O Sal e o açúcar – As tradições doceiras em Pelotas e Antiga Pelotas (2013)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Não ficção
cor, 71 min

Direção: Boca Migotto.
Companhia produtora: Ray Produtora

Primeira exibição: desconhecida

 

O Sal e o açúcar – As tradições doceiras em Pelotas e Antiga Pelotas investiga as razões que levaram a zona sul do Rio Grande do Sul a se tornar famosa pela fabricação de alimentos açucarados, como bem casado, marmelada, quindim, pessegada, ninho, camafeu, figo em calda, amanteigado, ameixa recheada, abóbora cristalizada, bolo de noiva, entre outros. A fim de tentar entender melhor essa história, são entrevistados pesquisadores, professores, doceiros e membros de associações. Tais práticas culinárias se tornaram uma marca da cidade de Pelotas, que perpetua esse legado através da realização anual da Fenadoce Feira Nacional do Doce, realizada pela primeira vez em 1994. O filme foi realizado com recursos do IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, integrando o processo de Registro da Região Doceira de Pelotas e Antiga Pelotas como patrimônio imaterial brasileiro. Em 2018, essa reivindicação foi aceita pelos órgãos competentes. Trata-se do primeiro longa-metragem do documentarista Boca Migotto, natural de Carlos Barbosa, responsável por muitos curtas e séries de TV.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Ordem de identificação:
Fábio Vergara Cerqueira (integrante do INRC Região Doceira de Pelotas),
Beatriz Muniz Freire (técnica do Setor de Patrimônio Imaterial do IPHAN RS),
Maria Letícia M. Ferreira (integrante do INRC Região Doceira de Pelotas),
Flávia Rieth (coordenadora do INRC Região Doceira de Pelotas),
Tiago Lemões da Silva (integrante do INRC Região Doceira de Pelotas),
Ester Gutierrez (arquiteta e urbanista),
Marcelo Mazza Terra (administrador e neto de charqueador),
Dalila Müller (professora do Curso de Turismo UFPel),
Lia Mara Magalhães (assistente social),
Aldyr Garcia Schlee (escritor),
Noris Mara Pacheco Leal (presidente do Museu do Doce de Pelotas),
Dalila Rosa Hallal (professora do Curso de Turismo UFPel),
Sérgio Sias (doceiro, filho de Dona Zilda),
Marília Floôr Kosby (integrante do INRC Região Doceira de Pelotas),
Jairo Scholl Costa (escritor e pesquisador da cultura pomerana),
Ligia Henriques (presidente da Cooperativa dos Doceiros de Pelotas),
Mãe Marli do Bará (Mãe de Santo),
Glecy Costa Mello (doceira, neta de charqueador),
Maria Helena Lubke Jeske (presidente da Associação dos Doceiros de Pelotas),
Elda Scoglioni (doceira),
Ruy Villela Cruz (doceiro),
Maria Alzira Carreira (doceira),
Emilia da Silva (doceira),
Alcir Nei Bach (professor mestre em Geografia),
Leandro Ramos Betemps (historiador, pesquisador da cultura francesa),
Onelia Mendes Leite (doceira),
Ivo Schau (aposentado),
Rosa Rodrigues Thomaz (professora de culinária),
Paulo Teixeira (professor de culinária),
Izabel Cristina Fernandes (doceira),
Carolina Thomaz Cordeiro (psicóloga, neta de Dona Rosinha),
Darci Ribeiro de Paiva (doceiro 'Seu Pingo'),
Lili Luschke Bammann (professora aposentada, filha de Dona Berola),
Ilza Raupp (doceira).
Não identificados: Celoé Lauz Cruz, Onéssimo Cruz.
Arquivo: Mario Osório Magalhães (professor e escritor).

DIREÇÃO
Direção: Boca Migotto.

ROTEIRO
Roteiro: Boca Migotto, Nara Sonallio, Cris Laurentiz, André Couto.

PRODUÇÃO
Direção de produção: Nara Sonallio.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Eduardo Nascimento Rosa.
Elétrica: Juan Quintáns.

SOM
Gravação: Fernando Basso.

MÚSICA
Músicas:

ARQUIVO
Fotografias: Arquivo INRC Região Doceira de Pelotas.
Filme: Recordar é viver: depoimento de Mario Osório Magalhães.

FINALIZAÇÃO
Montagem: Cris Laurentiz, André Couto.
Mixagem: Fernando Basso.

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Ray Produtora (Porto Alegre).
Financiamento: IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional / Superintendência no Rio Grande do Sul / MinC Ministério da Cultura / Governo Federal – Brasil – País rico é país sem pobreza.
Este filme foi realizado com recursos do IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, integrando o processo de Registro da Região Doceira de Pelotas e Antiga Pelotas como patrimônio imaterial brasileiro.

AGRADECIMENTOS
Agradecimento especial: à família de Mario Osório Magalhães.
Agradecimentos: Bibliotheca Pública Pelotense, Casa Hartmeister (São Lourenço do Sul), Museu Etnográfico da Colônia Maciel, Museu do Doce de Pelotas, Museu do Charque de Pelotas, Mercado Público de Pelotas, Grand Hotel, Associação dos Produtores de Doces de Pelotas, Cooperativa dos Doceiros de Pelotas, Rua do Doce, Confeitaria Doçuras de Pelotas, Charqueada São João, Charqueada Santa Rita, FENADOCE, SENAI, CDL de Pelotas, SECULT Secretaria Municipal da Cultura de Pelotas.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Pelotas; Rio Grande; São Lourenço do Sul.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 71 min
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
Contato:

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos finais: // Pelotas / Porto Alegre – Dezembro 2013 //
Créditos: // Presidente da República: Dilma Vana Rousseff. Ministra da Cultura: Marta Suplicy. Presidente do IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional: Jurema Machado. Direção do Departamento de Patrimônio Imaterial: Célia Maria Corsino. Superintendência do IPHAN RS: Ana Lúcia Goelzer Meira. Coordenação técnica do Inventário Região Doceira de Pelotas: Beatriz Muniz Freire, Marcus Vinicius Benedeti. Pesquisadores INRC – Região Doceira de Pelotas e Antiga Pelotas: Flávia Rieth (coordenadora), Fábio Vergara Cerqueira, Maria Letícia M. Ferreira, Marília Floôr Kosby, Tiago Lemões da Silva. //
Datação: São desconhecidas exibições deste filme; a data é a que aparece nos créditos finais.

Grafias alternativas: Aldyr Garcia Schlee (identificação) e Aldyr Schlee (finais) | Carolina Thomaz Cordeiro (identificação) e Carolina Thomas Cordeiro (finais) | Lili Luschke Bammann (identificação) e Lili Lushke Bammann (finais) | Biblioteca Pública Pelotense

BIBLIOGRAFIA

Exibições


• Vimeo, disponível [vimeo.com/257075389]

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
O Sal e o açúcar – As tradições doceiras em Pelotas e Antiga Pelotas. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/912/o-sal-e-o-acucar-as-tradicoes-doceiras-em-pelotas-e-antiga-pelotas. Acesso em: 17 de junho de 2024.