Verdes anos (1984)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
35 mm, cor, 91 min

Direção: Giba Assis Brasil, Carlos Gerbase.
Companhia produtora: Z Produtora Cinematográfica Ltda.; Rob Filmes

Primeira exibição: Gramado (RS), 12º Festival do Cinema Brasileiro de Gramado [9-14 abr]-Mostra Competitiva Longa-metragem, Cine Embaixador, 9 abr 1984, seg, 20h30

 

O cinema gaúcho moderno profissional tem em Verdes anos o seu ponto de partida. Planejado pela Z Produtora Cinematográfica, braço de uma agência de propaganda que fomentou o mercado audiovisual local, foi um projeto pessoal do jornalista Sergio Lerrer. Ele já vinha produzindo curtas-metragens premiados em festivais, como Urbano (A. C. Textor, 1983) e se aproximou de uma talentosa nova geração, dando-lhes a chance de executarem o seu primeiro longa-metragem em 35 mm. Os filmes gaúchos estavam ficando diferentes nessa época, rompendo com a temática da bombacha e do chimarrão e se aproximando de uma estética mais urbana, que abordava os dramas de pessoas comuns, em processo de crescimento e amadurecimento – como ocorre em Deu pra ti, anos 70 (G. Assis Brasil, N. Nadotti, 1981), Coisa na roda (W. Schünemann, 1982) e Inverno (C. Gerbase, 1983).

A proposta de Lerrer era retratar um grupo de jovens que cresce em meio à ditadura militar brasileira (1964-1985), numa cidade do interior. Inicialmente, o produtor pensou no nome de Nelson Nadotti para a direção, mas ele já havia se mudado para o Rio de Janeiro. Contatados, tanto Giba Assis Brasil quanto Carlos Gerbase hesitaram em aceitar o convite, já que tinham outros projetos em andamento, e temiam ficar associados unicamente a filmes sobre adolescentes. Mudaram de ideia quando perceberam que os objetivos da Z eram ambiciosos: fomentar um polo de cinema, sustentado através de estratégias como compra de cotas a serem debitadas do faturamento, orçamentos enxutos e contato direto dos produtores com os distribuidores/exibidores – sem ajuda governamental (Embrafilme). Diante disso, aceitaram trabalhar durante 26 dias consecutivos, em três turnos de trabalho, alimentados com sanduíches e ki-sucos. "Se não fosse assim, não saía", brincou Lerrer, em entrevista.

Fizeram história: tendo um custo total de 60 milhões de cruzeiros (ou 15 mil dólares), o filme ficou 11 semanas em cartaz, somando 140 mil espectadores no Rio Grande do Sul – quantia suficiente para pagar o investimento. Graças a uma bem sucedida campanha de divulgação, em Porto Alegre, por exemplo, o longa foi mais visto do que o vencedor do Oscar daquele ano, Laços de ternura (Terms of endearment, James L. Brooks, 1983). Tornou-se célebre um artigo de Luis Fernando Verissimo, que dizia: "Vá ver Verdes anos. Para que, no futuro, quando as pessoas falarem do começo da indústria de cinema gaúcha, você possa dizer: Eu fui testemunha". Segundo título gaúcho a ser selecionado para o Festival de Gramado, depois de Um Homem tem de ser morto (1973), levou o troféu Revelação. Os atores, vindo de grupos de teatro locais e interpretando personagens abaixo dos 18 anos mesmo sendo mais velhos, ganharam o prêmio de melhor elenco no Festival de Caxambu. Destacaram-se nacionalmente nos anos seguintes Werner Schünemann, Marcos Breda, Luciene Adami, Xala Felippi.

A inspiração para a história veio de um conto do escritor mineiro Luiz Fernando Emediato, transformado em roteiro por Álvaro Luiz Teixeira, também premiado em Caxambu. Do material original até a filmagem, aconteceram modificações, como a perda de um tom mais político, enfatizando a rotina de estudantes de ensino médio e suas inter-relações, que envolvem a disputa de um campeonato de futebol, a eleição da Rainha do baile, a edição de um jornalzinho de fofocas, as bebedeiras, brigas e namoros. Situações atemporais, com as quais qualquer indivíduo pode se identificar, em qualquer época. Foram mantidos, porém, personagens que lidaram com a repressão da ditadura, como um professor de História que entra em conflito com os valores conservadores dos moradores e uma outra professora mais velha, que está se escondendo de agentes do governo, sendo alvo da paixão de um aluno. O próprio Emediato refletiu sobre o assunto: "Nós éramos jovens e felizes, mas éramos cegos também. Quando abrimos os olhos começamos a sofrer".

Nos anos seguintes, o filme enfrentou problemas para ser negociado com canais de televisão ou distribuidoras internacionais. Isso porque os direitos da trilha sonora (composta por clássicos como "Be my baby", "You've got a friend", "Killing me softly with his song" ou "Rock 'n' roll lullaby") não foram licenciados. Com isso, Verdes anos foi incorporado ao acervo da Casa de Cinema de Porto Alegre, apenas para distribuição não comercial, ocasionalmente entrando em cartaz nas salas da capital gaúcha, nos aniversários de lançamento. Em 2016 é publicado pela historiadora Alice Trusz um livro com profunda pesquisa da trajetória do filme (base para este verbete).

Sinopse


Sinopse curta:
Três dias na vida de uma turma de colégio, em 1972. Nando namora Soninha, que dá bola pra todo mundo. Robertão apresenta o baile de escolha da Rainha. Teco se interessa por Rita. Dudu edita um jornalzinho de fofocas. Pedro é o goleiro do time da aula, e está apaixonado pela professora. Quanto tempo se leva para passar da adolescência à maturidade? Um fim-de-semana, alguns anos ou a vida inteira?

Sinopse descritiva:
Nando e Teco, dois amigos, caminham bêbados durante a noite, em uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul. Eles relatam problemas com as namoradas: um perdeu Rita, enquanto outro brigou com Soninha. Nas horas anteriores, ambos se envolveram em brigas.

Um rapaz pede cola para Lurdinha, sua irmã – que se recusa a fornecer eventuais dicas para passar em uma prova. Na ida para o colégio, Pedro intercepta a professora Bárbara, e inicia animada conversação. O Perigoso atacou de novo, na noite passada, comentam os jovens que estão lendo um jornal. Nando encontra Soninha, na entrada da escola, mas a conversa não é amistosa. Colegas citam expectativa para um jogo de futebol próximo. Sala de aula. Muito silêncio, enquanto se desenrola uma prova. Colegas roubam a prova de Lurdinha, a fim de copiarem suas respostas. Dudu promove a chegada de um novo número do jornal estudantil, com fofocas sobre os alunos. Na cantina, ocorre uma briga generalizada, após um aluno (Robertão) ser declarado impotente.

Em outro dia, alunas vão ter aulas de reforço com o pai de Nando, um professor de História. Soninha pede um tempo e vai beijar Nando. Pai de Nando incentiva bibliografia de esquerda para as estudantes, em contraposição aos livros não ideologizados da escola. No quarto, meninas conversam sobre a programação do final de semana. Marieta quer transar, mas não com os guris – que considera inexperientes. Noite de cinema. Robertão comenta que levará prostitutas para transar em sua casa, já que os pais viajaram. No escurinho do cinema, muita gente se beija. No meio do mato, ao amanhecer, jovens tentam fotografar um ataque do Perigoso. Mulher é atacada no meio da ponte, enquanto homem foge correndo. No rádio, Marieta desafia o Perigoso a pegá-la. Fofocas: Janete teria dormido com metade do júri, para ser eleita Rainha do colégio. Soninha especula sobre o quanto Nando gosta dela. No carro, um casal namora. Ela desce rápido, para evitar que o pai a veja. Amigos se preparam para pregar um susto em Robertão, que está sozinho em casa – simulando serem criminosos, querendo invadir a casa. Num bar, o pai de Nando discute sobre política com os demais moradores da cidade. Critica os demais por serem alienados, fala em justiça social, desaparecidos. Pedro sonha em conversar com professora, por quem tem paixão secreta.

Vai começar o jogo de futebol, na escola. Dudu narra o jogo. Gurias invadem a quadra, e fazem um gol (Marieta). Juiz espirra durante um segundo, Robertão faz falta e marca um gol, questionável. Recebe um beijo de namorada. Pedro ajuda a professora Bárbara. Reclamam que o juiz roubou o jogo, mas o pior é ter que ouvir a flauta de Robertão. Vai fazer vestibular para jornalismo, quer sair dali, ir para Porto Alegre. Festa de aniversário em uma casa: é a mãe de Marieta. Professor comenta casos de corrupção na cidade. Marieta recebe carta, sendo ameaçada pelo Perigoso. Marieta tenta ficar com o professor Cid, mas ele hesita. O ato é observado pelos colegas. Dudu critica o ato. Marieta tem que lidar com o nervosismo, taquicardia. Nando pede dinheiro para sua mãe. Amiga liga para Nando, diz que Soninha é fingida, quer namorar com todo mundo – até Teco teria transado com ela. Teco diz a Nando que nada aconteceu, mas comenta que viu ela com Danilo. Nando acha que Soninha é "uma puta". Danilo procura por Rosemary, que é mal recebido pelo pai dela ("vai te esfregar com teus machos"). De noite, Pedro procura pela professora, e lhe presenteia com um caderno com poemas.

Baile da escola. Robertão elogia o diretor da escola Cruzeiro do Sul (professor Nilson Sartori). Candidatas aparecem, para concorrer ao baile. Marieta e amigas invadem o local, para protestar contra a objetificação da mulher. O baile fica sob o comando de Ângelo Renato. A professora Bárbara se prepara para ir embora. Sua casa é invadida. Sônia Regina é declarada princesa, enquanto Janete é eleita a Rainha. Casais tentam causar ciúme uns nos outros. Há uma briga generalizada, já que Robertão empurra alguém que estava dançando com Soninha. Ela vai embora e na saída pergunta se alguém tem fogo. Pedro descobre que Bárbara estava sendo perseguida pela ditadura. Lurdinha cuida de Ângelo Renato, que foi espancado na festa. Em uma boate, Nando conhece, dança e namora Cândida. Teco fica bêbado, numa praça, falando com Rita. De noite, em uma praça, Marieta consegue encontrar o professor Cid, e transar com ele – espantando antes o Perigoso. Nando namora Cândida, em uma praça. Eles são reprimidos por policiais, que prendem o rapaz. Bárbara se despede. Diz que irá para o Uruguay e o Chile, onde estará mais segura. Após passar a noite na prisão, Nando é solto, graças à ajuda de um tio. Ele vai ao encontro de Cândida, a fim de pedi-la em namoro.

Ficha técnica


ELENCO
Werner Schünemann (Nando), Luciene Adami (Soninha),
Marcos Breda (Teco), Xala Felippi (Marieta), Marco Sorio (Robertão),
Marta Biavaschi (Rita), Sérgio Lulkin (Pedro), Haydée Porto (Bárbara),
Zé Tachenco (Dudu), Márcia do Canto (Cândida), Biratã Vieira (Leopoldo),
Angel Palomero (Danilo), Lúcia Serpa (Rosemary), Ivonete Pinto (Lurdinha), Soraia Simaan (Neuzona), Deborah Lacerda (Bebela), Julio Reny (Ângelo Renato), Maria Inês Falcão (Mercedes), Marcel Dumont (Wanderley), Betho Mônaco (Erasmo), Júlio Conte (Cid), Breno Ruschel (Pai de Rosemary), Oscar Simch (Inspetor), Edu Madruga (Felício), Anita Tachenco (Clotilde), Marione Reckziegel (Janete), Renato Del Campão (Rapaz no trem), Sérgio Horst (Prisioneiro), Meme Meneghetti (Porteiro do bailão), Cláudio Cruz (Seresteiro), Isis Medeiros (Mulher no bar), Carlos Freire (Davi), Zeca Kiechaloski (Professor), Osvaldo Perrenoud (Prisioneiro), Pedro Girardello (Pedrão), David Camargo (Prisioneiro), Hamilton Mosmann (Juiz de futebol), Yolanda Serrano (Mulher atacada), Normelio Krampe (Policial), Cleomar Coelho (Garçon do bailão), Monica Schmiedt (Rainha do ano passado), Rudi Lagemann (Amigo de Bárbara), Carlos Grübber (Jogador de futebol), Betina Korndörffer (Candidata), Tina Casagrande (Candidata), Júlio Spier (Perigoso).
Figuração: Rudimar Merlo (Jogador de futebol), Alpheu Godinho (Diretor), Markus Schmiedt (Policial), Fabio Sclovsky, Roberto Stein (Jogador de futebol), Vitor Knijnik, Simone Lerner, Ricardo Savaris, Sergio Schanzer, Helena Sant'Anna, Matilde Canterji, Betina Aronis, Marcos Goldnadel, Denise Zelmanovitz, Felix Starosta, Sheila Nalditch, Mara Dalsotto, Luis Henrique Palese (Segurança), Mari Ribeiro, Eduardo Waschburger, André Boll, Gabriela Bortolaso, Lale dos Santos, Elaine Schirmer, Shirley Rosário, Gilberto Baum (Segurança), Betina Becker, Virginia Ortiz (irmã de Cândida) & velhos & novos amigos.
Não creditados: Sergio Lerrer (Operador da rádio), Fernando Fefa (Ajudante de Ângelo Renato), Alex Sernambi (Cara na porta do clube), Glênio Póvoas, Luiz Henrique Fonseca (Torcedores na arquibancada), Gisela Habeyche (na festa).
Vozes adicionais: Orlando Nascimento (Cid / Inspetor), Nilo Cruz (Dudu / Porteiro do bailão).

DIREÇÃO
Direção: Carlos Gerbase, Giba Assis Brasil.
Assistência de direção: Alex Sernambi.
Continuidade: João Knijnik.

ROTEIRO
Livremente inspirado no conto "Os Verdes anos", de Luiz Fernando Emediato.
Roteiro: Álvaro Teixeira.
Roteiro técnico: Giba Assis Brasil, Carlos Gerbase, Werner Schünemann, Alex Sernambi, Roberto Henkin.

PRODUÇÃO
Produção: Sergio Lerrer.
Produção executiva: Rudi Lagemann / Porto das Cabeças Espaço e Produções.
Equipe de produção: José Artur Camacho, Marlise Storchi, Monica Schmiedt, Carlos Grübber.
Estágio de produção: Ângela Sander, Fernanda Verissimo.
Assessoria jurídica: Paulo Francisco Faria.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Christian Lesage.
Assistência de câmera: Roberto Henkin.
Eletricista: Júlio Spier.

Fotografia de cena: Sergio Amon.

ARTE
Cenografia: José Artur Camacho, Marlise Storchi.
Figurino: Marta Biavaschi.
Maquiagem: Walter Costa, Rogério Gorziza / Scalp.

SOM
Som-guia: Fernando Fefa.

MÚSICA
Músicas:
• "Verdes anos" (música: Augusto Licks, letra: Nei Lisboa,) por Nei Lisboa (voz, violão), Augusto Licks (guitarra), Glauco Sagebin (piano), Geraldo Freitas (baixo), Fernando Paiva (bateria), King Jim (sax) [créditos iniciais]
• "Armadilha" (música: Nelson Coelho de Castro, letra: Dedé Ribeiro, Nelson Coelho de Castro) por Nelson Coelho de Castro (voz, violão) [música de encerramento]

Músicas (ordem de inserção, não creditadas):
• "That's what I want" (Derek Marks) instrumental por The Square Set
• "Samba pa ti" (música: Carlos Santana) instrumental por Santana
• "Awakening awareness" (música: Michel Legrand) instrumental por Orquestra, arranged and conducted by Michel Legrand [do filme: Houve uma vez um verão, Summer of '42, Robert Mulligan, 1971, US]
• "Theme from Summer of '42" (música: Michel Legrand) instrumental por Orquestra, arranged and conducted by Michel Legrand [do filme: Houve uma vez um verão, Summer of '42, Robert Mulligan, 1971, US]
• "Hino do Sesquicentenário da Independência" (música, letra: Miguel Gustavo)
• "Everything I own" (música, letra: David Gates) por Bread
• "Alone again (Naturally)" (música, letra: Gilbert O'Sullivan) por Gilbert O'Sullivan
• "I need you" (música, letra: Gerry Beckley) por America
• "Parabéns a você" ["Happy birthday to you"] (música, letra: Patty Hill, Mildred J. Hill; autoria disputada pelas irmãs; letra brasileira: Bertha Celeste) por elenco
• "Pop concerto" (Paul de Senneville, Olivier Toussaint) por Pop Concerto Orchestra
• "Be my baby" (Phil Spector, Ellie Greenwich, Jeff Barry) por Andy Kim
• "You've got a friend" (música, letra: Carole King) por James Taylor
• "Without you" (Pete Ham, Tom Evans) por Harry Nilsson
• "No matter what" (música, letra: Pete Ham) por Badfinger
• "Tell me once again" (música, letra: Brian Anderson aka André Barbosa Filho) por Light Reflections
• "Killing me softly with his song" (Norman Gimbel, Charles Fox) por Roberta Flack
• "Rock 'n' roll lullaby" (Barry Mann, Cynthia Weil) por B. J. Thomas

• "A Rita" (música, letra: Chico Buarque) trecho por Marcos Breda
• "Detalhes" (Roberto Carlos, Erasmo Carlos) trecho por Werner Schünemann

ARQUIVO
Citações:
Marquise do cinema: Houve uma vez um verão (Summer of '42, Robert Mulligan, 1971, US).
Cartazes de filmes no saguão do cinema: Barbarella (Roger Vadim, 1968, FR-IT); A Primeira noite de um homem (The Graduate, Mike Nichols, 1967, US).
Livro: Menino antigo, de Carlos Drummond de Andrade (José Olympio Editora).
Poster no quarto de Marieta: da atriz Leila Diniz.

FINALIZAÇÃO
Montagem: Alpheu Godinho.

Créditos – criação: Geraldo Leonetti.

Assistência de dublagem: Carlos Grübber.
Técnico de som: Toninho Muricy.
Ruídos de sala: Leonardo Miquimba.
Mixagem: Roberto Carvalho.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Película: Kodak Eastmancolor.
Estúdio de animação e filmagem dos créditos: Otto Desenhos Animados (Porto Alegre).
Equipamento de câmera e mesa de montagem: Palácio Piratini (Porto Alegre).
Laboratório de imagem: Líder Cine Laboratórios (Rio de Janeiro).
Estúdio de som: Rob Filmes (Rio de Janeiro).
Marketing: Z Comunicação & Planejamento.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora (não creditada): Z Produtora Cinematográfica Ltda. (Porto Alegre).
Coprodução (não creditada): Rob Filmes (Rio de Janeiro).

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Fotolito Stampa Ltda., Café Marrocos, Wilhelms & Shaeffer, Chocolate Umbu, Massas Appetito, Fearroz, Q. Refresco (RS), Jorge Strassburger, Alpheu Godinho, Luiz Antonio Ferreira, Assessoria de Imprensa / CEEE, Antonio Carlos Textor, Antonio Oliveira, Alberto Salvá, Romain Lesage, Haroldo Haroldo Weil, J. C. Lima, Sergio Amon, Museu de Comunicação Social (Porto Alegre), Subsecretaria de Cultura (RS), Prefeitura Municipal de São Leopoldo, Colégio Cruzeiro do Sul, Clube União e Progresso, Santa Catarina Tênis Clube, Clube de Cultura, RFFSA, Bar N. S. da Glória, Cine-Teatro Rex, Audio Tape, Polícia Metropolitana (Porto Alegre), Brigada Militar (Porto Alegre), Cine Baltimore, Martin Wartchow, Paulo Humbert, Linda Cristina Sarturi, José Weis, Genoveva Fruet, Ivana Nora, Denise Coelho, Mercedes Assis Brasil, Barbara Kruchin, Magda Biavaschi, Evelise Biavaschi, Maninha Degrazia, Hildegarde Schmiedt, Iria Storchi, Ligia Lacerda, Associação Gaúcha de Árbitros, Leonel Pandolfo, Viviane Storchi, Everton Wojahn, Romeu Grimaldi, José Felipe Luz Coimbra, Rosane Coimbra, Odilla Amoretti, Márcio Gus, Fanny Baibich,Celso Scaletsky, Rádio Ipanema FM, Editora Proletra Ltda..

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre; São Leopoldo.
Período: 20 de agosto a 14 de setembro de 1983.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:31:30
Metragem:
Número de rolos:
Som: som óptico mono
Imagem: cor
Proporção de tela: 1.33
Formato de captação: 35 mm
Formatos de exibição: 35 mm

DIVULGAÇÃO
Lobby card: 5 cor.
Cartaz:
Pressbook: 18p., impresso. Coordenação, planejamento e redação final: Alice Urbim e Ligia Walper-Viva Produções e Promoções Artísticas Ltda. Arte: Paulo Baldo. Fotos: Sérgio Amon; com os textos: "Verdes anos, um jogo ganho", por Tuio BECKER, "Valeu. Não perdemos a alegria", por Álvaro Luiz TEIXEIRA, "Os verdes anos das nossas vidas", por Luiz Fernando EMEDIATO, "Coragem e paciência para rever a história", por Moacyr SCLIAR, "Verde é ainda estar inteiro", por Caio Fernando ABREU; depoimentos de Carlos GERBASE, Giba ASSIS BRASIL, Sérgio LULKIN, Angel PALOMERO, Sérgio LERRER, Nei LISBOA, Werner SCHÜNEMANN, Marta BIAVASCHI, GOIDA, Romain LESAGE, Ivo Egon STIGGER; letras das músicas "Verdes anos", de Nei LISBOA e Augusto LICKS e "Armadilha", de Dedé RIBEIRO e Nelson Coelho de CASTRO; FT e elenco; sinopse; filmografia dos diretores e da Z Produtora; 22 fotos.
Folheto:

PREMIAÇÃO
• 12º Festival do Cinema Brasileiro de Gramado 1984: prêmio revelação.
• VII Prêmio São Saruê / Federação de Cineclubes do Rio de Janeiro 1984: prêmio especial.
• Retrospectiva Cinema Gaúcho, 1985: 1º lugar na escolha do público.
• 2º Festival de Caxambu do Cinema Brasileiro 1985: melhor roteiro + prêmio coletivo de melhor elenco.
• Troféu Scalp 1985: destaque do ano em cinema.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: 16 anos.
Distribuição: Casa de Cinema de Porto Alegre.
Contato: Casa de Cinema de Porto Alegre.

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // Todos os personagens dessa obra são fictícios. Qualquer semelhança com pessoas ou fatos da vida real é mera coincidência. Todos os direitos reservados. //
Cf. créditos: Luz: Júlio Spier; atualizado como eletricista.
Complementação aos créditos: cf. GAB: especificação das funções de som; laboratório de imagem, equipamentos.
Produzido em sistema de cotas.
A canção "Verdes anos" foi incluída no LP Noves fora (1984) de Nei Lisboa e na reedição em CD (2001).
11 semanas consecutivas em diferentes salas em Porto Alegre.
140 mil espectadores no RS.
Os outros nove filmes da Mostra Competitiva de Longas do Festival de Gramado são: Águia na cabeça (Paulo Thiago), O Baiano fantasma (Denoy de Oliveira), Extremos do prazer (Carlos Reichenbach), Flor do desejo (Guilherme de Almeida Prado), Jango (Silvio Tendler), Noites do sertão (Carlos Alberto Prates Correia), Nunca fomos tão felizes (Murilo Salles), A Próxima vítima (João Batista de Andrade), Tensão no Rio (Gustavo Dahl).
VII Prêmio São Saruê: Os outros premiados: Melhor longa: O Mágico e o Delegado (Fernando Coni Campos). Melhor curta: Um minuto para a meia-noite (Flávio Del Carlo). Entrega dos prêmios: Cineclube Estação Botafogo, 7 dez 1985, sab, 22h.

Grafias alternativas: Marcos Antonio Breda | Júlio César Conte | Sergio D. Lerrer | Marco Antonio Sorio | Ricardo Cordeiro [= King Jim] | Renato Campão (cf. créditos)

BIBLIOGRAFIA
TEIXEIRA, Álvaro. Verdes anos: roteiro do filme. Porto Alegre: Z Comunicação e Planejamento, 1983.
EMEDIATO, Luiz Fernando. Verdes anos. São Paulo: EMW, 1984. 212p. il. (Tirando de Letras, 2). Inclui Conto "Verdes anos" e o roteiro.
Cinema gaúcho – Anos 80. Porto Alegre: Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Estado do Rio Grande do Sul-APTC-RS, 1985. 34p. il. (p.12, com foto de Sergio Amon, p.3)
Cinema gaúcho – Anos 80: um olhar sobre a década. Porto Alegre: Secretaria Municipal da Cultura, Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Estado do Rio Grande do Sul-APTC-ABD-RS, 1991. 28p. il. (com foto de Sérgio Amon)
PAIVA FILHO, Antonio. Cineasta do mês: Carlos Gerbase. Cinemin, Rio de Janeiro, jul 1993, p.40-41, n.84. (com foto)
Cinema: produção ao sul. jornal tablóide, 4p., distribuído nos cinemas, com FT e elenco; reprodução dos mesmos depoimentos publicados no pressbook, alguns com cortes ou acréscimos; este tablóide acrescenta depoimentos de Lucia SERPA, Haydée PORTO e Júlio César CONTE; reprodução de críticas de José Carlos AVELLAR, Maria do Rosário CAETANO, Helena SALEM, Leon CAKOFF e de Tuio BECKER; 14 fotos.
TRUSZ, Alice Dubina. Verdes anos: memórias de um filme e de uma geração. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2016. 359p. il.
PINTO, Ivonete. Verdes anos (1984) – O ontem, o hoje e quem sabe o amanhã. In: FEIX, Daniel; LUNARDELLI, Fatimarlei; PINTO, Ivonete; KANITZ, Mônica; VALLES, Rafael (org). 50 olhares da crítica sobre o cinema gaúcho. Porto Alegre: ACCIRS Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul, Opinião Produtora, Diadorim Editora, JBL Harman, Pró-cultura / Secretaria de Estado da Cultura / Governo do Rio Grande do Sul, 2022. 226p. il., p.49-53.

Noticiário:
Nova produção cinematográfica no sul – Verdes anos sucesso em Gramado. Pioneiro, Caxias do Sul, 2 jun 1984, Sete Dias, p.3 [BN, p.21], ano XXXVI, n.148.
Verdes anos estreia hoje. Pioneiro, Caxias do Sul, 2 jun 1984, p.18, ano XXXVI, n.152.
Simples, comunicativo e sensível: Verdes anos é a grande atração + A opinião de críticos, jornalistas e cineastas. Pioneiro, Caxias do Sul, 9 jun 1984, Sete Dias, p.3 [BN, p.20], ano XXXVI, n.153.
Últimos dias de Verdes anos. Pioneiro, Caxias do Sul, 20 jun 1984, p.18, ano XXXVI, n.160.
OLIVEIRA, Bárbara. Novo cinema gaúcho – A geração 70 já compete com os estrangeiros. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 31 jul 1984, Caderno B, p.8 [BN, p.34], ano XCIV, n.114.
PÓVOAS, Glênio. O emotivo Verdes anos, sábado, pela Educativa. Diário do Sul, Porto Alegre, 17-18 set 1988, Cultura e Lazer, p.1.
Verdes anos: uma realização coletiva – Entrevista com Carlos Gerbase. Filme Cultura [Diretores estreantes – 27 depoimentos sobre a experiência de realizar o primeiro longa-metragem], Rio de Janeiro, nov 1988, p.124-126, n.48.
"Não era esse o filme que queríamos fazer" – Entrevista com Giba Assis Brasil. Filme Cultura [Diretores estreantes – 27 depoimentos sobre a experiência de realizar o primeiro longa-metragem], Rio de Janeiro, nov 1988, p.127-131, n.48.

Crítica:
CAKOFF, Leon. Verdes anos, voz dos jovens em Gramado. Folha de S. Paulo, São Paulo, 10 abr 1984.
BECKER, Tuio. Folha da Tarde, Porto Alegre, 10 abr 1984.
STIGGER, Ivo Egon. Correio do Povo, Porto Alegre, 11 abr 1984, p.11.
AVELLAR, José Carlos. Filmes jovens em Gramado. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 12 abr 1984, Caderno B, p.1 [BN, p.36], ano XCIV, n.4.
HOINEFF, Nelson. Variety, New York, 2 maio 1984.
VERISSIMO, Luis Fernando. Zero Hora, Porto Alegre, 22 maio 1984.
NASCIMENTO, Hélio. Jornal do Comércio, Porto Alegre, 29 maio 1984.
GOIDA.  Zero Hora, Porto Alegre, 1º jun 1984.
ROSA, Júlio Ricardo da. Zero Hora, Porto Alegre, 1º jun 1984.
MERTEN, Luiz Carlos. Jornal do Iguatemi, Porto Alegre, jun 1984.
SCHILD, Susana. Verdes anos – Crônica adolescente vista por gaúchos. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 30 set 1984, Caderno B, p.6 [BN, p.51], ano XCIV, n.175.
Veja, São Paulo, 3 out 1984.
MELLO, Roberto. Verdes anos, um filme que deve ser assistido. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 5 out 1984, Caderninho B, p.5 [BN, p.38], ano XCIV, n.180.
THYS, Bruno. Ficção e realidade em painel dos anos 70. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 3 nov 1984, Caderno B, p.2 [BN, p.26], ano XCIV, n.209. [sobre o livro-roteiro]
NASCIMENTO, Hélio. Em busca do espaço perdido. Filme Cultura, Rio de Janeiro, mar 1985, p.93-94, n.45.
FRÓES, Maria Lúcia. Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 abr 1986.
PENIDO, José Márcio. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 25 abr 1986.
EMEDIATO, Luiz Fernando. A Gazeta, Rio de Janeiro, 15 set 1986.

Exibições


• Gramado (RS), 12º Festival do Cinema Brasileiro de Gramado [9-14 abr]-Mostra Competitiva Longa-metragem, Cine Embaixador, 9 abr 1984, seg, 20h30 + 10 abr, ter, 9h30

• Porto Alegre (RS), Auditório da Assembleia Legislativa, 9 maio 1984, qua (pré-estreia)

• Porto Alegre (RS), Scala,
25-31 maio 1984, sex-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
1º-7 jun 1984, sex-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
8-14 jun 1984, sex-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
15-21 jun 1984, sex-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
22-28 jun 1984, sex-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
29 jun-5 jul 1984, sex-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
6-12 jul 1984, sex-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

• Porto Alegre (RS), Coral,
25-31 maio 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
1º-7 jun 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
8-14 jun 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
15-21 jun 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
22-28 jun 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
29 jun-5 jul 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
6-12 jul 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h

• Porto Alegre (RS), Cine ABC,
13-19 jul 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
20-26 jul 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h
27 jul-2 ago 1984, sex, sab, 20h, 22h, dom, 14h30, 16h30, 20h, 22h, seg-qui, 20h, 22h

• Porto Alegre (RS), Cine Baltimore, 3-9 ago 1984, sex-qui, 16h, 20h, 22h
[Porto Alegre: 11 semanas consecutivas em diferentes salas]

• Novo Hamburgo (RS), Avenida, 25 maio 1984, sex

• São Leopoldo (RS), Brasil, 25 maio 1984, sex

• Caxias do Sul (RS), Cine Theatro Central,
8-14 jun 1984, sex, 20h15, sab, 19h30, 21h30, dom, 14h, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h15
15-21 jun 1984, sex, 20h15, sab, 19h30, 21h30, dom, 14h, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h15
22-28 jun 1984, sex, 20h15, sab, 19h30, 21h30, dom, 14h, 19h30, 21h30, seg-qui, 20h15

• Santa Maria (RS), Cine Glorinha, 15 jun 1984, sex

• Rio Grande (RS), Cine Sete de Setembro, 20 jul 1984, sex

• Florianópolis (SC), Cine São José, 9 ago 1984, qui (pré-estreia)

• Florianópolis (SC), Cine Cecomtur, 17 ago 1984, sex

• Curitiba (PR), Cine Astor (Voluntários da Pátria), 20-26 set 1984, qui-qua, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

• Rio de Janeiro (RJ), Art-Casashopping (Av. Alvorada, Via 11, 2.150, Barra da Tijuca) Sala 1 (322 lugares),
29, 30 set 1984, sab, dom, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h [estreia da sala]
5 out, sex, 15h20, 17h, 18h40, 20h20, 23h
12 out, sex, 15h, 16h40, 18h20, 20h, 21h40

• Rio de Janeiro (RJ), Ricamar (Av. Copacabana, 360),
1º out 1984, seg
12 out, sex, 14h10, 16h, 17h50, 19h40, 21h30

• Rio de Janeiro (RJ), Bruni (Tijuca), 1º out 1984, seg

• Curitiba (PR), Groff (15 de Novembro), 3-7 out 1984, qua-dom, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

• Niterói (RJ), Cine Arte UFF, 26, 27, 30, 31 out 1984, sex, sab, ter, qua, 16h10, 18h, 19h50, 21h40

• Recife (PE), Trianon, 19-22 dez 1984, qua, qui, 14h10, 16h, 17h50, 19h40, 21h30, sex, sab, 14h10, 16h, 17h50, 19h40

• Brasília (DF), Cine Brasília (EQS, 106-107),
4-10 fev 1985, seg-qui, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h, sex, 14h, 16h, 18h, sab, 14h, 16h, dom, 14h, 22h
11-17 fev 1985, seg-qua, 14h, 16h, 18h, qui-dom, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h
18, 19 fev 1985, seg, ter, 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

• Porto Alegre (RS), Mostra de filmes premiados em Gramado [21 mar-7 maio + 12-17 maio], Cinemateca Paulo Amorim-[Sala Paulo Amorim],
5-7 maio 1985, dom-ter, 18h30, 20h30
16 maio 1985, qui, 21h

• Curitiba (PR), Groff (15 de Novembro), 13-15 set 1985, sex-dom

• Porto Alegre (RS), Retrospectiva cinema gaúcho [16 set-6 out], Cinemateca Paulo Amorim-[Sala Paulo Amorim], 4 out 1985, sex, 19h, 21h (+ Nesta data querida + Siglas do golpe + Temporal)

• Rio de Janeiro (RJ), Cineclube Macunaíma (R. Araujo Porto Alegre, 71 / 9º andar), 9 nov 1985, sab, 19h

• Caxambu, 2º Festival de Caxambu do Cinema Brasileiro [9-14 dez]-Mostra Competitiva, dez 1985

• São Paulo (SP), CineSesc,
25 abr-1º maio 1986, sex-qui
2-8 maio 1986, sex-qui

• Porto Alegre (RS), Mostra do cinema gaúcho [21-24 ago], Cinemateca Paulo Amorim, 24 ago 1986, dom, 17h, 19h, 21h (+ O Maravilhoso espanto de viver + No amor)

• Niterói (RJ), Cinema gaúcho anos 80, Cine Arte UFF, 26, 27 ago 1986, ter, qua, 15h30, 17h30, 19h30, 21h30

• Rio de Janeiro (RJ), Cinema gaúcho anos 80, Cineclube Estação Botafogo (R. Voluntários da Pátria, 88), 29-31 ago 1986, sex-dom, 15h30, 17h30, 19h30, 21h30 (+ O Bom pastor)

• Rio de Janeiro (RJ), Cinema gaúcho anos 80, Candido Mendes (R. Joana Angélica, 63, Ipanema), 30, 31 ago 1986, sab, dom, 15h30, 17h30, 19h30, 21h30 (+ O Bom pastor)

• Caxias do Sul (RS), Auditório do Bloco H, da UCS, 1º, 2 dez 1987, ter, qua, 20h

• Porto Alegre (RS), Mostra da Casa de Cinema, Ponto de Cinema-Sesc, 18 ago 1988, qui

• Porto Alegre (RS), TVE RS, Telecine Brasil, 17 set 1988, sab

• Rio de Janeiro (RJ), TVE-Canal 2, 7 jan 1989, sab, 21h30

• Porto Alegre (RS), Mostra Fotogramas gaúchos / XXX Semana de Porto Alegre [27 mar-2 abr], Cinemateca Paulo Amorim-Sala Paulo Amorim, 29 mar 1989, qua, 19h, 21h + 31 mar, sex, 19h

• Rio de Janeiro (RJ), Cineasta do mês, CCBB Centro Cultural Banco do Brasil, 29 jun 1993, ter

• Porto Alegre (RS), Sala P. F. Gastal,
jul 1999
3-8 ago 1999, ter-dom

• Canal Brasil, 5 mar 2002, ter

• Porto Alegre (RS), Mostra O Essencial de Gerbase [27 maio-2 jun], Cine Santander Cultural,
27 maio 2004, qui, 14h30, 16h15, 18h, 20h (especial de aniversário 20 anos do filme com a presença dos atores e técnicos)
28-31 maio-1º, 2 jun 2004, sex-sab, seg-qua, 14h30, 16h15, dom, 15h, 17h
3-5 jun 2004, qui, sex, 14h30, 16h30, sab, 14h30

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Verdes anos. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/220/verdes-anos. Acesso em: 23 de fevereiro de 2024.