A Revolução no Rio Grande (1923)

Brasil (RS) 
Longa-metragem silencioso | Não ficção 
35 mm, pb, c.60 min

Direção: Benjamin Camozato.
Companhia produtora: Zenith Film

Primeira exibição: Rio de Janeiro (DF), Palácio do Catete, 1923 provavelmente (especial para o presidente Arthur Bernardes) 
Primeira exibição RS: Passo Fundo (RS), 17 nov 1923, sab (para autoridades policiais, representantes da imprensa e algumas pessoas gradas)

 

A Revolução de 1923 opôs dois grupos políticos, no Rio Grande do Sul. De um lado, os chimangos, simpáticos ao então presidente [governador] do Estado (Borges de Medeiros, do Partido Republicano Rio-Grandense), que queriam assegurar a sua continuidade no poder; do outro, os maragatos, liderados pelo candidato da oposição (Joaquim Francisco de Assis Brasil, do Partido Federalista), que pregavam renovação. As eleições, tidas como fraudulentas, apontaram para a sequência de Borges, desencadeando a guerra civil. Dirigido por Benjamin Camozato (1885-1964), A Revolução no Rio Grande se propõe a fazer um registro imparcial dos fatos, registrando os protagonistas de ambos os lados, suas tropas e comandantes, além de apresentar as cidades envolvidas no conflito. Os artifícios narrativos incluem o uso de cartelas, que explicam o desenrolar das hostilidades. Há também uma pequena sequência sobre o município de Cachoeira, onde está instalado o atelier do "organizador deste modesto filme" (Camozato aparece diante da câmera várias vezes). Filmagens foram registradas em localidades como Porto Alegre, Carazinho, Passo Fundo, Sant’Ana do Livramento e também Rivera (Uruguay). Este é o único longa-metragem gaúcho dos anos 1920 preservado em sua aparente integralidade.

Sinopse


Revolução de 1923 no Rio Grande do Sul. Aspectos da região central de Porto Alegre. O destróier Amazonas, encostado ao cais. Uma visita ao Campo Santo: jazigos de Julio de Castilhos, Caldas Junior e Placido de Castro. O filme se considera imparcial. Conta, em textos de cartela, o início do conflito. Registra os protagonistas da situação e os da oposição, suas tropas e comandantes, além de algumas cidades envolvidas no conflito. Há também uma pequena sequência sobre a cidade de Cachoeira, onde está instalado o atelier do "organizador deste modesto filme".

Transcrição dos intertítulos:

Arquivo da Cinemateca do Museu de Arte Moderna Rio de Janeiro

A Zenith Film apresenta A Revolução no Rio Grande

A Zenith Film, com o concurso do destemido gaúcho Dr. Benjamin Camozato, cinematografista amador, pode vos mostrar num filme, sem cor política, as hostes que se digladiam nos pampas e coxilhas RIO-GRANDENSES. [imagem desta página: fotograma com Benjamin Camozato]

Antes de partir para a região serrana, teatro principal da Revolução, o Dr. Camozato filmou alguns aspectos da cidade de Porto Alegre, capital do glorioso Estado e sede do governo.

A Rua dos Andradas.

O destroyer AMAZONAS, da nossa Marinha de Guerra, encostado ao cais.

A Igreja das Dores.

A Rua dos Voluntários da Pátria.

A Intendência Municipal.

Rendendo culto aos mortos, que é a vida da história, uma visita ao Campo Santo.

Aqui jaz Julio de Castilhos.

Repousa neste túmulo o saudoso jornalista Caldas Junior, fundador do CORREIO DO POVO. (f. 9-4-13).

O mausoléu de Placido de Castro, o bravo filho dos pampas, Libertador do Acre.

Ao mesmo tempo, com esta indispensável e desapaixonada introdução, o organizador deste filme...

... (faz?) um sincero apelo aos corações espectadores, para que, cada um, perdoando naturais lacunas, julgue este trabalho, como o foi feito – DENTRO DA MAIOR IMPARCIALIDADE –, evitando toda e qualquer manifestação de partidarismo, devendo, antes, julgar o que se vai ver com o coração enlutado, fazendo ardentes preces pela PAZ, alicerce do lema do nosso pavilhão, ORDEM E PROGRESSO.

?? o quinquênio presidencial do Sr. Dr. A. A. Borges de Medeiros, procedeu-se à nova eleição, sendo indicada a reeleição, pelo Gal. Firmino de Paula, secundada pelo Partido Republicano. Os dos partidos oposicionistas, não conformes com a reeleição, tenazmente, pleitearam ao seu candidato, o Sr. Dr. Assis Brasil. Como resultado da eleição, julgaram-se, ambos, vitoriosos.

Havida a apuração, na Assembleia, esta, reconheceu eleito o candidato oficial, sendo, assim, empossado a 25 de janeiro de 1923.

O Dr. João Neves da Fontoura, advogado e deputado estadual, que teve papel saliente na campanha política em favor do Dr. Borges de Medeiros.

Não conformes com o resultado, os próceres oposicionistas, resolveram discutir o caso nas coxilhas. Assim, a 12 de janeiro, influentes, reunidos na residência do Sr. Salustiano de Pádua.

...na vila do Carazinho, irromperam com o primeiro brado de protesto armado o MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO, assumindo a direção da Coluna organizada, que tomou o rumo de P. Fundo, Quatro Irmãos, Nonoahy e Palmeira, onde aguardou o levante geral do Estado, o então Cel. Menna Barreto.

A residência do General Menna Barreto, em Assisópolis (Carazinho).

Parte da Diretoria da Cruz Vermelha Libertadora de Carazinho, fundada pelo Dr. Mozart de Mello.

A Exma. Sra. D. Davina Menna Barreto, esposa do General Menna Barreto, Presidenta da Cruz Vermelha.

O General Menna Barreto, ladeado pelos bravos chefes Coronel Ebling e Capitão Octaviano Issler, que o acompanharam desde o 1º dia da revolução.

O General Menna Barreto e seu Estado Maior, a cavalo.

O General e seu Estado Maior passando (em) revista a Oficialidade de sua Coluna.

Passando em revista as suas forças.

Desfile de uma parte da Brigada.

A coluna em marcha pelas coxilhas.

Lanceiros.

O operador, Dr. Camozato, cordialmente churrasqueando em companhia do General Menna Barreto e oficialidade.

O organizador do filme, e o sr. Constantino Pellegrini, despedindo-se dos Srs. General e Cap. Octaviano Issler, ao deixarem a Coluna em marcha.

FIM DA SEGUNDA PARTE

Avenida Brasil.

Dr. Vergueiro, Intendente Municipal de Passo Fundo, Chefe Político e Deputado Estadual.

Intendência Municipal, Fórum e Club Pinheiro Machado, onde funciona o Quartel General da Brigada do Norte.

General Firmino de Paula, Comandante da Brigada do Norte.

General, seu Estado Maior e oficialidade, no Club Pinheiro Machado, Passo Fundo, Quartel General da Brigada do Norte.

Um contingente do Exército Nacional que vai guarnecer um trem a partir.

Os carros da viação férrea, blindados com uma couraça de areia, que serviram para a defesa de Passo Fundo contra os ataques do Exército Libertador.

O interior de um dos carros.

Aspectos duma carreira assistida pelo General e principais autoridades.

Um piquete da "LEGIÃO REPUBLICANA" saindo em reconhecimento. [À] frente [de] seus comandantes Dr. ?icce e Tenente Haiffner.

Dr. Ney de Lima Costa, Presidente do Conselho Municipal e organizador da LEGIÃO REPUBLICANA DE PASSO FUNDO.

O General Firmino e o Dr. Vergueiro, Intendente Municipal, passam em revista os corpos da Brigada.

O operador deixa o acampamento invernista, apresentando as suas despedidas ao General Firmino de Paula.

Atesto que o Sr. Dr. Benjamin Camozato esteve? em nosso acampamento, ?? sob meu comando.
Passo Fundo, 9 de agosto de 1923.
General Firmino Paula.

A Estação de Paiol Grande.

A Avenida José Bonifácio.

Administração municipal: Cap. Themistocles Uchôa, administrador; Dr. W. (?) Battel, secr.; Cap. André Pittan, (?); e Dr. Moreno Lima, delegado.

A Intendência de Paiol Grande.

Edifício da Comissão de Terras do Estado, onde funciona a Cruz Vermelha do Paiol Grande, sob a direção dos Drs. Catharino Azambuja e Mozart de Mello.

O Tenente Ramon, Comandante de um Piquete Revolucionário, na Estação de Sertão, em poder dos revolucionários.

A Estação de Erebango (em poder dos revolucionários).

O desvio de Giareta, próximo de Erechim, onde se feriu recentemente um sangrento combate.

Internando-nos por densos e seculares pinheirais, encontramos o acampamento do General Felippe Portinho.

General Felippe Nery Portinho, Comandante das Forças Revolucionárias e Libertadoras que operam no Norte do Estado.

O General Portinho e seu Ajudante de Ordens.

General Portinho, seu ajudante e Corneteiro.

O chapéu do General Portinho.
Vê-se (?) a mesma fita encarnada, que usou na campanha de 93, com a divisa:
LIBERDADE OU MORTE.

O General Portinho e seu Estado Maior, vendo-se à sua direita o Cel. Salustiano de Padua, em cuja residência nasceu a Revolução.

Quartel Mestre General: Tte. Coronel João Cony e seus assistentes.

O General e seu Estado Maior à frente da Coluna.

Corpo do Coronel Manoel C. de Mattos (Manduca).

Piquete do E. Maior, comandado pelo Capitão Fructuoso Portinho.

Brigada do Coronel Emiliano Nascimento.

Contingente de granadeiros e parque de munições.

Corpo de Saúde: Drs. Fabricio e Antonio Virissimo, Antenor Moraes, João Familiar, João Lara e Tito.

Brigada do Coronel Salustiano de Padua.

Corpo do Coronel Simeão Machado.

Brigada do Coronel Quim Cezar.

Aspectos do resto da Coluna.

Entre os comandados do General Portinho, figuram os Coronéis Amaro José do Prado, com 88 anos, e Manoel Corrêa de Mattos (Manduca), com 79 anos, ambos, veteranos do Paraguai e combatentes em 93, com o General Portinho, nas hostes revolucionárias.

A barraca de campanha do General Portinho.
Vê-se a bandeira dos Revolucionários com a inscrição:
LIBERDADE OU MORTE.

A secretaria de campanha da Coluna Portinho, constituída pelos Capitães: Lança Cordeiro, Agostinho Garcia e Fernando Caldas (correspondente de "O Estado de São Paulo"), que no momento escrevia o seguinte atestado:

Depósito de munições.

LIVRAMENTO. Panorama da bela cidade do Livramento, no limite com a Rep. O. do Uruguai. À esquerda, a cidade do Livramento e, à direita, a uruguaia, de Rivera.

Linha divisória, entre Livramento e Rivera. Apenas uma rua neste ponto, separa as duas cidades.

2º Corpo (Caçapava, S. Sepé, S. Gabriel), comando do Tte. Cel. Guarany de Bem.

1º Corpo (Cachoeira), sob o comando do Tte. Cel. Annibal Lopes Loureiro.

Cel. Claudino N. Pereira e Tte. Cel. Dr. Annibal Loureiro.

Chegada do Sr. Ministro da Guerra, Gal. Setembrino de Carvalho, ao Hotel América.

Marco do Cerro, da linha divisória, entre Livramento-Rivera.

Tte. Cel. Nepomuceno Saraiva, da Coluna do Oeste.

CACHOEIRA. Sede do seu importante Município (55.000 hab.). Nela, acha-se instalado o atelier do organizador deste modesto filme, apto a prontificar qualquer trabalho no gênero.

Palacete da filial do Banco Pelotense, de cuja sacada foi tomada a vista panorâmica da cidade. É seu gerente o Sr. Cap. José Carlos Barbosa. À direita, no primeiro plano, a sede provisória do Banco Nacional do Comércio.

Dr. Hollanda Cavalcanti, dando as boas-vindas, ao 1º Corpo.

Recepção do Cel. Claudino N. Pereira e Tte. Cel. Annibal Loureiro.

Em breve, completando nosso filme, pretendemos apresentar a segunda parte, na qual veremos os acampamentos do veterano de 93, General Zecca Netto.

Faltava (?) visitar o General Estácio Azambuja.

Os da 2ª Brigada do Oeste, comandada pelo Dr. Flores da Cunha.

General Honório Lemes, cognominado o "Leão do Caverá". É natural de Barro Vermelho, no município de Cachoeira, donde mudou-se em pequeno, para a Serra do Caverá, no município do Rosário, ocupando-se do comércio de compra e venda de gados, “tropeando”.

DIVISÃO DO OESTE:
Comandante, Gal. Honório Lemes.
Divide-se em 6 Brigadas: 1ª, de Uruguaiana, sob o comando do Cel. Virgílio Vianna; 2ª, de Alegrete, Cel. Júlio Ruas; 3ª, de S. Francisco, do Cel. Hortêncio Rodrigues; 4ª, Missioneira, do Cel. Mário Garcias; 5ª, de D. Pedrito, do Cel. Octaviano Fernandes; e 6ª, de S. Sepé, do Cel. Claudestino (...).
(Não aparecem imagens depois desta cartela)

O Gal., seu ajudante de ordens e corneteiro.

General e seu Estado Maior.
Banda de música e Piquete do General.

Regimento Vasco Alves, da 1ª Brigada.

3ª Brigada, sob o comando do Cel. Hortencio Rodrigues.

2ª Brigada, sob o comando do Cel. Julio Ruas.

Corpo de Saúde: Drs. Carlos e José Antunes, Álvaro Costa e Péricles Silveira, tendo, ao centro, o Gal. Honório.

O Gal. em companhia de oficiais, assistindo a uma "carneação".

O Gal. Honório, tomando o seu costumeiro amargo.

O Gal. Honório, em companhia de seus 5 filhos, que o acompanham desde o início.

Banda de música da Coluna.

Que DEUS ouça as preces que faz o BRASIL pela PAZ na família de seu heróico e dileto Filho – O RIO GRANDE DO SUL.

... o nosso heróico irmão "O RIO GRANDE DO SUL" que voltou, assim, à rota segura que o levará aos seus gloriosos destinos no seio da comunhão brasileira.
[menina enrolada na bandeira brasileira e do RS]

Boa Noite.

Fim.
Benjamin C. Camozato.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Benjamin Camozato, João Neves da Fontoura (advogado, deputado estadual), Salustiano de Pádua (coronel, maragato), Menna Barreto (general, maragato), Davina Menna Barreto (esposa de Menna Barreto, presidenta da Cruz Vermelha), Ebling (coronel, maragato), Octaviano Issler (capitão, maragato), Constantino Pellegrini, dr. Vergueiro (intendente de Passo Fundo, chefe político e deputado estadual), Firmino de Paula (general, chimango, comandante da Coluna do Norte), dr. Ney de Lima Costa (presidente do Conselho Municipal de Passo Fundo e organizador da Legião Republicana de Passo Fundo), Themistocles Uchoa (capitão, administrador de Paiol Grande), André Pittan (capitão), Moreno Lima (delegado de Paiol Grande), Catharino Azambuja e Mozart de Mello (diretores da Cruz Vermelha de Paiol Grande), Ramon (tenente, maragato, comandante de um Piquete Revolucionário), Felippe Nery Portinho (general, maragato, comandante da Coluna do Nordeste), João Cony (tenente coronel, maragato), Manoel Corrêa de Mattos 'Manduca' (coronel, maragato), Fructuoso Portinho (capitão, maragato), Emiliano Nascimento (coronel, maragato), Fabricio e Antonio Virissimo, Antenor Moraes, João Familiar, João Lara e Tito (corpo de saúde da Coluna do Nordeste), Simeão Machado (coronel, maragato), Amaro José do Prado (coronel, maragato), Lança Cordeiro (capitão, maragato), Agostinho Garcia (capitão, maragato), Fernando Caldas (capitão, correspondente de O Estado de S. Paulo), Guarany de Bem (tenente coronel, chimango, comandante 2º Corpo da Coluna do Centro), Annibal Lopes Loureiro (tenente coronel, chimango, comandante 1º Corpo da Coluna do Centro), Claudino Nunes Pereira (coronel, chimango, comandante da Coluna do Centro), Setembrino de Carvalho (general, ministro da Guerra), Nepomuceno Saraiva (tenente coronel, chimango?, Coluna do Oeste), Dr. Hollanda Cavalcanti, Honório Lemes (general, maragato, comandante da Coluna do Oeste), Hortencio Rodrigues (coronel, maragato, comandante da 3ª Brigada do Oeste), Julio Ruas (coronel, maragato, comandante da 2ª Brigada do Oeste), Carlos e José Antunes, Álvaro Costa e Péricles Silveira (corpo de saúde da Brigada do Oeste).

DIREÇÃO
Direção: Benjamin Camozato.

PRODUÇÃO
Produção: Benjamin Camozato.

FOTOGRAFIA
Fotografia: Benjamin Camozato.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Zenith Film (Cachoeira do Sul).

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre; Carazinho; Passo Fundo; Paiol Grande; Sertão; Erebango; Giareta, próximo a Erechim; Sant'Ana do Livramento; Cachoeira do Sul;
Uruguay, em Rivera.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 59 min (5 partes) (cópia VHS) / (5 ou 7 partes dependendo da cidade)
Metragem:1.800 metros (cf. GF III, que poderia correponder ao total com as 7 partes)
Número de rolos: (5 ou 7 partes)
Som: silencioso
Imagem: pb
Proporção de tela: 1.33
Formato de captação: 35 mm
Formato de exibição: 35 mm

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos iniciais: // A Zenith Film com o concurso do destemido gaúcho dr. Benjamin Camozato, cinematografista amador, pode nos mostrar num film, sem cor política, as hostes que se degladiam nos pampas e coxilhas rio-grandenses //.
Fotografias: Foto de cena de Camozato em álbum sobre a revolução, pertencente à Coleção Júlio Petersen (em Acervos Especiais da Biblioteca Central da PUCRS).
Inicialmente interditado pela polícia quando da exibição em São Paulo.
Um ano antes é publicado: CAMOZATO, Benjamin C. (org). Grande álbum de Cachoeira no centenário da Independência do Brasil – História, comércio, agricultura, pecuária, indústria, artes, letras. Cachoeira do Sul, 1922.
Além deste, é conhecido apenas outro filme de Camozato, também preservado, o curta-metragem A Real nave Italia no Rio Grande do Sul (1924, 27 min), incluído na coleção de cinco DVDs organizada por Carlos Roberto de Souza, Resgate do cinema silencioso brasileiro – 27 filmes. São Paulo: Cinemateca Brasileira, [2009], DVD 04/05.
Cartela inicial da cópia VHS analisada: // Arquivo da Cinemateca do Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro //.
Trechos deste filme foram utilizados em: Cinema gaúcho dos anos vinte (Antonio Jesus Pfeil, 1973, 11 min), O Leão do Caverá (Antonio Jesus Pfeil, 1978, 10 min), Revolução de 30 (Sylvio Back, 1980, 108 min), A Ferro e Fogo: Maragatos e Chimangos – A lança contra a metralhadora (Glênio Póvoas, 2003, 20 min) etc.
Negativos e/ou cópias: Negativos de nitrato localizados por Antonio Jesus Pfeil nos anos 70 em Porto Alegre na casa da viúva de Benjamin Camozato // Cinemateca Brasileira: contratipo e cópia 35 mm // MAM: cópia 35 mm // Fundação Cultural de Carazinho: cópia VHS // IECINE: cópia VHS

Título: A partir do crédito da cópia salvaguardada.
Títulos alternativos: A Revolução do (no) Rio Grande (do Sul) (Antonio Jesus Pfeil) | Revolução de 23 | A Revolução no Rio Grande do Sul (JC-OESP)
Grafias alternativas: Benjamin C. Camozato

BIBLIOGRAFIA
PFEIL, Antonio Jesus. A revolução de 1923 no cinema. Correio do Povo, Porto Alegre, 1º set 1974, p.24.
PFEIL, Antonio Jesus. Cinema e pesquisa. Cultura Contemporânea, Porto Alegre, 1977, p.15-18, n.6.
PFEIL, Antonio Jesus. Cinema gaúcho dos anos 20. Porto Alegre: Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa, Susec, 19??.
Guia de filmes – Produzidos no Brasil entre 1921 e 1925: terceiro fascículo da série Filmografia brasileira. Rio de Janeiro: Embrafilme, dez 1987, p.49-50.

Noticiário
Anúncios. Diário da Tarde, Curitiba, 7 nov 1923, p.4, ano XXIV, n.7.654.
Anúncios. O Dia, Curitiba, 7 nov 1923, p.7, n.109.
Theatros e diversões: Um filme da revolução. A Federação, Porto Alegre, 22 dez 1923, p.6, ano XL, n.296.

Há um século no Correio do Povo. Correio do Povo, Porto Alegre, 20 nov 2023. [sobre exibição em Passo Fundo, sem citar a sala]
CORRÊA, Carlos. O filme que registrou a Revolução de 1923 – Película do diretor Benjamin Camozato é um dos raros registros em vídeo [sic] do conflito armado no Rio Grande do Sul. Correio do Povo, Porto Alegre, 13 dez 2023, p.5, ano 129, n.74.
BOHUSCH, Renato (ed). Há um século no Correio do Povo. Correio do Povo, Porto Alegre, 13 dez 2023, p.20. [sobre exibição em Cachoeira do Sul]

Exibições


• Rio de Janeiro (DF), Palácio do Catete, 1923 provavelmente (especial para o presidente Arthur Bernardes)

• São Paulo (SP), Congresso, 29 out 1923, seg

• Curitiba (PR), Palacio, 7 nov 1923, qua, 19h30 (+ Fox Jornal 16-3 + O Estranho + Pegeen)

• Curitiba (PR), America, 7 nov 1923, qua, 19h30 (+ O Lance de um dólar + Fox Jornal 16-3 + Na pista do Oregon: 1º e 2º episódios)

• Curitiba (PR), Theatro Mignon, 7 nov 1923, qua, 20h30 (+ Ser ou não ser / Être ou ne pas être + O Estranho)

• Passo Fundo (RS), 17 nov 1923, sab (para autoridades policiais, representantes da imprensa e algumas pessoas gradas)

• Cachoeira do Sul (RS), Coliseu, 12 dez 1923, qua

• Sant'Ana do Livramento (RS), Theatro Brasil-Uruguai, 17 dez 1923, seg

• Pelotas (RS), Guarany, 17 dez 1923, seg

• Porto Alegre (RS), Coliseu, 21-24 dez 1923, sex-seg

• Porto Alegre (RS), Thalia, 4 jan 1924, sex

• Rio de Janeiro (DF), Palais, 7 jan 1924, seg

• Rio de Janeiro (DF), Rialto, 7 jan 1924, seg

• Caxias do Sul (RS), Apollo, 14 abr 1924, seg

Arquivos especiais


Noticiário e crítica:

Theatros e diversões: Um filme da revolução. A Federação, Porto Alegre, 22 dez 1923, p.6, ano XL, n.296.
Exibiu ontem, e continuará a exibir hoje, o Coliseu, um filme autêntico e imparcial da revolução que há pouco convulsionou o nosso Estado. Além deste filme a empresa fará focar uma hilariante comédia.

A Revolução no Rio Grande – Na tela do Rialto!. A Noite, Rio de Janeiro, 7 jan 1924, p.2, ano XIV, n.4.351.
O único filme completo e detalhado da revolução gaúcha – 5 partes magníficas! – está sendo exibido no Rialto.
E juntamente com o filme podereis ver uma comédia engraçadíssima e mais 4 variedades de sensação: Darwin, o grande imitador das mulheres, Baptista Junior, o príncipe dos nossos caipiras, Los Alcazaes, os apreciados cançonetistas e Lore, o inimitável mágico alemão! Um programa assombroso!


CORRÊA, Carlos. O filme que registrou a Revolução de 1923 – Película do diretor Benjamin Camozato é um dos raros registros em vídeo [sic] do conflito armado no Rio Grande do Sul. Correio do Povo, Porto Alegre, 13 dez 2023, p.5, ano 129, n.74.

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
A Revolução no Rio Grande. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/48/a-revolucao-no-rio-grande. Acesso em: 24 de abril de 2024.