A Verdadeira história do Come Gente (2005)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
cor, 69 min

Direção: Osnei de Lima.
Companhia produtora: Cinemídia Cinema e Propaganda; Jornal Brasileiro da Indústria e Comércio Ltda.

Primeira exibição: Erechim (RS), Centro Cultural 25 de Julho, nov 2005

 

Osnei de Lima leu num jornal de Erechim que haviam sido localizados os documentos do caso do Canibal de Erechim também conhecido como o Come Gente de Erechim. Ignácio Swarzinski Vel Franczack, polonês, veterano da Primeira Guerra Mundial, em 1929 se instala em Erechim (na época chamava Boa Vista de Erechim), região do Alto Uruguai, onde vai morar na casa do agricultor Thomaz Prochniack, também polonês. Ele se apaixona por Sabina, enteada de Thomaz, mas o amor não é correspondido nem aceito pela família. Em 17 de fevereiro de 1930, ele mata, esquarteja, assa e come partes do corpo de seu patrão.

Durante uma viagem de ônibus de Porto Alegre voltando para Erechim, Osnei teve um sonho e ao acordar sabia que faria um filme. Ele já tinha feito uns filmes de terror em VHS, aliás o seu primeiro filme chama-se justo Uma Tarde de terror (1992, 37 min, disponível no YouTube), filmado em Faxinal dos Guedes, em Santa Catarina, de onde é natural e viveu até a sua adolescência. Aí surgiu a ideia de fazer em super-8, conseguiu uma câmera, estudou técnicas de filmagem. O Come Gente (2001, 33 min) é premiado como melhor filme pelo júri popular no Festival de Super-8 de Gramado, o que o leva para o Programa do Jô. Ele fica fascinado com essa história. Ainda em super-8 faz Come Gente 2 (2004) e depois este longa, A Verdadeira história do Come Gente. Em 2017 publica a versão romanceada em livro.

No entanto, conforme pesquisa de Ricardo Favarin, vem à tona um trecho do livro O Dia em que Shakespeare visitou José Bonifácio (Graffoluz, 2008), escrito pelo promotor público João Francisco Campello Dill, que também grafa diferente o nome do protagonista: "Verdade seja dita. O come-gente nunca comeu gente. É o que se extrai da leitura dos autos da ação penal a que respondeu Ignácio Ivarczinski Vel Franczak. Os personagens envolvidos no processo-crime nunca acreditaram de fato na hipótese de canibalismo. Relataram boataria. Quanto à morte de Thomaz e o subsequente esquartejamento do corpo, nenhuma dúvida. Como toda lenda, o que é verídico e o que é fantasia andam por caminhos muito próximos. Iterseccionam-se fatalmente" (p.93). Favarin também resgata uma notícia de jornal do período que não relata canibalismo, mas que "o criminoso, para esconder o seu crime cortou-lhe o corpo a machado, queimando-o em seguida".

Trata-se do primeiro longa de Osnei de Lima – de vários que vai dirigir a partir daí – produzido com recursos próprios e com a doação de empresas e entidades, tendo custado R$ 50 mil. Após ter tentado escrever o início do roteiro mais de 40 vezes, ele passou uma noite inteira, cerca de 12 horas, analisando o processo judicial original com mais de 100 páginas. Na noite seguinte escreveu o roteiro completo. Mais de 600 pessoas se inscreveram para participar, sendo que foram realizados testes de vídeo com 100 candidatos. Deste grupo foram selecionadas 27 pessoas, que trabalharam como atores, figurantes e assistentes de produção. As filmagens foram realizadas na região do Alto Uruguai e alguns trechos em Santa Catarina, em ?Capoerê? e Alto Bela Vista.

O passo fundense Guto Pasini interpreta o Come Gente; dez anos depois integra o elenco de Meu lugar para Anne (J. A. Salton, 2015). Para Sabina, o diretor convida Bárbara Paz, numa época em que esta atriz – gaúcha de Campo Bom – ainda não era "global": ela já era conhecida pois tinha participado do programa Casa dos artistas (2001, SBT) ganhando o primeiro lugar e o prêmio de R$ 300 mil e engatado protagonistas neste canal em novelas como Marisol (2002), Cristal (2006) e Maria Esperança (2007). Por essa época, entre os filmes de que participa está De cara limpa (2000), longa paulista do gaúcho Sergio Lerrer. Posteriormente sua relação com o cineasta Hector Babenco vai gerar o documentário Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer parou (2019) que ganha prêmio no Festival de Veneza de 2020; e também organiza o livro Mr. Babenco – Solilóquio a dois sem um: Hector Babenco e Bárbara Paz (São Paulo: Nós, 2019). Na página da atriz na internet, A Verdadeira história do Come Gente não aparece, assim como em IMDb: é como se o filme não existisse, mas ele existe, e está disponível no YouTube.

Sinopse


Vistas aéreas de Erechim. Jovem em avião. Em terra, um carro o aguarda no aeroporto. Na loja de roupas Lorena, ele procura por Nadir Albuquerque. Na casa de Nadir, esta entrega um dossiê e aponta para uma foto emoldurada da Igreja Batista.
1930. Na Igreja, Pastor oficializa missa. Um homem (Ignácio) caminha por uma mata. Pega carona com um barqueiro, diz que veio de longe. Vai até a Igreja e assiste à missa. Pastor cita Deuterônimo 30.19. Frase em alemão na parede da Igreja: ???. Três meninas cantam. Ignácio sai, corre. Flashback em pb de situação de guerra. / Jovem (Sabina) a cavalo. / Ignácio chega num rancho. / Sabina passa no moinho e fala com Getulio, que depois é repreendido pelo pai que afirma que ela é legítima só da mãe. / Ignácio pede trabalho a Thomaz nem que seja pela comida. Thomaz convida-o a ficar no quartinho. Ignácio troca olhares com Sabina. Depois, espia ela fazendo abluções. / No dia seguinte, Thomaz e Ignácio trabalham na roça. Ele elogia a beleza da filha e pergunta se ela não pensa em se casar. Para Thomaz ainda não tem ninguém bom o bastante para ser seu genro e quem se meter com ela, "eu mato". / Ignácio pergunta a ela se não pensa em se casar. Chega Getulio e são apresentados. / Almoço servido pela Mãe. Mais tarde ela fala com Thomaz da insatisfação com Ignácio. / Em estrada Ignácio pergunta a Getulio se ele e Sabina são namoradinhos. Getulio estuda para ser dentista com um tio. / Mãe pede a Sabina para devolver ovos à comadre. No caminho, é atacada por Ignácio. / No moinho, Getulio arranca com alicate um dente de Ignácio. Isabel, irmã de Getulio, diz que Thomaz só está esperando a mulher morrer para casar com a enteada. Brigam. Getulio sai com sua moto, encontra Ignácio e é morto por ele. / No rancho, Ignácio mata Thomaz a machadadas. À noite faz uma fogueira com o corpo de Thomaz, assa partes e come; lembra o padre. / Delegado encontra corpo de Getulio. / Velório. Sabina e a Mãe chegam num Ford. Um fotógrafo faz uma foto das duas e o caixão. Cantoria. / Na mata, Delegado busca Ignácio. / Ignácio procura Sabina e propõe fugirem no dia seguinte. / Na hora marcada, o Delegado chega e atira na perna de Ignácio. / Delegado leva Sabina até o moinho onde Isabel suicidou-se. / Na estação ferroviária, Ignácio é colocado no trem. Durante a viagem ele consegue fugir.

Ficha técnica


ELENCO
Bárbara Paz (Sabina),
Guto Pasini (Ignácio),
Osvaldo Górski (Thomaz),
Clairê Castro Castilhos (Valéria, a mãe),
Paulo Duek (Delegado),
Thiago Adorno (Getulio),
Taís Rizzotto (Isabel),
Aldori Nascimento da Silva, Aline Moccelin, Alison Castanho, Ana Carolina Disarz, Ana Clara Disarz, Andréia Oleksinski, Andressa Siqueira Bartnicki, Ângela Maria de Quadros, Ariovaldo dos Santos Tavares, Bella Silverston, Cassiane Kolcenti, Christian Perin, Cristiane Flach, Daiane Dalavale, Eliane Rodrigues Siqueira, Eugenio Tosetto, Felipe Piano, Fernanda Braggio, Franciele Signor de Lara, Gabriele Dors Schillo, Giovana Carioletti, Helena Pívoras, Inês Signor de Lara, Ivonei de Lima, João Argenir dos Santos, Juliana Tafernaberry, Kadija Ferla, Leonir Caldart, Maico Dandolini, Maísa Medeiros, Márcio Mach, Marines Ronsoni, Maurício Martins, Moisés Silverston, Natália Bartnicki, Neumir Piva, Nildo Gostinski, Osnei de Lima (Pai de Getulio e Isabel), Paulo Machado, Quintino Neves, Rafael Marmentini, Ricardo Stein, Saulo Matté, Valter Marmentini.

DIREÇÃO
Direção: Osnei de Lima.

ROTEIRO
Baseado em uma história real.
Roteiro: Osnei de Lima.

PRODUÇÃO
Produção executiva: Geraldo Bartnicki, Osnei de Lima.
Produção: Geraldo Bartnicki.
Direção de produção: Simone Stein de Lima.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia e operação de câmera: Geraldo Bartnicki.
Iluminação: Geraldo Bartnicki.

SOM
Som direto: Geraldo Bartnicki.

MÚSICA
Trilha sonora original: Paulo Casarin.
Canção original gravada pela banda Automóvel Verde.

Músicas:
• "Baby" por Automóvel Verde

FINALIZAÇÃO
Edição: Geraldo Bartnicki.
Design de multimídia: Geraldo Bartnicki.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Cinemídia Cinema e Propaganda (Erechim).
Jornal Brasileiro da Indústria e Comércio Ltda. (Erechim).
Patrocínio: Prefeitura Municipal de Erechim; Instituto Anglicano Barão do Rio Branco; Paiol Grande Hotel; UPF Universidade de Passo Fundo – Grandes conquistas passam por aqui; Lorenci; Intecnial; Sizély Lingerie / www.sizeli.com.br.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Grupo "Stare i Wesol'e Wiarusy", Ireno Woyciekowski, Albina Dalla Monte, Famílias Poganski, Claudete Schillo, Dona Ruth e família, Famílias Schillo, CECRIS, Versátil Salão, Dona Neri e família, Mundial Shop Car, Valério Schillo, VLS Turismo, Erva-mate Cristalina, Calçados Schutz, Pedrukas Restaurante, Restaurante Buon Giovanni, Cantina Família Giacomel, Churrascaria Ronsoni, Restaurante Boa Vista, Hilário Schillo, Rogério Moccelin, Ricardo Menegolla, Brigada Militar de Erechim, Enori Chiaparini, Altair José Menegatti, Arquivo Histórico de Erechim, Mauro Pazinato, Gráfica Editora Graffoluz, Z-Brasil, Lasiê Biolo, ABPF Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, Signor Materiais de Construção, Pizzaria Forno à Lenha, Eliza Ceconello, Comunidade Km 10 Povoado Argenta, Valdecir Ferreira, JOBIC, Planenge Serviços de Engenharia Ltda., Clínica de Olhos Santa Luzia, Jason Santana Filho, Olekzinski Material Elétrico, Cezar Augusto Dufloth, Cléo Bloch, Sonhotur Turismo, Damião Artuzi, Primeira Igreja Batista de Erechim, Giovani Prando, Marco Dorigon, Valter Appel.

Dedicatória: Este filme é dedicado a Moisés Silverston (3.11.1932 – 22.07.2005).

FILMAGENS
Brasil / RS, em Erechim, no Centro Ambiental do Instituto Anglicano Barão do Rio Branco, e arredores; Marcelino Ramos; Aratiba;
Brasil / SC, em Alto Bela Vista.
Período: primeira fase entre 4 e 14 de abril de 2005; segunda fase (com a história sendo em 2005), tem início em 30 de julho.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:08:41 (YouTube)
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
Contato:

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // 2005 – Cinemídia Cinema e Propaganda – Jornal Brasileiro da Indústria e Comércio Ltda. – Erechim-Rio Grande do Sul-Brasil //

Grafias alternativas: João Agenir dos Santos | Márcio Luis Mach | Cezar Dufloth | Altair José Menegati | Enori Chiaparinni (cf. créditos).

BIBLIOGRAFIA
LIMA, Osnei de. O Come Gente. Erechim: All Print Varella, 2017. 137p. Prefácio: João Francisco Campello Dill. Apresentação: Enori José Chiaparini. Primeira orelha com dados biográficos do autor.
FAVARIN, Ricardo. A Importância do Arquivo Histórico Juarez Miguel Illa Font nas produções literárias e historiográficas de Erechim. Erechim: Licenciatura em História da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Erechim, 2019. 66p. Orientação: professora dra. Isabel Rosa Gritti. [Trabalho de conclusão de curso]

Exibições


• Erechim (RS), Centro Cultural 25 de Julho, nov 2005

• YouTube, disponível

Arquivos especiais


PICCOLI, Dalbi. Lançado o projeto cinematográfico A Verdadeira história do Come Gente. Erechim, 2 dez 2004.

O projeto cinematográfico de longa-metragem A Verdadeira história do Come Gente, foi lançado ontem à noite (1º dez 2004, 20h30) em grande estilo na Cantina da Família Giacomel.
A produção erechinense vai contar a história do polonês Ignácio Irwaczinski vel Frankzack, que ficou conhecido na região como o Come Gente, por ter matado, esquartejado, assado e comido partes do corpo do patrão em 17 de fevereiro de 1930.
O filme será dirigido por Osnei de Lima que tem em seu currículo filmes premiados e reconhecidos como O Come Gente, O Casamento da Jacutinga, Sonho de liberdade – Um tributo a Tim Lopes, O Maníaco da foice e Mais uma chance.
Também fazem parte da equipe o diretor de produção Geraldo Bartnicki, os responsáveis pela trilha sonora Paulo Casarin e Rogério Meneguzzo.
O elenco principal será formado por Osvaldo Górski; Guto Pasini, ator profissional, coordenador e produtor executivo do grupo Viramundos; e Bárbara Paz, atriz gaúcha reconhecida nacional e internacionalmente pela sua trajetória no teatro, cinema e televisão.
A Verdadeira história do Come Gente, será filmado em bitola DVcam (digital), com duração aproximada de 70 minutos.
O longa-metragem será produzido, dirigido e finalizado na bitola sugerida e posteriormente agrupado para transfer em película 35 mm.
Na abertura do evento o historiador Enori Chiaparini fez com que os convidados fizessem uma viagem no tempo, conhecendo a realidade do município na época do famigerado Come Gente. Já o advogado Altair Menegatti revelou detalhes contidos no processo crime.

O lançamento do projeto contou com a participação marcante da atriz Bárbara Paz, que esbanjou simpatia, carinho e atenção aos fãs. Em seu pronunciamento ela destacou que é muito gratificante participar de uma produção como esta que não visa o cinema de massa, mas sim o cinema como arte.
A atriz já participou de diversos curtas e longas metragens, como os curtas Vinte e cinco, com direção de Maria Ribeiro, O Grito, com direção de Tadeu Jungle e Produto descartável, dirigido por Rafael Primo, além do polêmico longa Cama de gato. Bárbara também participou dos longas De cara limpa, Seja o que Deus quiser, além de Ilha Rá-Tim-Bum.
O diretor Osnei de Lima agradeceu o apoio recebido pelo município, patrocinadores e cada uma das pessoas que acreditam em seu trabalho e no seu sonho de fazer cinema. Ele não poupou elogios a atriz Bárbara Paz, que largou seus compromissos e ensaios no Rio de Janeiro para estar presente no lançamento do projeto.
Já o vice-prefeito Luiz Antonio Tirello destacou que o município de Erechim vai apoiar sempre iniciativas como a do longa A Verdadeira história do Come Gente, pois desta forma esta investindo na cultura e principalmente levando cultura a comunidade de Erechim e região.
O evento foi prestigiado por muitas autoridades, entre elas o vice-prefeito Luiz Tirello, secretária de Educação e Cultura Maria Elisa Zordan Franceschi, secretário da Indústria Comércio e Serviços Luiz Felipe de Marchi, secretário da Cidadania e Promoção Social Abelar Menegati, vice-presidente da Câmara Eni Scandolara.
Também estiveram presentes no lançamento os patrocinadores oficiais do filme, Prefeitura Municipal de Erechim, UPF Universidade de Passo Fundo representada por Cláudia Regina de Oliveira e Lojas Lorenci por Iolanda Lorenci Kaffer.

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
A Verdadeira história do Come Gente. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/415/a-verdadeira-historia-do-come-gente. Acesso em: 24 de abril de 2024.