Ariel Ramirez)
• "Misa folklórica paraguaya" (Hermínio Gimenez)
• "Dança da Lagoa do Sol" (J. Waldir, S. Garcia) por Os Tapes
• "Total" (Noel Guarany) por Noel Guarany
• Sons primitivos, por Banda Peteke-Peteke (Yaguarón, Paraguay)

ARQUIVO
Pesquisa iconográfica: Antonio Carlos Moraes.
Iconografia: Thomas Tilcara, Leóni Mathis, Guido Boggiani, Erich Freundt, Ulrich Shmidl, Florian Paucke, S.J., Martim Dobrizhoffer, S.J., Théodor de Bry, Alfred Demersay, Anton Sepp, S.J, Felipe Guaman Poma de Ayala, A. de Ovalle, Nicolau del Techo, S.J, Antonio Herrera, Diogo Soares, e artistas anônimos, índios e brancos.
Reproduções fotográficas: Paulo Vasconcelos.
Reproduções adicionais: João Sócrates de Oliveira, Paulo Barbosa.

FilmeXetás na Serra dos Dourados (José Loureiro Fernandes, 1956, 46 min, cor). Produção: Instituto de Pesquisas da Faculdade de Filosofia, dirigido pelo professor José Loureiro Fernandes. Narração: Arnaldo Jabor. Fotografia Vladimir Kozák. Montagem: Philippe Luzuy. Acervo: Departamento de Psicologia e Antropologia da Universidade Federal do Paraná.
FilmeBandeirantes (Humberto Mauro, 1940, 39 min, pb). Produção: INCE Instituto Nacional de Cinema Educativo-Ministério da Educação e Saúde (Rio de Janeiro). Orientação histórica: Affonso de Taunay. Orientação geral e texto: Roquette-Pinto. Versos: Olavo Bilac. Música e regência: Francisco Braga. Execução técnica: M. Ribeiro, Erich Walder, Mateus Colaço, Iracy Chaves, Ruy Mello. Assistente: M. Rocha.

FINALIZAÇÃO
Montagem e edição: Laércio Silva.
Assistência: Mário Queiroz Filho.

Mixagem: Carlos dos Santos.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Película: Kodak Eastmancolor.
Laboratório de imagem – Revelação: Revela (São Paulo).
Laboratório de imagem – Ampliação: Líder Cine Laboratórios (Rio de Janeiro).
Trucagens: Truca (São Paulo).
Estúdio de som: Álamo (São Paulo).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Sylvio Back Produções Cinematográficas (Curitiba); Embrafilme Empresa Brasileira de Filmes S.A. (Rio de Janeiro).
Apoio: Prefeitura de Santo Ângelo (RS).

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos:
Buenos Aires (AR): Horácio Porcell, Fernandes Blanco, Maria Cecília Balza, Héctor Schenone, Museo Municipal de Arte Hispanoamericana Fernandez Blanco, Museo Mitre.
Posadas (AR): Sanchez Ratti, Instituto Ruiz de Montoya.
Resistencia (AR): Biblioteca Provincial Leopoldo Herrera, Arquivo Mario J. Busquiazzo.
Asunción (PY): Livio Abramo, Jorge Patrício Escobar Genes, Pablo Godoy, pe. Angel N. Acha Duarte, Miguel Chase-Sardi, Marilyn Rehnfeldt, José Antonio Gomes Perasso, Olga Blinder, Antonio González Dorado, S.J., Josefina Plá, Miguel Angel Fernandez, Branislava Susnik, Museo Etnográfico Andrés Barbero, Centro de Estudos Brasileiros, Dirección General de Turismo del Paraguay, API Asociación de Parcialidades Indígenas, Asociación Indigenista del Paraguay.
Montevideo (UY): Octavio Assunção, Fernando Assunção, coronel Rolando Laguardia Trias.
Curitiba (BR/PR): Oldemar Blasi, Guy Mourão, Museu Paranaense. Não creditados: Igor Chmyz, Departamento de Psicologia e Antropologia da Universidade Federal do Paraná.
São Leopoldo (BR/RS): Arthur Rabuske, S.J., Arnaldo Bruxel, S.J..
Ijuí (BR/RS): Eliezer Pacheco.
Porto Alegre (BR/RS): Ruy Ruben Ruschel, Noel Guarany. Não creditado: Carlos Alberto Kolecza.
Tapes (BR/RS): Os Tapes.
Rio de Janeiro (BR/RJ): Abeillard Barreto, Ligia Cunha, Isa Adonias, Philomena Gebran, Departamento do Filme Cultural da Embrafilme, Biblioteca Nacional, Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Mapoteca do Itamarati, Centro de Operações Cartográficas do Exército.
São Paulo (BR/SP): Regina Maria D'Aquino Fonseca, Darcy Piveta, S.J., Erasmo Magalhães, Tekla Hartman, José Saia, Arnaldo Sakamoto, Rubem Thomaz de Almeida, Rosemarie Horsch, Walter Carvalho, Blimp Film, Oca Cinematográfica, Taba Filmes, Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo, Biblioteca Municipal Mario de Andrade, IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo, Museu Paulista. Não creditados: Malu Maranhão, Zetas Malzoni.
Paris (FR): Maxime Haubert.
Vaticano (IT): Bartolomeu Meliá, S.J..
Não creditado: Santo Ângelo (BR/RS): Carlos Wilson Schroder.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre; em São Miguel das Missões;
Argentina, em San Ignacio Miní, em San Ignacio, provincia de Misiones;
Paraguay, na Misión jesuítica de Santísima Trinidad del Paraná, departamento de Itapúa;
Uruguay.
Período: durante 50 dias, de ?outubro a dezembro de 1978.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 97 min
Metragem: 2.798 metros
Número de rolos:
Som:
Imagem: cor-pb
Proporção de tela: 1.33
Formato de captação: 16 mm?
Formato de exibição: 35 mm
Idioma: Español, français, português. Legendas em português.

DIVULGAÇÃO
Cartaz: 92 x 62 cm. Desenho: Marcos Bento. Exemplar na Cinemateca Brasileira. Reprodução em: BACK, 1992, p.87.
Pressbook: 1982; texto "Um filme iconoclasta", reproduzido em: BACK, 1992, p.83-84.

PREMIAÇÃO
• 15º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1982: melhor roteiro (Back, Silva) + trilha sonora (Back).
• V Prêmio São Saruê / Federação de Cineclubes do Rio de Janeiro 1982.
• Associação Mineira de Críticos Cinematográficos 1983: melhor documentário [escolha em 6 fev 1984, em Belo Horizonte].
• Festival Latino-Americano de Cinema dos Povos Indígenas: menção honrosa.

DISTRIBUIÇÃO
Certificados:
Certificado de Produto Brasileiro 467, de 09.03.1981.
Número de registro da Embrafilme 194/81.
Número do processo de entrada no Concine 1133/81.
Classificação indicativa: Livre.
VHS: Distribuição: São Paulo, CIC, s.d. [1987]; capa da fita de vídeo é diferente do cartaz para lançamento em salas de cinema.
Contato: Sylvio Back.

OBSERVAÇÕES
Entre 1610 e 1767, ano da expulsão dos jesuítas das Américas, numa vasta área dominada por índios Guarani e parcialidades linguísticas afins, e drenada pelos rios Uruguai, Paraná e Paraguai, vingou um discutido projeto religioso, social, econômico, político e arquitetônico, sem equivalência na história das relações conquistador-índio. Essa sociedade sui-generis, criada por jesuítas com sucessivas gerações de Guarani, cujo número final estimado é de meio milhão de pessoas, desde os seus primórdios nunca deixou de provocar uma contundente polêmica. Por coincidência ou não, 350 anos depois, ainda mantido o indígena na condição de inferior, é possível identificar uma nostalgia daqueles tempos, com novo Verbo, novas técnicas pedagógicas e maior sofisticação ideológica.
O Estado de S. Paulo informa: "na verdade Sylvio Back realizou dois filmes sobre a República Guarani. Um média-metragem, de 65 min. (...) destinado exclusivamente a espaços culturais. E um longa-metragem para ser exibido nos cinemas".
Complementação aos créditos: BACK, 1992, acrescenta: filme Bandeirantes; Agradecimentos; Foto-montagens: Marcos Bento. / Os nomes dos entrevistados estão creditados quando aparecem a primeira vez.
Custo estimado: 100 mil dólares.
Filme seguinte de Back, Guerra do Brasil (1987) teve o apoio da Secretaria da Cultura do Paraná, Fundação de Cultura do Mato Grosso do Sul e Subsecretaria de Cultura do Rio Grande do Sul.
Além de República Guarani, os outros quatro filmes da Mostra Competitiva 35 mm de Longa-metragem do Festival de Brasília, também premiados: Tabu (Julio Bressane): melhor filme + fotografia (Murilo Salles) + técnico de som (Guaracy Rodrigues, Dudi Gupper); O Segredo da Múmia (Ivan Cardoso): direção + ator (Wilson Grey) + cenografia (Oscar Ramos) + montagem (Gilberto Santeiro, Ricardo Miranda); Amor, estranho amor (Walter Hugo Khouri): atriz (Vera Fischer); As Aventuras de um paraíba (Marco Altberg): atriz coadjuvante (Tamara Taxman) + ator coadjuvante (Paulão) + melhor longa-metragem (júri popular).
Foram entregues em 26 de novembro de 1983, sábado, no Cineclube Macunaíma os prêmios São Saruê da Federação de Cineclubes do Rio de Janeiro aos melhores filmes brasileiros dos dois últimos anos: Eles não usam black-tie (Leon Hirszman), O Homem de areia (Vladimir Carvalho), O Homem que virou suco (João Batista de Andrade), Beijo no asfalto (Bruno Barreto) e Eu te amo (Arnaldo Jabor) recebem o prêmio de 1981; Memórias do medo (Alberto Graça), O Homem do pau brasil (Joaquim Pedro de Andrade), Meow (Marcos Magalhães), Jânio a 24 quadros (Luís Alberto Pereira) e República Guarani (Back) recebem o prêmio de 1982. Prêmios especiais para filmes para crianças: Os Saltimbancos Trapalhões (J. B. Tanko), prêmio de 1981; e As Aventuras da Turma da Mônica (Mauricio de Souza), prêmio de 1982.

Grafias alternativas: Silvio Back | Bartomeu Meliá, S.J. (cf. créditos)

BIBLIOGRAFIA
Guia de filmes – Produzidos entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 1981. Rio de Janeiro, ago 1985, p.58-59, n.81.
BACK, Sylvio. República Guarani. Rio de Janeiro: Paz e Terra, fev 1982. 116p. il. (Coleção Cinema, v.14)
Documentação em torno do filme de Sylvio Back, com a transcrição completa das entrevistas. Ficha técnica.
BACK, Sylvio. República Guarani. 2.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
BACK, Sylvio. Filmes noutra margem. Curitiba: Secretaria de Estado da Cultura, 1992. 155p.

Noticiário:
Silvio Back redescobre a república dos guaranis. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 21 jan 1978, Caderno B, p.4 [BN, p.27], ano LXXXVII, n.286.
ALENCAR, Miriam. Sílvio Back reabre a questão da república guarani. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 4 out 1979, Caderno B, p.2 [BN, p.36], ano LXXXIX, n.179.
Padre suíço depõe em filme gaúcho. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 27 out 1979, p.8 [BN, p.9], ano LXXXIX, n.202.

O Estado de S. Paulo, São Paulo, 6.01.1980, p.28.
O Estado de S. Paulo, São Paulo, 27.01.1980, p.34.
O Estado de S. Paulo, São Paulo, 6.04.1982, p.24.
O Estado de S. Paulo, São Paulo, 19.07.1982, p.18.
O Estado de S. Paulo, São Paulo, 3.10.1982, p.37.
O Estado de S. Paulo, São Paulo, 12.12.1982, p.50.

Folha de S. Paulo, São Paulo, 6.04.1982, p.39.
Folha de S. Paulo, São Paulo, 7.06.1982, p.29.
Folha de S. Paulo, São Paulo, 19.08.1982, p.19.

Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 6 set 1982, Caderno B, p.8.
Anúncio. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 19 set 1982, Caderno B, p.8 [BN, p.57], ano XCII, n.164.

Folha de S. Paulo, São Paulo, 17.09.1982, p. 31.
Folha de S. Paulo, São Paulo, 4.10.1982, p.28.
Folha de S. Paulo, São Paulo, 7.10.1982, p.44.
Folha de S. Paulo, São Paulo, 10.10.1982, p.62.

O Globo, Rio de Janeiro, 8.04.1982, p.29.
O Globo, Rio de Janeiro, 7.06.1982, p.19.
O Globo, Rio de Janeiro, 22.07.1982.
O Globo, Rio de Janeiro, 5.09.1982, p.5.
O Globo, Rio de Janeiro, 6.09.1982, p.15.
O Globo, Rio de Janeiro, 7.09.1982, p.33.
O Globo, Rio de Janeiro, 15.12.1982, p.29.

Jornal da Tarde, 4.10.1982, p.20.
Jornal da Tarde, 8.10.1982, p.19.

Visão, 18.10.1982, p.100.
Visão, 25.10.1982, p.69.
Isto É, 2.11.1977.
Isto É, 8.09.1982, p.4.

República Guarani estreia no Groff. Diário da Tarde, Curitiba, 18 nov 1982, p.4, ano 83, n.24.250.
Cineclubes entregam prêmios e mostram A Próxima vítima. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 26 nov 1983, Caderno B, p.5 [BN, p.27], ano XCIII, n.232.
BOLOGNESE, Ruth. Nos Sete Povos das Missões, as ruínas de uma história polêmica. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 25 jan 1984, Caderno B, p.8 [BN, p.32], ano XCIII, n.290.

Crítica:
BITARELLI, Rogério. Pensamento selvagem, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 7 set 1982, Caderno B, p.6 [BN, p.30], ano XCII, n.152.
VARTUCK, Pola. A imposição da fé. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 12 set 1982, reproduzido em: BACK, 1992, p.85-86.
BITTENCOURT, OSB, Pe. Estêvão Tavares. Cartas: República Guarani. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 16 set 1982, p.10 [BN, p.11], ano XCII, n.161.
BACK, Sylvio. Índios, jesuítas e República Guarani. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 10 out 1982, O Leitor Especial, p.3 [BN, p.40], ano XCII, n.185.

Exibições


versão menor:
• São Paulo (SP), 3ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo [17-31 out]-Mostra Competitiva, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, out 1979

• Rio de Janeiro (RJ), 3ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo [26- out], 1979

• Rio de Janeiro (RJ), O cinema de Sylvio Back, Cinemateca do MAM, 5 out 1980, dom, 20h30

longa?
• Rio de Janeiro (RJ), Cinemateca do MAM, 25 abr 1981, sab, 18h
• São Luiz Gonzaga (RS), I Mostra Internacional de Arte Missioneira, fim de abr 1981
• Rio de Janeiro (RJ), Cineclube Barravento (R. Senador Muniz Freire, 60, Tijuca), 21 jun 1981, dom, 20h

versão longa:

• São Paulo (SP), MIS Museu da Imagem e do Som, 6 abr 1982, ter (pré-lançamento)

• Rio de Janeiro (RJ), Cinemateca do MAM, 7 jun 1982, seg, 20h30 (lançamento do livro), 21h30 (filme)

• Blumenau (SC), Blusch, 7 ago 1982, sab (especial)

• Rio de Janeiro (RJ), Semana de filmes históricos, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ (Largo de São Francisco, 1), 3 set 1982, sex, 18h (debate com diretor)

• Rio de Janeiro (RJ), Ricamar (Av. Copacabana, 360),
6-12 set 1982, seg-dom, 18h, 20h, 22h
13-19 set 1982, seg-dom, 18h, 20h, 22h

• Rio de Janeiro (RJ), Lido-2 (Praia do Flamengo, 72), 20-26 set 1982, seg-dom, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

• São Paulo (SP), CineSesc (R. Augusta, 2.075, Cerqueira César), 8 out 1982, sex

• Porto Alegre (RS) Cine Coral, 1º nov 1982, seg

• Niterói (RJ), Cine Arte UFF, 6, 7 nov 1982, sab, dom, 16h, 18h, 20h, 22h

• Curitiba (PR), Cine Groff, 18 nov 1982, qui

• Rio de Janeiro (RJ), Rio-Sul (R. Marquês de São Vicente, 52), 22-28 nov 1982, seg-dom, 15h, 17h, 19h, 21h

• Brasília (DF), 15º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro [13-18 dez]-Mostra Competitiva 35 mm,
Cine Brasília, 14 dez 1982, ter, 15h, 18h, 21h
Cine Lara (Taguatinga), 15 dez 1982, qua, 21h
Cine Karim (Guará), 17 dez 1982, sex, 21h

• Rio de Janeiro (RJ), Cinema-3 (R. Conde de Bonfim, 229), 25-30 abr-1º maio 1983, seg-sex, 15h, 16h50, 18h40, 20h30, sab, dom, 13h30, 15h20, 17h10

• Caxias do Sul (RS), Imperial, 26 ago-1º set 1983, sex, 20h30, sab, 19h30, 21h30, dom, 14h, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h30


• Rio de Janeiro (RJ), 2º Festival Latino-americano de Cinema dos Povos Indígenas, 1987

• Rio de Janeiro (RJ), Retrospectiva Lance maior 20 anos, Cinemateca do MAM, 15 out 1988, sab, 16h30

• Porto Alegre (RS), Sylvio Back – Filmes noutra margem [26 set-2 out], Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 29 set 1994, qui, 18h

• Porto Alegre (RS), Semana do Índio [18-20 abr], Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 19 abr 2000, qua, 10h, 14h

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
República Guarani. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/212/republica-guarani. Acesso em: 12 de abril de 2024.