O Risco – Lucio Costa e a utopia moderna (2003)

Brasil (RJ-SP)
Longa-metragem | Não ficção
35 mm, cor, 76 min

Direção: Geraldo Motta Filho.
Companhia produtora: Bang Bang Filmes; Teleimage; Casa de Lucio Costa

Primeira exibição: Rio de Janeiro (RJ), Arte Sesc (R. Marquês de Abrantes, 99, Flamengo), 3 jun 2003, ter, 20h (lançamento do filme + livro)
Primeira exibição RS: Gramado (RS), 31º Festival de Gramado – Cinema Brasileiro e Latino [18-23 ago]-Mostra Competitiva Longa-metragem Documentário, Palácio dos Festivais, 22 ago 2003, sex, 16h30

 

Lucio Costa (Toulon, FR, 1902. Rio de Janeiro, RJ, 1998) é uma das raras personalidades na história do Brasil que permitem cruzar a sua história individual com a construção da nação de maneira muito natural e aberta. Através de imagens realizadas pela produção, de imagens filmadas pelo próprio Lucio Costa, desde os anos 30 até os anos 60 do século XX, em seus registros de viagem, com sua câmera 8 mm adquirida em viagem realizada em 1938 a Nova York e de vasto material de arquivos nacionais e internacionais, este documentário narra, através da trajetória do arquiteto e urbanista, o processo de "formação" da arquitetura moderna brasileira.

Além dos filmes domésticos, O Risco – Lucio Costa e a utopia moderna reúne trechos de inúmeros materiais audiovisuais das mais diversas procedências como entrevistas para a TV e filmes dos irmãos Botelho (dos anos 20), Humberto Mauro (Cidade do Rio de Janeiro, 1948), Vladimir Carvalho, Walter Lima Júnior, Haifa Sabbag etc..

Geraldo Motta Filho começa sua carreira cinematográfica em 1997 depois de licenciar-se em Filosofia pela UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro. Assistente de direção em filmes publicitários e em longas como Copacabana (Carla Camurati), Sonhos tropicais (André Sturm), Desmundo (Alain Fresnot), Seja o que Deus quiser (Murilo Salles). Corroteirista de O Silêncio da chuva, projeto de Murilo Salles. Faz parte da equipe de Chatô – O rei do Brasil (Guilherme Fontes). O Risco – Lucio Costa e a utopia moderna é seu primeiro longa como diretor.

No documentário há um trecho sobre o o projeto de Costa para o Museu das Missões, o que justifica sua inclusão no Portal.

Sinopse


Lucio Costa (Toulon FR 1902. Rio de Janeiro RJ 1998), arquiteto e urbanista. A culpa pelo trágico acidente que matou sua esposa, Leleta. A vinda de Le Corbusier ao Brasil e a construção do Ministério da Educação e Saúde (atual Palácio Gustavo Capanema, RJ, 1936-37). A viagem para Diamantina em 1924 e a descoberta do passado. A natureza e a paisagem como controles do projeto arquitetônico. A construção de Brasília. A Feira Mundial de Nova York em 1939 e o pavilhão do Brasil. A viagem para Portugal em 1948. O Museu das Missões (RS, 1937), o Park Hotel (RJ, 1944), o Parque Guinle (RJ, 1948).

Depoimentos sobre imagens do Museu das Missões:
De Maria Elisa Costa: "Eu acho que pra ele tudo era simultâneo. Então não acho que seja volta ao passado. Eu acho que é procurar as permanências. Ele é um estabelecedor de elos, de links. O que é permanente? O que é que dura? Como é que eu ligo uma coisa com a outra? E sem preconceito. Você vê o Museu das Missões, exemplar, ele estava fazendo o Ministério (...) ele fez (...) com os cacos que tinha e completou com o que precisava, colocou um telhado de quatro abas e botou esquadrias de vidro que nem o Ministério. Uma naturalidade total. O tempo é um só dentro da cabeça dele".

De Guilherme Wisnik (editado, cf. o livro do filme, p.193, 196): "Apesar de muito diferentes do ponto de vista formal, e da linguagem empregada, os projetos do Ministério da Educação e do Museu das Missões, que têm apenas um ano de diferença, apresentam semelhanças incríveis, que estão na ordem do raciocínio de como o edifício atua urbanisticamente. No projeto do Ministério, feito com toda aquela equipe, o edifício é vazado no térreo, abrindo uma praça que o Plano Agache não permitiria. No caso do Museu das Missões, o edifício implantado em L em relação à catedral, pelo modo como se coloca, recupera a existência e a dimensão da antiga praça da Redução Missioneira. E isso é fantástico porque é uma relação intelectual que está posta para além da forma, em que o edifício supera sua dimensão unitária e transforma-se em um projeto de urbanização. Então, nos dois casos, há um projeto de urbanização contido no projeto do edifício. E no projeto do Museu das Missões, Lucio Costa, agora sim sozinho, demonstra que compreendeu perfeitamente esse raciocínio moderno. E talvez esteja surgindo aí o Lucio Costa urbanista".

Ficha técnica


IDENTIDADES
Arquivo: Lucio Costa, Leleta (esposa de Lucio), Le Corbusier.
Ordem de identificação: Oscar Niemeyer (arquiteto), Maria Elisa Costa (filha de Lucio Costa, arquiteta), Helena Costa (filha de Lucio Costa), Ívna Duvivier (prima de Lucio Costa), Ítalo Campofiorito (arquiteto, urbanista), Lauro Cavalcanti (arquiteto, antropólogo), Sophia Telles (professora de teoria da arquitetura), Yves Bruand (historiador de arquitetura, em francês), Sérgio Ferro (arquiteto, artista plástico), Otília Arantes (professora de estética), Mario Carneiro (cineasta), Guilherme Wisnik (arquiteto), Ciro Pirondi (arquiteto), Jorge Hue (arquiteto, sociólogo).

DIREÇÃO
Direção: Geraldo Motta Filho.
Assistência de direção: Eduardo Guedes.

ROTEIRO
Roteiro: Geraldo Motta Filho, Guilherme Wisnik.
Consultoria: Mario Carneiro, Ítalo Campofiorito.
Pesquisa: Clícea Maria, José Pessoa, Ludmila Ferolla, Maria Eduarda Tavares.
Transcrição de entrevistas: Alexande Muniz, Antônio Fernandes, Érica Mendes, Flávio Magalhães, Gregório Marins, Lélio Polessa, Kassandra Monteiro.
Tradução: Jorge Bastos, Roberto Leusin.

PRODUÇÃO
Produção: Juliana Simões de Carvalho, Geraldo Motta Filho.
Produção executiva: Juliana Simões de Carvalho.
Produção de filmagens: Luciana Motta, Endyara Mendonça.
Estagiárias: Carolina Pernisa, Renata Cerqueira.

Platô: Flávia Santos.
Motoristas: Fabinho, Ricardo, Gilmar, Evandro, Gustavo.
Segurança: Nery Olímpio da Fonseca, Anderson Oliveira da Fonseca.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Mario Carneiro, Pedro Ionescu.
Operação de câmera: Gilberto Otero, Mario Carneiro, Pedro Ionescu, Renata Fernandes.
Assistência de câmera: Sérgio Guitton.
Operação de steadicam: Fabrício Tadeu.
Operação de grua: Fernando Ligeirinno.

Eletricistas: Edinho, Zito, Wallace.
Maquinistas: Joversi Souza Silva, Vitor da Silva Gonçalves.

ARTE
Projeto gráfico e animações: Toni Cid, Fernanda Lins, Alvaro Barata, Thiago Pires.

SOM
Som direto: Valéria Ferro, Juarez Dagoberto, Gabriela Cunha, João Godoy, Vladimir Martins.

MÚSICA
Música original: Cacá Machado.
Músicos: Vanessa da Mata (vozes), Ana Fridman, Thiago Cury, Cacá Machado (piano), Iberê de Siqueira (violoncelo), Maicira Trevisan (flautas), Guilherme Kastrup (percussão, ed. protools), Cacá Machado, Marcos Azambuja (teclados, prog. de timbres, ed. protools).
Produção musical: Cacá Machado, Thiago Cury.
Técnicos de som – gravação da música: Eduardo Avellar, Cacá Machado.

Músicas adicionais:
• "Trenzinho caipira (cantinela da Bachiana n.2)" (música: Heitor Villa-Lobos). Arranjo: Ana Fridman, Cacá Machado. Produção musical: Cacá Machado
• "Prelúdio n.4" (música: Heitor Villa-Lobos) arranjo e interpretação por Nivaldo Ornelas // Editora: Mayomel Music
• "Suíte Chorata – Abertura" (música: Wagner Tiso) por Wagner Tiso e Orquestra de Câmara de Curitiba // Gentilmente cedida por Trem Mineiro Edições Musicais
• "Variações sobre uma chacone de H. Purcell " (música: Thiago Cury, Cacá Machado). Arranjo, produção musical: Thiago Cury, Cacá Machado) // Direto
• "Tema para Simone Mina" (Vanessa da Mata). Arranjo, produção musical: Thiago Cury, Cacá Machado) // Direto
• "Suíte n.4" (música: Marcos Antônio Guimarães) por Marcos Antônio Guimarães // Direto
• "Suíte n.5" (música: Marcos Antônio Guimarães) por Marcos Antônio Guimarães // Direto
• "Quarteto de cordas n.1 – Cançoneta (Andantino quasi allegretto)" (música: Heitor Villa-Lobos) por Quarteto Bessler-Reis // Kuarup

ARQUIVO
Restauração física das películas: Patrícia de Filippi.

Filmes (ordem de inserção):
Filmes domésticos em 8 mm (Lucio Costa, 1938-1970): Viagens a Portugal, 1948; Villa Savoye (Poissy, FR); de sua estadia em Nova York (US) com Leleta, Maria Elisa, Oscar, Anita e Ana Maria Niemeyer, entre 1938 e 1939.
Entrevista com Lucio Costa (Haifa Sabbag, 1984).
Brasília – Uma sinfonia (Regina Martinho da Rocha, 1986).
Brazil builds Brasília (René Persin, 1954).
Brasília, segundo Feldman (Vladimir Carvalho, 1979).
Arquitetura moderna (Produção: Paul Stille, 1941-1960).
Itinerário de Niemeyer (Vladimir Carvalho, 1973).
Arquitetura – Transformação do espaço (Walter Lima Júnior, 1972).
Primeiras imagens de Brasília (autor desconhecido, 1957-1960).
Banco de Imagens Sérgio Bernardes (Sérgio Bernardes, 2000).
Entrevista com Lucio Costa (Moacir de Oliveira, 1988).
Cenas familiares de Manuel Melo Machado (Manuel Melo Machado, 1920).
Brasil maravilhoso (Alberto Botelho, Paulino Botelho, 1928).
Zeppelin no Rio (Alberto Botelho, 1930).
Cidade do Rio de Janeiro (Humberto Mauro, 1948).
Coletânea de trechos de Silvino Santos (Silvino Santos, 1920-1935).
Viagem do exmo. sr. Arthur Bernardes (Produção: América Cine-Álbum do Brasil, 1921).
Diamantina – Patrimônio da humanidade (Moacir de Oliveira, 1999).
A Invenção de Brasília (Renato Barbieri, 2001).
Brasília, planejamento urbano (Fernando Coni Campos, 1964).
Brasília, um roteiro de Alberto Cavalcanti (Antonio Carlos da Fontoura, 1982).
Imagens de Brasília (Juarez Precioso, 1999).
Brasília – O Brasil está aqui (André Luiz Oliveira, 1999).
Entrevista de Lucio Costa para Thiago de Mello (Rede Globo de Televisão, 1984).
Conterrâneos velhos de guerra (Vladimir Carvalho, 1991).
Brasília – Final de construção e inauguração (Noel Nutels, 1960).
New York World's Fair (1939) // Filmes amadores-Coleções Medicus.
O Aleijadinho (Joaquim Pedro de Andrade, 1978).
Fotos do Grande Hotel de Ouro Preto (Danilo Matoso Macedo, 2002).
Lucio Costa com as alunas (Mario Carneiro).
Viajando pelo Rio Grande (Karine Emerich, 2000).

FINALIZAÇÃO
Montagem: Mair Tavares.
Editora assistente: Célia Freitas.

Supervisão de som: José Moreau Louzeiro.
Edição de som: Carlos Cox.
Mixagem: Alexandre Veiga.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Câmera: DVCam DRS 500 / Jean Marie.
Equipamento de luz: Apema; Maico Luz; Quanta.
Dolly: Sunshine.
Transporte: Road Star.
Final Cut Pro: Célia Freitas.
Sonic Solution / Protools: Meios & Mídia Comunicação.
Print master: JLS (São Paulo) / José Luiz Sasso.
Estúdios de gravação da música: Santa Marcelina; Estúdio Gaia.
Laboratório de som: Curt Alex.
Laboratório de imagem: Labocine; Casablanca.
Finalização: Teleimage.
Contabilidade: Núcleo Contábil.
Auditoria: Darse Arimatéa & Assunção Ltda..
Líder da colocação pública: Equity CP C.C.V. S.A.. Coordenação: Destak Participações e Serviços Ltda..

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Bang Bang Filmes (Rio de Janeiro).
Coprodução: Teleimage (São Paulo).
Produção associada: Helena Guimarães Costa, Maria Elisa Modesto Guimarães Costa, Rachel Reznik; Casa de Lucio Costa.
Financiamento de finalização (BR/RJ): Riofilme / Secretaria Municipal das Culturas / Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro).
Captação de recursos: através das seguintes leis:
Lei do Audiovisual Lei nº 8.685/93 / MinC Ministério da Cultura;
Lei de Incentivo à Cultura Lei nº 8.313/91 (Lei Rouanet) / MinC Ministério da Cultura.
Patrocínio: BR Petrobras; Eletrobras; BNDES; Infraero – Aeroportos brasileiros; Caixa Econômica Federal.
Apoio cultural: Consulado Geral da França-République Française; Trade – Produção Comunicação; Blue Tree Towers – Faria Lima; DECINE CTAv Centro Técnico Audiovisual (Rio de Janeiro); IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional; MRE Ministério das Relações Exteriores-Departamento Cultural e de Divulgação; Quanta; Sesc Rio de Janeiro.
Este filme foi produzido com apoio do Ministério da Cultura, através da Secretaria para o Desenvolvimento do Audiovisual.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos especiais: Maria Elisa Costa, Helena Costa, Geraldo Motta, general Zenildo Lucena, general Antônio Burgos, Moacir de Oliveira, Rachel Reznik, Nadja Bastos Quintella, Lygia Martins Costa, Lucia de Meira Lima, Hugo Segawa, Pedro Fiori Arantes, Roberto Botelho Carneiro Lins, Thiago de Mello, Wally Salomão, Wellington Pereira de Oliveira.
Agradecimentos: Acervo Fundação Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro), Alayde Maria Eulálio Neves, Alfredo Britto, Alice Biato, Aluizio Didier, Ana Luiza Nobre, Antônio Molina, Arquivo Nacional (Rio de Janeiro), Arquivo Público do Distrito Federal, Arquivo Solar Grandjean de Montigny (Centro Cultural da PUC-Rio), Bernardo Blanquie, Bertha Noevna Nutels, Beth Formaggini, Brasiliana Produções Artísticas, CaradeCão Filmes (Rio de Janeiro), Claudia Braga Gaspar, Claudinei Barino, Fundação Getúlio Vargas / CPDOC, Consulado Francês, Editora Nova Fronteira, Estúdios Mega, Edgar Duvivier, Eduarda Duvivier, FAUUSP Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade de São Paulo, Fondation Le Corbusier, Fundação Roberto Marinho, Gilberto Murtinho Nobre, Haifa Sabbag, IAB Instituto de Arquitetos do Brasil, INA Institut National de l'Audiovisuel, Instituto Lina Bo e P. M. Bardi, Jacques Barsac e Pernette Perriand, Joatan Vilela, Jockey Club Brasileiro (Sede Centro, Rio de Janeiro), Jorge Czajkowski, José Rubens Hirsch, Julieta Sobral, Livraria Prolivros (Museu da Casa Brasileira, São Paulo), Luah Guimarãez, Luiz Carlos Barreto, Lula Carvalho, Magic Master, Maison du Brésil, Marcelo Florião, Marcos Mendes, Maria Cristina Burlamaqui, Maria Helena Flores Guinle, Maria Teresa Lustosa de Carvalho, Mariana Bacan, Marilia Martins, Mario Cesar Carvalho, Maurício Bussab, MIS Museu da Imagem e do Som (Rio de Janeiro), MAM Rio Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Museu Histórico Nacional (Rio de Janeiro), Museu Nacional de Belas Artes (Rio de Janeiro), Olivia Byington, Palácio Gustavo Capanema (Rio de Janeiro), Palácio Pedro Ernesto (Rio de Janeiro), Projeto Portinari, Regina Martinho da Rocha, Roberto Mainieri, Roberto e Maria Inês Ferreira Guimarães, Sílvia Fraiha, Sociedade Grupo Ecológico Frente Verde, Tiza Lobo, Vladimir Carvalho, VideoFilmes, Walter Carvalho.

Dedicatória: Este filme é dedicado a José Reznik.

FILMAGENS
Brasil /
DF, em Brasília;
RJ, no Rio de Janeiro, em lugares como: Palácio Gustavo Capanema, 1936-1937; Outeiro da Glória; Parque Guinle, 1948;
MG, em Diamantina; Ouro Preto (Park Hotel, 1944);
SP, em São Paulo;
RS, em São Miguel das Missões (Museu das Missões, 1937).

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:16:06 (YouTube)
Metragem: 1.870 metros
Número de rolos:
Som: Dolby Digital
Imagem: cor / pb em materiais de arquivo
Proporção de tela: 1.85
Formato de captação:
Formato de exibição: 35 mm

PREMIAÇÃO
• 31º Festival de Gramado 2003: prêmio especial do júri "pela pesquisa e a recuperação de imagens de um dos maiores personagens da cultura brasileira".
• 14º Cine Ceará 2004: prêmio especial do júri.
• Festival de Cinema de Maringá 2004: melhor documentário.
• Festival de Varginha 2004: melhor direção.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: Livre.
Contato: Bang Bang Filmes.

OBSERVAÇÕES
Créditos finais: // Direitos autorais reservados a seus titulares. // © 2003 Bang Bang Filmes, Rio de Janeiro, Brasil //
Informações de ficha técnica cotejadas com o livro organizado por WISNIK, 2003.

Títulos alternativos: The Line – Lucio Costa and the modern utopy
Grafias alternativas: Joversir Vodu | Olívia Byngton | Jockey Clube Brasileiro

BIBLIOGRAFIA
WISNIK, Guilherme (org). O Risco – Lucio Costa e a utopia moderna: depoimentos do filme de Geraldo Motta Filho. Rio de Janeiro: Bang Bang Filmes Produções, 2003. 255p. il.

Noticiário:
FREITAS, Conceição. Lucio Costa, o filme – Documentário dá reconhecimento ao criador de Brasília. Imagens do urbanista e da construção da cidade se mesclam a depoimentos que revelam a vida e a obra do mestre. Correio Braziliense, Brasília, 19 jul 2003, Cultura, p.1.

Exibições


• Rio de Janeiro (RJ), Arte Sesc (R. Marquês de Abrantes, 99, Flamengo), 3 jun 2003, ter, 20h (lançamento do filme + livro)

• Gramado (RS), 31º Festival de Gramado – Cinema Brasileiro e Latino [18-23 ago]-Mostra Competitiva Longa-metragem Documentário, Palácio dos Festivais, 22 ago 2003, sex, 16h30

• Rio de Janeiro (RJ), 5º Festival do Rio [25 set-9 out]-Première Brasil,
Odeon BR, 1º out 2003, qua, 17h
Casa de Rui Barbosa, 5 out 2003, dom, 16h30

• São Paulo (SP), 27ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo Mostra BR de Cinema [17-30 out], out 2003

• Biarritz (FR), 17e Festival International de Programmes Audiovisuels [20-25 jan], jan 2004

• Washington, D.C. (US), BACI Brazilian American Cultural Institute, 2004

• Salvador (BA), 3º Panorama Internacional Coisa de Cinema, 2004

• San Diego, CA (US), San Diego Latino Film Festival, 2004

• Varginha (MG), Festival de Varginha, 2004

• Montevideo (UY), 22º Festival Cinematográfico Internacional del Uruguay [abr], 2004

• Porto Alegre (RS), Mostra Especial Mario Carneiro comandante da luz [1º-28 abr]-Programa 4: Cinema, arquitetura, Cine Santander Cultural, 22-28 abr 2004, qui-sab, seg-qua, 16h30, 19h30, dom, 15h, 19h (estreia; dia 22, 19h30, comentada com arquiteto Paulo Bicca)

• Fortaleza (CE), 14º Cine Ceará [23-29 jun]-Mostra Competitiva de Longas, jun 2004

• Maringá (PR), Festival de Cinema de Maringá, 2004

• La Habana (CU), 26 Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano [7-17 dez], dez 2004

• São Paulo (SP), Mostra Olhar Brasileiro/Fashion Week São Paulo, 2004

• Exibição no Ano do Brasil/França, 2005

• Rio de Janeiro (RJ), Programação especial de agosto, Odeon BR, 30 ago 2006, qua, 18h20 (Sessão Mira)

• Brasília (DF), Cine Brasília, 16 mar 2007, sex, 19h30 (especial comemorações dos 50 anos do projeto de Lucio Costa)

• Rio de Janeiro (RJ), Cinema brasileiro inédito, Caixa Cultural (Av. Almirante Barroso, 25, Centro), 30 mar 2007, sex

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
O Risco – Lucio Costa e a utopia moderna. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/272/o-risco-lucio-costa-e-a-utopia-moderna. Acesso em: 12 de abril de 2024.