O Amargo santo da purificação (2011)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Registro de espetáculo teatral
DVD, cor, 90 min

Direção: Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, Pedro Isaias Lucas.
Companhia produtora: Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz; Artéria Filmes

Primeira exibição: Porto Alegre (RS), Cine Santander Cultural, 6 dez 2011, ter, 19h (exibição e lançamento do DVD)

 

Registro do espetáculo de rua O Amargo santo da purificação – Uma visão alegórica e barroca da vida, paixão e morte do revolucionário Carlos Marighella, encenação coletiva da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, estreia em 2008, passando a integrar seu repertório nos anos seguintes (pelo menos até 2016). A dramaturgia elaborada pela Tribo de Atuadores parte dos poemas escritos por Carlos Marighella que transformados em canções são o fio condutor da narrativa. Através de máscaras, elementos visuais da cultura afro-brasileira e de uma estética baseada nos filmes de Glauber Rocha, o grupo traz para as ruas das cidades uma abordagem épica das aspirações de liberdade e justiça do povo brasileiro.

Em março de 2010 recebeu os principais prêmios Açorianos do teatro gaúcho: melhor espetáculo, melhor atriz (Tânia Farias), melhor trilha sonora, melhor figurino e melhor produção, sendo o primeiro espetáculo de teatro de rua a receber tais distinções.

A peça foi apresentada em diversas cidades ao ar livre e estas apresentações foram sendo gravadas por Pedro Isaias Lucas. A montagem final mistura as diferentes paisagens preservando a integralidade dramatúrgica. Durante sua trajetória o espetáculo percorreu 14 estados brasileiros; apresentou-se em mais de 60 cidades; participou de festivais e mostras em todo país; em praças, parques, vilas e bairros de Porto Alegre; levando o trabalho também à zona rural, passando por diversos assentamentos do Rio Grande do Sul, totalizando um público estimado de mais de 80.000 pessoas. Em 2013 o espetáculo foi escolhido para representar o Brasil no Ano Brasil/Portugal, sendo apresentado nas cidades do Porto e Coimbra.

Sinopse


// Uma visão alegórica e barroca da vida, paixão e morte do revolucionário Carlos Marighella. //
As origens na Bahia, juventude, poesia. A resistência ao Estado Novo, a sua prisão, a nova Constituição, a proscrição do Partido Comunista, o conflito armado contra a ditadura militar e a emboscada que terminou com a sua morte em 1969.

Ficha técnica


ELENCO
Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (não creditados): Paulo Flores, Tânia Farias, Pedro Kinast De Camillis, Clélio Cardoso, Luana Fernandes, Marta Haas, Edgar Alves, Roberto Corbo, Sandra Steil, Paula Carvalho, Judit Herrera, Eugênio Barboza, Roberta Fernandes, Lucio Hallal, Paula Lages, Déia Alencar, Danielle Rosa, Alex Pantera, Karina Sieben, Jorge Gil, Luciana Tondo, Carlo Bregolini, Renan Leandro, Alessandro Müller, Jeferson Cabral; Anelise Vargas, Aline Ferraz, Leticia Vituoso, Raquel Zepka, Eduardo Cardoso.
Locução (não creditados): Nilsson Asp (AI-5 e descrição clima cena da morte), Giovana Carvalho (voz das Lições de Tortura).

DIREÇÃO
Direção: Pedro Isaias Lucas.
Direção (espetáculo): Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.

ROTEIRO
Dramaturgia: Criação coletiva da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, a partir dos poemas de Carlos Marighella.

ESPETÁCULO
Direção: Encenação coletiva da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.
Preparação de atores (não creditados): Ed lannes (capoeira / Grupo Zimba), Nelsinho (berimbau / Grupo Zimba), Zé do Trompete (sax), Taila dos Santos Souza (dança afro / Odomodê).

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Pedro Isaias Lucas.

ARTE
Não creditados:
Figurino, máscaras, adereços e elementos cenográficos: Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.
Criação da cabeça de Getúlio Vargas: Alessandro Müller.
Criação e execução dos triciclos: Carlos Ergo / Ergocentro.
Criação e execução estandarte 'Depor Podre Poder' e colares Iansã: Margarida Rache.
Confecção figurino: Heloísa Consul.
Execução de crochê das cabeças Marighella: Maria das Dores Pedroso.

MÚSICA
Músicas: Johann Alex de Souza.

FINALIZAÇÃO
Edição e finalização: Pedro Isaias Lucas.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Duplicação DVD: Grupo Midia A (Porto Alegre).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz / Centro de Experimentação e Pesquisa Cênica (Porto Alegre); Artéria Filmes (Porto Alegre).
Captação de recursos: através da Lei de Incentivo à Cultura Lei nº 8.313/91 (Lei Rouanet) / MinC Ministério da Cultura. Patrocínio: BR Petrobras.

AGRADECIMENTOS
Dedicatória: O espetáculo de rua O Amargo santo da purificação – Uma visão alegórica e barroca da vida, paixão e morte do revolucionário Carlos Marighella – é dedicado à memória de todos os mortos e desaparecidos políticos que lutaram contra a ditadura militar em nome da liberdade e da justiça social para todos brasileiros.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre; 

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração:
Som:
Imagem:
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:
Tiragem (DVD duplo): Não consta.

DIVULGAÇÃO
Capa e contracapa DVD: A Tribo Design Gráfico.
Fotografias: Pedro Isaias Lucas.
Folheto de divulgação do lançamento.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: Livre.
DVD duplo: DVD 01: Filme. DVD 02: Extras.
Contato: Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.

EXTRAS DVD 02
• Depoimentos de Clara Charf (viúva), Carlinhos Marighella (filho), artistas, críticos, ativistas políticos e público em geral.

OBSERVAÇÕES
As informações não creditadas foram retiradas de programas da peça, disponíveis na internet.
Cf. créditos finais: // Este audiovisual é uma ação do projeto Ói Nóis na Memória //
// Aviso: Os titulares do direito autoral da obra audiovisual, incluindo a trilha sonora e a banda de áudio contidas neste disco, autorizam sua livre utilização, desde que não seja para fins comerciais, sendo devidamente comunicada aos autores e citada a fonte. // © oinois //

Títulos alternativos: O Amargo santo da purificação – Uma visão alegórica e barroca da vida, paixão e morte do revolucionário Carlos Marighella
Grafias alternativas: Nilson Asp | Midia A | Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz Centro de Experimentação e Pesquisa Cênica
Grafias alternativas (funções): Edição e finalização audiovisual

BIBLIOGRAFIA
PRIKLADNICKI, Fábio. Tânia Farias – O teatro é um sacerdócio. Porto Alegre: 24º Porto Alegre Em Cena, Secretaria Municipal da Cultura-Prefeitura de Porto Alegre, mar 2018. 187p. il. (Gaúchos Em Cena, 8) Textos: Luciano Alabarse, Paulo Flores.
LERINA, Roger. Paulo Flores – Um teatro com pedra nas veias. Porto Alegre: 26º Porto Alegre Em Cena, Secretaria Municipal da Cultura-Prefeitura de Porto Alegre, 2019. 159p. il. (Gaúchos Em Cena, 9) Textos: Luciano Alabarse, Antonio Hohlfeldt, Francisco Marshall.

Exibições


• Porto Alegre (RS), Cine Santander Cultural, 6 dez 2011, ter, 19h (exibição e lançamento do DVD)

• Porto Alegre (RS), Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz: 36 anos de ousadia e ruptura, CineBancários, 8 abr 2014, ter, 17h

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
O Amargo santo da purificação. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/791/o-amargo-santo-da-purificacao. Acesso em: 22 de maio de 2024.