Porto dos mortos (2010)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Ficção
cor, 89 min

Direção: Davi de Oliveira Pinheiro.
Companhia produtora: Lockheart

Primeira exibição: São Paulo (SP), Cinefantasy 5º Festival Internacional de Cinema Fantástico, Biblioteca Temática Viriato Corrêa-Sala Luiz Sérgio Person, 9 set 2010, qui, 21h
Primeira exibição RS: Porto Alegre (RS), Sala P. F. Gastal, 2 nov 2012, sex, 15h

 

Davi de Oliveira Pinheiro escreve, produz e dirige Porto dos mortos entre 2007 e 2010, ano de lançamento deste seu primeiro longa-metragem cuja estreia se dá no Cinefantasy 5º Festival Internacional de Cinema Fantástico, em São Paulo (SP). Rodado em HD, em Porto Alegre e arredores, com orçamento estimado em R$ 300 mil, o filme cruza gêneros cinematográficos como horror, suspense, drama, policial, faroeste e road movie. O resultado é uma aventura estética e narrativa contemplativa com informações mais subentendidas do que explicadas, gerando controvérsias entre público e crítica. Mesmo assim, Porto dos mortos participa de mais de 80 festivais e conquista diversos prêmios, incluindo os de melhor filme no 3rd Arizona Underground Film Festival, no 3rd Cheyenne Zombiefest, no 4th Movie Days/The Dark Zone, no 6th Blood Film Festival e no 2nd Subversive Film Awards. Tendo em vista que o cinema fantástico não era uma tradição no Brasil até a primeira década do novo milênio, exceto pela obra consolidada de José Mojica Marins, a simples existência de Porto dos mortos já lança luz sobre este macabro longa.

O cineasta evita dar foco total em mortos-vivos ao desenvolver uma trama marcada por relações humanas conturbadas, vingança e por sujeitos assombrados por um demônio assassino – ao estilo de O Colecionador de almas (Dust devil, Richard Stanley, 1992). Com diálogos aleatórios, enigmáticos ou lacunares, planos alongados e silenciosos, e personagens misteriosos nem sempre desenvolvidos, ganham destaque as paisagens em cenas de estrada e as locações escolhidas, sobretudo os prédios antigos e abandonados, quase destruídos, que oferecem boa ambientação de um mundo em declínio. A fotografia e a direção de arte se mostram atentas, enquanto a maquiagem resulta adequada apesar das limitações orçamentárias. No filme, os zumbis são letárgicos, sofrendo de um quase rigor mortis bem ao estilo de George A. Romero, sendo, portanto, diferentes da nova geração de mortos-vivos ágeis e mortíferos inaugurada por Extermínio (28 days later, Danny Boyle, 2002). No entanto, zumbis não são as figuras principais do filme. Na verdade, os mortos aos quais o título faz referência dizem mais respeito aos humanos assassinados pela entidade demoníaca do que aos seres putrefatos que seguem sem destino por estas terras pós-apocalípticas. Estes, afinal, são não-mortos. Estão no intervalo entre a vida e a morte, diferente dos humanos que se tornaram vítimas do assassino sobrenatural.

O longa tem momentos com áudio em volume baixo, como nas transmissões de rádio emitidas por um locutor que se declara "o último homem da face da Terra", uma referência clara a Mortos que matam (The Last man on Earth, Ubaldo Ragona, 1964), inspirado no livro Eu sou a lenda (I am legend, Richard Matheson, 1954), que também deu origem a outros longas. Porto dos mortos junta-se a Mangue negro (Rodrigo Aragão, 2008) e A Capital dos mortos (Tiago Belotti, 2008), formando a tríade cinematográfica que dá início à atual e consistente produção de cinema fantástico no Brasil.

Apesar de compor este marco, e a despeito dos prêmios recebidos e da participação em dezenas de festivais pelo mundo, Porto dos mortos tem pouco tempo de exibição na capital gaúcha: seis dias em cartaz na Sala P. F. Gastal em novembro de 2012. Além de diretor, Davi também é roteirista dos curtas Ex inferis (Marcelo Allgayer, 2003) e Café da tarde (Marcelo Allgayer, 2005). Seu primeiro curta em codireção com Ana Biavaschi, em 16 mm, é produzido no Curso de Extensão Oficinas Experimentais de Cinema (PUCRS, maio a dez 2001). Dirige David Lynch como ator em O Passageiro obscuro (2009), curta que deu origem a Porto dos mortos. Funda a produtora Ausgang com Emiliano Cunha e Pedro Guindani em 2007.

Sinopse


Epígrafe: "Nunca é alto o preço a pagar pelo privilégio de pertencer a si mesmo". Friedrich Nietzsche.
// Outro tempo, outro lugar... //
// Interlúdio antes do fim do mundo //
// Fim do interlúdio //

Em um mundo infestado por zumbis, um Policial sem nome caça um assassino serial possuído por um demônio. O Policial transita entre estradas, pequenas localidades e prédios abandonados até encontrar um casal de namorados composto por dois adolescentes que se unem no fim de mundo: Atirador e Nina. O trio segue viagem no Maverick negro do Policial sem estabelecer muita conversa. Enquanto os namorados precisam encontrar um sujeito não identificado para um acerto de contas, o Policial persegue a entidade demoníaca conhecida como "Passageiro", um personagem interpretado por três atores em diferentes momentos que é responsável pela morte de diversas pessoas. Mas o "Passageiro", que incorpora em suas vítimas, demandando assim diferentes intérpretes, também caça tantas almas quantas forem possíveis, incluindo a do Policial.

Durante a busca, o Policial e os adolescentes encontram outros três sobreviventes em um casarão abandonado: o prepotente Ashley, a grávida Adriene e Franco, o homem que os protege. Este último é um personagem acolhedor, que inspira confiança no grupo. O Policial, o Atirador e Nina descansam por um momento, se alimentam e caem na estrada novamente até serem capturados pelo "Passageiro" e por seus comparsas, um indígena arqueiro e um gaitista sobrenatural, o Anjo. Durante um embate coletivo, o Atirador e Nina são mortos e o Policial é gravemente ferido. Resgatado por Franco, ambos retornam ao casarão, onde o quarteto sobrevivente sofre um ataque zumbi. A mulher grávida é mordida e, para evitar sua transformação e a do bebê, comete suicídio. Ashley é expulso do local por torturar um zumbi tido como amigo pelo Policial.

Ao final, instaura-se um combate entre os oponentes. Franco mata o corpo feminino que o "Passageiro" havia possuído, mas o demônio incorpora no homem. Agora, "Franco Passageiro" se volta contra o Policial no intuito de matá-lo. Nesta guerra particular, o Policial consegue abater o corpo de Franco, porém o "Passageiro" tenta incorporar no protagonista, que luta pela própria vida contra a possessão demoníaca. O Policial supera o oponente, seguindo sua viagem a um destino desconhecido.

Ficha técnica


ELENCO
Rafael Tombini (Policial),
Álvaro RosaCosta (Franco),
Ricardo Seffner (Atirador),
Amanda Grimaldi (Nina),
Leandro Lefa (Ashley),
Luciana Verch (Adriene),
Tatiana Paganella (Passageiro I),
Adriano Basegio (Passageiro II),
Marcos Guarani (Índio), Felipe Longhi (Anjo), Isidoro B. Guggiana (Maquiavel),
Claudio Benevenga (Faroeste), Cassiano Griesang (Espaguete), Daniel Bacchieri (Cangaceiro), Lindon Shimizu (Samurai), Luca Tombini (Jovem Retornado), Heinz Limaverde (Glutão),
Carol Zimmer (Enfermeira I), Néfer Kroll (Enfermeira II), Samy Duarte (Enfermeira III), Zé Leandro (Caçador), Ian Ramil (Radio DJ),
Frederico Toniolo (Retornado I), Luiz H. Vianna Amaral (Retornado II), Henrique Silveira (Retornado III), Jovanir Miranda (Retornado IV), Paulo Gauger (Retornado V),
Déby Marques (Retornada I), Camila Farina (Retornada II), Leticia Bueno (Retornada III), Lara Silva Mendes (Retornada IV),
Alexsander Oliveira da Silva (Homem do porão I), Charlie Severo (Homem do porão II), Diego Farias (Retornado da estrada), Julian Kober (Caroneiro I), Andryos Fetzer (Caroneiro II),
Joana Vieira (Caroneira), Gisela Rodriguez (Mãe), Gilver Tarakdian (Pai), Phylip Tarakdian (Filho).
Vozes: Elisa Volpatto (Passageiro I), Marcos Contreras (Retornados I), Ursula Collischonn (Retornados II).

DIREÇÃO
Direção: Davi de Oliveira Pinheiro.
Primeira assistência de direção: Sara Valar.
Segunda assistência de direção: Davi Pretto.
Primeira assistência adicional de direção: Guilherme Keenan.
Continuidade: Guilherme Keenan.

ROTEIRO
Roteiro: Davi de Oliveira Pinheiro.
Storyboard: Gisele Oliveira.
Legendas em espanhol: Alejandro Yamgotchian.
Revisão de legendas em espanhol: Mirella Maines.
Legendas em francês: Laura Barcelos.
Revisão de textos em inglês: Eduardo Stigger.
Tradução guarani: Deolinda Peralta Oruê.
Assistência de tradução guarani: Beatriz Peralta Oruê.

PRODUÇÃO
Produção: Isidoro B. Guggiana, Davi de Oliveira Pinheiro.
Produção executiva: Davi de Oliveira Pinheiro, Glauco Urbim, Isidoro B. Guggiana.
Direção de produção: Glauco Urbim.
Coordenação de produção: Cacá Joanello.
Assistência de produção: Bruno Sutil, Carla Pfeifer, Jessica Luz, Laura Dias.
Produção de elenco: Simone Buttelli.
Pesquisa de locação: Dulphe Pinheiro Machado.

Produção de set: José Crespo, Tiago Kraemer.
Produção adicional de set: Bira, Caco.
Serviço de apoio e manutenção de locação: Marina Silveira.
Serviços gerais: Catarina da Rosa, Deivid Maciel da Silva, Luiz Roberto Roupp, Marlene Fernandes.
Motorista chefe: Fábio Arocha.
Motoristas: Fernando Souza, Oradi Arocha.
Motoristas adicionais: Rafael Régoli, Raul Machado.

Agenciamento comercial: Joba Migliorin.
Contabilidade: Marcelo Nunes Machado.
Assistência de contabilidade: Eliane Battisti, Fernanda Ávila.
Advogado: Marcio Welter.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Melissandro Bittencourt.
Assistência de câmera: Felipe Rosa, Leonardo Maestrelli.
Assistência de câmera adicional: Glauco Firpo.
Logger: Bruno Carboni.

Eletricista chefe: Mauricio Leite.
Assistência de elétrica: Enrico Francini.
Maquinista chefe: Everton Juba Machado.
Assistência de maquinaria: Joacir Fontana.
Caminhão de elétrica: Paulo Roberto Silveira.

Fotografia de cena: Alexandre Bazzo, Mario Ladeira, Rodrigo Lorandi.
Assistência de fotografia de cena: Marco Antonio.
Making of: Cassiano Griesang.
Making of adicional: Luciano Valério.

ARTE
Direção de arte: Carmem Fernandes.
Assistência de direção de arte: Flavia Schwantes.
Props automobilísticas e stunt driving: Lourenço Dupont.

Efeitos especiais: Kapel Furman.
Assistência de efeitos especiais: Andre Guerrero.
Desenhista e modelador de objetos: Leo Dias.

Figurino: Raiza Antunes.
Assistência de produção de figurino: Juliane Senna.

Maquiagem: Andre Guerrero.
Maquiagem FX: Andre Guerrero, Kapel Furman, Ricardo Ghiorzi.

SOM
Som direto: Leo Bracht, Leandro Lefa.
Microfonistas: Leo Bracht, Leandro Lefa, Pedro de Lima Marques, Rodrigo Panassolo.

MÚSICA
Concepção e produção musical: Felipe Longhi
Música original: Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen & Felipe Longhi.
Músicos: Felipe Longhi (violão), Augusto Bornhausen (guitarra), Bruno Fritzen (bateria), Gabriel Fritzen (baixo), Felipe Lermen (guitarra).
Coprodução musical: Rodrigo Panassolo.
Produção executiva musical: Davi de Oliveira Pinheiro, Isidoro B. Guggiana.
Gravação da música: Rodrigo Panassolo.
Mixagem da música: Felipe Longhi, Rodrigo Panassolo.

Músicas:
• "Arukai?" (música, letra: Felipe Longhi; tradução para japonês: Lindon Shimizu) por Lindon Shimizu (vocais)
• "O Caminhão dourado" (música: Felipe Longhi, Bruno Fritzen, letra: Felipe Longhi) por Felipe Longhi (vocais, palmas, guitarra, violão de náilon, teclados, palmas, efeitos sonoros), Gabriel Fritzen (baixo, voz adicional, palmas), Bruno Fritzen (bateria, voz adicional, palmas, efeitos sonoros)
• "Canção de ninar a Nina" (música, letra: Felipe Longhi) por Felipe Longhi (violão de náilon, violão de aço), Álvaro RosaCosta (vocais), Gisele de Santi (vocais).
• "Tango (Monges tropicais)" (música: Felipe Longhi) por Álvaro RosaCosta (vocais e quatro), Ione Gütz (vocais)
• "Caixinha de música" (música: Felipe Longhi) por Rodrigo Panassolo (execução da caixa de música), Leandro Lefa, Rodrigo Panassolo (edição da caixa de música)
"Valsa de Maquiavel" (música, letra: Felipe Longhi) por Felipe Longhi (assobios, violão de aço, cavaquinho, escaleta, teclado, glockenspiel, bombo legüero, palmas), Fernanda Pires (bongô, chocalho e 'uh-ah-ah'), Bruno Fritzen (pratos, voz adicional), Gabriel Fritzen (voz adicional)
• "Caixinha de música" [reprise] por Rodrigo Panassolo (execução da caixa de música), Leandro Lefa, Rodrigo Panassolo (edição da caixa de música), Ursula Collischonn (assobios)
• "Porto dos mortos, a canção" (música, letra: Felipe Longhi) por Felipe Longhi (teclados, violão de náilon, violão de aço, gravação e efeitos sonoros), Lia Cameira (vocais), Veronica Monzon Velazquez (voz do monólogo), Felipe Lermen (guitarra), Gabriel Fritzen (baixo), Bruno Fritzen (bateria). Monólogo escrito por Felipe Longi, Gabriel Jacobsen, Veronica Monzon Velazquez

• "Ahgnolim nº 1" (Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen, Felipe Longhi) por Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen & Felipe Longhi
• "Academia Lockheart de tiro" (Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen, Felipe Longhi) por Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen & Felipe Longhi
• "Epílogo" (Augusto Bornhausen, Felipe Longhi) por Augusto Bornhausen, Felipe Longhi, Rodrigo Panassolo
• "No manicômio" (Felipe Longhi) por Felipe Longhi (teclado)
• "As Crianças" (Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen, Felipe Longhi) por Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen & Felipe Longhi
• "Passado (Hafen Toten, das Lied)" (música, letra: Felipe Longhi; tradução para alemão: Lúcia Passos) por Vagner Cunha (harmonium, viola, violino; arranjo), Lúcia Passos (vocais)
• "No covil dos vilões 1" (Felipe Longhi) por Felipe Longhi (teclado)
• "Sequência de ação" (Felipe Longhi) por Bruno Fritzen (bateria), Felipe Longhi (percussão)
• "No covil dos vilões 2" (Felipe Longhi) por Felipe Longhi (teclado)
• "Sequência de batalha" (Bruno Fritzen, Felipe Longhi) por Bruno Fritzen (caixa)
• "A Milonga do herói" (Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen, Felipe Longhi) por Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen & Felipe Longhi
• "Duelo" (Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen, Felipe Longhi) por Augusto Bornhausen, Bruno Fritzen, Gabriel Fritzen, Felipe Lermen & Felipe Longhi

Para todas as músicas: Publicadas por Lockheart Filmes Ltda..

FINALIZAÇÃO
Montagem: Marcelo Allgayer.

Direção de pós-produção: Pedro de Lima Marques.
Coordenação pós-produção: Daniela Israel.
Assistência de pós-produção: Bibiana Mandagará, Caroline Barrueco, Elisa Webber, Juarez de Andrade Júnior, Mariana Schuster.
Composição VFX: Pedro de Lima Marques.
Finalização e efeitos especiais digitais: Pedro de Lima Marques.
Colorista: Pedro de Lima Marques.
Rotoscopia: Guilherme Pires Caron, Matheus Brum.

Desenho de som: Leo Bracht.
Foley: Leandro Lefa, Ursula Collischonn.
Gravação de foley: Leo Bracht, Leonardo Dias, Rodrigo Panassolo.
Assistência de gravação de foley: Rafael Siqueira.
Edição de foley: Leo Bracht, Leonardo Dias, Leandro Lefa, Rodrigo Panassolo.
Edição de foley adicional (passos e mumunha): Bruno Machado, Chrístian Langaro, Luiz Ferraz.
Coordenação de passos e mumunha: Lísia Ribeiro.
Gravação de efeitos sonoros: Leo Bracht, Leandro Lefa.
Edição de som: Leo Bracht, Leandro Lefa.
Mixagem: Leo Bracht.
Assistência de mixagem: Leandro Lefa.

EQUIPE trailers
Assistência de edição de trailer: Bruno Carboni.
Assistência de produção de teaser trailer: Kátia Samara.
Compactação de trailer para internet: Alfredo Barros.
Direção de fotografia teaser trailer: Luciano Valério.
Storyboard para teaser trailer: Nico Monasterio.
Trilha sonora para teaser e trailer: Vinicius Calvitti.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Aluguel de câmera: Eduardo Wannmacher / [Firma Filmes (Porto Alegre)].
Aluguel de câmera adicional: Felipe Rosa, Melissandro Bittencourt.
Luz e maquinaria: Rental Light (Porto Alegre).
Luz e maquinaria adicional: Apema Locação de Equipamentos de Produção Cinematográfica.
Aluguel de gerador: Marcelo Toaldo.
Aluguel de monitor: Buff Rental.
Estúdio de som: Transcendental Audio (Porto Alegre).
Armas de fogo: Forjas Taurus S.A..
Alimentação: Rozane Leivas Eventos.
Alimentação adicional: Nutri Vida Restaurante; Restaurante da Vó.
Água: Água Mineral Sarandi.
Gelo: Gelo Pop Indústria e Comércio Ltda..
Aluguel de vans: Arovans Transporte.
Aluguel de vans adicional: Xarão Vans.
Transporte de material de elétrica: Sauer Transportes.

Instalações
Granja Piratini: Thippos Hair.
Estúdio de gravação da música: Transcendental Audio (Porto Alegre).
Pós-produção: Bactéria Filmes (Porto Alegre).

Serviços: T Tecnocine; V2; Estúdios Mega; Hair and Style Thippos.
Segurança: Clant.
Seguros: Metlife.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Lockheart (Porto Alegre).
Apoio: Bactéria Filmes (Porto Alegre); Transcendental Audio (Porto Alegre); E o Vídeo Levou... (Porto Alegre); Rental Light (Porto Alegre); Apema Locação de Equipamentos de Produção Cinematográfica.

AGRADECIMENTOS
Agradecimentos especiais: Conceição Cardoso Pinheiro, DAER Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, João Francisco Martins da Silva, Laura de Oliveira Pinheiro, Marcelo Popoviche, Marli Becker Guggiana, Paula Cristiane Guggiana, Paulo Cesar Gutierres Guggiana (in memoriam), Prefeitura Municipal de Porto Alegre, PUCRS, Wilton Soares Martins.
Agradecimentos: Adriana Androvandi, Alejandro Yamgotchian, Alexandre Aguiar, Alexandre Kroeff, Alvaro Bertani, Anderson Tavares, Anthony Timpone, Antonio Xerxenesky, Baby Marques, Brad Miska, Carolina Silvestre, Carlos Tiaraju Brockstedt, Centro Clínico Gaúcho, Clube Thompson de Tiro, Cristian Schoenardie, Cristóvão Colombo, Daniel Coelho, David Pike, Don Neumann, Eduardo Andrejew, Eduardo de Almeida Navarro, Eduardo Valente, Eric Mathis, Eron Fagundes, Fernando Seffner, Francine Tombini, Gabriela Alaniz, Geórgia Reck, Jean Caetano, Johnny Butane, Kátia Eliane Bartz, Lavínia Palma, Leandro 'Nul', Letícia de Cássia, Luciano 'Pilô' Alves, Maitê Peixoto, Maíra Baé Vieira, Marcelo Perrone, Márcia Frank, Maurício Vargas de Oliveira, Mirian Baladão, Metsul Meteorologia, Miriam Becker, Mônica Jorge, Marco Antônio Mesquita Lerias, Marco Müller, Marcos Petrucelli, Matheus Ongaratto, Nany Guerreiro, Ótica Bom Fim, Patrick Matzenbacher, Ricardo Theisen, Rodrigo Cardoso, Suzana Bracht, Thompson Cardoso, Todd Brown.
Agradecimento aos Retornados: Daniel Calovi, Graziela Pires, Iurqui Pinheiro da Rocha Siqueira, Josiel Teixeira de Oliveira, Marina Kerber, Raisa Rocha, Ray Andrade, Solaine Aquino, Solano Guarche de Araújo.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre; Viamão e arredores.
Período: durante 23 dias: 18 dias em fevereiro-março + 4 dias em abril de 2008 + um dia de estúdio.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração:
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:

DIVULGAÇÃO
Design gráfico: Guilherme Facão Pelegrino.
Assessoria de imprensa: Isidoro B. Guggiana.
Assistência de assessoria de imprensa: Maitê Mendonça.

PREMIAÇÃO
• 3rd Arizona Underground Film Festival 2010: best horror feature.
• 2nd Winter Film Awards: melhor longa-metragem de horror.
• 4th Zed Fest: melhor filme de ação + melhor filme de língua estrangeira + direção + produção + figurino + automóvel (Fast Eddie's Pimpest Ride)
• 3rd Cheyenne Zombiefest: melhor filme.
• 4th Movie Days/The Dark Zone: melhor filme.
• 6th Blood Film Festival: melhor longa-metragem.
• 2nd Subversive Film Awards: melhor longa-metragem.
• 5º Montevideo Fantástico (UY): melhor filme (público).
• 7º Festival de Cinema Curta Cabo Frio: prêmio coletivo de elenco.
• 3rd PollyGrind Underground Film Festival: filme "mais legal".
• Fright Fest Film Festival 2016: menção honrosa.

• 2nd Hot Media International Film Festival: indicações: roteiro + ator + ator coadjuvante.
• 9th Maverick Movie Awards: indicações: direção + ator coadjuvante + direção de arte + maquiagem fx + dublês de ação
• 1st Gwinnett Center International Film Festival: indicação: prêmio coletivo de elenco.
• 2nd Colortape International Film Festival: indicação: direção.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: 18 anos.
Distribuição: Ondamax Films-Latin American Cinema Distribution (US).
Contato:

OBSERVAÇÕES
// Os acontecimentos, personagens e empresas representados neste longa-metragem são fictícios. Qualquer semelhança com pessoas reais, vivas ou mortas, ou empresas reais é pura coincidência. //
// © 2011 Lockheart Filmes Ltda. Todos os direitos reservados. //
// Lockheart Filmes Ltda. é a autora e criadora deste longa-metragem para fins de copyright e outras leis em todos os países ao redor do mundo. / Este longa-metragem é protegido sob as leis do Brasil e outros países. Qualquer exibição não autorizada, distribuição ou reprodução deste longa-metragem ou homevideo ou qualquer uma de suas partes (incluindo sua trilha sonora) podem resultar em severas penalidades civis e criminais. //
// Cuidado com o cara que anda. / Beware of the walking dude. //

Títulos alternativos: Beyond the grave
Grafias alternativas: Everton 'Juba' Machado | Juarez Andrade Junior | Oradir Arocha | Mauricio 'Maumau' Zucolotto [= Mauricio Leite] | Guilherme Pires | Marina Teixeira Kerber | Pedro Marques | Rodrigo Migliorin | Luciano Amaro Valério | Rafael Tombini = Rafael Tombini Kerber | Xarão Vans Ltda. | Paulo Roberto da Silva | Wisconsin Wilton S. Martins | Rental Light – Vídeo Produções & Locações [Razão social: Rental Light Video Produções e Locações de Equipamentos Ltda., 1999-2015]
Grafias alternativas (funções): Fotógrafo still | Catering | Artistas de foley | Direção de som [= Desenho de som] | Serviço de limpeza | Câmera logger | Música original – composição e execução | Canções | Técnico de gravação | Mixagem musical | harmônio (cf. créditos)

BIBLIOGRAFIA
IZIDRO, Chico. Porto dos mortos (2010) – E os zumbis chegaram ao sul. In: FEIX, Daniel; LUNARDELLI, Fatimarlei; PINTO, Ivonete; KANITZ, Mônica; VALLES, Rafael (org). 50 olhares da crítica sobre o cinema gaúcho. Porto Alegre: ACCIRS Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul, Opinião Produtora, Diadorim Editora, JBL Harman, Pró-cultura / Secretaria de Estado da Cultura / Governo do Rio Grande do Sul, 2022. 226p. il., p.132-136.

Noticiário:
OSÓRIO, Ticiano. Zumbis na capital – Longa de terror começa a ser rodado em Porto Alegre. Zero Hora, Porto Alegre, 19 maio 2007, Segundo Caderno.
BONEZ, Matheus. Porto dos mortos. Papo de Cinema, Porto Alegre, 2010.
SPLAT. Beyond the grave. Extreme Horror Cinema, Estados Unidos, 18 jun 2014. 
FERREIRA, Rafael. Porto dos mortos. Cinemascope, São Paulo, 23 jul 2014. 
GUERRA, Felipe M. Porto dos mortos. Boca do Inferno, São Paulo, 29 nov 2014 . 
TATUM, Charles. Beyond the grave. Efilm Critic, Austrália, 6 abr 2015.
SIMMONDS, Daniel. Beyond the grave (2010) – Zombie horror film review. Rotting Zombie, Reino Unido, 20 abr 2015.  
RICARDO, Tiago. Entrevista com Isidoro B. Guggiana. Panda's Choice. Portugal, 7 jul 2015.

Exibições


• São Paulo (SP), Cinefantasy 5º Festival Internacional de Cinema Fantástico, Biblioteca Temática Viriato Corrêa-Sala Luiz Sérgio Person, 9 set 2010, qui, 21h

• Arizona, AZ (US), 3rd Arizona Underground Film Festival [18-25 set], 25 set 2010, sab

• La Habana (CU), 33 Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano [1º-11 dez]-Selección Cine Fantástico y de Horror en Latinoamérica, dez 2011

• Chicago, IL (US), 28th Chicago Latino Film Festival [13-26 abr], 21 abr 2012, sab (presença do diretor)

• Montréal (CA), MUFF 7th Montréal Underground Film Festival [17-20 maio], Sala Rossa, 20 maio 2012, dom, 19h

• (PT), Portugal Underground Film Festival

• Corpus Christi, TX (US), STUFF South Texas Underground Film Festival [21-27 set], House of Rock, 27 set 2012, qui, 18h

• Sitges (ES), Sitges 45 Festival Internacional de Cinema Fantàstic de Catalunya [4-14 out]-Sección Brigadoon, out 2012

• Providence, RI (US), 13rd Rhode Island International Horror Film Festival [25-28 out]-Feature Competition, out 2012

• 13º Indie Festival

• 5. Jaipur International Film Festival

• Porto Alegre (RS), Sala P. F. Gastal, 2-4, 6-8 nov 2012, sex-dom, ter-qui, 15h, 17h, 19h
2 nov 2012, sex, 19h (comentada com diretor Davi de Oliveira Pinheiro + produtor Isidoro B. Guggiana)
3 nov, 2012, sab, 19h (comentada com supervisor de finalização e efeitos especiais Pedro de Lima Marques)
4 nov 2012, dom, manhã (para Clube de Cinema de Porto Alegre)
4 nov 2012, dom, 19h (comentada com diretor de fotografia Melissandro Bittencourt + diretora de arte Carmem Fernandes)
6 nov 2012, ter, 19h (comentada com ator Rafael Tombini)

• Curitiba (PR), Mostra Grotesc-O-Vision [8-11 fev], Cinemateca de Curitiba (R. Presidente Carlos Cavalcanti, 1.174, São Francisco), 8 fev 2013, sex, 18h30

• Tucson, AZ (US), 22nd Arizona International Film Festival [12-28 abr], The Screening Room, 26 abr 2013, sex, 22h

• Gramado (RS), 41º Festival de Cinema de Gramado [9-17 ago]-Mostra Especial de Cinema Gaúcho, Palácio dos Festivais, 14 ago 2013, qua, 16h

• Rio de Janeiro (RJ), MOPA Mostra Polo Audiovisual RS [19 nov-1º dez], CCBB Centro Cultural Banco do Brasil, 23 nov 2014, dom, 19h30 (debate com diretor após sessão)

• Porto Alegre (RS), MOPA Mostra Polo Audiovisual RS [4-10 dez], Cinemateca Paulo Amorim-Sala Eduardo Hirtz, 6 dez 2014, sab, 16h

• Porto Alegre (RS), MOPA Mostra Polo Audiovisual RS [4-10 dez], Cinespaço Bourbon Shopping Wallig, 7 dez, sab, 20h

Arquivos especiais


OSÓRIO, Ticiano. Zumbis na capital – Longa de terror começa a ser rodado em Porto Alegre. Zero Hora, Porto Alegre, 19 maio 2007, Segundo Caderno.

Porto Alegre está para estrear como cenário de um longa-metragem de horror. No sábado passado, foram rodadas as primeiras cenas de Porto dos mortos, mistura de filme de zumbis com o cinema policial americano dos anos 1970 e os faroestes italianos.
Na trama, um policial linha-dura (vivido por Rafael Tombini) percorre a bordo de um Maverick preto uma Porto Alegre pós-apocalíptica, onde enfrentará mortos-vivos e marginais sanguinários, além de seus demônios interiores. A direção é de Davi de Oliveira Pinheiro, 27 anos, roteirista do episódio Café da tarde (2005), da série de TV História curtas e criador do Festival de Cinema Fantástico de Porto Alegre.
– Depois de Porto dos mortos, o pôr-do-sol do Guaíba nunca mais será o mesmo – promete Davi.
Boa frase para um futuro cartaz do filme, que, por enquanto, se resume mesmo a uma jogada de marketing: com câmera digital, as tais primeiras cenas foram captadas no Cais do Porto para serem transformadas em um trailer promocional, a fim de atrair investidores. Não quer dizer, garante Davi, que o projeto corra risco de ser engavetado.
– Parafraseando Francis Ford Coppola, no momento em que tu começas a fazer um filme, ele toma vida própria – diz Davi, que anuncia para setembro as filmagens e para 2 de novembro de 2008 a estreia. – Financiamento eu tenho (o orçamento é inferior a R$ 1 milhão). Queremos patrocinadores só para ter mais conforto. Mas falta de dinheiro não justifica falta de qualidade. Em Agonia e glória, o Samuel Fuller mostrou o desembarque de uma frota na praia com apenas dois navios. Ele só ficava trocando de ângulo.
Coppola, Fuller, Dario Argento, Alain Resnais. A toda hora, Davi cita nomes, como um típico diretor cinéfilo. E ele assume que Porto dos mortos será uma "brincadeira estética" com os títulos que marcaram sua infância e adolescência, como os policiais Operação França e Viver e morrer em Los Angeles, de William Friedkin, e a saga dos mortos-vivos dirigida por George A. Romero.
– Sempre tive fascínio pelo gênero dos zumbis. Não é só terror físico. Eles são espelho das imperfeições humanas.
Em busca do "entretenimento épico", Davi envereda por um gênero pelo qual, apesar do bom desempenho nas bilheterias, os cineastas brasileiros não se arriscam (com a honrosa exceção de José Mojica Marins, o Zé do Caixão). Mas não se espere um terror com elementos regionais. Tirando o cenário – adianta Davi – a única coisa diferente nos zumbis de Porto Alegre será o sotaque.

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Porto dos mortos. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/662/porto-dos-mortos. Acesso em: 18 de maio de 2024.