Pintura – Da matéria à representação (2010)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Não ficção
DVD, cor, 70 min

Direção: Hopi Chapman, Karine Emerich.
Companhia produtora: Flow Filmes

Primeira exibição: Viamão (RS), Fundação Vera Chaves Barcellos, durante a exposição Pintura – Da matéria à representação, em cartaz a partir de 20 nov 2010, sab

 

Pintura – Da matéria à representação, produzido pela Fundação Vera Chaves Barcellos, teve primeira exibição na própria instituição durante a mostra homônima, em cartaz de 20 de novembro de 2010 a 18 de junho de 2011 na Sala dos Pomares. A Fundação Vera Chaves Barcellos é um espaço dedicado à preservação e difusão das artes visuais, localizado em Viamão, cidade vizinha a Porto Alegre. O documentário de Hopi Chapman e Karine Emerich acompanha a montagem da exposição e registra o pensamento de participantes da mostra. Os artistas relatam momentos de sua carreira, comentam seu processo criativo e debatem questões da pintura contemporânea. As conversas giram em torno da potência das artes pictóricas e visuais, do estatuto da imagem, e sobre as diversas técnicas e práticas de produção. Nas palavras do curador Mário Röhnelt, a mostra "reúne exemplares da produção de 13 pintores surgidos a partir dos anos 1980 e que constituem importante contribuição à prática da pintura brasileira. Cada um possui um discurso plástico próprio, uma maneira singular de domar a matéria do seu ofício e de enfrentar decididamente a imensa tradição da pintura e sua história". Segundo Röhnelt, ele mesmo um dos nomes mais importantes da chamada geração 80 de artistas que renovaram a tradição da arte contemporânea entre nós, a mostra se desenvolveu sobre "uma estilística que vai da pintura expressionista abstrata à pintura figurativa de viés gráfico". Este é um raro documento com imagens de Mário Röhnelt (Pelotas, 15 dez 1950. Porto Alegre, 16 dez 2018).

Os 13 artistas são: Frantz (Rio Pardo, 1963), Regina Ohlweiler (Porto Alegre, 1954), Carlos Wladimirsky (Porto Alegre, 1952), Gisela Waetge (São Paulo, SP, 1955. Porto Alegre, 6 ago 2015), Marilene Burtet Pieta (Porto Alegre), Lenir de Miranda (Pelotas, 1945), Heloisa Schneiders da Silva (Porto Alegre, 1955-2005), Mara Alvares (Porto Alegre, 1948), Milton Kurtz (Santa Maria, 1951. Porto Alegre, 1996), Alfredo Nicolaiewsky (Porto Alegre, 1952), Nelson Wilbert Jr. (São José do Ouro, 1969), Ricardo Mello (Santiago, 1980) e Karin Lambrecht (Porto Alegre, 1957).

No documentário, dez artistas da exposição dão entrevistas, sendo que Mônica Zielinsky discorre sobre Heloisa Schneiders da Silva, enquanto Marcelo G. Alvez e Ana Albani de Carvalho comentam a obra de Milton Kurtz. Lambrecht não é abordada. Em 23 de novembro de 2011, é lançado o catálogo-livro da exposição incluindo o DVD do filme. A edição é uma das cinco indicadas na categoria Destaque em Textos, Catálogos e Livros Publicados do VI Prêmio Açorianos de Artes Plásticas aos trabalhos daquele ano.

Sinopse


Entre cenas da montagem da exposição Pintura – Da matéria à representação, coordenada pelo curador Mário Röhnelt e pela artista gaúcha Vera Chaves Barcellos, inaugurada em 2010 na fundação que leva seu nome, artistas visuais de diferentes gerações refletem sobre as transformações técnicas, estéticas e de linguagem sofridas pela arte contemporânea. Mônica Zielinsky diz que "a pintura hoje é compreendida em um campo ampliada (...) está misturada a tudo, à tecnologia, ao meio ambiente, às áreas de atuação da própria arte". Já Lenir de Miranda se dedica à pintura, sendo este seu movimento de retorno. Para Alfredo Nicolaiewsky, palavras nunca conseguirão exprimir a potência das imagens visuais. Frantz retoma trechos de sua carreira, destaca que prefere a pintura, mas revela que não pinta há 20 anos. Atualmente se dedica a exposições de pintura a partir de "restos das pinturas dos outros ou das pinturas dos outros reapresentadas de outra forma". O artista questiona a importância da noção de autor, afirmando que a pintura, ou o quadro, é o mais importante. Além disso, chama a atenção para o espaço expositivo como algo "fundamental para a obra a acontecer como obra". Regina Ohlweiler afirma que seu processo criativo inclui se arriscar com novas técnicas e matérias-primas, e que o erro pode configurar novos caminhos de realização. Gisela Waetge sublinha a arte como produto da imaginação, como algo que pode estimular a imaginação dos outros. Marilene Burtet Pieta se aproximou da pintura impressionada pela linguagem pré-verbal. Hoje, se mostra atenta tanto à exaustão quanto à renovação da pintura. Ex-professora e crítica de arte, Marilene busca orientar o olhar do espectador no acontecimento das formas registradas em tela. Lenir de Miranda, que começou a desenhar e pintar aos cinco anos, descobriu com a obra de Iberê Camargo que era possível fazer um tipo de arte que não era "cópia fiel da realidade". Seu trabalho gira em torno da melancolia do retorno estimulada pela figura mítica de Ulisses, que chegou às paginas da literatura por meio de Homero e de James Joyce. Mônica Zielinsky aponta para a obra de Heloisa Schneiders da Silva, sempre preocupada em questionar os limites da pintura e da tela. Ana Albani de Carvalho salienta que a pintura de Milton Kurtz dialoga com a cultura pop e contemporânea como um todo, sobretudo com cinema, fotografia e publicidade. Alfredo Nicolaiewsky observa a gênese de sua obra no desenho, no risco do lápis. Nelson Wilbert Jr. cria com ajuda de um computador suas obras pictóricas representando Mona Lisa com técnicas de pop art. A versão digital sai antes da pintura. Ricardo Mello trabalha com pintura foto-realista.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Marilene Burtet Pieta, Lenir de Miranda, Mara Alvares, Carlos Wladimirsky, Nelson Wilbert, Alfredo Nicolaiewsky, Frantz, Ricardo Mello, Regina Ohlweiler, Gisela Waetge,
Mônica Zielinsky, Marcelo G. Alvez (mestre em Artes Visuais), Ana Albani de Carvalho (professora doutora em Artes Visuais UFRGS),
Vera Chaves Barcellos, Mário Röhnelt.
Não creditado: Patricio Farías.

DIREÇÃO
Direção: Hopi Chapman, Karine Emerich.

ROTEIRO
Roteiro: Hopi Chapman, Karine Emerich.
Pesquisa e entrevistas (não creditada): Karine Emerich.

PRODUÇÃO
Produção executiva: Fundação Vera Chaves Barcellos, Claudia Rüdiger.

EQUIPE Exposição (não creditados)
Curadoria: Mário Röhnelt.
Produção executiva: Carolina Biberg, Claudia Rüdiger.
Programação visual: Roka Estúdio
Projeto museográfico: Ismael Monticelli, Mário Röhnelt.
Montagem: Altemir Sanhudo, Patricio Farías.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Hopi Chapman.
Assistência de câmera: Vinicius Oliveira, Decio de Freitas.

ARTE
Arte: Ernani Marques Jr..

SOM
Som (não creditados): Vinicius Oliveira, Decio de Freitas.

MÚSICA
Músicas:
• "Peace of mind" por Gangstarr
• "Take it personal" por Gangstarr
• "Chamo" por Projetoitagiba
• "Asi fue" por Astor Piazzolla
• "Reflections" por Oceania Soundtrack
• "Attente" (Richard Wagner)
• "Awakening" por Oceania Soundtrack
• "Africana" por Salif Keita
• "Maracatu" (música: Egberto Gismonti) por Egberto Gismonti
• "Arabe" por Al Bawaba
• "Song for my father" (música: Horace Silver) por Horace Silver (piano)
• "Metamorfia" por Stéphane Gagnon
• "I am a scientist" por Guided by voices
• "Straight, no chaser" (música: Thelonious Monk) por Miles Davis (trompete), John Coltrane (sax)

ARQUIVO
Obras citadas:
• Karin Lambrecht. Rumo ao sol. 1983; acrílica sobre tela, díptico, 220 x 140 cm.
• Lenir de Miranda. Relicário de cera e melancolia, da série Meu nome é ninguém – Odisséia/Homero. 2009; acrílica sobre emborrachado, cera de abelha, carvão e peças de transformador, díptico, 138 x 197 cm.
• Milton Kurtz. Laurel. 1990; acrílica sobre tela, 70 x 100 cm [sobre foto de Klaus Kinski].
• Mara Alvares. Guadalupe. 1994; óleo sobre tela, 156 x 206 cm.
• Heloisa Schneiders da Silva. Estados entre vida e morte. 1999; óleo e pastel sobre tela, 80 x 100 cm.
• Carlos Wladimirsky. Germinal. 2010; óleo sobre tela 90 x 140 cm.
• Nelson Wilbert. Sem título, da série Camuflagens. 2010; acrílica sobre tela, 180 x 180 cm.
• Marilene Burtet Pieta. Crossover. 2007; tempera, óleo sobre tela, ripas de molduras, díptico, 154 x 162 cm.
• Alfredo Nicolaiewsky. São Cristóvão. 1993-94; acrílica sobre tela, 175 x 200 cm.
• Frantz. Sem título. Sem data; técnica mista sobre tela, 180 x 270 cm.
• Ricardo Mello. Imersão noturna #068. 2010; acrílica sobre chapa de PVC, 36,5 x 60 cm.
• Regina Ohlweiler. Red trip. 2008; pigmento e óleo sobre tela recortada, 150 cm diâmetro.
• Gisela Waetge. Sem título, da série Receptáculo. 2005; pigmento, grafite, acrílica sobre tela, 117 x 189 cm.

FINALIZAÇÃO
Montagem: Juliana Costa, Marcel Kunzler.
Desenho de som e mixagem (não creditado): Eduardo Prates.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Flow Filmes (Porto Alegre).
Realização: FVCB Fundação Vera Chaves Barcellos (Viamão).

FILMAGENS
Brasil / RS, em Viamão, na Fundação Vera Chaves Barcellos.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:10:13 (DVD)
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela
Formato de captação:
Formato de exibição: DVD

DIVULGAÇÃO
www.flowfilms.net
fvcb.com.br.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
Contato: Flow Filmes; Fundação Vera Chaves Barcellos: Av. Senador Salgado Filho, 8.450, Viamão.

OBSERVAÇÕES
Complementação aos créditos: ficha técnica na última página do livro-catálogo Pintura – Da matéria à representação. Informações sobre a produção da exposição.
Cf. créditos finais: // Porto Alegre, novembro 2010 //.
Apenas títulos e intérpretes das músicas estão creditados.

Grafias alternativas: Astor Piazzola (créditos) | Juliana Amorim Costa (ficha técnica no livro) | Nelson Wilbert Jr.

BIBLIOGRAFIA
Pintura – Da matéria à representação. Viamão: Fundação Vera Chaves Barcellos, 2011. 95p. Texto: Pintura – Da matéria à representação, por Mário Röhnelt. Textos sobre os 13 artistas da mostra. Inclui o DVD, com a inscrição em seu miolo: fev 2011.

Exibições


• YouTube, disponível desde 6 jul 2012

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Pintura – Da matéria à representação. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/688/pintura-da-materia-a-representacao. Acesso em: 18 de abril de 2024.