A Maldição do Sanguanel (2014)

Brasil (RS)
Longa-metragem | 4 episódios | Ficção
cor, 71 min

Direção: Felipe M. Guerra, Eliseu Demari, Rafael Giovanella, Ricardo Ghiorzi.
Companhia produtora: Necrófilos Produções Artísticas; Fantoche Filmes; Colonya Pictures

Primeira exibição: Porto Alegre (RS), Fantaspoa 10º Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre [9-25 maio]-Exibições Especiais, Cinemateca Paulo Amorim-Sala Paulo Amorim, 18 maio 2014, dom, 17h (comentada com os quatro diretores)

 

A Maldição do Sanguanel apresenta quatro visões sobre a criatura do imaginário italiano que assombrava os imigrantes europeus no Rio Grande do Sul do século XIX. Os quatro diretores são: Felipe M. Guerra (de Carlos Barbosa), Eliseu Demari (Carlos Barbosa), Rafael Giovanella (Caxias do Sul) e Ricardo Ghiorzi (Canoas).

"Escolhemos o Sanguanel porque queríamos fazer um filme sobre a cultura brasileira, ou, nesse caso bem específico, a cultura ítalo-gaúcha, que é bem forte na região. A primeira vez que pensei em fazer um filme sobre o Sanguanel foi entre 1999 e 2000. Na época, eu li um texto de um colega jornalista que era justamente sobre o medo que nossos antepassados tinham dele.
As histórias não se complementam, mas todas elas têm a presença do Sanguanel e da minha avó, Oldina do Monte, que funciona como uma espécie de elo de ligação, embora, em cada episódio, ela interprete uma personagem diferente. Cada um ficou bem livre para inventar o que quisesse, desde que respeitando as histórias populares sobre o Sanguanel, ao invés de transformá-lo num monstrinho de cinema americano.
Cada um escreveu seu roteiro, mas trocamos ideias. Cada um foi inventando coisas para o episódio do outro e ficou um trabalho tão coletivo, que hoje eu diria que o filme é de todos mesmo.
Certamente foi o meu filme mais barato e menos trabalhoso, já que fizemos tudo em sistema de cooperativa: o Ricardo Ghiorzi fez os efeitos especiais para os quatro filmes de graça, e em troca, eu o trouxe para filmar aqui na minha cidade e fiz toda a produção para ele. Arrumei atores, locações, banquei alimentação e tal. E o Rafael Giovanella emprestou todo o equipamento para os demais, então ficou nesse esquema de um ajudando o outro o tempo inteiro. Por isso não tivemos tantos gastos. Se for colocar na ponta do lápis, duvido que cada diretor tenha gastado R$ 500 no seu curta.
As descrições sobre o Sanguanel sempre combinaram que ele era um homenzinho vermelho, tipo um duende ou gnomo. É engraçado, porque talvez ele seja uma versão ítalo-gaúcha do Saci. Tínhamos vários desenhos para o 'nosso' Sanguanel, e no fim, ele acabou ficando com uma cara bem assustadora e touquinha vermelha, tipo Saci mesmo. Mas fizemos o possível e o impossível para mostrá-lo bem pouco no filme, porque não tínhamos dinheiro, nem recursos para fazer um boneco com muitas expressões, tipo piscar os olhos, ou abrir e fechar a boca. Então o Sanguanel sempre aparece de relance, ou nas sombras. Os episódios são sobre as consequências da maldição do Sanguanel nas vítimas, e não sobre o Sanguanel diretamente. Ele é um convidado especial no seu próprio filme, eu diria.
Eu espero que o longa encontre seu público, já que não é um filme exclusivamente para fãs de horror. Como eu gosto de dizer, é um filme de fantasia, não um filme de horror. Quem quer ver apenas pelos efeitos especiais, pode se decepcionar, porque é uma narrativa à moda antiga, sem tanto exagero e sem tanto sangue e nojeira. Certamente cada espectador terá o seu episódio preferido, mas o mais legal é que, embora os quatro sejam sobre o mesmo personagem, eles são completamente diferentes, e o próprio Sanguanel age e tem características diferentes em cada história. Então, eu diria que é uma visão particularíssima mesmo de cada diretor sobre o mito do Sanguanel, não é tudo a mesma coisa. Eu sempre fiz filmes voltado para a comédia, mas A Maldição do Sanguanel é uma aposta mais arriscada. É um pouquinho menos engraçado, por isso que estou curioso para ver como será a recepção dele". (In: DOURADO, Laura. A Maldição do Sanguanel: entrevista com Felipe M. Guerra e o folclore sulista. Mundo Blá, 2014.)

Episódios


[00:16-02:57] Abertura e créditos iniciais
[02:58-17:28] [01/04] A muitos passos da eternidade | Direção: Felipe M. Guerra.
[17:29-34:57] [02/04] A Herança | Direção: Eliseu Demari.
[34:58-51:29] [03/04] Sogno o realtà? | Direção: Rafael Giovanella.
[51:30-1:08:24] [04/04] Dois bêbados e um homenzinho vermelho | Direção: Ricardo Ghiorzi.
[1:08:25-1:11:12] créditos finais


[01/04] A muitos passos da eternidade
Roteiro e direção: Felipe M. Guerra.
Assistência de direção: Daniela Monteiro.
Sinopse: Um homem ao ser convidado para uma galinhada com polenta, acaba cruzando com o Sanguanel e se perdendo na mata. Segundo uma das lendas envolvendo o monstrinho, quem pisar em sua pegada, estará condenado a andar sem rumo para sempre.
Elenco: Eliseu Demari (O Caminhante), Oldina do Monte (A velha), Sanguanel (Ele mesmo).
Operação de câmera: Felipe M. Guerra.
Maquiagem de efeitos: Ricardo Ghiorzi.
Músicas: • "Rasga o coração" (Vicente Celestino) por Vicente Celestino
Edição: Felipe M. Guerra.
Companhia produtora: Necrófilos Produções Artísticas (Carlos Barbosa).

[02/04] A Herança
Roteiro e direção: Eliseu Demari.
Assistência de direção: Kátia Hoffelder Dalcin.
Sinopse: Letreiros: // Itália, 1893. / Itália, uma semana atrás. / Brasil, hoje. // Um executivo, durante uma viagem à Itália, descobre que seu antepassado foi morto pelo Sanguanel e terá que descobrir como se livrar de uma maldição passada através de gerações.
Elenco: Rodrigo Guerra (Marco), Oldina do Monte (A Velha), Leandro Facchini (Antonio), Felipe M. Guerra (O Amigo Italiano), Andressa Dalcin, Andrius Berté, Angela Benedetti, Ângela Cini Baldasso, Angélica Denicol, Edemilson Demari, Fernando Baldasso, Guilherme Baú Tusset, Juliana Dalmas, Juliano Mosena, Karen Willvvock, Kátia Hoffelder Dalcin. Monique Werner, Morgana Dalcin Dalmas (Pessoas na festa).
Operação de câmera: Felipe M. Guerra.
Cenografia: Eliseu Demari, Rodrigo Guerra.
Edição: Felipe M. Guerra.
Companhia produtora: Necrófilos Produções Artísticas (Carlos Barbosa).

[03/04] Sogno o realtà?
Roteiro e direção: Rafael Giovanella.
Assistência de direção: Aline Giovanella, Rodrigo Boff.
Sinopse: Um grupo de jovens, ao acampar na mata, se depara com as travessuras do Sanguanel exatamente como seus pais e avós sempre alertaram.
Elenco: Gustavo Dal'Agnol (Luiz), Tiago Jacobi (Miro), Roberto Rigon (Pietro), Caroline Bortoluz (Tati), Nadiane G. Boff (Mirta), José Dal'Agnol (Pai), Salete Dal'Agnol (Mãe), Oldina do Monte (Nona), Liliane Casiraghi (Lili), Eduardo Milani (Butin), Catarina Berti Boff (Mãe de Tati), Guilherme Dal'Agnol, Gabriel Giovanella, Júlia Giacomet (Irmãos).
Operação de câmera: Rafael Giovanella.
Figurino: Vitalina Casiraghi.
Edição: Rafael Giovanella.
Companhia produtora: Necrófilos Produções Artísticas (Carlos Barbosa).
Coprodução: Colonya Pictures (Caxias do Sul).

[04/04] Dois bêbados e um homenzinho vermelho
Roteiro e direção: Ricardo Ghiorzi.
Sinopse: O dono de um boteco conta a um viajante recém-chegado à cidade a trágica história de dois amigos que, a caminho de um bordel, são perseguidos pelo Sanguanel. Um dos amigos consegue capturar a criaturinha, mas o desfecho não será nada feliz.
Elenco: Renoaldo Pavan (Zeca), Celso Pavão (Tonho), Daniela Vidor (Prostituta), Pomba Cláudia (Prostituta), Oldina do Monte (Tia Aurora), Álvaro Guerra (Bodegueiro), Fabiano Taufer (Viajante), Aquilino Cichelero, Eloi Cislaghi, Ildo Cislaghi, Selvino Dalbosco (Clientes do bolicho), Eliseu Demari, Felipe M. Guerra, Rafael Giovanella, Ricardo Ghiorzi (Clientes do puteiro).
Gerência de produção: Felipe M. Guerra.
Operação de câmera: Ricardo Ghiorzi.
Maquiagem de efeitos: Ricardo Ghiorzi.
Companhia produtora: Necrófilos Produções Artísticas (Carlos Barbosa).
Coprodução: Fantoche Filmes (Canoas).
Grafias alternativas: Cláudia Borba

Ficha técnica


PRODUÇÃO
Companhia produtora: Necrófilos Produções Artísticas (Carlos Barbosa).
Coprodução: [03/04] Colonya Pictures (Caxias do Sul); [04/04] Fantoche Filmes (Canoas).
Música-tema: "Sanguanel" (Eliseu Demari) por Nenê Fragata.
Trilha sonora: Fernando Troian.
Música adicional: Kevin MacLeod / www.incompetech.com.

EQUIPE Abertura
Narração: Roberto Frison.
Desenhos: Eliseu Demari.
Edição: Felipe M. Guerra.

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Efeitos sonoros: freesound.org.
Equipamento: Rafael Giovanella, Ricardo Ghiorzi.
Cenas em time-lapse: stockfootageforfree.com.

AGRADECIMENTOS
Grazie mille: Quito e Neusa Guerra (pelo apoio incondicional), Daniela Monteiro, Kátia Hoffelder Dalcin, Isabelle e Annabella Ghiorzi, Aline e Gabriel Giovanella, Família Dalcin (Torino, Carlos Barbosa), Família Zanetti (Carlos Barbosa), Família Formentini (Paraguaçu, Carlos Barbosa), Armazém Cislaghi (Linha 12, Carlos Barbosa), Bombeiros Voluntários Carlos Barbosa (pelo resgate da dona Oldina), Daniel Toniazzi (pelos vermes), Diogo Guerra (autor da crônica "O Sanguanel"), Roberto 'Popi' Frison (pelo apoio vindo da Itália), Vasco Py Siegmann (por quase ter feito a trilha), Evandro Pizzoli (por quase ter estrelado o filme em 1999), Amicus Productions (pelos belos filmes com episódios que inspiraram este).
E a todos que fazem, valorizam e/ou divulgam o cinema independente brasileiro!

FILMAGENS
Brasil / RS, em Carlos Barbosa e região, para os 4 episódios.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 71 min
Som:
Imagem: cor
Proporção de tela:
Formato de captação:
Formato de exibição:

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa: 16 anos.
Contato:

OBSERVAÇÕES
Cf. créditos iniciais: // Estrelando: Oldina do Monte. // pois ela está nos 4 episódios.
Cf. créditos finais: // Esta é uma história de ficção. Qualquer semelhança com pessoas vivas, mortas ou mortas-vivas é mera coincidência. / Nenhum Sanguanel foi machucado na realização deste filme. //

Exibições


• Porto Alegre (RS), Fantaspoa 10º Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre [9-25 maio]-Exibições Especiais, Cinemateca Paulo Amorim-Sala Paulo Amorim, 18 maio 2014, dom, 17h (comentada com os quatro diretores)

• Carlos Barbosa (RS), Cine Ideale, 9, 10, 12, 13 ago 2014, sab, dom, ter, qua, 20h

• Caxias do Sul (RS), Sala de Cinema Ulysses Geremia, no Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho (R. Luiz Antunes, 312, bairro Panazzolo), 16 ago 2014, sab, 15h

• Bogotá (CO), Zinema Zombie Fest 6º Festival Internacional de Cine Fantástico y Terror-Mostra Zinema Salvaje, Planetario, 6 nov 2014, qui, 17h

• Porto Alegre (RS), Mostra A Vingança dos Filmes B – Parte 4, Sala P. F. Gastal, 14 dez 2014, dom, 15h

• Curitiba (PR), Mostra Mondo Estronho 2, Cinemateca de Curitiba, 26 jun 2015, sex, 20h45

• São Paulo (SP), 6ª Mostra Cinema de Bordas [25-28 jun], Itaú Cultural, 28 jun 2015, dom, 19h

• Iron Pointe Film Festival-Seleção oficial, jul 2015

• Ciudad Autónoma de Buenos Aires (AR), BARS Buenos Aires Rojo Sangre 16º Festival Internacional de Cine de Terror, Fantástico y Bizarro-Seleção oficial, Multiplex Lavalle, nov 2015

• Melbourne (AU), PFFM Phoenix Film Festival-Official selection, 2015

• New York City, NY (US), BKFF Broken Knuckle Film Fest-Official selection Weird and Wrong, 2015

• IndieWise, 2016

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
A Maldição do Sanguanel. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/943/a-maldicao-do-sanguanel. Acesso em: 19 de julho de 2024.