Papão de 54 (2005)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Não ficção
cor, 64 min

Direção: Alexandre Derlam.
Companhia produtora: Estação Elétrica Filme e Vídeo

Primeira exibição: Porto Alegre (RS), Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, 14 dez 2005, qua, 19h (pré-estreia)

 

Papão de 54 resgata a trajetória do Grêmio Esportivo Renner (1931-1959), um dos clubes de futebol mais queridos de Porto Alegre. Nascido na região do quarto distrito, no bairro Navegantes, o Renner representou mais uma iniciativa bem sucedida do empresário Antônio Jacob Renner (1884-1966), responsável por fomentar uma série de negócios no Rio Grande do Sul do século XX, vendendo produtos variados. Existentes até hoje, as Lojas Renner se notabilizaram por oferecer artigos de cama, mesa e banho, assim como eletrodomésticos, móveis, roupas e tintas. A incursão de A. J. Renner (como era conhecido) no terreno esportivo começou de modo tímido na década de 1930 como forma de oferecer uma atividade de lazer para os operários que trabalhavam em suas fábricas. O time recebeu o nome da empresa e passou a atuar com camisas listradas nas cores vermelho e branco. Seu primeiro jogo foi contra o Gerdau F. C. numa competição amistosa que lhe rendeu o primeiro troféu.

A partir de 1945, o clube se profissionaliza e começa a levar mais a sério as competições. Integrante da primeira divisão do futebol gaúcho, o Renner vive o seu grande momento na temporada de 1954, quando consegue o feito de ser campeão estadual de forma invicta – com 15 vitórias e 3 empates, em 18 partidas. Para isso, supera duas vezes tanto Grêmio quanto Internacional, aplica uma goleada de 9 x 2 sobre o Juventude de Caxias do Sul (no jogo que vale o título metropolitano) e supera os representantes de outras regiões do estado, como o Ferro Carril de Uruguaiana (campeão da fronteira) e o Brasil de Pelotas (campeão da zona sul). O feito encerrou 25 anos de hegemonia da dupla Grenal no Gauchão e só seria repetido novamente em 1998. Apelidado de "Bicho Papão" ou "Papão de 54", o Renner mandava os seus jogos no mítico Estádio Tiradentes, localizado na esquina das avenidas Sertório com Farrapos – o campo foi apelidado de Waterloo, em alusão ao palco da batalha que marcou a derrota definitiva de Napoleão Bonaparte, em 1815.

O documentário de Alexandre Derlam é narrado pelo radialista Ruy Carlos Ostermann, uma das referências do jornalismo esportivo gaúcho, e testemunha dos acontecimentos descritos. Através dos depoimentos de torcedores, pesquisadores, ex-funcionários e ex-jogadores, é possível obter algumas explicações para o sucesso da agremiação – considerada mais do que um equipe de futebol, e sim uma autêntica família. De acordo com os relatos, a união do grupo foi fundamental para o êxito esportivo, na medida em que os atletas eram amigos entre si e compartilhavam até mesmo os momentos de lazer, sem que existisse ciúme ou inveja entre eles. Dessa forma, todos defendiam as cores do Renner como se estivessem defendendo suas próprias vidas. Outro fator essencial para a glória foi o apoio da comunidade local, que abraçou o time como sendo seu. Os rennistas, como eram conhecidos seus torcedores, identificaram no clube a personificação de um bairro vitorioso, que concentrava empreendimentos de sucesso (agências, lojas, fábricas, indústrias). Ao torcer pelo Renner, essas pessoas também torciam por si mesmas.

Papão de 54 também apresenta breves perfis de personagens que se tornaram icônicos, como Ênio Vargas de Andrade (1928-1997). Considerado o melhor jogador do Renner, tornou-se conhecido pelo fato de nunca ter perdido um pênalti na carreira – mais tarde, seria multicampeão como técnico de futebol, incluindo títulos de Campeonato Brasileiro com a dupla Grenal. O arqueiro titular, Valdir Joaquim de Morais (1931-2020), se destacaria nos anos seguintes como goleiro do Palmeiras e da Seleção Brasileira. Outro nome muito interessante é o do meio-campista Breno Mello (1931-2008), que é lembrado não só pelas proezas esportivas, mas também pelo talento artístico. Em 1959, quando jogava no Fluminense do Rio de Janeiro, ele aceitou fazer um teste para ator e acabou sendo escolhido como protagonista do filme Orfeu do carnaval (Marcel Camus, 1959, FR-IT-BR), que encena o mito grego de Orfeu e Eurídice no Brasil.

O filme se encerra de forma triste, relembrando as razões que fizeram os dirigentes do Renner encerrarem as atividades, em 1959. A alegação (dar prioridade a outros áreas, como a publicidade) pegou de surpresa todos os apaixonados pelo time, jamais sendo totalmente digerida. Nas décadas posteriores, no entanto, o legado do Grêmio Esportivo Renner se manteve intacto, através de constantes reuniões para celebração dos feitos. Um site na internet (www.rennervive.com.br) documenta todos os conteúdos possíveis sobre o finado clube, incluindo notícias, dados, fotos e acervo jornalístico. As postagens interligam-se com as demais redes sociais – o que inclui canal no YouTube, página no instagram, perfil no twitter e link no facebook. Em 2010, foi lançado o livro Uma Vez para sempreDe como a classe operária foi ao paraíso, de Francisco Michielin (Editora Maneco, 320p.), sobre o Papão de 54. Nos anos seguintes, o diretor Alexandre Derlam lançaria novos documentários, abrangendo temas como teatro e música.

Sinopse


Registro de um dos episódios mais extraordinários já ocorridos no cenário esportivo do Rio Grande do Sul. Em 1954, o Grêmio Esportivo Renner, um time semiprofissional, formado por operários de uma fábrica do quarto distrito de Porto Alegre, supera os favoritos Grêmio Football Porto Alegrense e Sport Club Internacional e conquista o Campeonato Gaúcho daquela temporada, de modo indiscutível. Narrado pelo jornalista Ruy Carlos Ostermann, conta com depoimentos de testemunhas, torcedores e ex-jogadores do clube campeão, como Raul Kinemann, Valdir de Morais e Breno Mello – que também protagonizou o filme Orfeu do carnaval (Marcel Camus, 1959, FR-IT-BR). Apesar da façanha, o Renner acabaria encerrando as suas atividades, pouco tempo depois.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Ruy Carlos Ostermann.
Ordem de identificação: Fernando Renner (empresário), Sérgio Bechelli (pesquisador), Jorge Mendes (cronista esportivo), Joel Veiga 'Camelinho' (torcedor), Marinho Ourique (ex-secretário do Renner), Raul Kinnemann (ex-goleiro), Manoel Dias (repórter/setorista do Renner), Irene Andrade (esposa de Ênio Andrade), Ivone Morais (esposa de Valdir Morais), Antonio Carlos Porto (jornalista), Valdir Morais (ex-goleiro), Hique Gomez (filho do Léo), Larry Pinto de Faria (ex-jogador do Inter), Arnaldo da Costa Filho (médico do Renner), Moisés Lopes (torcedor do Renner), Airton Ferreira da Silva (ex-jogador do Grêmio), Breno Mello (ex-jogador do Renner), Carlos Bermudes Guedes (Paulistinha) (ex-jogador do Renner), Juarez Lemos (ex-jogador do Renner), Orlando Romagna (ex-jogador do Renner), Pedro Paulo Goulart 'Pedrinho' (ex-jogador do Renner), Rogério Andrade (filho de Ênio Andrade), Icaro da Silva (filho de Selviro Rodriguez), Joecy Vieira de Castro (ex-jogador do Renner), Luiz Carlos Peres (ex-goleiro do Renner), Enio Seibert (botonista).
Euclides Prado (narração adaptada).
Arquivo: A. J. Renner, Selviro Rodriguez (em 23 dez 1984).

ELENCO
Jacson Tombini (pênalti), Fabrício Quadros de Lima, Henrique Lemes, Santiago Caamaño, Mateus Dagostin (goleiro), Fernando Delfes.

DIREÇÃO
Direção: Alexandre Derlam.

ROTEIRO
Argumento: Alexandre Derlam.
Roteiro: Adriana Oliveira, Alexandre Derlam, Rene Goya Filho.

PRODUÇÃO
Produção executiva: Rene Goya Filho.
Produção: Carolina Goya, Mateus Dagostin, Voltaire Barbieri.
Coordenação de produção: Fernanda Guilhon.
Apoio de produção: Tonho Corazza.
Estagiária: Camila Miotto.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Jairo Christofari, Pablo Chasseraux.
Técnica: Jair Souza Ribeiro, Luiz Salvador Borges.

ARTE
Figurino: Daiane Senger Franceschini.
Maquiagem: Renata Pureur.

SOM
Direção executiva de áudio: Luis Carlos Dias Pereira.

MÚSICA
Trilhas sonoras originais: Duda Follmann, André Dietch, Guto Golgara.
Música: Hique Gomez.

Músicas:
• "Girassóis admiráveis" por Hique Gomez (teclados), Filippe Lua (harmônica)
• "Vem do vento nas palmeiras" (Hique Gomez), participação especial: Quatro Ventos (sax), Jorge Polauner (sax tenor), Leo Heras (sax soprano), Júlio Martinez (sax barítono)
• "A Mixuruca" (Hique Gomez) por Rogério Piva (violão), Giovani Bert (pandeiro), Hique Gomez (bandolim)
• "A Felicidade" (música: Tom Jobim, letra: Vinicius de Moraes; samba) por Breno Mello (voz, violão)

ARQUIVO
Filmes:
[jogos que aparecem no filme]
primeiro jogo do Renner contra o Gerdau F. C..
(17:58) imagens de um Grenal [?].
Filme: Orfeu negro / Orfeo negro / Orfeu do carnaval (Marcel Camus, 1959, FR-IT-BR), trechos com Breno Mello, Marpessa Dawn.
Vídeo doméstico: Festa 30 anos da conquista do campeonato 23 dez 1984.

Citações:
Notícias de jornais.
Fotografias em preto e branco.
Álbum de figurinhas com página do G. E. Renner.
Contrato de atleta profissional de football de Valdir Joaquim de Morais para o G. E. Renner, com carimbo de 29 fev 1956.
Cartão de atleta de Henrique Léo Chirivino Gomes para o G. E. Renner, datado de 24 de março de 1954, com foto [pai de Hique Gomez].
Cartaz: Orfeu negro.
Charges de Sampaio.

FINALIZAÇÃO
Montagem: Voltaire Barbieri, Alexandre Derlam.

Tape to tape: Tiago Schenk.
Finalização: Fernando Delfes.

Desenho de som: Felipe Pagnossin, Rafael Costa.
Mixagem: Felipe Pagnossin.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Trilha sonora: Technologica Web.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Estação Elétrica Filme e Vídeo (Porto Alegre).

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: Sport Club Internacional, Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, Força e Luz, Esporte Clube Juventude, Memorial RS, Museu Hipólito José da Costa, TVE RS, Família Casaccia, FGF, Textil RV, Sociedade Gondoleiros, Sedac, Ernani Campelo, Correio do Povo, RBS TV, Carolina Vianna, Nelson Cadena, Sociedade Esportiva Palmeiras, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Marco Antônio Costa, Argos Guindastes.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre, em lugares como: Estádio Eucaliptos.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:04:25 (DVD)
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:
Tiragem (DVD): Não consta.

DIVULGAÇÃO
Design gráfico: Ronaldo Sabin.
Site: Rafael Rhoden.
Arte capa DVD: Sandré Sarreta.
www.estacaoeletrica.com.br

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
DVD: Distribuição: Grupo Midia A. Extras.
Contato: Estação Filmes.

EXTRAS DVD
Fazendo o filme Papão de 54. Identidades: Rene Goya Filho (produtor executivo), Alexandre Derlam (diretor), Breno Mello, José Aldo Pinheiro (narrador esportivo), Hique Gomez (músico). Filmagens: Bairro Navegantes, zona norte; Goethe-Institut Porto Alegre, jun 2006; Estádio Parque Antartica, São Paulo, fev 2004; Rádio Gaúcha, jan 2005; Estádio Timbaúva, maio 2004, depoimento de Breno Mello; Rádio FM Cultura, jan 2005; Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, 14 dez 2005 (lançamento). Arquivo: Filmagem Antonio Casaccia, Campeonato oficial 1949 [11 filmes 16 mm]. Duração: 16:16.
Outras histórias. Identidades: Luiz Carlos, Carlitos, Guaracy, Orlando, Aristheu, Humberto Ruga (torcedor), Breno. Filmagens: Casa do dr. Arnaldo, set 2006; Estádio dos Eucaliptos, mar 2004; Goethe-Institut Porto Alegre, jun 2006. Duração: 10:05.
Pedrinho e Juarez. Almoço na casa de Moises Lopes, 1990. Identidades: Juarez, Moises Lopes, Pedrinho. Duração: 02:49.
Trailers. Duração total: 05:44.
• Memória (telas). Resultados dos Jogos Metropolitanos 1º e 2º turnos + Jogos Gauchão 1954. Duração: 01:11.

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // Porto Alegre, 14 de dezembro de 2005. // Viva o Renner! //
Imagens de época: Antonio Casaccia.
Vocal: Vivian Schäfer.

Grafias alternativas: Vivian Schäffer | Jair Wolf Ribeiro | RBS | Midia A | Daiane Senger | TVE | Luis Salvador Borges
Grafias alternativas (funções): Sound designer | Argumentação (cf. créditos)

BIBLIOGRAFIA

Exibições


• Porto Alegre (RS), Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, 14 dez 2005, qua, 19h (pré-estreia)

• Porto Alegre (RS), Sala P. F. Gastal, 15 dez 2005, qui, 16h30, 18h30, 20h

• Medellín (CO), CICA II Festival de Cine Castilla [1º-5 nov]-Mostra Brasil Sul II, nov 2013

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Papão de 54. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/425/papao-de-54. Acesso em: 18 de maio de 2024.