Ninguém sabe onde fica o Haiti (2011)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Não ficção | Universitário
DVD, cor, 62 min

Direção: Henrique Maffei.
Companhia produtora: Inverso Filmes

Primeira exibição: Montréal (CA), 7e Festival International Film Black [22 set-2 out]-Seleção oficial, Cinéma Onf, 28 set 2011, qua, 16h
Primeira exibição RS: desconhecida

 

Documentário Ninguém sabe onde fica o Haiti é sobre o país caribenho e sua relação com o Brasil. A presença militar brasileira, futebol, a religião vodu, música, são temas que mostram que os dois países não são tão diferentes assim. Em 12 de janeiro de 2010 um terremoto de 7,3 na escala Richter atingiu a capital e parte importante daquela nação, vitimando em torno de 300 mil pessoas. Muito mais do que um relato da tragédia, o filme é um relato da vida do povo haitiano a partir de um olhar estrangeiro. Falado quase todo em creole, a língua local, o documentário mostra que a alegria, a garra e a luta pela sobrevivência faz com que os haitianos continuem acreditando em seu país, mostrando ao mundo a força de sua alma.

Henrique Maffei trabalhou como diretor, assistente de fotografia e editor em diversos curtas e publicidade. Assistente de direção no curta República dos ratos e no média para crianças O Sumiço dos gatos, os dois com direção de B. Mattos. Também dirige vídeos institucionais e clipes. 

Não é fácil definir a datação deste filme. Foi apresentado em novembro de 2010 como parte do trabalho de conclusão; na monografia, Maffei explica que este é um primeiro corte: "(...) o filme enquanto obra, e não enquanto trabalho de conclusão de curso, ainda terá que passar por outros processos para poder ser veiculado: ajuste de som (...) finalização de imagem". Este corte deve ter sido assistido privadamente pelos componentes da banca. Em seu blog, em postagem datada de 9 jun 2011, ele afirma: "Nesta semana finalizamos o filme. Com duração total de 62 minutos, o corte está já com a cor tratada e o som mixado. O próximo passo será a comercialização para divulgar a obra. Com o apoio da Prefeitura de Três Coroas e da ADEC, estamos providenciando uma cópia digital para disputar festivais de cinema".

Sinopse


Cartelas finais: // No dia 12 de janeiro de 2010, o Haiti foi afetado por um terremoto de 7,6 graus na escala Richter. / O sismo durou 35 segundos. / Estima-se que 1,5 milhão de pessoas perderam ou sofreram danos às suas casas. / O número de mortos é incalculável. Fala-se em mais de 300 mil. / A impossibilidade de identificar tantos corpos e a tentativa de barrar doenças forçou o uso de valas comuns. / Esta [vala] é uma das maiores, mas não a única, onde estão enterrados milhares de corpos. / Muitos cadáveres ainda estão embaixo dos escombros. //

Ficha técnica


IDENTIDADES
Ordem de identificação:
Franezil Eliolanda 'Kerna' (cozinheira),
Ti Fre're (pescador Port Salut),
André Etienne (carvoeiro),
Louis Ebby Angel (estudante de cinema),
Normelia Parise (diretora Centro Cultural Brasil-Haiti; em português),
St Juste Dieuquila 'Magda' (dançarina),
Max Beauvoir (chefe supremo do Vodu),
Julien Marcksen 'Marco' (pintor Jacmel),
Amilar Frautzdy 'Adje' (desabrigado Champs de Mars),
Montinor Eiele (costureiro),
Jean-Charles Fabio Testi (jogador de futebol),
Giorge Luc 'Anderson' (motorista),
Ternier Robert (padre Paróquia de N. Sra. de Mont Carmel),
Steeve Zéphir (estudante e professor de dança; em Porto Alegre; em português).
Não identificado: Rigot Ale (professor).

DIREÇÃO
Direção: Henrique Maffei.

ROTEIRO
Tradução: Henrique Maffei (português), Hugo Scotte (espanhol), Mariana Vargas (inglês), Steeve Zéphir (creole e francês).

PRODUÇÃO
Direção de produção: Sheila Zago.
Intérprete e assistência de produção: Steeve Zéphir.
Motorista: Giorge Luc 'Anderson'.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Rodrigo Góes.

SOM
Técnico de som: Marcos Lopes.

MÚSICA
Trilha instrumental original: Sérgio Rojas.

Músicas:
• "Haiti" (música: Gilberto Gil, Caetano Veloso, letra: Caetano Veloso) por Caetano Veloso (voz, assovio, canto árabe), Gilberto Gil (voz, violão elétrico), Liminha (baixo, guitarra Ebow, teclados, programação de bateria e percussão), Moreno Veloso (cello), Carlinhos Brown (shaker), Ramiro Mussoto (programação do batuque)
• "Desde que o samba é samba" (música, letra: Caetano Veloso) por Caetano Veloso e Gilberto Gil (voz, violão; arranjo), Nico Assunção (baixo de 6 cordas)
• "Wangolo" (tradicional haitiana) por Louis Ebby Angel (voz, violão)
• Não creditada: "Hino à Bandeira do Haiti"

Música gentilmente cedida por Caetano Veloso // Editora: Uns Produções Artísticas Ltda. administrada por: Warner Chappell Edições Musicais Ltda. [CD: Caetano e Gil, Tropicália 2, PolyGram, 1993; faixas 01 e 12/12].

ARQUIVO
Registros:
Haiti, maio-junho 2007: Operação de câmera: Henrique Maffei.
Porto Príncipe, maio de 2007: entre outros lugares, exterior do Palácio Presidencial;
La Citadelle, junho de 2007;
Millot, junho de 2007: entre outros lugares, exteriores do Palácio Sans Souci (1913) e Fortaleza Citadelle (1820).

FINALIZAÇÃO
Edição: Henrique Maffei.

Direção de pós-produção: Beto Mattos.
Colorista: Felipe Rosa.
Cópia digital Auwê: Rogério Pereira, Marcella Fazzio, Michael Almeida, Ana Carolina Cury.

Desenho de som: Marcos Lopes.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Câmera: Panasonic DVX100 (MiniDV); Sony EX1R (XDCAMEX – FullHD).
Assessoria jurídica: Barcellos & Corrêa Advogados Associados.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Inverso Filmes.
Apoio: Prefeitura de Três Coroas – Orgulho de viver aqui!; ADEC Associação Desportiva e Cultural de Três Coroas.
Apoio financeiro: SINDISPREV-RJ; Rosseto Equipamentos Fotográficos; Camila Hossne; Diana Maffei; Fernanda Melchionna; Marcus Vianna; Milton Temer.

AGRADECIMENTOS
Agradecimento especial ao povo haitiano.
Agradecimentos especiais: Exército Brasileiro, Caetano Veloso, general Santos Cruz, Hugo Scotte, Tailon Ruppenthal.
Agradecimentos: Antônio Augusto Barcellos, Arriê Martins, Bernardo Corrêa, Beto Mattos, professor Bonnet Louis-Marc, Centro Cultural Brasil-Haiti de Porto Príncipe, Cesar Guazzelli, Cine Institut Jacmel, Claudios Delvizio, coronel Albino, coronel Rego Barros, coronel Silva Filho, Diogo César, Doc Meeting Argentina, Eduardo Venzel de Oliveira, Elian Wooder, Embaixada do Brasil no Haiti, embaixador Paulo Cordeiro de Andrade Pinto, embaixador Igor Kipman, embaixatriz Roseana Kipman, Enrique Padrós, Fabio Ferreira Soares, Farah Zéphir, Felipe Santograal, Flávia César, Flávio Nascimento, Frederico Morsch, Gabriel Augusma, Gabriela Resendes, Gilberto Gil, Hugo Leonardo Vezu, Luc Brenner, Luisa Meirelles, Janira Rocha, major Aquira, Marcelo Goes Lobo, Marco Chaparro, professora Pierre Catherine, Mateus Figueiredo de Lima, Maurício Borges de Medeiros, Maurício Canterle, Natalino Silva de Freitas, Neca Jahn, Nego Bando, Normélia Parise, Pedro Fuentes, Rafael Roso Berlezi, Raquel Matos, Rendel Brunet, Ricardo Jocelin, Richard Bazelais, Robert Mesidor, professora Roselene Chaferon, Santuário Filmes, Sophie Boutaud de la Combe, Vinicius Braun, Willian Jean e a todos aqueles que de alguma forma contribuíram para que este filme fosse realizado.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre, em lugares como: Casa do Estudante, Viaduto Octavio Rocha; abril de 2010;
Haiti, em Porto Príncipe; Jacmel, entre 7 e 18 maio de 2010 (cf. blog de Maffei).

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:01:40 (YouTube)
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição: DVD
Idioma: Creole haitiano, com legendas em português; português.
Legendas: Português, english, español, français, creole.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: Livre.
Contato:

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // Este filme também serviu como trabalho de conclusão do curso de História da UFRGS. //
Minustah: Missão das Nações Unidas para a estabilização do Haiti chefiada pelo Brasil desde 2004.

Títulos alternativos: Nadie sabe dónde queda Haití / Nobody knows where Haiti is / Personne ne sait où est Haïti
Grafias alternativas: Marcos Lopes da Silva | Rafael Berlezi
Grafias alternativas (funções): Legendagem

BIBLIOGRAFIA
MAFFEI, Henrique Sadafy. Ninguém sabe onde fica o Haiti: uma abordagem cinematográfica. Porto Alegre: Curso de História: Licenciatura-Instituto de Filosofia e Ciências Humanas-UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010. Orientação: Enrique Serra Padrós. (Trabalho de conclusão de graduação)
Esta monografia é composta de duas partes, uma em forma de texto, e outra em forma audiovisual em DVD. Em conjunto, elas abordam o Haiti contemporâneo que vive sob intervenção das tropas da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH, em sua sigla em francês). Trata-se de um registro de história oral de diversos segmentos do povo haitiano, contextualizando sua cultura e seu olhar sobre o momento atual. Analisa a importância do registro e da discussão histórica atual, valorizando o tempo presente, o historiador como construtor de novas fontes históricas e o Cinema como ferramenta e linguagem de expressão historiográfica.

Exibições


• Montréal (CA), 7e Festival International Film Black [22 set-2 out]-Seleção oficial, Cinéma Onf, 28 set 2011, qua, 16h

• Ciudad Autónoma de Buenos Aires (AR), Argentina FICiP 2º Festival Internacional de Cine Político [22-28 mar]-FICiP Temático – Memoria y Testimonios, mar 2012

• Ciudad de México (MX), DocsDF 7º Festival Internacional de Cine Documental de la Ciudad de México [8-18 nov]-Selección oficial, nov 2012

• (FR), Mostra Locumental

• canal +Globosat para usuários da Net; na sky, o canal é 234, em ago-set 2013

• YouTube, disponível desde 6 out 2017

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Ninguém sabe onde fica o Haiti. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/779/ninguem-sabe-onde-fica-o-haiti. Acesso em: 22 de fevereiro de 2024.