O Guri (2011)

Brasil (RS-SP)
Longa-metragem | Ficção
HD, cor, 94 min

Direção: Zeca Brito.
Companhia produtora: Delicatessen Filmes; Besouro Filmes; Goiabada Productions; Muiraquitã Filmes; Coletivo Inconsciente; Avalanche; Maria Cultura

Primeira exibição: Bagé (RS), Cine 7 (Av. Sete de Setembro, 1.062), 7 jul 2011, qui (pré-estreia, dentro das comemorações do aniversário de 200 anos do município)

 

No livro Mitos e lendas do Rio Grande do Sul (1996), o pesquisador Antonio Augusto Fagundes destaca que no sul do Brasil sempre foi muito forte o folclore relacionado ao lobisomem. A origem da narrativa remonta à Grécia antiga, quando já se falava na figura do Licantropo, algo conhecido como o lobo-homem. Na Roma, o ser era conhecido como Versipélio, alguém que poderia mudar de forma da noite para o dia. Um dos mais antigos enredos fantásticos, tem como seu principal atrativo abordar o receio da perda do controle de um indivíduo sobre o seu próprio corpo. Essa transformação de um ser humano em animal rendeu filmes marcantes como O Lobisomem (The Wolf Man, George Waggner, 1941, US) e Um Lobisomem americano em Londres (An American werewolf in London, John Landis, 1981, US-UK). Em território latino-americano, as abordagens incluem Nazareno Cruz y el lobo (Leonardo Favio, 1975, AR) ou adaptações gaúchas mais cômicas, como o curta Lua de uma noite cheia (Vilson Santanense, 2009), ou violentas, caso do média Síndrome de lobisomem (Cláudio Guidugli, 2014).

Ao contrário dos exemplares estrangeiros, nos quais existe um monstro responsável por transmitir a maldição ao morder alguém, O Guri, de Zeca Brito, sustenta a versão gaudéria da história: o lobisomem é, obrigatoriamente, o sétimo filho homem do sétimo filho homem de uma família. O protagonista é Lucas, um menino na faixa dos 8 anos de idade, que nasce no interior do estado, alguns anos antes da Guerra do Paraguai (1864-1870). Ele cresce numa rica fazenda de Bagé, cercado de figuras femininas, como a mãe Dona Maria, a avó Calixtra e a criada Miúda. Não há nenhuma presença masculina no local porque todos os homens da casa foram recrutados pelo exército, a fim de duelarem contra os "castelhanos" – soldados de origem espanhola. Sem uma referência paterna, o garoto sofre com a sombra do mito, que é pesada demais para ser carregada por alguém ainda tão novo.

Não se trata, a rigor, apenas de uma história de horror tradicional. O clima predominante é o de uma drama rural de época, com destaque para a direção de arte, os figurinos e os diálogos. Tem papel central a personagem da tia de Lucas, interpretada pela atriz Eliane Pacheco. Ela é a primeira a chamar a atenção para a maldição, antes do parto do bebê, e tenta manipular os acontecimentos a seu favor, uma vez que foi amante do pai de Lucas e não tem um bom relacionamento com a própria irmã. Quando percebe que não poderá ter o guri ao seu lado, a tia se dispõe a organizar uma cruzada contra ele, convocando a comunidade para persegui-lo – empunhando tochas, no meio da madrugada. Nesse momento, Lucas precisará enfrentar o seu destino, escolhendo entre as luzes ou as sombras, a vida e a morte.

O Guri é o primeiro longa-metragem de ficção do Rio Grande do Sul dirigido por um egresso de um curso universitário, no caso, o CRAV Curso de Realização Audiovisual da UNISINOS. Junto com o TECCINE da PUCRS, ele ajudou a formar uma primeira nova geração de cineastas, que inclui nomes como Davi Pretto, Filipe Matzembacher, Marcio Reolon, Emiliano Cunha e Lucas Cassales, entre outros. Zeca Brito fez parte da segunda turma do CRAV, e reuniu os seus contemporâneos Bruno Polidoro, Denise Marchi, Frederico Ruas e Lufe Bollini para este projeto, sendo o primeiro longa para todos. Antes, Brito dirigiu os curtas Um Filme chamado Sfincter (2006) no CRAV e Aos pés (2009). Para a série Histórias curtas da RBS TV: Um Breve assalto (2009) e O Sabiá (2010), além de clipes.

O Guri foi realizado no suporte digital e em regime de ações entre amigos com orçamento estimado em cerca de R$ 100 mil. Em entrevista à época da pré-estreia em Porto Alegre, o diretor declarou: "Não fomos aprovados em nenhum edital das leis de incentivo. Realizar um filme no interior tem a facilidade do comprometimento das pessoas. Vai-se na rádio pedir apoio e se consegue coisas como objetos de cena e transporte, estadia e alimentação para a equipe. Conseguimos apoio em equipamentos da ordem de R$ 40 mil". Nascido e criado em Bagé até os 17 anos, Brito também comentou a ligação com a cidade natal: "Compartilho a ideia de Tolstoi de falar do universo a partir do pátio de casa, pois Bagé tem um potencial visual e temático".

O elenco tem a participação do veterano Danny Gris (três filmes com Teixeirinha) e de atores de grupos teatrais de Bagé, além de profissionais mais experientes, como Sandra Alencar e Rafael Tombini – o protagonista de Porto dos mortos. O primeiro esboço foi feito em 2005, com filmagens entre 2007-2008, e montagem ao longo de 2009, em meio a problemas com o som. Após circular por Bagé, Porto Alegre, São Paulo e Portugal, o longa foi exibido pelo Canal Brasil, e depois passou a integrar o acervo da plataforma de streaming Looke.

Sinopse


Epígrafe: // "O sonho não tem lindeiros nem tapumes". João Simões Lopes Neto. //

Lucas cresce sob a sombra do mito do lobisomem, por ser ele o sétimo filho homem do sétimo filho homem de uma família. É época de demarcação de fronteiras, em que a guerra com os "castelhanos"  afasta os homens e deixa as estâncias sob controle de mulheres fortes às voltas com fatos misteriosos e violentos.

Sinopse desenvolvida:
Interior gaúcho. Dona Maria, uma mulher grávida, está deitada em uma cama. O trabalho de parto dela se inicia, em um quarto repleto de gente. Ao mesmo tempo em que há um bebê sendo trazido ao mundo, a irmã de Dona Maria se insinua para o pai da criança, em uma sala próxima. Ela pede para fugir dali, alegando que as coisas só irão piorar no futuro. O homem chega a fazer sexo com ela, mas a chama de louca por suas suposições, que incluem uma sugestão para que se mate a criança. Em meio a todo esse cenário, nasce Lucas.

O tempo passa, e os homens da casa não estão mais nela. Foram convocados para uma guerra, contra povos de origem espanhola, chamados de castelhanos. Apenas Lucas, agora um guri na faixa dos 8 anos, permaneceu na fazenda, cercado de muitas mulheres. Durante um dia, ele observa a criada Miúda tomar banho em uma cachoeira, e é repreendido por ela. Mais tarde, enquanto Lucas está almoçando com a sua mãe, surge a notícia de que as ovelhas do curral foram roubadas durante a madrugada. Dona Maria, proprietária das terras, se preocupa com a defesa do seu território, pedindo atenção com as portas e janelas.

O guri diz que quer ir para a guerra também, a fim de matar os castelhanos. Sua fala emite bastante violência: pretende degolar homens, enfiar facas em seus corpos, cortar pernas e braços, tirar cérebros e dar para os animais comerem! A mãe se preocupa com a rotina do filho e pede desculpas por não estar tão ativa em sua vida. Em um dia qualquer, a mãe, Miúda e Lucas saem de carruagem para visitar Nair, uma conhecida que mora perto. No local, todos comentam que o guri está crescendo, ficando grande, "em vias de se transformar".

Por sua vez, Miúda aconselha uma outra jovem a não confiar nos homens locais. Nair também reclama: acha que perdeu as rédeas sobre a sua estância, já que fez jogo duplo, escondendo castelhanos. Em sua visão, qualquer lado poderia vencer a guerra, sendo necessário manter boas relações com todos. Dona Maria discorda dessa postura, e prefere se manter fiel à bandeira gaúcha. Ao voltar para casa, Dona Maria fica encantada com uma imagem sua, na frente de um espelho. Ela se beija, através do vidro. Mas é surpreendida por Miúda, que informa que Calixtra, sua velha mãe, fugiu.

A avó Calixtra encontra Lucas no campo e sugere que ambos partam dali. A idosa diz que pode deixar sua fortuna para o guri, desde que ele a acompanhe. Após ingerir doces como baba de moça, ela dorme e fica momentaneamente impedida de seguir seus planos. Na madrugada, um lobo uiva, no campo. Aproveitando o silêncio da noite, Lucas invade o quarto de Miúda, e é descoberto por ela. Irritada, a jovem pragueja e lhe roga uma maldição, dizendo que o corpo dele ficará cheio de pelos, algum dia. O guri vai deitar assustado, e tem sonhos estranhos.

Ficha técnica


ELENCO
Lucas Quintana Domingues (Lucas), Sandra Alencar (mãe Dona Maria), Eliane Pacheco (Tia),
Maria Luisa Teixeira da Luz (Nair), Luiza Ollé (Miúda), Tatiana Vinhais (Ana),
Danny Gris (Pai), Rafael Tombini (Romualdo).
Participação especial: Yaya Vernieri, in memoriam (avó Calixtra).
As Mulheres: Ana Helena Macedo, Ana Lucia Silva Chagas, Beatriz Lamego, Consuelo Cuerda, Eliane Melo, Elizabete Infantini, Elvira Nascimento, Eneilda Dias Gomes, Gabriela Santana, Gilca Nocchi Collares, Gorete Quintana Domingues, Helena Uberti, Heloisa Beckman, Ingrid Ferreira, Jocelaine Aparecida Gomes, Karine Quintana, Katia Bulcão Bispo, Leiza Barsa Teixeira, Liselene Bidone, Margarida Deiro, Maria Clara dos Santos, Maria Claudia T. da Luz, Maria das Graças Garcia, Mery Uberti, Nanci Vidal Natiele, Nilva Jupira Meireles Nogueira, Nora Tecelli, Odiceia Azambuja, Paula Chagas, Rachel Beckman, Rachel Morgado, Tânia Saralegui, Visiane Colmin.
Os Homens: Célio Roberto Berchon, Ivanir Mello, Jean Guilherme Nodari, Sérgio Luis Dias.
Ana Júlia Nilson Acosta (Lucas Bebê), Gabriel Domingues (Lucas Pequeno).

Cão 1: Xiru. Responsável: Edmundo Castilhos Rodrigues,
Cão 2: Alfredo Henrique. Responsáveis: Fausto Vieira Teixeira, Neli Teixeira.

DIREÇÃO
Direção: Zeca Brito.
Assistência de direção: Angela Alegria, Márcia Paveck.
Preparação vocal: Gilca Nocchi Collares.

ROTEIRO
Roteiro: Zeca Brito.

PRODUÇÃO
Produção executiva: Bruno Polidoro, Zeca Brito.
Produção: Eliane Ferreira, Decio Matos Jr., Alexandre Sallouti, Mário Peixoto, Gustavo Leme.
Produção (Bagé): Maria Luisa Teixeira da Luz, Sapiran Brito.
Direção de produção: Matheus Walter.

Tropilha de éguas em tablado: Minga Blanco.
Carroça e cavalos: Conrado de Freitas Gonçalves, Nilva Jupira Meireles Nogueira.

Produção de set: Antônio de Paula, Denise Silveira, Jerônimo Simões Pires Pacheco.
Alimentação: Jocelaine Gomes.
Motoristas: Maque Elemar, José Ricardo Amarelo, Pedro Wayne, Selmar Lopes, Carlos Henrique Soares.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Bruno Polidoro, Pablo Escajedo.
Assistência de câmera: Edison Larronda.
Eletricistas: João Batista Bessa, Paulo Silva.

Fotografia de cena: Denise Silveira.
Making of: Edison Larronda.

ARTE
Direção de arte: Virginia Simone.
Assistência de arte: Renata Polli.
Assistência de figurino: Ana Lucia Chagas.
Costureiras: Liege Massi, Doraci Ferreira Brião.

SOM
Som: Lucas Vitrola, Denise Marchi.

MÚSICA
Trilha sonora original: Luis Felipe Damiani.
Produção de direitos autorais: Decio Matos Jr., Leo Garcia.

Temas:
• "O Guri" (Luis Felipe Damiani)
• "Perseguição Miúda" (Luis Felipe Damiani)
• "A Redenção" (Luis Felipe Damiani)
• "Morte" (Luis Felipe Damiani)

Trilha sonora pesquisada:
• Trio Clorofila – Trilha sonora da peça Salamanca do Jarau, direção: Sapiran Brito, Bagé, 1986
• "Qué he sacado con quererte" (música, letra: Violeta Parra; lamento mapuche) por Violeta Parra (voz) [créditos finais]

FINALIZAÇÃO
Montagem: Frederico Ruas, Lufe Bollini.

Créditos e identidade visual: Luiza Ollé.

Ruídos de sala: Augusto Stern.
Gravação de ruídos de sala: Fernando Efron.
Captação de ambientes: Sérgio Guidoux.
Gravação e mixagem trilha sonora: Tiago Bello.
Edição de efeitos sonoros: Alexandre Kumpinski.
Edição de som e mixagem: Tiago Bello.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Estúdio de ruídos de sala: Bunker Sound Design (Porto Alegre).
Estúdio de dublagem: Gogó Conteúdo Sonoro (Porto Alegre).
Tree Top (André Sittoni): Kiko Ferraz Studios (Porto Alegre).
Estúdio de gravação da trilha sonora: Kiko Ferraz Studios (Porto Alegre).
Estúdio de edição de som e mixagem 5.1: Gogó Conteúdo Sonoro (Porto Alegre).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Delicatessen Filmes; Besouro Filmes (Porto Alegre); Goiabada Productions; Muiraquitã Filmes (São Paulo); Coletivo Inconsciente.
Coprodução: Avalanche (Porto Alegre); Maria Cultura (Porto Alegre).
Apoio: Apema Porto Alegre Locação de Equipamentos de Produção Cinematográfica; Prefeitura Municipal de Bagé; Secretaria Municipal de Cultura (Bagé); Secretaria Municipal de Saúde (Bagé); Secretaria Municipal de Educação (Bagé); PROCIBA; COPESUL Companhia Petroquímica do Sul / Braskem; Lojas Obino; Mistura da Terra; Otto Desenhos Animados; Clínica Previtali; Correaria Tio Quinca; Hotel Cassino.
CMT DO 3º Comando SCI – Corpo de Bombeiros de Bagé, capitão Max Geraldo Meinke, sargento Joel Brasil, sargento Cleber Adolfo, soldado Sandro Vasconcelos.
Escola de Natação Netuno; Associação Rural de Bagé; Coral Auxiliadora; Brava – Sistema de prevenção contra incêndios; Lamego & Lamego Advogados Associados; NPAV (Flores da Cunha); Pizzaria La Piedra; Pizzaria Don Corleone; Restaurante Velho Capitão; Parrillada La Marca; Restaurante Arlindo; Arroz Corradinni; Objetiva Propaganda; Estratégia Propaganda; Venturini Produções; ArteSom; Rádio Clube de Bagé; Foto Lírio; Foto Evereste; Posto Jardim do Castelo; Antiquário Múmia; Mini Brique / seu Telmo; Jornal Minuano; jornal Correio do Sul; Ouro e Prata (Bagé).
CEEE Gerência Regional de Bagé.
Estância do Valente: João Manuel Saraiva Vieira, Sandro Alex Oliveira Alvira, Marino Quintana dos Santos, Paulo Sergio Rodrigues, João Carlos Campos Silveira, Valdemar Medeiros Gonçalves, Elizete Lopes Rodrigues, Ana Lucia Saraiva Vieira.
Estância da Boa Vista: Mario Cesar Lisboa, Elizabete Lisboa.
Barco: Abrilina Lopes Marques, Maria Rejane Marques, Joel Lopes Marques.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos especiais: Jussara Carpes, Luis Fernando Mainardi, Hilton e Maciel / Apema Locação de Equipamentos de Produção Cinematográfica, Minga Blanco, Luis Eduardo 'Dudu' Colombo, Sapiran Brito, Maria Luisa Teixeira da Luz.
Agradecimentos: Alfredo Acosta, Adriana Brito de Moraes, Alcíbio Franco, Alfredo Acosta Junior, Alfredo Barros, Ana Lúcia G. Pereira, Ana Luisa Martins, André Ferreira da Rocha, André Previtali, André Sittoni, Anico Herskovitz, Antônio Valls, Aristides Kucera, Armando Baralde, Aurora Miranda Leão, Beatriz Lamego, Beto Rodrigues, Carlos Scliar, Chacrinha, Cid Nader, Claudia Brito da Rosa, Claudia Ollé, Cris Gomes, Danúbio Vilamil Gonçalves, Décio Laorgue, Deise Soares, Didio, Dudu Lamego, Duliani Nilson Acosta, Edmundo Rodrigues, Eduardo Mendes, Eduardo Lamego, Elizabete Lisboa, Enio Pantaleão, Fatimarlei Lunardelli, Federico García Lorca, Fernando Brito Rosa, Fernando Mantelli, Giba Assis Brasil, Gicelda Simões Pacheco, Gilmar de Quadros, Gladimir Aguzi, Glauber Pereira, Glauco Rodrigues, Glênio / Objetiva Propaganda, Gustavo Ferreira, Hebe Sallis, Hiltom Benitez, Jaime Vaz Brasil, Jair Alves, Januário Pires, Jean-Claude Bernardet, Jessica Luz, João Carlos Franco, João Manoel Saraiva Vieira, Joaquim Moraes, José Claudio e a Manequim Gleusa, Juliano Carpejiane, Karla Monique Klopsch, Laís Coutinho de Brito, Loreta Soares Rodrigues, Lúcia Ollé, Luis Carlos Benfica, Luis Fausto Vieira Teixeira, Luiz Mario Belleza, Luiz Rosemberg Filho, Manif Jorge Kouri, Marcia Mainardi, Marcia Souza, Marcos Contreras, Marina Polidoro, Mario Cesar Lisboa, Mario Rosa, Martha Babbot, Martim Luiz da Luz, Mirabeau Borba dos Santos, Neli Teixeira, Nildinho Franco, Onélia Franco, Otto Guerra, Paulo Falcão, Peraça, Rafael Ferretti, Raquel Acosta, Roberto Seixas, Rodolfo Figurele, Romulo Figurele, Rosele Safons do Couto, Sávio Machado, Seu Jeremias, Seu Lair, Silvia Dourado, sr. Venturini e Venturini Produções, Taiane Sawada, Tatiana Nequete, Teresa Poester, Terezinha dos Santos, Tiago Coelho, Vera Gonçalves, Vitor Necchi.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Bagé; Aceguá.
Período: 2007 e 2008.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:34:29
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição: HD

DIVULGAÇÃO
Ilustração para cartaz: Glênio Bianchetti.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: 16 anos.
Contato: Zeca Brito.

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // © 2011 Delicatessen Filmes, Besouro Filmes, Goiabada Productions, Muiraquitã Filmes e Coletivo Inconsciente //
Maria Luisa Teixeira da Luz e Sapiran Brito são os pais do diretor.

Títulos alternativos: The Boy
Grafias alternativas: Iaia Vernieri (iniciais) e Yaya Vernieri (finais) | Virgínia Simoni (iniciais) e Virginia Simone (finais) | Renata Poli (iniciais) e Renata Polli (finais) | Edson Larronda | Sérgio Kalil | Leonardo Garcia | Apema | Gogó | Bunker Studio | Marilu Teixeira
Grafias alternativas (funções): Fotografia still | Catering | Artista de ruídos de sala (cf. créditos)

BIBLIOGRAFIA
FAGUNDES, Antonio Augusto. Mitos e lendas do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1996.

Noticiário:
PERRONE, Marcelo. Lobisomem em Bagé – Longa-metragem O Guri tem sessão de pré-estreia na capital. Zero Hora, Porto Alegre, 20 out 2011.

Exibições


• Bagé (RS), Cine 7 (Av. Sete de Setembro, 1.062), 7 jul 2011, qui (pré-estreia, dentro das comemorações do aniversário de 200 anos do município)

• Porto Alegre (RS), Cine Santander Cultural,
20 out 2011, qui, 19h (pré-estreia, comentada com diretor e equipe)
16-22 nov 2011, qua-seg, 17h, 19h, ter, 17h
23, 24 nov 2011, qua, qui, 17h, 19h

• São Paulo (SP), Cinefantasy 6º Festival Internacional de Cinema Fantástico [24 nov-4 dez]-Mostra Competitiva Internacional,
Biblioteca Viriato Correa, 26 nov 2011, sab, 19h
CCSP Centro Cultural São Paulo, 4 dez 2011, dom, 18h

• Bagé (RS), 3º Festival Internacional de Cinema da Fronteira [10-17 dez], Centro Histórico Vila de Santa Thereza-Teatro Santo Antônio (Av. Visconde Ribeiro de Magalhães), 15 dez 2011, qui, 20h

• Lisboa (PT), FESTin 3º Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa [9-16 maio]-Competição Longa-metragem, Cinema São Jorge (Av. da Liberdade, 175) Sala Manoel de Oliveira, 11 maio 2012, sex, 16h

• Seia (PT), CineEco XVIII Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela [6-13 out]-Panorama Brasil, Casa Municipal da Cultura de Seia-Cineteatro, 8 out 2012, seg, 15h

• Canal Brasil, 25 ago 2014, seg, 00h15

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
O Guri. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/227/o-guri. Acesso em: 22 de fevereiro de 2024.