1983 – O ano azul (2009)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Não ficção
DVD, cor, 90 min

Direção: Carlos Gerbase, Augusto Mallmann.
Companhia produtora: Vórtex Vídeo Produções; Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Primeira exibição: Porto Alegre (RS), GNC Shopping Iguatemi Sala 5, 1º jun 2009, seg, 22h (pré-estreia)

 

1983 – O ano azul relembra quando o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense conquista, pela primeira vez na sua história, os títulos de campeão sul-americano e campeão mundial de futebol. Foram as maiores façanhas do esporte gaúcho no século XX. Com direção de Carlos Gerbase e Augusto Mallmann, o documentário traz depoimentos dos personagens diretamente envolvidos nos acontecimentos, como o presidente Fábio Koff, o técnico Valdir Espinosa, o preparador físico Ithon Fritzen, além dos ex-jogadores Renato Portaluppi, Mário Sérgio, Hugo de León, Baidek, China, Osvaldo, Tarciso e Mazaropi. O material transmite bastante emoção, a partir da reprodução das imagens dos jogos decisivos – acompanhada da narração radiofônica veiculada na época, pela Rádio Guaíba de Porto Alegre (na voz de Armindo Antônio Ranzolin).

O Grêmio habilitou-se para a disputa do Mundial Interclubes após vencer a Taça Libertadores da América, a mais importante do continente. Ao longo da campanha, enfrentou adversários como Flamengo (Brasil), Bolívar (Bolívia) e Blooming (Bolívia) – classificando-se em primeiro lugar após os confrontos diretos.  Posteriormente, avançou para uma etapa semifinal, na qual precisou duelar com times como o Estudiantes (Argentina) e o América de Cáli (Colômbia). Nesse momento, aconteceu o episódio conhecido como Batalha de La Plata, na província de Buenos Aires. O time gaúcho vencia o Estudiantes dentro de seus domínios, por 3 x 1, mas acabou cedendo um empate de 3 x 3, após lidar com episódios de extrema violência e agressividade por parte da torcida e dos atletas argentinos. Sair vivo do estádio foi um desafio. Na grande decisão, o enfrentamento se deu contra o tradicional Peñarol, do Uruguay. Após um empate de 1 x 1 na partida de ida, em Montevidéu, o Grêmio obtém o título fazer 2 x 1 em sua antiga casa, o Estádio Olímpico Monumental. Os gols foram marcados por Caio e César, com Morena descontando para os uruguaios.

O título mundial foi disputado em 11 de dezembro de 1983, no Estádio Nacional de Tóquio, no Japão, e acabou sendo transmitido na madrugada para o Brasil, em função do fuso horário oriental. O tricolor saiu na frente com um gol de Renato Portaluppi, o maior ídolo do clube. Mas viu os alemães, então donos da poderosa Liga dos Campeões da Europa, empatarem a quatro minutos do fim da partida – com Schröder. A decisão foi para a prorrogação, aumentando a tensão e o nervosismo de todos que acompanhavam a disputa. No começo do tempo extra, novamente Renato executa uma jogada brilhante, que culmina com o 2 x 1 derradeiro. A equipe gaúcha tornava-se conhecida e respeitada em todos os lugares do planeta.

O documentário tem como principal mérito oferecer histórias de bastidores, que demonstram a união de um grupo de atletas em prol de um objetivo maior. Os relatos incluem momentos que se tornam cômicos, como a revelação de que Renato pediu para rescindir o seu contrato pouco tempo antes de viajar até o Japão, por não concordar com uma multa imposta pela direção. Ao final, os depoimentos traduzem os sentimentos de alívio, alegria, satisfação e celebração. O roteiro, porém, é seletivo, e não documenta todos os gols ou jogos da Libertadores, por exemplo, deixando ao espectador a tarefa de colher mais dados.

Sinopse


Imagens de arquivo, do Estádio Nacional de Tóquio, no Japão. A disputa do Mundial Interclubes, entre Grêmio e Hamburgo. Falas de entrevistados com cenas do jogo mais importante da história do clube tricolor gaúcho. O "Hino Rio-Grandense", com os versos "sirvam nossas façanhas, de modelo a toda terra" é destacado para simbolizar uma narrativa épica.

O adversário é apresentado como uma força do futebol europeu, que havia derrotado a Juventus, de Turim (Itália), na decisão da Liga dos Campeões da Europa naquela temporada. Segundo depoimentos dos atletas tricolores, no entanto, o elenco do Hamburgo era prepotente e arrogante – a ponto de apenas um membro do plantel (o zagueiro Hieronymus) ter distribuído sorrisos e cumprimentos educados aos colegas sul-americanos. O técnico adversário, o austríaco Ernst Happel, teria se recusado a apertar a mão do comandante tricolor Valdir Espinosa, além emitir declarações de que pretendia resolver logo a partida, em atitude desrespeitosa.

Antes de chegar até Tóquio, a conquista da Libertadores aparece na célebre Batalha de La Plata, que culminou com muitas brigas e discussões dentro e fora de campo. O presidente Fábio Koff destaca que a partida aconteceu pouco tempo depois da Guerra das Malvinas (1982), que opôs Inglaterra e Argentina pela posse de uma ilha no Oceano Pacífico. O Brasil foi acusado de ajudar os ingleses, permitindo o desembarque de navios britânicos, inclusive em Porto Alegre. Com isso, muitos gaúchos eram chamados de "traidores" pelos torcedores argentinos. Renato Gaúcho chega a dizer que essa partida demonstrava como era a "Libertadores das antigas" e que, para disputar tal competição, "era preciso ser muito macho", como se diz no linguajar do Rio Grande do Sul.

A união do grupo de jogadores daquele Grêmio é vista como o principal motivo para a consagração esportiva a nível mundial. Os atletas revelam brincadeiras entre si, que envolveram até um inusitado tiroteio praticado por Mário Sérgio perto de Renato Gaúcho – iniciado porque Renato estava interessado em aprender a atirar, e Mário Sérgio sempre andava armado. Renato também é personagem de uma incrível discussão com o presidente Fábio Koff. Por não concordar com uma multa infringida a ele, aplicada por andar com seu carro em alta velocidade numa área proibida, o jogador ameaça abandonar o Grêmio – faltando cerca de 20 dias para o embarque para o Japão. Fábio Koff concorda com o pedido, e deseja boa sorte no retorno à antiga profissão: padeiro, em Bento Gonçalves. Renato, porém, sugere o perdão da multa (e um aumento salarial) caso faça os dois gols do título. Os dirigentes tricolores concordam, e o resto virou história.

Na partida decisiva, o relato emociona a partir das alternâncias que cercam uma partida de futebol. O fato de o Hamburgo ter começado mais confiante. A melhora do Grêmio, que consegue abrir o placar. As grandes defesas dos goleiros, evitando uma definição cedo. O desperdício de oportunidades azuis, que passa por reclamações de um pênalti não marcado. O empate dos alemães, que jamais desistiram. O cansaço decorrente da prorrogação. A estrela de Renato Portaluppi, que demonstrou coragem e resiliência para também não abdicar de seu sonho. O apito final. A festa. As lágrimas. O título. A legenda: Grêmio campeão mundial de 1983.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Ordem de identificação: Hugo de León, Fábio Koff, Tarciso, Renato Portaluppi, Mauro Rosito, Mazaropi, Valdir Espinosa, China, Baidek, Oswaldo, Ithon Fritzen, Mário Sérgio, Alvaci Almeida 'Banha' (massagista), Antônio Carlos Verardi.
11 dez 1983:
Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense: Mazaropi; Paulo Roberto, Baidek, De León e Paulo César Magalhães; China, Oswaldo e Paulo César Lima; Renato, Tarciso e Mário Sérgio. Reservas: Beto, Leandro, Casemiro, Tonho, Bonamigo, César e Caio.

DIREÇÃO
Direção: Carlos Gerbase, Augusto Mallmann.
Assistência de direção: Gisele Farensi.

ROTEIRO
Roteiro: Gustavo Fogaça, Carlos Gerbase.
Pesquisa: Frederico Ruas.

PRODUÇÃO
Produção executiva: Luciana Tomasi.
Direção de produção: Paula Gastaud.
Secretaria de produção: Nara Rodrigues.
Motorista: Hugo Guimarães.

Supervisão geral (Grêmio): César Pacheco.
Supervisão de marketing (Grêmio): Fabiano Veronezi.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Carlos Alberto Mattos, Eduardo Izquierdo.
Assistência de câmera 1: Rodrigo Ramos.
Assistência de câmera 2: Valter Castanho.
Eletricista: Wolmar Wozniak Beck.

ARTE
Cartuns: Geraldo Santos.

SOM
Som direto: Rafael Rodrigues.

MÚSICA
Música: 4nazzo, Regis Sam, Bruno Suman.

Músicas:
• Não creditado: "Hino Rio-Grandense" (música: Joaquim José Mendanha, letra: Francisco Pinto da Fontoura)

ARQUIVO
Jogos (ordem de inserção):
• Campeonato Mundial de Clubes 1983 [Toyota European/South American Cup]: Final: Grêmio-BR 2 x 1 Hamburger Sport‑Verein e. V.-DE (Tokyo National Stadium, Tóquio, JP, 11 dez 1983, dom; gols: Renato/G, Schröder/H, Renato/G)
• 24ª Copa Libertadores da América [3 mar-28 jul]: Semifinal, grupo A: Estudiantes-AR 3 x 3 Grêmio-BR (Estadio Jorge Luis Hirschi, La Plata, AR, 8 jul 1983, sex, 22h; gols: Gurrieri/E, Osvaldo/G, César/G, Renato/G, Gurrieri/E, Russo/E)
• 24ª Copa Libertadores da América [3 mar-28 jul]: Final, grupo B: Peñarol-UY 1 x 1 Grêmio-BR (Estadio Centenario, Montevideo, UY, 22 jul 1983, sex, 21h15; gols: Tita/G, Morena/P)
• 24ª Copa Libertadores da América [3 mar-28 jul]: Final, grupo B: Grêmio-BR 2 x 1 Penãrol-UY (Estádio Olímpico Monumental, Porto Alegre, RS, 28 jul 1983, qui, 21h50; gols: Caio/G, Morena/P, César/G)

FINALIZAÇÃO
Edição: Bruno Carvalho.

Computação gráfica: Fabricio Barros.

EQUIPE Kives Vídeo-Nova Forma Distribuição
Direção geral: Ercio Mauro Kives.
Direção artística: Marco Aurélio Teixeira.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Estúdio de edição de som e mixagem: Loop Reclame (Porto Alegre).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Vórtex Vídeo Produções (Porto Alegre).
Produto oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (Porto Alegre).
Apoio?: Panini.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos: RBS TV, Rádio Gaúcha, Rede Record, Rádio Guaíba, Casa de Cinema de Porto Alegre, Memorial Hermínio Bittencourt, Alfredo Barros, Armindo Antonio Ranzolin, Lauro Quadros, João Carlos Belmonte, Joabel Pereira, Wander Wildner.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre, para os depoimentos.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:29:41
Som: Dolby Digital 2.0
Imagem: cor
Proporção de tela: 1.85
Formato de captação:
Formato de exibição:

DIVULGAÇÃO
Design gráfico: Luca / by Luca Criações Gráficas.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
DVD: Distribuição: Kives Vídeo KV 5870, 2009. Autoração: 19 maio 2009. Sem extras.

OBSERVAÇÕES
Complementação aos créditos: contracapa do DVD.
Cf. créditos finais: // Porto Alegre, junho de 2009 // 1983 – O Ano Azul (o primeiro é o que fica na história) //

Diretoria e comissão técnica Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense 1983: Presidente: Fábio André Koff. Vice de futebol: Alberto Galia. Diretores: Túlio Macedo e Rudy Armin Petry. Supervisor: Antônio Carlos Verardi. Preparador físico: Ithon Fritzen. Médico: Dirceu Colla. Vice-presidente: Adalberto Preis. Vice-presidente: Mário Leitão. Vice-presidente: Mauro Rosito. Vice-presidente: Ziuton Bohmgahrem. Presidente do Conselho Deliberativo: Flávio Obino. Vice-presidente do Conselho Deliberativo: Irany Sant'anna.

Grafias alternativas: Edu Izquerdo | Paula Gastaud de Oliveira | Fred Ruas | Marcelo Fornazier [= 4nazzo] (cf. créditos)

Exibições


• Porto Alegre (RS), GNC Shopping Iguatemi
Sala 5, 1º jun 2009, seg, 22h (pré-estreia)
5-11 jun 2009, sex, sab, 20h20, 22h10, 24h, dom-qui, 20h20, 22h10

• Porto Alegre (RS), GNC Moinhos Shopping, 5-11 jun 2009, sex-qui, 16h20, 22h

• YouTube, disponível

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
1983 – O ano azul. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/594/1983-o-ano-azul. Acesso em: 22 de fevereiro de 2024.